14697
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - Descobrindo as rimas em textos poéticos

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 2º ano do EF sobre Descobrindo as rimas em textos poéticos

Plano 07 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Isabella Patrícia Oliveira Madeira Da Silva

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é sétima aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero poema e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de análise linguística e semiótica e o seu foco é rima na composição de textos versificados.

Materiais necessários: Poema de Ruth Rocha “O direito da criança” encontrado no seguinte link: http://www.campolargo.pr.gov.br/uploads/OdireitodacriançaRuthRocha.pdf. Último acesso em 20 de outubro de 2018. Projetor multimídia com caixas de som para projeção dos slides da aula e acesso à internet para assistir ao vídeo “Cordel para crianças: Marmelo, o Jacaré Banguelo” no canal oficial da autora Mariane Bigio no Youtube, podendo ser acessado no link. Último acesso em 27 de outubro de 2018. Caso queira ter acesso ao texto para fazer a leitura para as crianças, você encontra o cordel no site da autora, no seguinte https://marianebigio.com/2014/07/28/marmelo-o-jacare-banguelo/. Para a confecção do cartaz com o poema “A Casa” de Vinícius de Moraes, sugerimos o texto disponibilizado no site oficial do poeta, http://www.viniciusdemoraes.com.br/pt-br/poesia/poesias-avulsas/casa. Último acesso em 20 de outubro de 2018. Cartolina e pincel atômico para a confecção do cartaz. Cópia da atividade de análise do texto A Casa de Vinícius de Moraes, para todos os alunos, disponível aqui. Resolução da atividade, com apoio para o professor, disponível aqui.

Dificuldades antecipadas: Não conseguirem fazer associações entre sons parecidos e não conseguirem identificar as rimas no final das palavras.

Referências sobre o assunto:

MACHADO, I. L. A Paródia, um gênero "transgressivo". In: MELLO, R. (orgs). Gêneros: reflexões e análise do discurso. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2004. pp.75-86.

MENDONÇA, M. Diversidade textual - proposta para sala de aula. Língua Portuguesa - Estudo e Ensino. Brasília: MEC/CEEL, 2011.

SANT'ANNA, A. R. Paródia, paráfrase & cia. São Paulo: Ática, 2003.

SOUZA, I.M.P. Poesia em práticas de alfabetização. In: Leitura e produção de textos na alfabetização. )org) BRANDÃO, A. C.; ROSA, E. C. S. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto.

Orientações: Leia o tema para as crianças e explique que na aula de hoje analisarão uma das formas de se compor textos poéticos.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos.

Orientações: Nas aulas anteriores e durante a leitura compartilhada de diversos textos poéticos, a turma já descobriu como é possível usar as palavras para transmitir mensagens de forma divertida, emotiva e ritmada. Na sequência anterior deste mesmo gênero, descobriram e exercitaram o uso da aliteração no início das palavras. Nesta sequência, será trabalhada a questão das rimas nos finais delas. O intuito não é somente de que as crianças conheçam estes recursos, mas se apropriem deles.

Para isso, seria muito interessante criar um varal para dispor os textos das aulas e deixá-las ter um contato maior com tais textos durante as atividades de manipulação, exercitação e leitura.

  • Inicie a aula lendo o poema da Ruth Rocha, Direito das crianças. Leia em voz alta, valorizando as rimas presentes nos versos.

  • Pergunte se as crianças gostaram e se notaram algo especial, algo que apareceu em várias partes do texto, em palavras diferentes.

  • Ouça algumas respostas, e caso as crianças tenham já pontuado a questão das rimas, pergunte se elas se lembram de algumas delas que apareceram no poema e escreva-as no quadro.

  • Peça para que prestem ainda mais atenção nisso, ao ouvirem a narração de um cordel.

  • Caso seja possível, coloque o vídeo com a contação do Cordel “Marmelo, O Jacaré Banguelo” da poeta Mariane Bigio, o link está disponível nos materiais complementares.

  • Peça para que observem o varalzinho que aparecerá no vídeo, especule se sabem o que é aquilo.

  • Escreva o nome do Cordel no quadro. Peça para que as crianças identifiquem a rima (para o caso das crianças já terem identificado a rima como elemento do texto anterior).

  • Caso ainda não tenham identificado, pergunte se existe algo nas palavras do título que o deixa mais interessante. Se as crianças sugerirem as palavras Marmelo e Banguelo, pergunte o que há de semelhante nessas palavras. Deixe-as escritas no quadro para análise posterior.

  • Se não for possível colocar o vídeo para as crianças assistirem, você também pode ler o cordel para a turma e, se encontrar algum cordel na biblioteca da escola, pode apresentar para as crianças e deixar pendurado no varal da sala.

  • Explique para a turma o que é a Literatura de Cordel, mostrando que são livros de poesia mais popular, vendidos de maneira informal, por escritores, em sua maioria, independentes. Relatam, através da poesia, tradições orais. São mais baratos, utilizam a linguagem coloquial e são expostos em varais e cordas, por isso se chamam assim. E o mais importante: Contém também as rimas.

  • Tente resgatar algumas rimas com as crianças, escreva no quadro, circule ou destaque a parte que rima com a ajuda das crianças e tente se lembrar de mais algumas palavras que poderiam rimar com essas.
  • Vamos lembrar de algumas rimas. Alguém pode me ditar duas palavras que rimam? Escreva as palavras no quadro.
  • Qual parte dessas palavras que rimam? Isso mesmo, a parte final.
  • E vocês conseguiriam identificar quais letras finais que são parecidas nas 2 palavras?
  • Muito bem, são essas (1, 2, 3 ou 4 letras do final das duas palavras que são realmente iguais. Ex: MARMELO - BANGUELO = As 3 letras finais ELO rimam).
  • Será que existe outras palavras que terminam com essas mesmas letras e podem rimar com essas palavras também?
  • Se as crianças não se lembrarem, você pode dar uma ajudinha: Como chama a casa da princesa? Que cor a gente costuma pintar o sol? O que costumamos usar para bater no prego? Que tipo de calçado a gente usa para proteger o pé que é bem confortável?

  • Com pelo menos uma rima analisada oralmente e depois colocada no quadro como exemplo, leia o slide e veja se as crianças conseguem adivinhar sozinhas, a palavra que falta no último verso. Explique que vão analisar um outro texto poético, para observar o uso das rimas mais de perto.

Materiais complementares: Poema de Ruth Rocha “O direito da criança” encontrado aqui. Projetor multimídia com caixas de som para projeção dos slides da aula e acesso à internet para assistir ao vídeo “Cordel para crianças: Marmelo, o Jacaré Banguelo” no canal oficial da autora Mariane Bigio no Youtube, podendo ser acessado no seguinte link. Caso queira ter acesso ao texto para fazer a leitura para as crianças, você encontra o cordel no site da autora, no seguinte link.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 35 minutos.

Orientações:

  • Sente as crianças em duplas produtivas, deixe já essa organização pré-estabelecida, levando em consideração as hipóteses de escrita em que se encontram.

  • Escreva o poema A Casa, de Vinícius de Moraes, no quadro, ou já o tenha escrito em um cartaz. O cartaz é interessante, pois ele pode ficar exposto nas aulas seguintes, em que a análise sobre rimas se aprofundará. Você pode ir pendurando os textos que for usando no varal, para que as crianças percebam a riqueza dos textos poéticos em suas composições.

  • Leia primeiramente e depois cante com as crianças. O poema só tem uma estrofe com 20 versos curtos, mas você pode fazer uma distinção dentro da estrofe, escrevendo cada 4 versos com cores diferentes facilitando, assim, a visualização das rimas para as crianças (Divida assim: Era…, Ninguém…, Ninguém…, Ninguém…, Mas era…).

  • Chame a atenção das crianças para o tamanho de cada linha, que tem poucas palavras (na maioria das linhas 2 ou 3 palavras). Nas atividades anteriores as crianças já analisaram poemas, cantigas, canções e já descobriram que os textos poéticos são escritos de forma diferente).

  • Reforce a questão dos versos e explique que a maioria dos poetas chega a contar quantas palavras querem colocar em cada verso. Explique que esse poema tem uma estrofe só e conte as linhas para saber quantos versos ele tem.

  • Pergunte se alguém tem alguma ideia do porquê você decidiu escrever alguns versos de cores diferentes. Pode ser que algumas crianças percebam que é porque cada uma dessas partes narra um pedacinho da história da casa, ou relacione com as rimas.

  • Na internet, encontra-se o poema escrito de diversas maneiras: em várias estrofes, numa só estrofe, mas com 10 linhas ao invés de 20 (as rimas ficam emparelhadas e, portanto, mais evidentes). Porém, no site oficial está como descrito no item 3 e serão baseadas nesse arranjo que as intervenções serão descritas. Se for usar outro formato, fique atenta para fazer adaptações.

  • Entregue a atividade, uma cópia para cada aluno.

  • Peça para que as duplas discutam e tentem encontrar as palavras que rimam e escrevê-las uma ao lado da outra na tabela. Projete a tabela, ou monte-a no quadro, e explique para as crianças como a tabela deve ser preenchida.

  • Já há um exemplo descrito no quadro, mas se achar que é necessário, encontre junto com a turma o primeiro par de palavras que rimam, sublinhe as letras que rimam e peça ajuda para se lembrar de mais palavras que poderiam rimar com essas palavras.

  • Como as crianças precisarão encontrar 5 rimas, escrever as 10 palavras que compõem essas rimas e identificar as letras que fazem parte dela, além de pensar e escrever mais 5 palavras, separe um tempo de 15 a 20 minutos para que façam essa atividade de análise com calma.

  • Enquanto isso, vá passeando entre as duplas, ajudando aqueles que estejam com dificuldade para descobrir as rimas.

  • Possíveis intervenções para ajudar as crianças a identificar as rimas:
  • As 4 primeiras linhas estão escritas com uma cor. Será que vocês conseguiriam encontrar 1 rima dentro desses 4 versos?
  • E nos 4 versos seguintes?
  • Lembre-se para ficar mais fácil: em que parte nós geralmente encontramos as rimas? Olhe lá para Marmelo e Banguelo (caso tenha deixado este exemplo no quadro). Quais partes eu sublinhei? Isso mesmo as letras finais.
  • Nessa atividade, você deve analisar o início ou o final das palavras? As palavras que começam os versos ou que estão no final dos versos?

  • Na resolução da atividade, você encontrará, além da correção da atividade, sugestões de palavras que rimam, além de perguntas para fazer às crianças para que elas se lembrem dessas palavras, caso encontrem dificuldade com algumas rima. Leia e utilize as sugestões que achar mais interessante.

  • Há também algumas sugestões para inclusão e adaptação: Se tiver algum aluno com superdotação ou altas habilidades e precisar fazer uma adaptação, pois essas crianças geralmente terminam a atividade bem antes da maioria, você pode desafiá-lo a fazer uma lista de palavras que rimem com a palavra final de cada verso, ou encontrar mais de uma palavra que tenha a mesma rima das palavras na tabelas, etc. Para trabalhar com aquele aluno que apresenta uma maior dificuldade de aprendizagem e não conseguiria acompanhar os colegas na atividade, você pode pegar as palavras de cada rima que são apresentadas na tabela resolvida, escrevê-las em fichas, destacando as letras finais (Ex:NADA, NÃO, REDE, PIPI, ZERO), colocando fichas com essas letras finais (A, ÃO, E, I e O) em espaços distintos no chão e pedindo para que a criança separe as palavras pelas letras finais destacadas. Depois que a criança fizer as separações, você pode ir mostrando que em algumas dessas palavras agrupadas, mais letras são iguais (NADA - ENGRAÇADA) e que é por terem letras iguais é que rimam, trabalhando o som dessas letras com um pouco mais de ênfase com essa criança.

  • Quando todas as crianças terminarem (certifique-se durante os 20 minutos de distribuir sua atenção a todas as duplas, de modo que todas possam ser ajudadas), faça a correção no quadro, pedindo para que as crianças ditem suas descobertas.

  • Leia novamente o texto com a turma, desafie-os a baterem palmas ou levantarem as mãos quando chegarem nas rimas.

Materiais complementares: Para a confecção do cartaz com o poema “A Casa” de Vinícius de Moraes, sugerimos o texto disponibilizado no site oficial do poeta, aqui. Cartolina e pincel atômico para a confecção do cartaz. Cópia da atividade de análise do texto A Casa de Vinícius de Moraes, para todos os alunos, disponível aqui. Resolução da atividade, com apoio para o professor, disponível aqui.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Leve as crianças a perceberem a importância do uso das rimas nos textos poéticos contribuindo para a sonoridade e musicalidade quando os lemos, como o poeta organiza os textos para fazer a rima ter sentido, mudar nossa percepção e interação com o texto e o quanto, ao pensar nisso tudo, ele cria a poesia que faz o texto ficar mais belo; então, não é só escrever um texto, mas criar arte através do que escreve. Você pode dizer, por exemplo:
  • Veja essa parte da canção: “Ninguém podia entrar nela não, porque na casa não tinha chão” E se fosse “Ninguém podia entrar nela não, porque na casa faltava piso” - O texto não perderia seu encanto?

  • Para concluir a atividade, peça para que as crianças registrem as descobertas sobre as rimas no caderno.

  • Você pode pedir para compartilharem oralmente o que descobriram na aula de hoje e, caso queira, pode escrever coletivamente frases curtas que podem servir de modelo para o registro:
  • Hoje descobrimos que em textos poéticos como poemas, músicas e cordéis, é muito comum usar a rima nas palavras finais de alguns versos.
  • A rima é a repetição de sons iguais ou parecidos no final das palavras.
  • Cada linha de um poema é chamada de verso e, geralmente, não são longos, pois é com essa divisão em verso e com as rimas nos finais dos versos que conseguimos um ritmo diferente para os poemas.
  • Os poetas e compositores gostam de brincar com as palavras repetindo alguns sons para dar ritmo e musicalidade ao que eles criam.
  • É isso que a rima traz, ela dá ritmo e vida para os textos.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é sétima aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero poema e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de análise linguística e semiótica e o seu foco é rima na composição de textos versificados.

Materiais necessários: Poema de Ruth Rocha “O direito da criança” encontrado no seguinte link: http://www.campolargo.pr.gov.br/uploads/OdireitodacriançaRuthRocha.pdf. Último acesso em 20 de outubro de 2018. Projetor multimídia com caixas de som para projeção dos slides da aula e acesso à internet para assistir ao vídeo “Cordel para crianças: Marmelo, o Jacaré Banguelo” no canal oficial da autora Mariane Bigio no Youtube, podendo ser acessado no link. Último acesso em 27 de outubro de 2018. Caso queira ter acesso ao texto para fazer a leitura para as crianças, você encontra o cordel no site da autora, no seguinte https://marianebigio.com/2014/07/28/marmelo-o-jacare-banguelo/. Para a confecção do cartaz com o poema “A Casa” de Vinícius de Moraes, sugerimos o texto disponibilizado no site oficial do poeta, http://www.viniciusdemoraes.com.br/pt-br/poesia/poesias-avulsas/casa. Último acesso em 20 de outubro de 2018. Cartolina e pincel atômico para a confecção do cartaz. Cópia da atividade de análise do texto A Casa de Vinícius de Moraes, para todos os alunos, disponível aqui. Resolução da atividade, com apoio para o professor, disponível aqui.

Dificuldades antecipadas: Não conseguirem fazer associações entre sons parecidos e não conseguirem identificar as rimas no final das palavras.

Referências sobre o assunto:

MACHADO, I. L. A Paródia, um gênero "transgressivo". In: MELLO, R. (orgs). Gêneros: reflexões e análise do discurso. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2004. pp.75-86.

MENDONÇA, M. Diversidade textual - proposta para sala de aula. Língua Portuguesa - Estudo e Ensino. Brasília: MEC/CEEL, 2011.

SANT'ANNA, A. R. Paródia, paráfrase & cia. São Paulo: Ática, 2003.

SOUZA, I.M.P. Poesia em práticas de alfabetização. In: Leitura e produção de textos na alfabetização. )org) BRANDÃO, A. C.; ROSA, E. C. S. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto.

Orientações: Leia o tema para as crianças e explique que na aula de hoje analisarão uma das formas de se compor textos poéticos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos.

Orientações: Nas aulas anteriores e durante a leitura compartilhada de diversos textos poéticos, a turma já descobriu como é possível usar as palavras para transmitir mensagens de forma divertida, emotiva e ritmada. Na sequência anterior deste mesmo gênero, descobriram e exercitaram o uso da aliteração no início das palavras. Nesta sequência, será trabalhada a questão das rimas nos finais delas. O intuito não é somente de que as crianças conheçam estes recursos, mas se apropriem deles.

Para isso, seria muito interessante criar um varal para dispor os textos das aulas e deixá-las ter um contato maior com tais textos durante as atividades de manipulação, exercitação e leitura.

  • Inicie a aula lendo o poema da Ruth Rocha, Direito das crianças. Leia em voz alta, valorizando as rimas presentes nos versos.

  • Pergunte se as crianças gostaram e se notaram algo especial, algo que apareceu em várias partes do texto, em palavras diferentes.

  • Ouça algumas respostas, e caso as crianças tenham já pontuado a questão das rimas, pergunte se elas se lembram de algumas delas que apareceram no poema e escreva-as no quadro.

  • Peça para que prestem ainda mais atenção nisso, ao ouvirem a narração de um cordel.

  • Caso seja possível, coloque o vídeo com a contação do Cordel “Marmelo, O Jacaré Banguelo” da poeta Mariane Bigio, o link está disponível nos materiais complementares.

  • Peça para que observem o varalzinho que aparecerá no vídeo, especule se sabem o que é aquilo.

  • Escreva o nome do Cordel no quadro. Peça para que as crianças identifiquem a rima (para o caso das crianças já terem identificado a rima como elemento do texto anterior).

  • Caso ainda não tenham identificado, pergunte se existe algo nas palavras do título que o deixa mais interessante. Se as crianças sugerirem as palavras Marmelo e Banguelo, pergunte o que há de semelhante nessas palavras. Deixe-as escritas no quadro para análise posterior.

  • Se não for possível colocar o vídeo para as crianças assistirem, você também pode ler o cordel para a turma e, se encontrar algum cordel na biblioteca da escola, pode apresentar para as crianças e deixar pendurado no varal da sala.

  • Explique para a turma o que é a Literatura de Cordel, mostrando que são livros de poesia mais popular, vendidos de maneira informal, por escritores, em sua maioria, independentes. Relatam, através da poesia, tradições orais. São mais baratos, utilizam a linguagem coloquial e são expostos em varais e cordas, por isso se chamam assim. E o mais importante: Contém também as rimas.

  • Tente resgatar algumas rimas com as crianças, escreva no quadro, circule ou destaque a parte que rima com a ajuda das crianças e tente se lembrar de mais algumas palavras que poderiam rimar com essas.
  • Vamos lembrar de algumas rimas. Alguém pode me ditar duas palavras que rimam? Escreva as palavras no quadro.
  • Qual parte dessas palavras que rimam? Isso mesmo, a parte final.
  • E vocês conseguiriam identificar quais letras finais que são parecidas nas 2 palavras?
  • Muito bem, são essas (1, 2, 3 ou 4 letras do final das duas palavras que são realmente iguais. Ex: MARMELO - BANGUELO = As 3 letras finais ELO rimam).
  • Será que existe outras palavras que terminam com essas mesmas letras e podem rimar com essas palavras também?
  • Se as crianças não se lembrarem, você pode dar uma ajudinha: Como chama a casa da princesa? Que cor a gente costuma pintar o sol? O que costumamos usar para bater no prego? Que tipo de calçado a gente usa para proteger o pé que é bem confortável?

  • Com pelo menos uma rima analisada oralmente e depois colocada no quadro como exemplo, leia o slide e veja se as crianças conseguem adivinhar sozinhas, a palavra que falta no último verso. Explique que vão analisar um outro texto poético, para observar o uso das rimas mais de perto.

Materiais complementares: Poema de Ruth Rocha “O direito da criança” encontrado aqui. Projetor multimídia com caixas de som para projeção dos slides da aula e acesso à internet para assistir ao vídeo “Cordel para crianças: Marmelo, o Jacaré Banguelo” no canal oficial da autora Mariane Bigio no Youtube, podendo ser acessado no seguinte link. Caso queira ter acesso ao texto para fazer a leitura para as crianças, você encontra o cordel no site da autora, no seguinte link.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 35 minutos.

Orientações:

  • Sente as crianças em duplas produtivas, deixe já essa organização pré-estabelecida, levando em consideração as hipóteses de escrita em que se encontram.

  • Escreva o poema A Casa, de Vinícius de Moraes, no quadro, ou já o tenha escrito em um cartaz. O cartaz é interessante, pois ele pode ficar exposto nas aulas seguintes, em que a análise sobre rimas se aprofundará. Você pode ir pendurando os textos que for usando no varal, para que as crianças percebam a riqueza dos textos poéticos em suas composições.

  • Leia primeiramente e depois cante com as crianças. O poema só tem uma estrofe com 20 versos curtos, mas você pode fazer uma distinção dentro da estrofe, escrevendo cada 4 versos com cores diferentes facilitando, assim, a visualização das rimas para as crianças (Divida assim: Era…, Ninguém…, Ninguém…, Ninguém…, Mas era…).

  • Chame a atenção das crianças para o tamanho de cada linha, que tem poucas palavras (na maioria das linhas 2 ou 3 palavras). Nas atividades anteriores as crianças já analisaram poemas, cantigas, canções e já descobriram que os textos poéticos são escritos de forma diferente).

  • Reforce a questão dos versos e explique que a maioria dos poetas chega a contar quantas palavras querem colocar em cada verso. Explique que esse poema tem uma estrofe só e conte as linhas para saber quantos versos ele tem.

  • Pergunte se alguém tem alguma ideia do porquê você decidiu escrever alguns versos de cores diferentes. Pode ser que algumas crianças percebam que é porque cada uma dessas partes narra um pedacinho da história da casa, ou relacione com as rimas.

  • Na internet, encontra-se o poema escrito de diversas maneiras: em várias estrofes, numa só estrofe, mas com 10 linhas ao invés de 20 (as rimas ficam emparelhadas e, portanto, mais evidentes). Porém, no site oficial está como descrito no item 3 e serão baseadas nesse arranjo que as intervenções serão descritas. Se for usar outro formato, fique atenta para fazer adaptações.

  • Entregue a atividade, uma cópia para cada aluno.

  • Peça para que as duplas discutam e tentem encontrar as palavras que rimam e escrevê-las uma ao lado da outra na tabela. Projete a tabela, ou monte-a no quadro, e explique para as crianças como a tabela deve ser preenchida.

  • Já há um exemplo descrito no quadro, mas se achar que é necessário, encontre junto com a turma o primeiro par de palavras que rimam, sublinhe as letras que rimam e peça ajuda para se lembrar de mais palavras que poderiam rimar com essas palavras.

  • Como as crianças precisarão encontrar 5 rimas, escrever as 10 palavras que compõem essas rimas e identificar as letras que fazem parte dela, além de pensar e escrever mais 5 palavras, separe um tempo de 15 a 20 minutos para que façam essa atividade de análise com calma.

  • Enquanto isso, vá passeando entre as duplas, ajudando aqueles que estejam com dificuldade para descobrir as rimas.

  • Possíveis intervenções para ajudar as crianças a identificar as rimas:
  • As 4 primeiras linhas estão escritas com uma cor. Será que vocês conseguiriam encontrar 1 rima dentro desses 4 versos?
  • E nos 4 versos seguintes?
  • Lembre-se para ficar mais fácil: em que parte nós geralmente encontramos as rimas? Olhe lá para Marmelo e Banguelo (caso tenha deixado este exemplo no quadro). Quais partes eu sublinhei? Isso mesmo as letras finais.
  • Nessa atividade, você deve analisar o início ou o final das palavras? As palavras que começam os versos ou que estão no final dos versos?

  • Na resolução da atividade, você encontrará, além da correção da atividade, sugestões de palavras que rimam, além de perguntas para fazer às crianças para que elas se lembrem dessas palavras, caso encontrem dificuldade com algumas rima. Leia e utilize as sugestões que achar mais interessante.

  • Há também algumas sugestões para inclusão e adaptação: Se tiver algum aluno com superdotação ou altas habilidades e precisar fazer uma adaptação, pois essas crianças geralmente terminam a atividade bem antes da maioria, você pode desafiá-lo a fazer uma lista de palavras que rimem com a palavra final de cada verso, ou encontrar mais de uma palavra que tenha a mesma rima das palavras na tabelas, etc. Para trabalhar com aquele aluno que apresenta uma maior dificuldade de aprendizagem e não conseguiria acompanhar os colegas na atividade, você pode pegar as palavras de cada rima que são apresentadas na tabela resolvida, escrevê-las em fichas, destacando as letras finais (Ex:NADA, NÃO, REDE, PIPI, ZERO), colocando fichas com essas letras finais (A, ÃO, E, I e O) em espaços distintos no chão e pedindo para que a criança separe as palavras pelas letras finais destacadas. Depois que a criança fizer as separações, você pode ir mostrando que em algumas dessas palavras agrupadas, mais letras são iguais (NADA - ENGRAÇADA) e que é por terem letras iguais é que rimam, trabalhando o som dessas letras com um pouco mais de ênfase com essa criança.

  • Quando todas as crianças terminarem (certifique-se durante os 20 minutos de distribuir sua atenção a todas as duplas, de modo que todas possam ser ajudadas), faça a correção no quadro, pedindo para que as crianças ditem suas descobertas.

  • Leia novamente o texto com a turma, desafie-os a baterem palmas ou levantarem as mãos quando chegarem nas rimas.

Materiais complementares: Para a confecção do cartaz com o poema “A Casa” de Vinícius de Moraes, sugerimos o texto disponibilizado no site oficial do poeta, aqui. Cartolina e pincel atômico para a confecção do cartaz. Cópia da atividade de análise do texto A Casa de Vinícius de Moraes, para todos os alunos, disponível aqui. Resolução da atividade, com apoio para o professor, disponível aqui.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Leve as crianças a perceberem a importância do uso das rimas nos textos poéticos contribuindo para a sonoridade e musicalidade quando os lemos, como o poeta organiza os textos para fazer a rima ter sentido, mudar nossa percepção e interação com o texto e o quanto, ao pensar nisso tudo, ele cria a poesia que faz o texto ficar mais belo; então, não é só escrever um texto, mas criar arte através do que escreve. Você pode dizer, por exemplo:
  • Veja essa parte da canção: “Ninguém podia entrar nela não, porque na casa não tinha chão” E se fosse “Ninguém podia entrar nela não, porque na casa faltava piso” - O texto não perderia seu encanto?

  • Para concluir a atividade, peça para que as crianças registrem as descobertas sobre as rimas no caderno.

  • Você pode pedir para compartilharem oralmente o que descobriram na aula de hoje e, caso queira, pode escrever coletivamente frases curtas que podem servir de modelo para o registro:
  • Hoje descobrimos que em textos poéticos como poemas, músicas e cordéis, é muito comum usar a rima nas palavras finais de alguns versos.
  • A rima é a repetição de sons iguais ou parecidos no final das palavras.
  • Cada linha de um poema é chamada de verso e, geralmente, não são longos, pois é com essa divisão em verso e com as rimas nos finais dos versos que conseguimos um ritmo diferente para os poemas.
  • Os poetas e compositores gostam de brincar com as palavras repetindo alguns sons para dar ritmo e musicalidade ao que eles criam.
  • É isso que a rima traz, ela dá ritmo e vida para os textos.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 2º ano :

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 2º ano:

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF12LP19 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano