14699
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - Criando rimas em textos poéticos

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 2º ano do EF sobre Criando rimas em textos poéticos

Plano 09 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Isabella Patrícia Oliveira Madeira Da Silva

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a nona aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero poema e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de análise linguística e semiótica, e o seu foco é rima na composição de textos versificados.

Materiais necessários: Atividade de análise do poema: “Você Troca?” de Eva Furnari, em estrofes, disponível para impressão aqui. Resolução da atividade para apoio ao professor, disponível aqui. Cartolinas, tesoura, cola, pincel atômico para a confecção dos cartazes. Atividade de releitura do poema, disponível aqui. Tabela de rimas para apoio ao professor, disponível aqui.

Dificuldades antecipadas: Não conseguirem pensar em palavras que rimem ou organizar o texto de modo que faça sentido.

Referências sobre o assunto:

MACHADO, I. L. A Paródia, um gênero "transgressivo". In: MACHADO e MELLO, R. (orgs). Gêneros: reflexões e análise do discurso. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2004. pp. 75-86.

MENDONÇA, M. Diversidade textual - proposta para sala de aula. Língua Portuguesa - Estudo e Ensino. Brasília: MEC/CEEL, 2011.

SANT'ANNA, A. R. Paródia, paráfrase & cia. São Paulo: Ática, 2003.

SOUZA, I. M. P. Poesia em práticas de alfabetização. In: Leitura e produção de textos na alfabetização. BRANDÃO, A. C.; ROSA, E. C. S. (org). Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações: Leia o tema para as crianças e explique que na aula de hoje vão conhecer um texto poético que é muito divertido, além de rico em rimas e, depois de analisá-lo, farão sua própria releitura dele.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 14 minutos

Orientações:

  • Sente as crianças em duplas produtivas, em que possa haver trocas significativas. Uma etapa de produção textual mais significativa será proposta posteriormente, mas é importante que as crianças já comecem a manipular este recurso. Nesta aula, elas deverão criar seus próprios pares de rimas, de acordo com o contexto do texto, elaborando uma estrofe para o poema final e adicionando outras palavras, além das rimas, para dar sentido aos versos imitados. Por isso, nessa aula, além de reforçar o uso das rimas no poema analisado, as crianças também terão um breve momento para planejar a escrita (selecionando possíveis rimas, criando seu repertório) e para organizar sua escrita, seguindo a mesma proposta da autora, utilizando-se da técnica pastiche, que consiste justamente na imitação do estilo de outro autor. Além disso, as reflexões levantadas para garantir que as crianças se apropriem mais do estilo e da forma do texto que vão “imitar” trará, também, análises importantes de elementos do gênero: conteúdo temático, construção composicional e estilo.

  • Escreva o poema “Você Troca” em um cartaz, deixando um espaço em branco (a última palavra de cada estrofe), para que seja preenchida em conjunto com os alunos, assim como na atividade das estrofes.

  • Relembre o que aprenderam nas aulas anteriores, caso esta aula esteja sendo dada em sequência.

  • Nas atividades anteriores, as crianças descobriram e analisaram o uso das rimas em textos poéticos, buscando as rimas nos finais dos versos e organizando suas descobertas em tabelas.

  • Peça para que as crianças revisitem as atividades no caderno e, caso esteja utilizando a sugestão do varal, para que olhem para os textos presos ao varal e relembrem tudo o que já aprenderam em relação às rimas e a importância delas na composição de textos poéticos. Você pode pedir para que as crianças sugiram alguns pares de palavras que rimam para que você registre no quadro e assim, podem analisar rapidamente como é essa rima, quantas letras são iguais, qual é o som parecido, etc. Pode ser um ou dois pares, nada exaustivo, pois nessa atividade as crianças verão muitas rimas, neste momento é apenas para que relembrem deste elemento.

  • Caso não esteja utilizando o conjunto de aulas, selecione alguns versinhos para analisar com as crianças e extrair algumas rimas para colocá-las no quadro, analisando sua composição. Um exemplo breve e bem elucidativo poderia ser “Batatinha quando nasce”, em que encontram a rima CHÃO - CORAÇÃO. Você também pode escrever a palavra PASTEL no quadro e pedir para que tentem sugerir alguma palavra que tenha o som final parecido. As crianças poderão sugerir MEL, ANEL, CÉU, VÉU, etc. Escreva essas palavras e reflita com elas sobre o som parecido que algumas letras podem ter, mesmo que não sejam idênticas explicando que isso também é possível nas rimas.

  • Entregue uma estrofe do poema “Você troca” para cada dupla. Há 14 estrofes e caso haja menos duplas que estrofes, selecione algumas delas para analisar mais de uma. Explique que são versos de um poema e que está faltando uma palavra que precisará ser encontrada na cartela com 4 palavras que há abaixo. As crianças devem analisá-la e selecionar qual dessas palavras preenche o espaço do segundo verso, lembrando que devem procurar por uma palavra que rime com a última palavra do verso acima.

  • Peça para que as duplas analisem as cartelas, conversem e decidam em conjunto qual das palavras deve ser escrita no verso. Dê aproximadamente 5 minutos para que façam isso.

  • Apresente o cartaz do poema para as crianças, explique que vai lê-lo em voz alta e quando chegar na última palavra, a dupla que estiver com aquela estrofe deve ditar para você a palavra que deve preencher o espaço.

  • Vá lendo em voz alta e preenchendo com a turma. Caso alguma dupla sugira uma palavra que não seja a correta, peça para que leiam todas as palavras da cartela e que comparem o som final dessas palavras com o som da palavra do 1º verso com a qual deve rimar. Por exemplo: A última palavra da primeira linha da primeira estrofe é CONTENTE. As crianças devem sugerir uma palavra que rime com esta. Você pode enfatizar este fato antes de pedir para que ditem.
  • Qual das palavras da sua cartela poderia rimar com CONTENTE?
  • Muito bem, é DENTE.

  • Pode acontecer de as crianças que estiverem com as estrofes em que PREGUIÇA rima com SALSICHA, e BOTA rima com BOBOCA encontrem dificuldade, pois essas palavras compõem uma rima imperfeita, embora tenham sons parecidos, não são idênticos e o foco está na repetição das vogais I e A / O e A. Você pode dar essa sugestão para auxiliá-los na identificação.
  • Analisem o final dessas palavras da cartela. Há alguma palavra aí que tenha sons parecidos, mesmo que não sejam iguais?
  • Alguma delas utiliza as mesmas vogais no final? - Se necessário, escreva as palavras no quadro, uma embaixo da outra, circulando as últimas vogais, explicando para a dupla que devem estar na mesma sequência, para garantir um som parecido.

  • Quando terminar de montar o poema, leia-o agora completo com as crianças. Analise brevemente como o poema foi estruturado pela autora: apenas dois versos em cada estrofe, rimas emparelhadas, repetição de palavras no início dos versos, etc.

  • Chame a atenção das crianças para um outro fato, desafiando-as a encontrar dentro das estrofes mais 2 palavras que rimam.
  • Pessoal, além dessas palavras aqui, que rimam no final de cada verso, há mais uma palavra do verso de cima que rima com uma palavra do verso de baixo.
  • Vou dar dois minutos para que vocês leiam e analisem novamente a estrofe de vocês e tentem encontrar.
  • Circulem essas palavras no texto de vocês.

  • Peça para que ditem novamente para você. Você notará que são os termos essenciais das orações, GATO - PATO, DRAGÃO - LEÃO etc, destacados nesta análise que, aparentemente, foca-se nas rimas, mas também nos dá condições de destacar os elementos constitutivos dos versos, a parte que, posteriormente, ficarão encarregadas de escrever. Você pode dar dicas para enfatizar a identificação:
  • Quem é contente? Muito bem, é o GATO. Existe alguma palavra que rime com a palavra GATO no verso de baixo? - As crianças devem conseguir identificar que a palavra PATO faz rima com GATO. - Gato contente e Pato com dente, muito bem, duas rimas.
  • Quem é que tem não tem dentes? - A dupla que estiver com a estrofe do LEÃO deve conseguir ter compreendido, pela leitura, que se trata do seu animal. Quando disseram a palavra, peça para que identifique uma palavra no verso abaixo que também termina em ÃO. - Leão sem dente e Dragão obediente, duas rimas.
  • Quem é que está vestindo pijama? - As crianças devem identificar que é o CANGURU. Quando disserem, peça para que encontrem uma palavra no verso debaixo que tenha o final parecido com CANGURU. - Ganguru de pijama e urubu na cama, duas rimas, muito bem,

  • Vá sublinhando todos os pares de palavras ditadas, no cartaz.
  • Muito bem, pessoal, agora que já vimos como uma autora tão talentosa usou as rimas no seu poema, de um jeito tão engraçado e bem pensado, será a vez de vocês!
  • Estão preparados para criar seus próprios versos?

Materiais complementares: Atividade de análise do poema: “Você Troca?” de Eva Furnari, em estrofes, disponível para impressão aqui. Resolução da atividade para apoio ao professor, disponível aqui. Cartolinas, tesoura, cola, pincel atômico para a confecção dos cartazes.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações: Reserve ao menos 10 minutos para levá-los a refletirem mais sobre a elaboração de textos poéticos.

  • Explique para os alunos que eles deverão criar uma releitura do poema que acabaram de analisar.

  • Como as crianças ainda são pequenas e em processo de alfabetização, a ideia é usar a técnica de intertextualidade conhecida como pastiche, que consistirá, nesse caso, de uma nova apresentação da mesma obra. Para isso, leve as crianças a se apropriarem ao máximo do modo como a autora desenvolveu sua obra. Leia novamente com as crianças, fazendo inferências, do tipo:
  • Vocês acham que pato tem dente? Não, nenhuma ave tem dentes.
  • Vocês já viram um canguru de pijamas ou um urubu na cama? Só em desenhos animados, não é mesmo?
  • Já imaginou um leão sem dente? Um leão idoso, talvez?
  • O que vocês acham que a escritora quis ao escrever esses versos? - Espera-se que as crianças percebam que o que a autora quis foi brincar com ideias presentes no imaginário, principalmente no universo lúdico e infantil.
  • Para qual tipo de pessoa vocês acham que esse poema foi escrito? Para adultos ou crianças? - Espera-se que as crianças respondam que pode ter sido escrito pensando nelas, que gostam de imaginar esse tipo de situação e assistir desenhos e filmes com esse tipo de personagem e situações inusitadas.
  • E por que vocês acham isso? Esse tipo de situação imaginária e absurda é encontrada em outras coisas que vocês já conhecem? - Aqui, as crianças poderiam levantar o que foi dito em relação aos filmes e desenhos animados. Você pode levá-las a analisar esses elementos em outras obras destinadas a elas, lembrando de filmes famosos ou em cantigas e canções como Boi da cara preta, a Cuca, a vaca amarela, personagens que só fazem parte do imaginário.
  • Essas brincadeiras com as palavras despertam nossa imaginação para o absurdo, o mágico, ao que só pode ser imaginado, não é mesmo?
  • Escrever nos permite isso: tanto escrever algo bonito sobre o que gostamos, como falar de uma bela flor ou do pôr do sol e do tanto que gostamos de alguma pessoa muito querida, como também criar situações imaginárias que estão muito além da realidade, para nos fazer sonhar, pensar, dar vida a objetos, para gerar surpresa, criar um novo mundo e até causar estranhamento.
  • Nosso desafio será criar tudo isso e, assim como a autora, vamos utilizar as rimas para tornar o texto poético e mais rico.

  • Escreva no quadro, caso não esteja projetando os slides: “Você troca _______ por _________?” Continue dialogando com a turma.
  • Vou dar um exemplo para vocês de como isso pode ser feito. Preencha o texto da seguinte forma:

Você troca uma cobra com cotovelo por uma grande bola de cabelo?

  • Pergunte:
  • Se eu quero trocar uma coisa pela outra, você acha que é importante eu colocar essa palavra aqui (aponte para UMA ou UM).
  • Vocês repararam que eu coloquei no primeiro verso a palavra COM e no segundo verso DE? Eu estou indicando alguma coisa com essas palavras, não estou?
  • Assim como a autora que escreveu COM, SEM, DE, NA (aponte para essas palavras no cartaz). Tudo isso vocês poderão usar, caso seja necessário, para dar sentido ao texto de vocês.
  • Eu vou caminhar entre as duplas para ajudá-los com quaisquer dúvidas que tiverem sobre quais palavras usar, etc.
  • Mas, vocês devem estar se perguntando: Por onde começar? Eu vou dar uma dica!

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Peça para que as crianças olhem para as outras 3 palavras que estão escritas na cartela e que não foram usadas.
  • Vocês já têm, além das palavras que acharam para preencher o poema, mais 3 palavras escritas na cartela.
  • Se vocês conversarem com seu par e tentarem encontrar 1 palavra que rime com cada uma dessas palavras, pode ficar mais fácil depois para escolherem as rimas que vão querer colocar nos versos de vocês.
  • Há um espaço ao lado de cada palavra, não há? Então, mãos à massa. - Caso esteja projetando os slides, mostre o exemplo. Se não for possível, escreva no quadro ao menos um exemplo, podendo pedir ajuda das crianças para encontrar uma rima.
  • Lembrem que a autora escolheu apresentar para seus leitores algumas situações absurdas e com muita criatividade, portanto, não se acanhem! Quanto mais criativo e divertido ficar, melhor será.
  • E se durante a conversa vocês se lembrarem de outras palavras que rimam, mas que não estão aí na cartela, escrevam no caderno ou em um dos cantinhos da folha para não correrem o risco de se esquecerem.

  • Enquanto as crianças estão pensando nas rimas, vá passeando pela sala, dando sugestões e oferecendo ajuda. Nos materiais complementares você encontrará uma tabela com pelo menos 2 palavras que rimam com as palavras que as crianças já têm escritas nas suas cartelas.

  • Você pode dar dicas, de preferência, levando as crianças a pensarem nas palavras baseadas nessas dicas, ao invés de já oferecer as palavras. E apenas se as crianças demonstrarem dificuldade. Exemplos:
  • Vocês têm a palavra CORAÇÃO na cartela de vocês. Que palavras poderiam rimar com coração? Pode ser alguma coisa grande, porque quando a gente quer dizer que algo é grande a gente não coloca o ÃO nas palavras? Como em ORELHÃO? O que mais dá pra escrever com ÃO? Pode ser um objeto, algo de comer, até uma parte do corpo. Tem muitas palavras que rimam com essa.
  • Que palavras poderiam rimar com NARIZ? Tem uma coisa aqui na nossa sala (para o caso de usar GIZ) que eu uso muito para escrever no quadro. Tem a mulher do Imperador, tem aquela coisa que vemos em jardins e praças que esguicha água…
  • Essa palavra LAGOA aqui… já pensaram em alguma palavra que tenha o final parecido? Eu lembro de algumas… como se chama a mulher do Leão? Será que o final é parecido? E aquele barco menor?

  • Nos materiais complementares também há um documento intitulado de “Releitura do poema” com as estrofes prontas para que as crianças preencham.

  • Caso não queira imprimir o material como está, recortá-lo e entregar uma estrofe para cada criança, pode apenas escrever o texto no quadro e pedir para que as crianças reproduzam em uma folha de sulfite, preenchendo as partes já estabelecidas. Seria interessante utilizar o material, criar um cartaz para apresentar ao lado do poema original como produto final desta aula e, posteriormente, pedir para que cada criança crie sua página ilustrada para formar o livro com todos os versinhos compilados.

  • A sugestão é que elas levem uma folha para casa, escreva a estrofe que criaram, ilustrem e depois você crie um livro ilustrado.

  • Neste momento, a atividade deve ser feita individualmente, mas nada impede que as crianças troquem ideias e sugestões.

  • Quando elas já tiverem pensado em algumas rimas, peça para que façam um esboço inicial do texto no caderno, do modo como gostariam que ficasse.

  • Diga que podem ler seus versinhos para os colegas e perguntar se gostaram, pedir alguma sugestão e, quando sentirem que está do modo como gostariam, para passar a limpo no papel que você entregou.

  • Se for usar o material, eles devem fazer isso já nas estrofes impressas, escrevendo no espaço em branco.

  • Quando todos terminarem, vá colando em cartolina todas as estrofes, que não precisam ter nenhuma ordem específica.

Materiais complementares: Atividade de releitura do poema, disponível aqui. Tabela de rimas para apoio ao professor, disponível aqui.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Conclua a aula reunindo a turma para ler os dois poemas, primeiro o original e depois o criado pela turma.

  • Elogie e valorize cada uma das produções.

  • Converse com os alunos. Se sentir que alguma criança apresentou dificuldades em relação às rimas durante as atividades, você pode aproveitar a seleção de rimas apresentada no material de apoio e criar algum material adaptado em que a criança precise completar o final das palavras, por exemplo; de modo que essa criança em especial continue a exercitar a ideia das rimas e consiga avançar em seus conhecimentos relacionados a isso.

  • Sugestão de algumas questões que podem ser levantadas durante a conversa:
  • Pessoal, gostaram de escrever seus próprios versos poéticos? Foi difícil pensar nas rimas? E na composição toda de um verso? Gostaram de brincar com as palavras?
  • Perceberam que, além de brincar com as palavras, vocês pensaram bastante em cada uma delas e em como usá-las dentro do texto? Isso é muito importante quando escrevemos qualquer coisa.
  • Pensar nas palavras que vamos usar, na composição delas, no significado delas, se existe alguma outra palavra que pode ser usada no lugar de outra e que poderia dar um efeito mais interessante para o texto é muito importante para que possamos escrever cada dia melhor. E é impossível escrever um texto poético se não pensarmos nisso.
  • Quando vamos escrever um texto maior, o ideal é escrever em um dia, ler no outro dia, ver se precisa mudar alguma coisa e, quando sentir que está bom, fazer a escrita final. Todo grande escritor faz isso.
  • Todo mundo começa de algum lugar. E eu estou encantada com a criatividade e o esforço de vocês na criação desses versinhos, fazendo a releitura do poema “Você Troca” da Eva Furnari. Ela é uma escritora e ilustradora muito renomada aqui no Brasil. - Se tiver alguns livros da autora, posteriormente, você pode apresentar para as crianças e deixá-las terem um maior contato com o trabalho dela.
  • Alguém tem ainda alguma dúvida em relação ao uso das rimas? Qualquer dúvida? - Se alguma criança ainda apresentar dúvidas, pense em uma atividade de exercitação específica para ela, há uma sugestão já no item acima.
  • Conseguiram identificar a função delas no poema? - Aqui, espera-se que as crianças se lembrem que as rimas são usadas geralmente nos finais dos versos para dar ritmo, musicalidade e beleza a um texto.
  • Será que os poemas seriam o mesmo sem elas? - Você pode lembrar com elas que alguns textos podem ficar menos interessantes ao lermos ou ouvi-los se alguma rima for omitida, dando um exemplo: “Sou pequenininho, do tamanho de um botão. Carrego papai no bolso e mamãe na aba do chapéu” mostrando como o texto, mesmo que criativo, perde sua musicalidade sem a rima.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a nona aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero poema e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de análise linguística e semiótica, e o seu foco é rima na composição de textos versificados.

Materiais necessários: Atividade de análise do poema: “Você Troca?” de Eva Furnari, em estrofes, disponível para impressão aqui. Resolução da atividade para apoio ao professor, disponível aqui. Cartolinas, tesoura, cola, pincel atômico para a confecção dos cartazes. Atividade de releitura do poema, disponível aqui. Tabela de rimas para apoio ao professor, disponível aqui.

Dificuldades antecipadas: Não conseguirem pensar em palavras que rimem ou organizar o texto de modo que faça sentido.

Referências sobre o assunto:

MACHADO, I. L. A Paródia, um gênero "transgressivo". In: MACHADO e MELLO, R. (orgs). Gêneros: reflexões e análise do discurso. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2004. pp. 75-86.

MENDONÇA, M. Diversidade textual - proposta para sala de aula. Língua Portuguesa - Estudo e Ensino. Brasília: MEC/CEEL, 2011.

SANT'ANNA, A. R. Paródia, paráfrase & cia. São Paulo: Ática, 2003.

SOUZA, I. M. P. Poesia em práticas de alfabetização. In: Leitura e produção de textos na alfabetização. BRANDÃO, A. C.; ROSA, E. C. S. (org). Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações: Leia o tema para as crianças e explique que na aula de hoje vão conhecer um texto poético que é muito divertido, além de rico em rimas e, depois de analisá-lo, farão sua própria releitura dele.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 14 minutos

Orientações:

  • Sente as crianças em duplas produtivas, em que possa haver trocas significativas. Uma etapa de produção textual mais significativa será proposta posteriormente, mas é importante que as crianças já comecem a manipular este recurso. Nesta aula, elas deverão criar seus próprios pares de rimas, de acordo com o contexto do texto, elaborando uma estrofe para o poema final e adicionando outras palavras, além das rimas, para dar sentido aos versos imitados. Por isso, nessa aula, além de reforçar o uso das rimas no poema analisado, as crianças também terão um breve momento para planejar a escrita (selecionando possíveis rimas, criando seu repertório) e para organizar sua escrita, seguindo a mesma proposta da autora, utilizando-se da técnica pastiche, que consiste justamente na imitação do estilo de outro autor. Além disso, as reflexões levantadas para garantir que as crianças se apropriem mais do estilo e da forma do texto que vão “imitar” trará, também, análises importantes de elementos do gênero: conteúdo temático, construção composicional e estilo.

  • Escreva o poema “Você Troca” em um cartaz, deixando um espaço em branco (a última palavra de cada estrofe), para que seja preenchida em conjunto com os alunos, assim como na atividade das estrofes.

  • Relembre o que aprenderam nas aulas anteriores, caso esta aula esteja sendo dada em sequência.

  • Nas atividades anteriores, as crianças descobriram e analisaram o uso das rimas em textos poéticos, buscando as rimas nos finais dos versos e organizando suas descobertas em tabelas.

  • Peça para que as crianças revisitem as atividades no caderno e, caso esteja utilizando a sugestão do varal, para que olhem para os textos presos ao varal e relembrem tudo o que já aprenderam em relação às rimas e a importância delas na composição de textos poéticos. Você pode pedir para que as crianças sugiram alguns pares de palavras que rimam para que você registre no quadro e assim, podem analisar rapidamente como é essa rima, quantas letras são iguais, qual é o som parecido, etc. Pode ser um ou dois pares, nada exaustivo, pois nessa atividade as crianças verão muitas rimas, neste momento é apenas para que relembrem deste elemento.

  • Caso não esteja utilizando o conjunto de aulas, selecione alguns versinhos para analisar com as crianças e extrair algumas rimas para colocá-las no quadro, analisando sua composição. Um exemplo breve e bem elucidativo poderia ser “Batatinha quando nasce”, em que encontram a rima CHÃO - CORAÇÃO. Você também pode escrever a palavra PASTEL no quadro e pedir para que tentem sugerir alguma palavra que tenha o som final parecido. As crianças poderão sugerir MEL, ANEL, CÉU, VÉU, etc. Escreva essas palavras e reflita com elas sobre o som parecido que algumas letras podem ter, mesmo que não sejam idênticas explicando que isso também é possível nas rimas.

  • Entregue uma estrofe do poema “Você troca” para cada dupla. Há 14 estrofes e caso haja menos duplas que estrofes, selecione algumas delas para analisar mais de uma. Explique que são versos de um poema e que está faltando uma palavra que precisará ser encontrada na cartela com 4 palavras que há abaixo. As crianças devem analisá-la e selecionar qual dessas palavras preenche o espaço do segundo verso, lembrando que devem procurar por uma palavra que rime com a última palavra do verso acima.

  • Peça para que as duplas analisem as cartelas, conversem e decidam em conjunto qual das palavras deve ser escrita no verso. Dê aproximadamente 5 minutos para que façam isso.

  • Apresente o cartaz do poema para as crianças, explique que vai lê-lo em voz alta e quando chegar na última palavra, a dupla que estiver com aquela estrofe deve ditar para você a palavra que deve preencher o espaço.

  • Vá lendo em voz alta e preenchendo com a turma. Caso alguma dupla sugira uma palavra que não seja a correta, peça para que leiam todas as palavras da cartela e que comparem o som final dessas palavras com o som da palavra do 1º verso com a qual deve rimar. Por exemplo: A última palavra da primeira linha da primeira estrofe é CONTENTE. As crianças devem sugerir uma palavra que rime com esta. Você pode enfatizar este fato antes de pedir para que ditem.
  • Qual das palavras da sua cartela poderia rimar com CONTENTE?
  • Muito bem, é DENTE.

  • Pode acontecer de as crianças que estiverem com as estrofes em que PREGUIÇA rima com SALSICHA, e BOTA rima com BOBOCA encontrem dificuldade, pois essas palavras compõem uma rima imperfeita, embora tenham sons parecidos, não são idênticos e o foco está na repetição das vogais I e A / O e A. Você pode dar essa sugestão para auxiliá-los na identificação.
  • Analisem o final dessas palavras da cartela. Há alguma palavra aí que tenha sons parecidos, mesmo que não sejam iguais?
  • Alguma delas utiliza as mesmas vogais no final? - Se necessário, escreva as palavras no quadro, uma embaixo da outra, circulando as últimas vogais, explicando para a dupla que devem estar na mesma sequência, para garantir um som parecido.

  • Quando terminar de montar o poema, leia-o agora completo com as crianças. Analise brevemente como o poema foi estruturado pela autora: apenas dois versos em cada estrofe, rimas emparelhadas, repetição de palavras no início dos versos, etc.

  • Chame a atenção das crianças para um outro fato, desafiando-as a encontrar dentro das estrofes mais 2 palavras que rimam.
  • Pessoal, além dessas palavras aqui, que rimam no final de cada verso, há mais uma palavra do verso de cima que rima com uma palavra do verso de baixo.
  • Vou dar dois minutos para que vocês leiam e analisem novamente a estrofe de vocês e tentem encontrar.
  • Circulem essas palavras no texto de vocês.

  • Peça para que ditem novamente para você. Você notará que são os termos essenciais das orações, GATO - PATO, DRAGÃO - LEÃO etc, destacados nesta análise que, aparentemente, foca-se nas rimas, mas também nos dá condições de destacar os elementos constitutivos dos versos, a parte que, posteriormente, ficarão encarregadas de escrever. Você pode dar dicas para enfatizar a identificação:
  • Quem é contente? Muito bem, é o GATO. Existe alguma palavra que rime com a palavra GATO no verso de baixo? - As crianças devem conseguir identificar que a palavra PATO faz rima com GATO. - Gato contente e Pato com dente, muito bem, duas rimas.
  • Quem é que tem não tem dentes? - A dupla que estiver com a estrofe do LEÃO deve conseguir ter compreendido, pela leitura, que se trata do seu animal. Quando disseram a palavra, peça para que identifique uma palavra no verso abaixo que também termina em ÃO. - Leão sem dente e Dragão obediente, duas rimas.
  • Quem é que está vestindo pijama? - As crianças devem identificar que é o CANGURU. Quando disserem, peça para que encontrem uma palavra no verso debaixo que tenha o final parecido com CANGURU. - Ganguru de pijama e urubu na cama, duas rimas, muito bem,

  • Vá sublinhando todos os pares de palavras ditadas, no cartaz.
  • Muito bem, pessoal, agora que já vimos como uma autora tão talentosa usou as rimas no seu poema, de um jeito tão engraçado e bem pensado, será a vez de vocês!
  • Estão preparados para criar seus próprios versos?

Materiais complementares: Atividade de análise do poema: “Você Troca?” de Eva Furnari, em estrofes, disponível para impressão aqui. Resolução da atividade para apoio ao professor, disponível aqui. Cartolinas, tesoura, cola, pincel atômico para a confecção dos cartazes.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações: Reserve ao menos 10 minutos para levá-los a refletirem mais sobre a elaboração de textos poéticos.

  • Explique para os alunos que eles deverão criar uma releitura do poema que acabaram de analisar.

  • Como as crianças ainda são pequenas e em processo de alfabetização, a ideia é usar a técnica de intertextualidade conhecida como pastiche, que consistirá, nesse caso, de uma nova apresentação da mesma obra. Para isso, leve as crianças a se apropriarem ao máximo do modo como a autora desenvolveu sua obra. Leia novamente com as crianças, fazendo inferências, do tipo:
  • Vocês acham que pato tem dente? Não, nenhuma ave tem dentes.
  • Vocês já viram um canguru de pijamas ou um urubu na cama? Só em desenhos animados, não é mesmo?
  • Já imaginou um leão sem dente? Um leão idoso, talvez?
  • O que vocês acham que a escritora quis ao escrever esses versos? - Espera-se que as crianças percebam que o que a autora quis foi brincar com ideias presentes no imaginário, principalmente no universo lúdico e infantil.
  • Para qual tipo de pessoa vocês acham que esse poema foi escrito? Para adultos ou crianças? - Espera-se que as crianças respondam que pode ter sido escrito pensando nelas, que gostam de imaginar esse tipo de situação e assistir desenhos e filmes com esse tipo de personagem e situações inusitadas.
  • E por que vocês acham isso? Esse tipo de situação imaginária e absurda é encontrada em outras coisas que vocês já conhecem? - Aqui, as crianças poderiam levantar o que foi dito em relação aos filmes e desenhos animados. Você pode levá-las a analisar esses elementos em outras obras destinadas a elas, lembrando de filmes famosos ou em cantigas e canções como Boi da cara preta, a Cuca, a vaca amarela, personagens que só fazem parte do imaginário.
  • Essas brincadeiras com as palavras despertam nossa imaginação para o absurdo, o mágico, ao que só pode ser imaginado, não é mesmo?
  • Escrever nos permite isso: tanto escrever algo bonito sobre o que gostamos, como falar de uma bela flor ou do pôr do sol e do tanto que gostamos de alguma pessoa muito querida, como também criar situações imaginárias que estão muito além da realidade, para nos fazer sonhar, pensar, dar vida a objetos, para gerar surpresa, criar um novo mundo e até causar estranhamento.
  • Nosso desafio será criar tudo isso e, assim como a autora, vamos utilizar as rimas para tornar o texto poético e mais rico.

  • Escreva no quadro, caso não esteja projetando os slides: “Você troca _______ por _________?” Continue dialogando com a turma.
  • Vou dar um exemplo para vocês de como isso pode ser feito. Preencha o texto da seguinte forma:

Você troca uma cobra com cotovelo por uma grande bola de cabelo?

  • Pergunte:
  • Se eu quero trocar uma coisa pela outra, você acha que é importante eu colocar essa palavra aqui (aponte para UMA ou UM).
  • Vocês repararam que eu coloquei no primeiro verso a palavra COM e no segundo verso DE? Eu estou indicando alguma coisa com essas palavras, não estou?
  • Assim como a autora que escreveu COM, SEM, DE, NA (aponte para essas palavras no cartaz). Tudo isso vocês poderão usar, caso seja necessário, para dar sentido ao texto de vocês.
  • Eu vou caminhar entre as duplas para ajudá-los com quaisquer dúvidas que tiverem sobre quais palavras usar, etc.
  • Mas, vocês devem estar se perguntando: Por onde começar? Eu vou dar uma dica!
Slide Plano Aula

Orientações:

  • Peça para que as crianças olhem para as outras 3 palavras que estão escritas na cartela e que não foram usadas.
  • Vocês já têm, além das palavras que acharam para preencher o poema, mais 3 palavras escritas na cartela.
  • Se vocês conversarem com seu par e tentarem encontrar 1 palavra que rime com cada uma dessas palavras, pode ficar mais fácil depois para escolherem as rimas que vão querer colocar nos versos de vocês.
  • Há um espaço ao lado de cada palavra, não há? Então, mãos à massa. - Caso esteja projetando os slides, mostre o exemplo. Se não for possível, escreva no quadro ao menos um exemplo, podendo pedir ajuda das crianças para encontrar uma rima.
  • Lembrem que a autora escolheu apresentar para seus leitores algumas situações absurdas e com muita criatividade, portanto, não se acanhem! Quanto mais criativo e divertido ficar, melhor será.
  • E se durante a conversa vocês se lembrarem de outras palavras que rimam, mas que não estão aí na cartela, escrevam no caderno ou em um dos cantinhos da folha para não correrem o risco de se esquecerem.

  • Enquanto as crianças estão pensando nas rimas, vá passeando pela sala, dando sugestões e oferecendo ajuda. Nos materiais complementares você encontrará uma tabela com pelo menos 2 palavras que rimam com as palavras que as crianças já têm escritas nas suas cartelas.

  • Você pode dar dicas, de preferência, levando as crianças a pensarem nas palavras baseadas nessas dicas, ao invés de já oferecer as palavras. E apenas se as crianças demonstrarem dificuldade. Exemplos:
  • Vocês têm a palavra CORAÇÃO na cartela de vocês. Que palavras poderiam rimar com coração? Pode ser alguma coisa grande, porque quando a gente quer dizer que algo é grande a gente não coloca o ÃO nas palavras? Como em ORELHÃO? O que mais dá pra escrever com ÃO? Pode ser um objeto, algo de comer, até uma parte do corpo. Tem muitas palavras que rimam com essa.
  • Que palavras poderiam rimar com NARIZ? Tem uma coisa aqui na nossa sala (para o caso de usar GIZ) que eu uso muito para escrever no quadro. Tem a mulher do Imperador, tem aquela coisa que vemos em jardins e praças que esguicha água…
  • Essa palavra LAGOA aqui… já pensaram em alguma palavra que tenha o final parecido? Eu lembro de algumas… como se chama a mulher do Leão? Será que o final é parecido? E aquele barco menor?

  • Nos materiais complementares também há um documento intitulado de “Releitura do poema” com as estrofes prontas para que as crianças preencham.

  • Caso não queira imprimir o material como está, recortá-lo e entregar uma estrofe para cada criança, pode apenas escrever o texto no quadro e pedir para que as crianças reproduzam em uma folha de sulfite, preenchendo as partes já estabelecidas. Seria interessante utilizar o material, criar um cartaz para apresentar ao lado do poema original como produto final desta aula e, posteriormente, pedir para que cada criança crie sua página ilustrada para formar o livro com todos os versinhos compilados.

  • A sugestão é que elas levem uma folha para casa, escreva a estrofe que criaram, ilustrem e depois você crie um livro ilustrado.

  • Neste momento, a atividade deve ser feita individualmente, mas nada impede que as crianças troquem ideias e sugestões.

  • Quando elas já tiverem pensado em algumas rimas, peça para que façam um esboço inicial do texto no caderno, do modo como gostariam que ficasse.

  • Diga que podem ler seus versinhos para os colegas e perguntar se gostaram, pedir alguma sugestão e, quando sentirem que está do modo como gostariam, para passar a limpo no papel que você entregou.

  • Se for usar o material, eles devem fazer isso já nas estrofes impressas, escrevendo no espaço em branco.

  • Quando todos terminarem, vá colando em cartolina todas as estrofes, que não precisam ter nenhuma ordem específica.

Materiais complementares: Atividade de releitura do poema, disponível aqui. Tabela de rimas para apoio ao professor, disponível aqui.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Conclua a aula reunindo a turma para ler os dois poemas, primeiro o original e depois o criado pela turma.

  • Elogie e valorize cada uma das produções.

  • Converse com os alunos. Se sentir que alguma criança apresentou dificuldades em relação às rimas durante as atividades, você pode aproveitar a seleção de rimas apresentada no material de apoio e criar algum material adaptado em que a criança precise completar o final das palavras, por exemplo; de modo que essa criança em especial continue a exercitar a ideia das rimas e consiga avançar em seus conhecimentos relacionados a isso.

  • Sugestão de algumas questões que podem ser levantadas durante a conversa:
  • Pessoal, gostaram de escrever seus próprios versos poéticos? Foi difícil pensar nas rimas? E na composição toda de um verso? Gostaram de brincar com as palavras?
  • Perceberam que, além de brincar com as palavras, vocês pensaram bastante em cada uma delas e em como usá-las dentro do texto? Isso é muito importante quando escrevemos qualquer coisa.
  • Pensar nas palavras que vamos usar, na composição delas, no significado delas, se existe alguma outra palavra que pode ser usada no lugar de outra e que poderia dar um efeito mais interessante para o texto é muito importante para que possamos escrever cada dia melhor. E é impossível escrever um texto poético se não pensarmos nisso.
  • Quando vamos escrever um texto maior, o ideal é escrever em um dia, ler no outro dia, ver se precisa mudar alguma coisa e, quando sentir que está bom, fazer a escrita final. Todo grande escritor faz isso.
  • Todo mundo começa de algum lugar. E eu estou encantada com a criatividade e o esforço de vocês na criação desses versinhos, fazendo a releitura do poema “Você Troca” da Eva Furnari. Ela é uma escritora e ilustradora muito renomada aqui no Brasil. - Se tiver alguns livros da autora, posteriormente, você pode apresentar para as crianças e deixá-las terem um maior contato com o trabalho dela.
  • Alguém tem ainda alguma dúvida em relação ao uso das rimas? Qualquer dúvida? - Se alguma criança ainda apresentar dúvidas, pense em uma atividade de exercitação específica para ela, há uma sugestão já no item acima.
  • Conseguiram identificar a função delas no poema? - Aqui, espera-se que as crianças se lembrem que as rimas são usadas geralmente nos finais dos versos para dar ritmo, musicalidade e beleza a um texto.
  • Será que os poemas seriam o mesmo sem elas? - Você pode lembrar com elas que alguns textos podem ficar menos interessantes ao lermos ou ouvi-los se alguma rima for omitida, dando um exemplo: “Sou pequenininho, do tamanho de um botão. Carrego papai no bolso e mamãe na aba do chapéu” mostrando como o texto, mesmo que criativo, perde sua musicalidade sem a rima.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 2º ano :

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 2º ano:

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF12LP19 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano