15630
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

1º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Palavras dentro de outras palavras

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 1º ano do EF sobre Palavras dentro de outras palavras

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Michele Andrade De Lima Rabelo

 

Sobre este plano select-down

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a segunda aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é relacionar elementos sonoros (sílabas, fonemas, partes de palavras) com sua representação escrita, bem como, comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas.

Materiais necessários:

  • Espaço para brincar de roda.
  • Materiais para construir painel com letra da música impressa ou à mão.
  • Recursos para imprimir ou confeccionar à mão fichas com sílabas e atividades para alunos.

Dificuldades antecipadas:

  • Para alunos em níveis de escrita mais avançados (com hipóteses de escrita silábica alfabética e alfabética) que podem encontrar mais facilidade nos desafios você pode provocá-los a encontrar não apenas as palavras dentro das palavras, mas também a encontrar outras palavras que começam ou terminam iguais. Por exemplo: Com muita tranquilidade a criança encontrou o “mel” dentro de “melancia”, proponha então que ela diga outras palavras que tem “mel”. (Resposta: melado, melão, Melissa, etc).
  • Para os alunos em níveis iniciais de escrita (com hipóteses pré silabica e silábica sem e com valor sonoro) é provável que para encontrar a palavra dentro da outra terá que ficar claro como é que se escreve. Por exemplo: para encontrar “pião” dentro de “escorpião” vocês terão que antes, escrever no quadro a palavra “pião”. Esta escrita deve ser em parceria com as crianças, sempre aproveitando as circunstâncias para fazer refletir sobre o sistema de escrita (quais letras são boas para escrever “pião”? ou ainda como é que faço para esse “a” ficar com som de “ã”?). E após localizado o “pião” realizar a leitura da palavra “escorpião” com e sem “pião”.

Referências sobre o assunto:

BREDA, Tadeu. Leitura feita pelo aluno, antes de saber ler convencionalmente. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2486/leitura-feita-pelo-aluno-antes-de-saber-ler-convencionalmente>. Acesso em: 26 nov. 2018.

Cantigas de roda. Pastoral da Criança. Disponível em: <https://www.pastoraldacrianca.org.br/cantigas-de-roda>. Acesso em: 26 nov. 2018.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1999.

LERNER, D. Ler e escrever na escola. O real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed, 2007.

LOPES, A. Como aprender: coloque ritmo a sua leitura. Disponível em: <http://www.maisaprendizagem.com.br/como-aprender-coloque-ritmo/>. Acesso em: 02 dez. 2018.

MARTINS, R.M.F. Estrutura Silábica. Glossário Ceale. Disponível em: <http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/estrutura-silabica>. Acesso em: 02 dez. 2018.

MASSUCATO, M.; MAYRINK, E.D. A função das listas na alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://gestaoescolar.org.br/conteudo/1360/a-funcao-das-listas-na-alfabetizacao>. Acesso em: 26 nov. 2018..

MORAIS, A.G. Como eu ensino Sistema de escrita alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

PINHEIRO, T. Organizar a rotina da alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/308/organizar-a-rotina-da-alfabetizacao>. Acesso em: 02 dez. 2018.

SOARES, M. Aprendizado inicial da escrita: uma proposta de sistematização. Disponível em: <http://www.plataformadoletramento.org.br/hotsite/aprendizado-inicial-da-escrita/>. Acesso em: 02 dez. 2018.

VICHESI, B.; MARTINS, A.R. 7 perguntas sobre textos memorizados na alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2508/7-perguntas-sobre-textos-memorizados-na-alfabetizacao>. Acesso em: 26 nov. 2018..

WEISZ, T. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo: Ática, 2002.

Tema da aula select-down

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações:

  • Projete a tela e passe os comandos:
  • Ler a palavra “escorpião”.
  • Para aqueles que não sabem o que é, há uma foto ao lado da palavra (um animal venenoso).
  • Depois pergunte como chama este brinquedo (Resposta: Pião).
  • Peça que as crianças localizem nesta tela a palavra pião.
  • Pergunte à turma como escreve “pião”: Peça que soletrem as letras e você as escreve no quadro.
  • A intenção didática deste momento é que as crianças percebam a mágica, pois dentro de uma palavra pode haver outras.
  • Lance um novo desafio à turma que vai ao encontro da finalidade desta aula (relacionar elementos sonoros com sua representação escrita e ainda comparar palavras):
  • Desmembre a palavra “escorpião” em sílabas.
  • Escreva cada sílaba no quadro.
  • Oriente as crianças a buscarem palavras que iniciem igual. (Resposta: ES - escola, estômago, espinafre / COR - corpo, cortina / PI - pião, pirulito, pijama / ÃO - coração, mamão, salão.
  • No caso de “ão” as crianças perceberão que não há palavras que comecem assim, mas apenas que terminam.
  • Informe que nossa aula hoje será sobre esse tema: palavras dentro de outras palavras.

Introdução select-down

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações:

  • Projete a tela e inicie a aula dizendo: hoje vocês conversarão sobre cantigas.
  • Pergunte quem conhece cantigas, se já brincaram e como faziam durante a música (Resposta: Espera-se nesse momento conhecer o repertório das crianças).
  • Convide-os a assistir um vídeo de crianças que brincaram com a música “De abóbora faz melão” e que eles prestem atenção na música e na dança porque depois do vídeo o desafio será a turma brincar com a cantiga. Clique aqui e acesse o vídeo de 1min e 40 segundos.
  • Este momento tem a intenção didática de mobilizar a turma para aprender, bem como, conhecer o seu repertório de cantigas por meio de um ambiente agradável e feliz.

Material complementar:

ALVES, Gisele. Brincadeira de Roda: de abóbora faz melão. 2011. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=EfDKhsI-7yY>. Acesso em: 26 nov. 2018.

Desenvolvimento select-down

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Fixe na quadro o painel da cantiga “De abóbora faz melão”. Clique aqui e acesse o arquivo com o painel e as palavras “melancia” e “mel” para o próximo desafio.
  • Leia e cante novamente a cantiga apontando para os versos para que fique bem claro às crianças que aquilo que está escrito relaciona-se com o que você está falando (lembrando que crianças com a hipótese de escrita pré silábica silábica sem valor sonoro não têm (ou estão no início da percepção) desta consciência, por isso a ênfase nesse sentido). Clique aqui e acesse um texto da Nova Escola que trata com muita propriedade da importância da leitura feita pelo professor, não apenas para mobilizar à leitura, mas também para evidenciar aos estudantes às estruturas da escrita.
  • Após, permita que os estudantes realizem a leitura no painel, individualmente, mesmo aqueles que não lêem convencionalmente. Espera-se que realizem os procedimentos de leitura de ajuste, ou seja, procurem ajustar aquilo que estão cantando com o que estão falando de memória. Peça que coloquem o dedinho embaixo da palavra e leiam. Que assim ajustem aquilo que estão falando com aquilo que está escrito. Clique aqui para saber mais a respeito da leitura de ajuste que é uma das estratégias de leitura que faz com que as crianças avancem em suas hipóteses a respeito do nosso sistema de escrita.
  • Por exemplo, se a criança leu passando o dedinho rapidamente sob as palavras, você pode dizer: Desculpe, mas essas duas letrinhas são o que mesmo? (Resposta: Provavelmente a criança não saberá responder, visto que não ajustou convencionalmente a leitura às letras. A intenção desta pergunta é que o estudante reflita a respeito do ajuste que está realizando).
  • Quando você leu sobraram essas letras. Por exemplo: No momento da leitura do verso “Vai na casa do Juquinha”, a criança está apontando para “casa” e leu “Juquinha” (que é a última palavra do verso), então você pode intervir dizendo: Este verso termina com a palavra “Juquinha”: Tem algum amigo na sala que começa igual? (Resposta: Por exemplo, Julia). Esta palavra que você está apontando como “Juquinha” começa assim? Sugira recomeçar a leitura da estrofe, você pode ajudá-lo a “pegar o ritmo” e depois a criança continua, lembrando-se de encaixar a nova intervenção de que “Juquinha” começa com “Ju”.
  • Tenha bom senso em realizar intervenções, que haja um equilíbrio entre incentivo à leitura, prazer em conseguir fazer, cuidado com a autoestima do iniciante leitor e intervenções que façam refletir sobre a escrita. Assim, sugiro que, para cada criança, seja realizada apenas uma intervenção. E ao final, elogie com palavras de bom ânimo e alegria por ver as crianças lendo.
  • Diga que agora você tem um grande desafio para a turma: eles terão que encontrar palavras dentro de outras palavras.
  • Pergunte se alguém já conseguiu encontrar uma palavra dentro de outra palavra.
  • Fixe as palavras “melancia” e “mel” no quadro e pergunte se conseguem perceber uma palavra dentro da outra (Resposta: mel e melancia).
  • Procure fazer a brincadeira com os nomes das crianças também. Por exemplo, em Mariana tem Maria e Ana.
  • Separe as crianças em duplas com o critério da hipótese de escrita. Devem trabalhar juntas aquelas que possuam hipóteses próximas para que não se corra o risco de que, aquela que é mais avançada na hipótese de escrita, realize a atividade sozinha.
  • Lembrando que as hipóteses são: pré silábica, silábica sem valor sonoro, silábica com valor sonoro, silábica alfabética e alfabética. Clique aqui para saber mais.
  • Agrupe por exemplo, crianças com hipótese alfabética com aquelas que possuam hipótese silábica alfabética. Ou ainda, alunos com hipótese silábica com valor sonoro com aqueles que têm a hipótese silábica sem valor sonoro. Um outro modelo de agrupamento é estudantes com hipótese silábica sem valor sonoro com aqueles com hipótese pré silábica. Provavelmente, este grupo precisará de apoio da professora para perceber uma palavra dentro da outra.
  • Entregue uma folha de atividade para cada dupla:
  • Há duas colunas de palavras na folha.
  • Na primeira coluna há uma lista de palavras com um quadrinho em branco na frente de cada uma delas.
  • Em outra coluna há também uma lista de palavras com um quadrinho preenchido com um número para cada palavra.
  • As crianças devem localizar as palavras da segunda coluna dentro das palavras que estão na primeira coluna.
  • Quando localizarem, anotam o número que correspondem no quadrinho e grifam a palavra que está dentro da outra. Assim:
  • ……. chocalho 1 - alho
  • Nesse exemplo, na frente de “chocalho” deve-se preencher com número 1.
  • Com este desafio espera-se que as crianças relacionem os elementos sonoros das palavras, bem como, realizem o movimento de compará-las (compreender que as palavras são compostas por partes menores, serem capazes de segmentar as palavras, de perceberem que partes iguais de palavras formam palavras diferentes).
  • Clique aqui e acesse arquivo com a atividade.
  • Circule entre as crianças e verifique se precisam de apoio.
  • Incentive-os não apenas a localizar a palavra dentro da outra, mas a ler as palavras.
  • Pergunte:
  • Quer dizer que se eu tirar “eira” fica a palavra “rato”?
  • Provoque: E se tirarmos o “o” e colocarmos o “a” (Resposta: rata, por exemplo).
  • Você conhece outra palavra que tem “eira”? (Resposta: mangueira, bananeira)
  • Você conhece outra palavra que tem “bola” dentro? (Resposta: rebola).
  • Uma situação que pode ocorrer com as palavras “serpente” e “pente”: Uma criança pode alegar que não está encontrando a palavra “pente” dentro de nenhuma palavra. Um erro comum já que “serpente” não começa com “pente”, diferente das palavras “jacaré” e “jaca”. Nesse momento, confirme que você teve um aluno que também não encontrava a palavra “pente”, mas aí ele começou a ler as palavras da primeira até a última letra, e então ele conseguiu encontrar.
  • Um outro erro comum nas crianças em início de alfabetização é ler apenas o início da palavra e deduzir o restante, então por exemplo, nas palavras “caça” e “casa” pode haver esse tipo de situação. Essa é uma ótima oportunidade para você intervir e mostrar a importância de ler todas as letrinhas de uma palavra. Então peça que a criança leia e aponto para toda a palavra até que ela perceba a troca das letras.
  • Após terem concluído a atividade realize uma correção coletiva, onde algumas crianças venham até o quadro e respondam a atividade.
  • Nesta oportunidade, aproveite para fazer as mesmas intervenções realizadas nas duplas (item 12), assim a socialização será ainda maior e abrangente.
  • Anote algumas palavras no quadro para que as crianças possam visualizar melhor o que está sendo colocado. Por exemplo, se alguém disser que “bala” está dentro de “balada” é importante que você escreva para que possam perceber a escrita além da oralidade.

Materiais complementares:

Painel com cantiga de roda: acesse aqui

Desafio: acesse aqui

ANDRADE, Luiza. A leitura feita pelo professor tem que ser constante na alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2502/a-leitura-feita-pelo-professor-tem-que-ser-constante-na-alfabetizacao>. Acesso em: 26 nov 2018.

BREDA, Tadeu. Leitura feita pelo aluno, antes de saber ler convencionalmente. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2486/leitura-feita-pelo-aluno-antes-de-saber-ler-convencionalmente>. Acesso em: 26 nov. 2018.

MOÇO, Anderson. Diagnóstico na alfabetização para conhecer a nova turma. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2489/diagnostico-na-alfabetizacao-para-conhecer-a-nova-turma>. Acesso em: 26 nov. 2018.

Fechamento select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Diga às crianças que como fechamento da aula vocês construirão uma lista de palavras chamada “Uma palavra dentro da outra”.
  • Coletivamente as crianças ditarão a lista e professor será o escriba.
  • Faça como na atividade ,como exemplo, uma coluna para a palavra (leopardo) e na outra coluna para a palavra que está dentro (pardo).
  • Grife a palavra que está dentro para que se evidencie a semelhança entre as sílabas mesmo na escrita de palavras diferentes.
  • Para ajudá-los a pensar em palavras diferentes daquelas da atividade pode-se sugerir pensar por temas, por exemplo, frutas: uva - luva / aba - abacate / mel - melancia / rica - mexerica ou animais: pardo - leopardo / jaca - jacaré / rata - ratazana / papa - papagaio / avião - gavião, etc.
  • Uma outra sugestão é assistir ao vídeo (3min e 04 segundos) da Palavra Cantada “Pomar” que traz muitas palavras uma dentro da outra, como por exemplo: caju, cajueiro e abacate, abacateiro - clique aqui.
  • É impossível prever quais palavras serão sugeridas pelas crianças, no entanto, seguem algumas intervenções que podem ser aplicadas em todas as outras, adequando-as naturalmente, à composição das palavras postas pelos estudantes:
  • Cajueiro: Boas perguntas:
  • a) O que posso usar para escrever cajueiro? (Resposta: Espera-se que respondam letras, mas dependerá da hipótese de escrita da criança).
  • Quais letras são boas para essa palavra? (Resposta: Espera-se que respondam as letras da palavra).
  • O CA de cajueiro é o mesmo KA do nosso amigo Kaique? (Resposta: Espera-se que as crianças percebam a diferença entre o K - que é o nome da letra; e o CA - que é a sílaba da Língua Portuguesa para escrever, por exemplo, cajueiro ou casa).
  • Vocês conhecem outras palavras que terminam com eiro? Vamos pensar?(Resposta: Açougueiro, enfermeiro, jornaleiro).
  • Essas palavras que terminam com eiro são boas dicas para a nossa lista? (Resposta: Sim, pois tem palavras dentro - açougue, açougueiro / jornal - jornaleiro).
  • Por que enfermeiro não é uma boa palavra para a nossa lista? (Resposta: Porque a palavra enfermo termina com “o” e dentro de enfermeiro ela não aparece completa enferm + eiro).
  • E se tivéssemos o poder de mudar a Língua Portuguesa e quiséssemos colocar a palavra enfermeiro em nossa lista de palavras “Uma palavra dentro da outra” que adequação deveríamos fazer na palavra “enfermeiro”? (Resposta: A palavra deveria ser escrita enfermeiro). Essa brincadeira com a palavra deve ser escrita no quadro, pois pode ser apagado, e não na lista que é algo fixo.
  • Durante a escrita sempre faça referência à outra palavra, por exemplo: Escrevemos “pardo” agora o que preciso acrescentar para o “pardo” virar “leopardo”, nós já sabemos que a parte final é igual.
  • Um erro comum nesse tipo de atividade relaciona-se à compreensão da proposta. Por exemplo, eles sugerirem a escrita de “gato” e “gata” ou ainda uma rima “João” e “feijão”. Nesses momentos é importante que você escreva as palavras sugeridas no quadro e pergunte de que forma “gata” está dentro do “gato”. Permita que a criança se explique. Neste momento (ao não conseguir justificar) ela compreende que está equivocada, sem que você precise apontar. Esse processo de pensar sobre o pensar é fundamental no processo de aprendizagem. Clique aqui e acesse texto que trata com maior profundidade sobre este conceito: a metacognição.
  • Deixe a lista fixada na sala para que as crianças possam consultá-la sempre que quiserem. Clique aqui e acesse texto que trata da importância das listas em uma sala de alfabetização.

Materiais complementares:

Palavra Cantada: Pomar. 2013. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=kfinwr3A9fg>. Acesso em: 26 nov. 2018.

MASSUCATO, M.; MAYRINK, E.D. A função das listas na alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://gestaoescolar.org.br/conteudo/1360/a-funcao-das-listas-na-alfabetizacao>. Acesso em: 26 nov. 2018..

SARGIANI, Renan. O que é metacognição? Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2018.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a segunda aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é relacionar elementos sonoros (sílabas, fonemas, partes de palavras) com sua representação escrita, bem como, comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas.

Materiais necessários:

  • Espaço para brincar de roda.
  • Materiais para construir painel com letra da música impressa ou à mão.
  • Recursos para imprimir ou confeccionar à mão fichas com sílabas e atividades para alunos.

Dificuldades antecipadas:

  • Para alunos em níveis de escrita mais avançados (com hipóteses de escrita silábica alfabética e alfabética) que podem encontrar mais facilidade nos desafios você pode provocá-los a encontrar não apenas as palavras dentro das palavras, mas também a encontrar outras palavras que começam ou terminam iguais. Por exemplo: Com muita tranquilidade a criança encontrou o “mel” dentro de “melancia”, proponha então que ela diga outras palavras que tem “mel”. (Resposta: melado, melão, Melissa, etc).
  • Para os alunos em níveis iniciais de escrita (com hipóteses pré silabica e silábica sem e com valor sonoro) é provável que para encontrar a palavra dentro da outra terá que ficar claro como é que se escreve. Por exemplo: para encontrar “pião” dentro de “escorpião” vocês terão que antes, escrever no quadro a palavra “pião”. Esta escrita deve ser em parceria com as crianças, sempre aproveitando as circunstâncias para fazer refletir sobre o sistema de escrita (quais letras são boas para escrever “pião”? ou ainda como é que faço para esse “a” ficar com som de “ã”?). E após localizado o “pião” realizar a leitura da palavra “escorpião” com e sem “pião”.

Referências sobre o assunto:

BREDA, Tadeu. Leitura feita pelo aluno, antes de saber ler convencionalmente. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2486/leitura-feita-pelo-aluno-antes-de-saber-ler-convencionalmente>. Acesso em: 26 nov. 2018.

Cantigas de roda. Pastoral da Criança. Disponível em: <https://www.pastoraldacrianca.org.br/cantigas-de-roda>. Acesso em: 26 nov. 2018.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1999.

LERNER, D. Ler e escrever na escola. O real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed, 2007.

LOPES, A. Como aprender: coloque ritmo a sua leitura. Disponível em: <http://www.maisaprendizagem.com.br/como-aprender-coloque-ritmo/>. Acesso em: 02 dez. 2018.

MARTINS, R.M.F. Estrutura Silábica. Glossário Ceale. Disponível em: <http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/estrutura-silabica>. Acesso em: 02 dez. 2018.

MASSUCATO, M.; MAYRINK, E.D. A função das listas na alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://gestaoescolar.org.br/conteudo/1360/a-funcao-das-listas-na-alfabetizacao>. Acesso em: 26 nov. 2018..

MORAIS, A.G. Como eu ensino Sistema de escrita alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

PINHEIRO, T. Organizar a rotina da alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/308/organizar-a-rotina-da-alfabetizacao>. Acesso em: 02 dez. 2018.

SOARES, M. Aprendizado inicial da escrita: uma proposta de sistematização. Disponível em: <http://www.plataformadoletramento.org.br/hotsite/aprendizado-inicial-da-escrita/>. Acesso em: 02 dez. 2018.

VICHESI, B.; MARTINS, A.R. 7 perguntas sobre textos memorizados na alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2508/7-perguntas-sobre-textos-memorizados-na-alfabetizacao>. Acesso em: 26 nov. 2018..

WEISZ, T. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo: Ática, 2002.

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações:

  • Projete a tela e passe os comandos:
  • Ler a palavra “escorpião”.
  • Para aqueles que não sabem o que é, há uma foto ao lado da palavra (um animal venenoso).
  • Depois pergunte como chama este brinquedo (Resposta: Pião).
  • Peça que as crianças localizem nesta tela a palavra pião.
  • Pergunte à turma como escreve “pião”: Peça que soletrem as letras e você as escreve no quadro.
  • A intenção didática deste momento é que as crianças percebam a mágica, pois dentro de uma palavra pode haver outras.
  • Lance um novo desafio à turma que vai ao encontro da finalidade desta aula (relacionar elementos sonoros com sua representação escrita e ainda comparar palavras):
  • Desmembre a palavra “escorpião” em sílabas.
  • Escreva cada sílaba no quadro.
  • Oriente as crianças a buscarem palavras que iniciem igual. (Resposta: ES - escola, estômago, espinafre / COR - corpo, cortina / PI - pião, pirulito, pijama / ÃO - coração, mamão, salão.
  • No caso de “ão” as crianças perceberão que não há palavras que comecem assim, mas apenas que terminam.
  • Informe que nossa aula hoje será sobre esse tema: palavras dentro de outras palavras.

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações:

  • Projete a tela e inicie a aula dizendo: hoje vocês conversarão sobre cantigas.
  • Pergunte quem conhece cantigas, se já brincaram e como faziam durante a música (Resposta: Espera-se nesse momento conhecer o repertório das crianças).
  • Convide-os a assistir um vídeo de crianças que brincaram com a música “De abóbora faz melão” e que eles prestem atenção na música e na dança porque depois do vídeo o desafio será a turma brincar com a cantiga. Clique aqui e acesse o vídeo de 1min e 40 segundos.
  • Este momento tem a intenção didática de mobilizar a turma para aprender, bem como, conhecer o seu repertório de cantigas por meio de um ambiente agradável e feliz.

Material complementar:

ALVES, Gisele. Brincadeira de Roda: de abóbora faz melão. 2011. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=EfDKhsI-7yY>. Acesso em: 26 nov. 2018.

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Fixe na quadro o painel da cantiga “De abóbora faz melão”. Clique aqui e acesse o arquivo com o painel e as palavras “melancia” e “mel” para o próximo desafio.
  • Leia e cante novamente a cantiga apontando para os versos para que fique bem claro às crianças que aquilo que está escrito relaciona-se com o que você está falando (lembrando que crianças com a hipótese de escrita pré silábica silábica sem valor sonoro não têm (ou estão no início da percepção) desta consciência, por isso a ênfase nesse sentido). Clique aqui e acesse um texto da Nova Escola que trata com muita propriedade da importância da leitura feita pelo professor, não apenas para mobilizar à leitura, mas também para evidenciar aos estudantes às estruturas da escrita.
  • Após, permita que os estudantes realizem a leitura no painel, individualmente, mesmo aqueles que não lêem convencionalmente. Espera-se que realizem os procedimentos de leitura de ajuste, ou seja, procurem ajustar aquilo que estão cantando com o que estão falando de memória. Peça que coloquem o dedinho embaixo da palavra e leiam. Que assim ajustem aquilo que estão falando com aquilo que está escrito. Clique aqui para saber mais a respeito da leitura de ajuste que é uma das estratégias de leitura que faz com que as crianças avancem em suas hipóteses a respeito do nosso sistema de escrita.
  • Por exemplo, se a criança leu passando o dedinho rapidamente sob as palavras, você pode dizer: Desculpe, mas essas duas letrinhas são o que mesmo? (Resposta: Provavelmente a criança não saberá responder, visto que não ajustou convencionalmente a leitura às letras. A intenção desta pergunta é que o estudante reflita a respeito do ajuste que está realizando).
  • Quando você leu sobraram essas letras. Por exemplo: No momento da leitura do verso “Vai na casa do Juquinha”, a criança está apontando para “casa” e leu “Juquinha” (que é a última palavra do verso), então você pode intervir dizendo: Este verso termina com a palavra “Juquinha”: Tem algum amigo na sala que começa igual? (Resposta: Por exemplo, Julia). Esta palavra que você está apontando como “Juquinha” começa assim? Sugira recomeçar a leitura da estrofe, você pode ajudá-lo a “pegar o ritmo” e depois a criança continua, lembrando-se de encaixar a nova intervenção de que “Juquinha” começa com “Ju”.
  • Tenha bom senso em realizar intervenções, que haja um equilíbrio entre incentivo à leitura, prazer em conseguir fazer, cuidado com a autoestima do iniciante leitor e intervenções que façam refletir sobre a escrita. Assim, sugiro que, para cada criança, seja realizada apenas uma intervenção. E ao final, elogie com palavras de bom ânimo e alegria por ver as crianças lendo.
  • Diga que agora você tem um grande desafio para a turma: eles terão que encontrar palavras dentro de outras palavras.
  • Pergunte se alguém já conseguiu encontrar uma palavra dentro de outra palavra.
  • Fixe as palavras “melancia” e “mel” no quadro e pergunte se conseguem perceber uma palavra dentro da outra (Resposta: mel e melancia).
  • Procure fazer a brincadeira com os nomes das crianças também. Por exemplo, em Mariana tem Maria e Ana.
  • Separe as crianças em duplas com o critério da hipótese de escrita. Devem trabalhar juntas aquelas que possuam hipóteses próximas para que não se corra o risco de que, aquela que é mais avançada na hipótese de escrita, realize a atividade sozinha.
  • Lembrando que as hipóteses são: pré silábica, silábica sem valor sonoro, silábica com valor sonoro, silábica alfabética e alfabética. Clique aqui para saber mais.
  • Agrupe por exemplo, crianças com hipótese alfabética com aquelas que possuam hipótese silábica alfabética. Ou ainda, alunos com hipótese silábica com valor sonoro com aqueles que têm a hipótese silábica sem valor sonoro. Um outro modelo de agrupamento é estudantes com hipótese silábica sem valor sonoro com aqueles com hipótese pré silábica. Provavelmente, este grupo precisará de apoio da professora para perceber uma palavra dentro da outra.
  • Entregue uma folha de atividade para cada dupla:
  • Há duas colunas de palavras na folha.
  • Na primeira coluna há uma lista de palavras com um quadrinho em branco na frente de cada uma delas.
  • Em outra coluna há também uma lista de palavras com um quadrinho preenchido com um número para cada palavra.
  • As crianças devem localizar as palavras da segunda coluna dentro das palavras que estão na primeira coluna.
  • Quando localizarem, anotam o número que correspondem no quadrinho e grifam a palavra que está dentro da outra. Assim:
  • ……. chocalho 1 - alho
  • Nesse exemplo, na frente de “chocalho” deve-se preencher com número 1.
  • Com este desafio espera-se que as crianças relacionem os elementos sonoros das palavras, bem como, realizem o movimento de compará-las (compreender que as palavras são compostas por partes menores, serem capazes de segmentar as palavras, de perceberem que partes iguais de palavras formam palavras diferentes).
  • Clique aqui e acesse arquivo com a atividade.
  • Circule entre as crianças e verifique se precisam de apoio.
  • Incentive-os não apenas a localizar a palavra dentro da outra, mas a ler as palavras.
  • Pergunte:
  • Quer dizer que se eu tirar “eira” fica a palavra “rato”?
  • Provoque: E se tirarmos o “o” e colocarmos o “a” (Resposta: rata, por exemplo).
  • Você conhece outra palavra que tem “eira”? (Resposta: mangueira, bananeira)
  • Você conhece outra palavra que tem “bola” dentro? (Resposta: rebola).
  • Uma situação que pode ocorrer com as palavras “serpente” e “pente”: Uma criança pode alegar que não está encontrando a palavra “pente” dentro de nenhuma palavra. Um erro comum já que “serpente” não começa com “pente”, diferente das palavras “jacaré” e “jaca”. Nesse momento, confirme que você teve um aluno que também não encontrava a palavra “pente”, mas aí ele começou a ler as palavras da primeira até a última letra, e então ele conseguiu encontrar.
  • Um outro erro comum nas crianças em início de alfabetização é ler apenas o início da palavra e deduzir o restante, então por exemplo, nas palavras “caça” e “casa” pode haver esse tipo de situação. Essa é uma ótima oportunidade para você intervir e mostrar a importância de ler todas as letrinhas de uma palavra. Então peça que a criança leia e aponto para toda a palavra até que ela perceba a troca das letras.
  • Após terem concluído a atividade realize uma correção coletiva, onde algumas crianças venham até o quadro e respondam a atividade.
  • Nesta oportunidade, aproveite para fazer as mesmas intervenções realizadas nas duplas (item 12), assim a socialização será ainda maior e abrangente.
  • Anote algumas palavras no quadro para que as crianças possam visualizar melhor o que está sendo colocado. Por exemplo, se alguém disser que “bala” está dentro de “balada” é importante que você escreva para que possam perceber a escrita além da oralidade.

Materiais complementares:

Painel com cantiga de roda: acesse aqui

Desafio: acesse aqui

ANDRADE, Luiza. A leitura feita pelo professor tem que ser constante na alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2502/a-leitura-feita-pelo-professor-tem-que-ser-constante-na-alfabetizacao>. Acesso em: 26 nov 2018.

BREDA, Tadeu. Leitura feita pelo aluno, antes de saber ler convencionalmente. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2486/leitura-feita-pelo-aluno-antes-de-saber-ler-convencionalmente>. Acesso em: 26 nov. 2018.

MOÇO, Anderson. Diagnóstico na alfabetização para conhecer a nova turma. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/2489/diagnostico-na-alfabetizacao-para-conhecer-a-nova-turma>. Acesso em: 26 nov. 2018.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Diga às crianças que como fechamento da aula vocês construirão uma lista de palavras chamada “Uma palavra dentro da outra”.
  • Coletivamente as crianças ditarão a lista e professor será o escriba.
  • Faça como na atividade ,como exemplo, uma coluna para a palavra (leopardo) e na outra coluna para a palavra que está dentro (pardo).
  • Grife a palavra que está dentro para que se evidencie a semelhança entre as sílabas mesmo na escrita de palavras diferentes.
  • Para ajudá-los a pensar em palavras diferentes daquelas da atividade pode-se sugerir pensar por temas, por exemplo, frutas: uva - luva / aba - abacate / mel - melancia / rica - mexerica ou animais: pardo - leopardo / jaca - jacaré / rata - ratazana / papa - papagaio / avião - gavião, etc.
  • Uma outra sugestão é assistir ao vídeo (3min e 04 segundos) da Palavra Cantada “Pomar” que traz muitas palavras uma dentro da outra, como por exemplo: caju, cajueiro e abacate, abacateiro - clique aqui.
  • É impossível prever quais palavras serão sugeridas pelas crianças, no entanto, seguem algumas intervenções que podem ser aplicadas em todas as outras, adequando-as naturalmente, à composição das palavras postas pelos estudantes:
  • Cajueiro: Boas perguntas:
  • a) O que posso usar para escrever cajueiro? (Resposta: Espera-se que respondam letras, mas dependerá da hipótese de escrita da criança).
  • Quais letras são boas para essa palavra? (Resposta: Espera-se que respondam as letras da palavra).
  • O CA de cajueiro é o mesmo KA do nosso amigo Kaique? (Resposta: Espera-se que as crianças percebam a diferença entre o K - que é o nome da letra; e o CA - que é a sílaba da Língua Portuguesa para escrever, por exemplo, cajueiro ou casa).
  • Vocês conhecem outras palavras que terminam com eiro? Vamos pensar?(Resposta: Açougueiro, enfermeiro, jornaleiro).
  • Essas palavras que terminam com eiro são boas dicas para a nossa lista? (Resposta: Sim, pois tem palavras dentro - açougue, açougueiro / jornal - jornaleiro).
  • Por que enfermeiro não é uma boa palavra para a nossa lista? (Resposta: Porque a palavra enfermo termina com “o” e dentro de enfermeiro ela não aparece completa enferm + eiro).
  • E se tivéssemos o poder de mudar a Língua Portuguesa e quiséssemos colocar a palavra enfermeiro em nossa lista de palavras “Uma palavra dentro da outra” que adequação deveríamos fazer na palavra “enfermeiro”? (Resposta: A palavra deveria ser escrita enfermeiro). Essa brincadeira com a palavra deve ser escrita no quadro, pois pode ser apagado, e não na lista que é algo fixo.
  • Durante a escrita sempre faça referência à outra palavra, por exemplo: Escrevemos “pardo” agora o que preciso acrescentar para o “pardo” virar “leopardo”, nós já sabemos que a parte final é igual.
  • Um erro comum nesse tipo de atividade relaciona-se à compreensão da proposta. Por exemplo, eles sugerirem a escrita de “gato” e “gata” ou ainda uma rima “João” e “feijão”. Nesses momentos é importante que você escreva as palavras sugeridas no quadro e pergunte de que forma “gata” está dentro do “gato”. Permita que a criança se explique. Neste momento (ao não conseguir justificar) ela compreende que está equivocada, sem que você precise apontar. Esse processo de pensar sobre o pensar é fundamental no processo de aprendizagem. Clique aqui e acesse texto que trata com maior profundidade sobre este conceito: a metacognição.
  • Deixe a lista fixada na sala para que as crianças possam consultá-la sempre que quiserem. Clique aqui e acesse texto que trata da importância das listas em uma sala de alfabetização.

Materiais complementares:

Palavra Cantada: Pomar. 2013. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=kfinwr3A9fg>. Acesso em: 26 nov. 2018.

MASSUCATO, M.; MAYRINK, E.D. A função das listas na alfabetização. Nova Escola. Disponível em: <https://gestaoescolar.org.br/conteudo/1360/a-funcao-das-listas-na-alfabetizacao>. Acesso em: 26 nov. 2018..

SARGIANI, Renan. O que é metacognição? Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2018.

Este plano de aula foi produzido pelo Time de Autores NOVA ESCOLA
Professor-autor:  Michele Rabelo
Mentor: Priscila Medeiros
Especialista: Tânia Rios
Título da aula: Palavras dentro de outras palavras
Finalidade da aula: Localizar em cantigas de roda palavras “escondidas” em outras palavras: palavras dentro de outras palavras
Ano: 1º ano do Ensino Fundamental
Objeto(s) do conhecimento: Construção do sistema alfabético
Prática de linguagem: Análise linguística e semiótica
Habilidade(s) da BNCC: EF01LP08, EF01LP09
Esta é a segunda aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. Recomendamos o uso desse plano em sequência.  

Código: LPO1_12ATS02

(EF01LP08) Relacionar elementos sonoros (sílabas, fonemas, partes de palavras) com sua representação escrita.

(EF01LP09) Comparar palavras, identificando semelhanças e diferenças entre sons de sílabas iniciais, mediais e finais.


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 1º ano:

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 1º ano:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes