14462
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - A construção dos personagens na narrativa mitológica

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do EF sobre A construção dos personagens na narrativa mitológica

Plano 06 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Matheus Seiji Bazaglia Kuroda

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a sexta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Mito e no campo de atuação Campo artístico literário. A aula faz parte do módulo de Análise Linguística e Semiótica. É desejável que os alunos já tenham sido apresentados ao gênero mito, bem como introduzidos aos estudos dos adjetivos, para que consigam realizar de forma mais produtiva esta aula.

Materiais necessários:

  • Computador, projetor multimídia, som e tela.
  • Cópia do texto: “A origem da morte”. In: SISTO, Celso. Mãe África. São Paulo: Paulus, 2007, p. 16-18.
  • Material para escrita: caderno, lápis, borracha etc.

Informações sobre o gênero: Narrativa pedagógica de tradição oral que explica os diferentes fenômenos naturais e sobrenaturais utilizando uma linguagem simbólica.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldades em caracterizar, por meio da escolha de adjetivos apropriados, os personagens porque eles terão que inferir características a partir das suas ações, contextualizadas em um tempo e espaço.

Referências sobre o assunto:

  • DANTAS, I. M. ; SILVA, J. R. O par locução adjetiva/ adjetivo: uma questão de leitura e de escrita no ensino de língua. In: XXIV Jornada Nacional do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste (GELNE), 2012, Natal/RN. XXIV Jornada Nacional do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste (GELNE). Natal/RN: EDUFRN, 2012. v. Único. p. 1-9.
  • MONTES, S. V. S.; NOGUEIRA, T. F. Uso do Adjetivo: Ferramenta de personalização do texto (causando diferentes efeitos de sentido). XIII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação Universidade do Vale do Paraíba. Disponível em: <http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2009/anais/arquivos/1169_1123_01.pdf>. Acesso em: 22 set. 2018.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 min.

Orientações:

  • Apresente a proposta da aula aos alunos: nesta aula, será lido um mito sobre a “origem da morte”, sem muitos adjetivos. Os alunos terão que entender a história para, depois, fazer uma atividade para atribuir adjetivos aos personagens. Trata-se de uma estratégia para analisar os efeitos de sentido decorrentes da escolha e dos usos dos adjetivos nos mitos, promovendo a “personalização” do mito.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Organize a sala em duplas. A partir dessa organização, os alunos poderão trocar ideias e, juntos, discutir as atividades.
  • Inicie uma conversa para ser debatida em cada dupla: “O que é a morte? Você conhece algum mito sobre a origem da morte? Se conhece algum mito sobre o tema, quem é protagonista desta história? Como ele é?”.
  • Garanta o tempo necessário para que eles possam discutir o assunto e levantar seus conhecimentos prévios; muitos poderão, por exemplo, resgatar crenças religiosas para fundamentar as suas respostas. É interessante, neste momento, circular pelas duplas para ir mapeando as respostas dos alunos.
  • Depois disso, quando finalizado, inicie uma breve exposição das respostas aos questionamentos iniciais, pedindo que um aluno de cada dupla conte para a turma as respostas debatidas.
  • Ao finalizar as exposições, relate aos alunos que a aula irá propor uma nova visão sobre o tema: será feita a leitura de um mito africano sobre a origem da morte, analisando as ações dos personagens para caracterizá-los.

Respostas possíveis/desejáveis:

  • Para esta atividade, há várias possibilidades de respostas. Trata-se de uma atividade de levantamento dos conhecimentos prévios, estimulando a curiosidade para a temática. É necessário, no entanto, que se garanta um olhar de respeito às diferentes respostas dadas aos alunos para discutir esses tópicos iniciais.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 28 minutos

Orientações:

  • Nesta etapa, será lido um mito africano sobre a origem da morte. Para ter acesso ao texto, clique aqui.
  • Inicialmente, sem entregar o texto aos alunos, leia-o em voz alta, pedindo que fiquem atentos à leitura. Essa estratégia possibilitará que os alunos imaginem a narrativa e criem uma imagem mental dos personagens, com suas características e ações. Caso julgue necessário, peça que a turma feche os olhos para escutar a história com mais atenção.
  • Logo após a leitura, peça que eles discutam, em suas duplas, de forma oral e de acordo com a imagem mental que eles criaram durante a leitura, as seguintes questões: “Como os personagens se comportam? Quais palavras poderiam definir os personagens? Quais características podemos atribuir a elas?”.
  • Garanta o tempo necessário para que as duplas discutam e, depois, disso, peça que um aluno de cada dupla relate as suas respostas.
  • O tempo médio para a sequência de atividades deste slide é de, aproximadamente, 10 minutos.

Respostas possíveis/desejáveis:

  • Na atividade oral, há muitas possibilidades de respostas. Os alunos podem apontar, entre outras coisas, que a lebre é submissa, atrapalhada etc; enquanto a lua é autoritária, vingativa, violenta, poderosa etc.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Entregue aos alunos, ainda em duplas, uma cópia do texto “A origem da morte” disponível aqui.
  • Peça que eles preencham as lacunas deixadas no texto, inserindo os adjetivos que julgarem adequados.
  • É interessante pedir aos alunos, que, durante a atividade, procurem por pistas no texto para justificar as suas escolhas de adjetivos para completar as lacunas.
  • Durante a atividade, circule pela sala, garantindo a participação de todos. Nos casos em que as duplas tiverem mais dificuldades, faça algumas intervenções, fornecendo pistas, atentando-os também para a concordância dos adjetivos e o tipo de registro que predomina no texto (que norteará a escolha de modificadores formais ou informais). Exemplos: para o substantivo “lua”, será necessário o uso de um adjetivo feminino (“branca”, “pálida”, etc.); para o nome “homens”, por outro lado, será necessário o uso de um adjetivo masculino flexionado no plural (“imortais”, por exemplo). É necessário verificar que o texto não possui marcas de informalidade, então as escolhas de substantivos devem ser formais.
  • Dê tempo necessário para que as duplas discutam a escolha dos seus adjetivos, aproveitando as informações obtidas a partir da atividade anterior, na qual tiveram que imaginar a história.
  • Depois que acabarem, peça que cada dupla exponha as suas anotações para todos da sala, justificando as suas escolhas com base nas informações do texto.
  • À medida em que as duplas forem lendo, teça comparações entre as versões (texto original e os textos reescritos pelas duplas), mostrando como a escolha dos adjetivos altera os sentidos das frases e, consequentemente, do texto; o adjetivo se configura como uma espécie de “personalização do texto”, renovando o mito cada vez que ele é contado, já que se trata de um gênero de tradição oral.
  • O tempo médio para a realização dos procedimentos deste slide é de, aproximadamente, 18 minutos.

Material Complementar:

  • Para mostrar para os alunos os efeitos de sentido entre as diferentes versões (de cada dupla) e para entender como os adjetivos, em uma narrativa, acabam “personalizando” o texto, leia o artigo ”Uso do Adjetivo: Ferramenta de personalização do texto (causando diferentes efeitos de sentido)”, de Montes e Nogueira, disponível aqui. Para as autoras, a escolha dos adjetivos em um texto é de extrema importância, pois interfere no modo como o seu leitor vai compreender o texto, bem como atribui um estilo próprio de escrita. Embora a autoria de um mito pertença ao seu lugar de enunciação (cultura e tradições de um povo), cada enunciador acaba deixando marcas de “personalização do texto” ao recontar o mito, renovando/ressignificando-o cada vez que ele é concretizado.

Respostas possíveis/desejáveis:

  • Na atividade, há várias possibilidades de adjetivos que os alunos poderão usar. É preciso tomar cuidado, no entanto, com algumas escolhas equivocadas. Confira se as escolhas dos alunos mantêm coerência interna (com as informações presentes no mito) e externa; isto quer dizer que o adjetivo usado não pode entrar em contradição com alguma outra informação do texto.
  • Caso julgue necessário, como forma de correção, mostre aos alunos uma possibilidade para a atividade, acessando o material disponível aqui,

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Peça que os alunos, ainda em duplas, respondam à questão: “O que descobriram sobre o uso dos adjetivos nos mitos?”. Além disso, em seguida, peça que escrevam um comentário, fazendo uma recomendação para o uso de adjetivos em mitos, baseados nas conclusões a que eles chegaram a respeito do uso dos modificadores no gênero mito após essas atividades.
  • Depois disso, peça que as duplas exponham as suas respostas. Anote-as no quadro e peça que todos os alunos façam o registro em seus cadernos.
  • Você pode retomar esse registro no momento em que for feita uma produção textual sobre o gênero mito, para lembrá-los da importância do uso e escolha dos modificadores no gênero, dada sua função e os efeitos de sentido que podem gerar.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a sexta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Mito e no campo de atuação Campo artístico literário. A aula faz parte do módulo de Análise Linguística e Semiótica. É desejável que os alunos já tenham sido apresentados ao gênero mito, bem como introduzidos aos estudos dos adjetivos, para que consigam realizar de forma mais produtiva esta aula.

Materiais necessários:

  • Computador, projetor multimídia, som e tela.
  • Cópia do texto: “A origem da morte”. In: SISTO, Celso. Mãe África. São Paulo: Paulus, 2007, p. 16-18.
  • Material para escrita: caderno, lápis, borracha etc.

Informações sobre o gênero: Narrativa pedagógica de tradição oral que explica os diferentes fenômenos naturais e sobrenaturais utilizando uma linguagem simbólica.

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem ter dificuldades em caracterizar, por meio da escolha de adjetivos apropriados, os personagens porque eles terão que inferir características a partir das suas ações, contextualizadas em um tempo e espaço.

Referências sobre o assunto:

  • DANTAS, I. M. ; SILVA, J. R. O par locução adjetiva/ adjetivo: uma questão de leitura e de escrita no ensino de língua. In: XXIV Jornada Nacional do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste (GELNE), 2012, Natal/RN. XXIV Jornada Nacional do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste (GELNE). Natal/RN: EDUFRN, 2012. v. Único. p. 1-9.
  • MONTES, S. V. S.; NOGUEIRA, T. F. Uso do Adjetivo: Ferramenta de personalização do texto (causando diferentes efeitos de sentido). XIII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação Universidade do Vale do Paraíba. Disponível em: <http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2009/anais/arquivos/1169_1123_01.pdf>. Acesso em: 22 set. 2018.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 min.

Orientações:

  • Apresente a proposta da aula aos alunos: nesta aula, será lido um mito sobre a “origem da morte”, sem muitos adjetivos. Os alunos terão que entender a história para, depois, fazer uma atividade para atribuir adjetivos aos personagens. Trata-se de uma estratégia para analisar os efeitos de sentido decorrentes da escolha e dos usos dos adjetivos nos mitos, promovendo a “personalização” do mito.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Organize a sala em duplas. A partir dessa organização, os alunos poderão trocar ideias e, juntos, discutir as atividades.
  • Inicie uma conversa para ser debatida em cada dupla: “O que é a morte? Você conhece algum mito sobre a origem da morte? Se conhece algum mito sobre o tema, quem é protagonista desta história? Como ele é?”.
  • Garanta o tempo necessário para que eles possam discutir o assunto e levantar seus conhecimentos prévios; muitos poderão, por exemplo, resgatar crenças religiosas para fundamentar as suas respostas. É interessante, neste momento, circular pelas duplas para ir mapeando as respostas dos alunos.
  • Depois disso, quando finalizado, inicie uma breve exposição das respostas aos questionamentos iniciais, pedindo que um aluno de cada dupla conte para a turma as respostas debatidas.
  • Ao finalizar as exposições, relate aos alunos que a aula irá propor uma nova visão sobre o tema: será feita a leitura de um mito africano sobre a origem da morte, analisando as ações dos personagens para caracterizá-los.

Respostas possíveis/desejáveis:

  • Para esta atividade, há várias possibilidades de respostas. Trata-se de uma atividade de levantamento dos conhecimentos prévios, estimulando a curiosidade para a temática. É necessário, no entanto, que se garanta um olhar de respeito às diferentes respostas dadas aos alunos para discutir esses tópicos iniciais.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 28 minutos

Orientações:

  • Nesta etapa, será lido um mito africano sobre a origem da morte. Para ter acesso ao texto, clique aqui.
  • Inicialmente, sem entregar o texto aos alunos, leia-o em voz alta, pedindo que fiquem atentos à leitura. Essa estratégia possibilitará que os alunos imaginem a narrativa e criem uma imagem mental dos personagens, com suas características e ações. Caso julgue necessário, peça que a turma feche os olhos para escutar a história com mais atenção.
  • Logo após a leitura, peça que eles discutam, em suas duplas, de forma oral e de acordo com a imagem mental que eles criaram durante a leitura, as seguintes questões: “Como os personagens se comportam? Quais palavras poderiam definir os personagens? Quais características podemos atribuir a elas?”.
  • Garanta o tempo necessário para que as duplas discutam e, depois, disso, peça que um aluno de cada dupla relate as suas respostas.
  • O tempo médio para a sequência de atividades deste slide é de, aproximadamente, 10 minutos.

Respostas possíveis/desejáveis:

  • Na atividade oral, há muitas possibilidades de respostas. Os alunos podem apontar, entre outras coisas, que a lebre é submissa, atrapalhada etc; enquanto a lua é autoritária, vingativa, violenta, poderosa etc.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Entregue aos alunos, ainda em duplas, uma cópia do texto “A origem da morte” disponível aqui.
  • Peça que eles preencham as lacunas deixadas no texto, inserindo os adjetivos que julgarem adequados.
  • É interessante pedir aos alunos, que, durante a atividade, procurem por pistas no texto para justificar as suas escolhas de adjetivos para completar as lacunas.
  • Durante a atividade, circule pela sala, garantindo a participação de todos. Nos casos em que as duplas tiverem mais dificuldades, faça algumas intervenções, fornecendo pistas, atentando-os também para a concordância dos adjetivos e o tipo de registro que predomina no texto (que norteará a escolha de modificadores formais ou informais). Exemplos: para o substantivo “lua”, será necessário o uso de um adjetivo feminino (“branca”, “pálida”, etc.); para o nome “homens”, por outro lado, será necessário o uso de um adjetivo masculino flexionado no plural (“imortais”, por exemplo). É necessário verificar que o texto não possui marcas de informalidade, então as escolhas de substantivos devem ser formais.
  • Dê tempo necessário para que as duplas discutam a escolha dos seus adjetivos, aproveitando as informações obtidas a partir da atividade anterior, na qual tiveram que imaginar a história.
  • Depois que acabarem, peça que cada dupla exponha as suas anotações para todos da sala, justificando as suas escolhas com base nas informações do texto.
  • À medida em que as duplas forem lendo, teça comparações entre as versões (texto original e os textos reescritos pelas duplas), mostrando como a escolha dos adjetivos altera os sentidos das frases e, consequentemente, do texto; o adjetivo se configura como uma espécie de “personalização do texto”, renovando o mito cada vez que ele é contado, já que se trata de um gênero de tradição oral.
  • O tempo médio para a realização dos procedimentos deste slide é de, aproximadamente, 18 minutos.

Material Complementar:

  • Para mostrar para os alunos os efeitos de sentido entre as diferentes versões (de cada dupla) e para entender como os adjetivos, em uma narrativa, acabam “personalizando” o texto, leia o artigo ”Uso do Adjetivo: Ferramenta de personalização do texto (causando diferentes efeitos de sentido)”, de Montes e Nogueira, disponível aqui. Para as autoras, a escolha dos adjetivos em um texto é de extrema importância, pois interfere no modo como o seu leitor vai compreender o texto, bem como atribui um estilo próprio de escrita. Embora a autoria de um mito pertença ao seu lugar de enunciação (cultura e tradições de um povo), cada enunciador acaba deixando marcas de “personalização do texto” ao recontar o mito, renovando/ressignificando-o cada vez que ele é concretizado.

Respostas possíveis/desejáveis:

  • Na atividade, há várias possibilidades de adjetivos que os alunos poderão usar. É preciso tomar cuidado, no entanto, com algumas escolhas equivocadas. Confira se as escolhas dos alunos mantêm coerência interna (com as informações presentes no mito) e externa; isto quer dizer que o adjetivo usado não pode entrar em contradição com alguma outra informação do texto.
  • Caso julgue necessário, como forma de correção, mostre aos alunos uma possibilidade para a atividade, acessando o material disponível aqui,
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Peça que os alunos, ainda em duplas, respondam à questão: “O que descobriram sobre o uso dos adjetivos nos mitos?”. Além disso, em seguida, peça que escrevam um comentário, fazendo uma recomendação para o uso de adjetivos em mitos, baseados nas conclusões a que eles chegaram a respeito do uso dos modificadores no gênero mito após essas atividades.
  • Depois disso, peça que as duplas exponham as suas respostas. Anote-as no quadro e peça que todos os alunos façam o registro em seus cadernos.
  • Você pode retomar esse registro no momento em que for feita uma produção textual sobre o gênero mito, para lembrá-los da importância do uso e escolha dos modificadores no gênero, dada sua função e os efeitos de sentido que podem gerar.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP54 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano