14231
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Orientações para desfralde

POR: Leda Barbosa 30/11/2018
Código: EDI2_02UND05

2º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02CG04) Demonstrar progressiva independência no cuidado do seu corpo.

(EI02EO04) Comunicar-se com os colegas e os adultos, buscando compreendê-los e fazendo-se compreender.

(EI02EO02) Demonstrar imagem positiva de si e confiança em sua capacidade para enfrentar dificuldades e desafios.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Crianças bem pequenas sobre demonstração progressiva da independência no cuidado do corpo

Resumo

ilustracao

Observe as crianças que já estão preparadas para deixar a fralda e faça o processo em conjunto com as famílias.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

O tema do desfralde é um processo muito importante para as crianças, que pode gerar muita ansiedade, tanto nos responsáveis quanto na criança. Por isso, é importante não ter pressa e envolver a criança em situações lúdicas relacionadas ao uso do banheiro. Família e escola necessitam caminhar juntas nesse processo. Diálogos, alinhamentos e trocas de experiências são iniciativas muito importantes. As crianças geralmente têm uma rotina para fazer cocô. É necessário conhecê-la, fazer nota de horários, frequência e passar essas informações para o professor. É importante saber que o controle das necessidades de fazer xixi e cocô é um processo que integra fatores biológicos, emocionais e cognitivos. É preciso respeitar o tempo da criança nesse processo.O início do desfralde, preferencialmente, é combinado entre família, escola e criança. A família inicia no fim de semana e a escola dá continuidade, sempre buscando alinhamentos. Caso a família queira retroceder ao desfralde é fundamental que a escola apoie e a ajude. No entanto, buscando compreender toda a situação da criança, avaliando juntos os próximos passos para essa conquista.

Materiais:

Materiais utilizados para uso do banheiro e desfralde. Indique que os responsáveis mandem mais mudas de roupas, calcinhas ou cuecas.

Espaços:

Escola e contexto familiar.

Tempo sugerido:

Primeira semana inicial do desfralde até enquanto o professor e família observar que existe a necessidade de acolher o pequeno grupo ou a criança nesse aspecto.

Perguntas para guiar suas observações:

1. De que maneira a criança demonstra os sinais iniciais de maturidade para o desfralde? Exemplo: avisar sobre o xixi e cocô antes ou após fazer; aumento no tempo em que permanece com a fralda seca; incômodo com a fralda cheia.

2. Como a criança demonstra interesse em relação ao banheiro?

3. A criança apresenta um nível de maturação no controle motor do corpo propício ao desfralde? De que maneira? Consegue andar, abaixar, levantar, girar sobre si mesma, correr e parar com certa desenvoltura?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. As duas primeiras semanas do desfralde requerem mais atenção quanto a manutenção de convites para uso do banheiro em intervalos pequenos. Apoie a criança em suas necessidades no processo de desfralde de acordo com o uso social da sua cultura. Alinhamento entre a família e a escola ajudam a tornar esse momento mais confortável e seguro para a ambos. Os ritmos do desfralde podem variar entre as crianças, busque acolher, ajudar e atender todas as demandas de maneira única.

O que fazer durante?

1

O desfralde preferencialmente acontece quando a criança já dá sinais de preparo emocional e corporal. Dentro da escola, não precisa ser feito com todo o grande grupo ao mesmo tempo, mas sim de acordo com o preparo de cada criança ou grupo de crianças e a demanda da família.Se a família iniciou o desfralde em casa, assim que a criança chegar na escola parabenize com entusiasmo mais essa conquista. Pergunte se ela quer compartilhar com seus amigos e o que tem achado de usar o banheiro. No caso do desfralde ser iniciado pela escola, aproveite um momento onde esse tema esteja sendo abordado para fazer o convite de retirada da fralda, como em uma contação de história ou brincadeira de bonecas, fraldas e penicos. Assim, o convite de retirar a fralda e ir ao banheiro acontece de maneira lúdica e sem pressão. Nessa etapa, as crianças podem pedir para ir ao banheiro várias vezes em intervalos muito pequenos, segurar xixi e cocô por intervalos muito grandes e ter escapes de cocô e xixi.

Possíveis falas do professor neste momento: Hoje iremos visitar o banheiro algumas vezes para você fazer xixi ou cocô, tudo bem? Quando você sentir que a vontade de fazer xixi ou cocô está chegando pode me chamar que eu ajudo você, certo?

Possíveis falas da criança neste momento: Entusiasmo, curiosidade de manutenção do desfralde se reconhecendo como capaz de superar desafios. Negação quanto ao uso do banheiro para o cocô ou xixi.


2

Nos dias que se seguirem, proporcione momentos de reconhecimento da linguagem corporal sobre a necessidade de fazer cocô ou xixi. Busque conhecer o sentimento da criança em relação ao fato de conseguir usar a privada para o xixi ou cocô. Mantenha contato de alinhamento com a família sobre o processo do desfralde pela agenda, bilhete ou pessoalmente nos momentos de chegada e saída.

Possíveis falas do professor neste momento: Vejo que você não está conseguindo se concentrar na brincadeira, você está sapateando muito, será que seu corpo não está tentando te falar que está na hora de ir ao banheiro? Vou te ajudar a ir no banheiro agora, já deve ter muito xixi na sua barriga. Pronto, agora que você foi ao banheiro pode voltar a brincar e se concentrar.

3

Converse com a criança sobre quais momentos a fralda poderá ser colocada novamente, para ajudá-la a ficar mais segura e confortável ou no caso de não ter banheiros por perto. Soneca do dia e da noite, passeios longos dentro de meios de transportes e possíveis dificuldades em fazer cocô. Assim que a fralda passar a ficar seca durante a noite toda, ou a criança passar a acordar diante da necessidade de usar o banheiro, a fralda noturna e a do sono durante o dia podem ser retiradas. Comunique essa retirada com a criança e as famílias e busque conhecer seus sentimentos diante de mais uma conquista.


4

Nas semanas seguintes avalie como o desfralde tem acontecido e aspectos como:

A criança está avisando sobre a necessidade de usar o banheiro? Tem conseguido fazer xixi e cocô na privada? Sua rotina de cocô ou xixi variou muito nesses dois primeiros dias? O processo tem gerado muita ansiedade, de que forma é possível perceber essa ansiedade? Os escapes são mais frequentes que as idas ao banheiro com sucesso, principalmente para o xixi?

Siga levando ascriançasao banheiro mesmo que digam que não estão com vontade, dizendo que é importante ir para ver se a vontade vem ao sentar na privada. Aproveitar todas as idas ao banheiro para lavar mãos, escovar dentes etc. para oferecer o uso da privada. Por vezes orientar que se despeçam do coco e do xixi ao terminarem e darem a descarga. Levar uma criança em processo de desfralde para o banheiro junto com uma que já é experiente no uso do banheiro e já realizou o desfralde ajuda bastante.


5

Durante o processo do desfralde é importante a realização de momentos de brincadeira de faz de conta com bonecas, massinha de modelar, penicos, fraldas, leituras e contação de histórias relacionadas ao tema do desfralde. Essas atividades ajudam as crianças a demonstrar imagem positiva de si e confiança em sua capacidade para enfrentar dificuldades e desafios.

O papel da escola é o de apoiar e ajudar as famílias, portanto ajudando com diálogos, literaturas e apoiando em suas dúvidas e angústias relacionadas ao processo.


6

De acordo com o seu conhecimento da rotina de xixi e cocô da criança, busque observar em quais contextos a criança não comunica a necessidade de ir ao banheiro.Quando há uma criança que deixa escapar sempre, mesmo após um período longo de desfralde, pode ser por ainda não compreender os sinais de comunicação do corpo relacionados ao xixi ou cocô ou por não querer parar a brincadeira para ir ao banheiro. Neste caso, não trocar imediatamente um escape de xixi, para que fique incomodada com a calça molhada, e conversar sobre como elas perdem mais tempo tendo que trocar a roupa do que parando a brincadeira para avisar que precisam fazer xixi podem ajudar essa criança a se organizar melhor. Ela pode estar acostumada a fazer o cocô de uma forma que o uso social do banheiro não contempla ou apresentar medo da privada. Uma mudança assim na rotina pode trazer estranhamento e negação. Apoie emocionalmente para que ela perca esse medo e construa com a criança uma reorganização dessa rotina do cocô usando a privada, de acordo com a cultura dela.


Para finalizar:

Durante todo o processo do desfralde mantenha uma rotina de convites para ir ao banheiro. Observe se a criança continua comunicando a necessidade de uso do banheiro com uma boa frequência para o xixi e cocô e como tem ficado a fralda durante os momentos de sono. É comum que, após o desfralde, a criança desenvolva ainda mais seu controle dos esfíncteres no xixi e no cocô, aumentando o intervalo de necessidade do uso do banheiro. As crianças apresentam ritmos diferentes em relação ao desfralde e o professor deve ficar atento para não fazer cobranças e comparações que geram mais ansiedade e não ajudam na construção de uma imagem positiva de si. Converse com a criança sobre seu desenvolvimento diante do desfralde, suas conquistas e como gradativamente esse desfralde será completo.

Desdobramentos

A cada criança, dupla ou trio que for desfraldar, o professor deve repetir os procedimentos.Outra sugestão interessante é a montagem de um ambiente na sala do grupo para a construção de um banheiro simbólico, para que as crianças brinquem de faz de conta fazendo apropriação do uso social do banheiro.

Engajando as famílias

Mantenha um diálogo constante com a família quanto ao desfralde da criança. Proponha que ela também ofereça no contexto familiar leituras e momentos lúdicos onde o tema do desfralde seja abordado. Também é possível propor um convite às famílias para um rodízio de leitura de histórias na sala das crianças. Considere que a família pode querer retroceder no processo, mesmo depois de conversar com a escola. Se isso acontecer, acolha a família e trabalhe de forma mais individualizada para que todos possam agir juntos, em prol da criança.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Leda Barbosa

Mentor:  Vládia Maria Eulálio Raposo Freire Pires

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade:  1 ano e 7 meses a 2 anos e 11 meses.

Campos de Experiência:   O eu, o outro e o nós. Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

Objetivos e códigos da Base:

(EI02EO02) Demonstrar imagem positiva de si e confiança em sua capacidade para enfrentar dificuldades e desafios.

(EI02CG04) Demonstrar progressiva independência no cuidado do seu corpo.

(EI02EO04) Comunicar-se com os colegas e os adultos, buscando compreendê-los e fazendo-se compreender.

Abordagem didática:

Por volta dos dois anos, as crianças demonstram uma predisposição biológica que permite o início do processo de retirada da fralda e a progressiva utilização do banheiro: elas comunicam o que irão fazer antes de efetivamente fazê-lo. É um período de conquista de autonomia, pois envolve a percepção de sinais e o controle do corpo, a comunicação com adultos, o aprendizado de novos procedimentos no cuidado de si etc. O trabalho da escola ajuda para que o período seja vivido com confiança e segurança, tornando-o mais natural e acolhedor. Para isso, é preciso respeitar o ritmo de cada um, fazer parceria com as famílias, ressaltar as conquistas e criar, no grupo, atitudes de respeito e colaboração.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADE 05

Orientações para desfralde

VOCÊ ESTÁ AQUI

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes