13572
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - Diário : ler para conhecer o gênero

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 3º ano do Fundamental sobre gênero textual de diário

Plano 03 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Valéria Ap Rodrigues Da Silveira

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é terceira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Diário e no campo de atuação Vida cotidiana; Artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Leitura.

Materiais necessários: Computador, projetor multimídia e tela. Acesso à internet. Textos impressos. Tesoura e cola.

Informações sobre o gênero: Os gêneros que expressam por escrito a vida de uma pessoa por ela mesma são chamados autobiográficos e interessa-nos o diário pessoal, informal e íntimo de comunicação cotidiana, bem como o de comunicação produzida. São gêneros propícios a refletir a individualidade de quem enuncia. Apresentam elementos constitutivos mais maleáveis, entretanto, sua estrutura constitucional apresenta elementos essenciais:

TEMA: a escrita sobre si (confissões, segredos, inquietações, emoções, opiniões…)

FORMA: datação, vocativo e despedida.

LINGUAGEM: uso da 1ª pessoa, vocabulário informal, caligrafia como marca pessoal nos suportes tradicionais e emoção

TEMPO: resgate da memória diária ao final do dia, geralmente;

INTERLOCUÇÃO: o próprio diálogo com o diário. Leitor imaginário ou, eventualmente, autorizados pelo autor.

INTERATIVIDADE: inexistente - leitor não interfere. Qualquer pessoa pode ter um diário, bastando compromisso e iniciativa. Sua função é “ guardar segredo”, se o autor assim quiser.

Dificuldades antecipadas: No início do 3º ano, a expectativa é que os alunos tenham construído o Sistema de Escrita Alfabética e, que, deste modo, leiam e escrevam, autonomamente . Podem apresentar dificuldades em localizar as informações explícitas nos textos. O desafio é ampliar a fluência na leitura e escrita com base em textos orais e escritos, inseridos em contextos reais ou imaginários. Os agrupamentos se fazem necessários.

Referências sobre o assunto:

PEREIRA, M. H. M. SILVA, J. B. O gênero diário pessoal: como se confecciona o íntimo. Revista Línguas & Letras – Unioeste – Vol. 16 – Nº 34 – 2015. Disponível em: http://erevista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/11973/9212

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

1. Apresente a finalidade da aula. Faremos a leitura e compreensão de dois textos do gênero Diário de arquivos pessoais em suportes diferentes (papel e internet)

Observação: Nas aulas LP03_02SQA01 e LP03_02SQA02 há atividades para que os alunos tomem contato com o gênero, sejam incentivados a produzir seus próprios diários e aprimorem o seu comportamento leitor.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações:

1. Projete o slide e imprima as frases (disponíveis no link abaixo).

2. Divida os alunos em pequenos grupos e realize a entrega do material para cada estudante.

3. Dê-lhes tempo para lerem e discutirem as perguntas: a qual tipo de texto as frases pertencem? Sobre quais assuntos falam? É esperado que digam ser frases escritas por escreventes de diário pessoal que expressam, por escrito, seus próprios sentimentos (felicidade, tristeza, ansiedade…)

4. Peça-lhes que recortem as frases e colem-nas nos seus respectivos cadernos, deixando espaço livre para possíveis anotações.

5. Peça-lhes que leiam e discutam cada uma delas: quais possíveis sentimentos levam uma pessoa a escrevê-las? Felicidade, alegria, inquietação, ansiedade, tristeza, saudades, esperança, raiva, ódio?

5. Circule pela sala e observe a interação entre os alunos e quais são suas hipóteses sobre o assunto.

6. Retome a vez e a voz e promova a socialização das discussões ocorridas nos grupos, solicitando que façam as anotações das conclusões.

7. Diga-lhes que irão fazer a leitura dos textos que contêm as frases analisadas.

Material complementar

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações:

1. Projete o slide ou imprima o texto (disponível em link abaixo). Organize a sala de aula de maneira que se obtenham três colunas de pares de carteiras, estabelecendo o quadro e o professor como foco principal, proporcionando livre acesso aos estudantes e o trabalho em duplas.

2. Entregue uma cópia do texto para cada dupla.

3. Inicie a leitura em voz alta.

4. Leia o texto trecho a trecho fazendo pausas para averiguar a compreensão.

5. Releia-o, agora, fazendo-lhes alguns questionamentos a fim de que localizem as informações explícitas no texto;

  • Quem é o autor do texto? Está explícito no texto? Há como sabermos o nome do autor? Espera-se que haja dúvida, uma vez que se trata de um texto do gênero Diário em um Blog. Há o perfil do usuário, mas o ambiente virtual nos remete a muitas dúvidas. Explore, aqui, os cuidados que devemos ter no ambiente virtual, verificar se é site/blog seguro (informações na barra de endereço). Espera-se que os estudantes digam que o Blog é uma ferramenta do mundo virtual que permite aos usuários escreverem conteúdos pessoais. Existem, também, os blogs profissionais, institucionais, jornalísticos entre outros. Há a interação com os internautas. Aproveite para informar que Blog é abreviação de WEBLOG - WEB = ambiente de internet e LOG (diário de bordo).
  • Em qual suporte foi escrito o texto? É esperado que identifiquem o texto como pertencente ao suporte digital Blog. Caso seja possível, visite-o.
  • Que marcas existem no texto que revelam ser um relato tipo diário? É esperado que observem algumas características do gênero diário: Tema: a escrita sobre si mesmo, expressão de opiniões, relatos de vivências, expressões de sentimentos, etc. Forma: há a presença da data, do vocativo “Querido Diário”, despedida. A data como elemento marcante, pois os registros são em ordem cronológica. Linguagem: informal, em primeira pessoa do singular (posição do autor como narrador e protagonista). Peça-lhes para grifarem as características levantadas.
  • O relato pessoal em blog é semelhante à escrita de diário em suporte de papel? Quais algumas semelhanças e diferenças? É esperado que observem que, nos aspectos gerais, são semelhantes por algumas características já citadas, mas que a interlocução do blog exige a interação com internautas, sendo assim, a escrita não é só para si. Haverá interatividade. Haverá leitores. No diário de suporte de papel, o escrevente só exibirá seus escritos se assim o quiser. O leitor é imaginário.
  • A narradora inicia falando sobre os dias comemorativos e afirma que comemorar essas datas é muito importante para ela. Por quê? Peça que procurem a informação que está explícita no texto, circulando-a.
  • Em certo trecho, a narradora diz sobre um sentimento dela. Qual é? Está visível no texto? É esperado que não localizem a palavra “ saudades”, mas que a suponham pela vontade que apresenta em abraçar o pai fortemente.
  • Qual o significado da expressão daqueles que você fica, fica, fica aaaaaaaaaa! Volte ao texto, recapitule o contexto e volte a ler a frase, novamente.
  • Como ela se despede do seu diário?

6. Deixe tempo livre para outros comentários.

Material complementar

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido:

Orientações: continuação do slide anterior.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido:

Orientações:

1. Projete o slide ou imprima o texto. Disponível para a impressão, conforme link abaixo.

2. Continue com a organização em duplas.

3. Peça-lhes que iniciem a leitura silenciosa do texto.

4. Transite pela sala de aula e verifique se as duplas se auxiliam mutuamente.

5. Cada dupla deverá, após leitura do texto, comentar:

  • Quem é o autor do texto? Está explícito? Há alguma “pista” que indica se é criança ou adulto que redigiu? É esperado que levante hipóteses pela maneira de se expressar e pelas marcas linguísticas como sendo uma criança do sexo feminino. É interessante comentar que a pessoa levou o seu diário em sua viagem, tendo-o como companheiro de todas as horas.
  • Para quem foi escrito? Trata-se de um relato pessoal em primeira pessoa do singular no qual a narradora é a protagonista.
  • Com qual finalidade foi escrito o texto? É esperado que concluam que a finalidade dos escreventes de diário é escrever para si mesmos: confissões, segredos, inquietações, relatos do dia a dia, registro de opiniões…

6. Inicie a análise das palavras/expressões que indicam algo que irá acontecer: louca para voltar e a onomatopeia SPLASH (ansiedade/ alegria).

7. Comente sobre o tratamento dado ao objeto diário: Meu caro e Eu te amo. São indícios da confiabilidade da escrevente ao seu fiel companheiro.

8. Peça-lhes que sublinhem as informações sobre as características do gênero Diário explícitas no texto: data, saudação, despedida…

Material complementar

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

1. Projete o slide ou reproduza-o no quadro.

2. Recapitule as leituras dos episódios de vida dos escreventes de diários e os elementos essenciais do gênero, conforme slide.

Sugestão de atividade complementar:

Brincadeira do Caderno de Respostas.

Explique-lhes que, na década de 80, não havia Facebook, blog, internet, tecnologias… e era muito comum circular entre os colegas de classe o Caderno de Respostas.

Explique-lhes como funcionava e deixe-a como uma sugestão para auxiliar na socialização de todos:

A pessoa que irá proporcionar a brincadeira deve dispor de um caderno de, no mínimo, 30 folhas
Na primeira folha, coloca-se o nome e idade. Nas outras folhas, as perguntas, sempre na mesma linha e uma pergunta em cada folha. Exemplo:
1. Qual é o seu nome? E sua idade?
2. Você promete responder tudo com a mais completa verdade?
3. Qual é seu apelido? (...)
As perguntas eram todas numeradas e, depois que todas as perguntas eram colocadas no papel, o caderno era entregue a um amigo (a) que seria o (a) primeiro (a) a responder a todas as questões de cada folha do caderno. Quando devolvia o caderno, era passado para outro e assim por diante, até que todos pudessem responder às perguntas. Assim como as perguntas eram numeradas, as respostas também eram, por isso as linhas de cada folha do caderno recebiam numeração. Era fácil, assim, verificar quem escreveu o quê, pois cada um que respondia colocava a sua resposta num número correspondente. Era só olhar para o número para ver quem havia escrito. Por exemplo, se você foi a décima pessoa a pegar o caderno para responder às perguntas, as suas respostas sempre estavam relacionadas ao número 10. Quem vai começar?

Materiais complementares:

Brincadeira do "Caderno de Respostas".

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é terceira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Diário e no campo de atuação Vida cotidiana; Artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Leitura.

Materiais necessários: Computador, projetor multimídia e tela. Acesso à internet. Textos impressos. Tesoura e cola.

Informações sobre o gênero: Os gêneros que expressam por escrito a vida de uma pessoa por ela mesma são chamados autobiográficos e interessa-nos o diário pessoal, informal e íntimo de comunicação cotidiana, bem como o de comunicação produzida. São gêneros propícios a refletir a individualidade de quem enuncia. Apresentam elementos constitutivos mais maleáveis, entretanto, sua estrutura constitucional apresenta elementos essenciais:

TEMA: a escrita sobre si (confissões, segredos, inquietações, emoções, opiniões…)

FORMA: datação, vocativo e despedida.

LINGUAGEM: uso da 1ª pessoa, vocabulário informal, caligrafia como marca pessoal nos suportes tradicionais e emoção

TEMPO: resgate da memória diária ao final do dia, geralmente;

INTERLOCUÇÃO: o próprio diálogo com o diário. Leitor imaginário ou, eventualmente, autorizados pelo autor.

INTERATIVIDADE: inexistente - leitor não interfere. Qualquer pessoa pode ter um diário, bastando compromisso e iniciativa. Sua função é “ guardar segredo”, se o autor assim quiser.

Dificuldades antecipadas: No início do 3º ano, a expectativa é que os alunos tenham construído o Sistema de Escrita Alfabética e, que, deste modo, leiam e escrevam, autonomamente . Podem apresentar dificuldades em localizar as informações explícitas nos textos. O desafio é ampliar a fluência na leitura e escrita com base em textos orais e escritos, inseridos em contextos reais ou imaginários. Os agrupamentos se fazem necessários.

Referências sobre o assunto:

PEREIRA, M. H. M. SILVA, J. B. O gênero diário pessoal: como se confecciona o íntimo. Revista Línguas & Letras – Unioeste – Vol. 16 – Nº 34 – 2015. Disponível em: http://erevista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/11973/9212

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações:

1. Apresente a finalidade da aula. Faremos a leitura e compreensão de dois textos do gênero Diário de arquivos pessoais em suportes diferentes (papel e internet)

Observação: Nas aulas LP03_02SQA01 e LP03_02SQA02 há atividades para que os alunos tomem contato com o gênero, sejam incentivados a produzir seus próprios diários e aprimorem o seu comportamento leitor.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações:

1. Projete o slide e imprima as frases (disponíveis no link abaixo).

2. Divida os alunos em pequenos grupos e realize a entrega do material para cada estudante.

3. Dê-lhes tempo para lerem e discutirem as perguntas: a qual tipo de texto as frases pertencem? Sobre quais assuntos falam? É esperado que digam ser frases escritas por escreventes de diário pessoal que expressam, por escrito, seus próprios sentimentos (felicidade, tristeza, ansiedade…)

4. Peça-lhes que recortem as frases e colem-nas nos seus respectivos cadernos, deixando espaço livre para possíveis anotações.

5. Peça-lhes que leiam e discutam cada uma delas: quais possíveis sentimentos levam uma pessoa a escrevê-las? Felicidade, alegria, inquietação, ansiedade, tristeza, saudades, esperança, raiva, ódio?

5. Circule pela sala e observe a interação entre os alunos e quais são suas hipóteses sobre o assunto.

6. Retome a vez e a voz e promova a socialização das discussões ocorridas nos grupos, solicitando que façam as anotações das conclusões.

7. Diga-lhes que irão fazer a leitura dos textos que contêm as frases analisadas.

Material complementar

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações:

1. Projete o slide ou imprima o texto (disponível em link abaixo). Organize a sala de aula de maneira que se obtenham três colunas de pares de carteiras, estabelecendo o quadro e o professor como foco principal, proporcionando livre acesso aos estudantes e o trabalho em duplas.

2. Entregue uma cópia do texto para cada dupla.

3. Inicie a leitura em voz alta.

4. Leia o texto trecho a trecho fazendo pausas para averiguar a compreensão.

5. Releia-o, agora, fazendo-lhes alguns questionamentos a fim de que localizem as informações explícitas no texto;

  • Quem é o autor do texto? Está explícito no texto? Há como sabermos o nome do autor? Espera-se que haja dúvida, uma vez que se trata de um texto do gênero Diário em um Blog. Há o perfil do usuário, mas o ambiente virtual nos remete a muitas dúvidas. Explore, aqui, os cuidados que devemos ter no ambiente virtual, verificar se é site/blog seguro (informações na barra de endereço). Espera-se que os estudantes digam que o Blog é uma ferramenta do mundo virtual que permite aos usuários escreverem conteúdos pessoais. Existem, também, os blogs profissionais, institucionais, jornalísticos entre outros. Há a interação com os internautas. Aproveite para informar que Blog é abreviação de WEBLOG - WEB = ambiente de internet e LOG (diário de bordo).
  • Em qual suporte foi escrito o texto? É esperado que identifiquem o texto como pertencente ao suporte digital Blog. Caso seja possível, visite-o.
  • Que marcas existem no texto que revelam ser um relato tipo diário? É esperado que observem algumas características do gênero diário: Tema: a escrita sobre si mesmo, expressão de opiniões, relatos de vivências, expressões de sentimentos, etc. Forma: há a presença da data, do vocativo “Querido Diário”, despedida. A data como elemento marcante, pois os registros são em ordem cronológica. Linguagem: informal, em primeira pessoa do singular (posição do autor como narrador e protagonista). Peça-lhes para grifarem as características levantadas.
  • O relato pessoal em blog é semelhante à escrita de diário em suporte de papel? Quais algumas semelhanças e diferenças? É esperado que observem que, nos aspectos gerais, são semelhantes por algumas características já citadas, mas que a interlocução do blog exige a interação com internautas, sendo assim, a escrita não é só para si. Haverá interatividade. Haverá leitores. No diário de suporte de papel, o escrevente só exibirá seus escritos se assim o quiser. O leitor é imaginário.
  • A narradora inicia falando sobre os dias comemorativos e afirma que comemorar essas datas é muito importante para ela. Por quê? Peça que procurem a informação que está explícita no texto, circulando-a.
  • Em certo trecho, a narradora diz sobre um sentimento dela. Qual é? Está visível no texto? É esperado que não localizem a palavra “ saudades”, mas que a suponham pela vontade que apresenta em abraçar o pai fortemente.
  • Qual o significado da expressão daqueles que você fica, fica, fica aaaaaaaaaa! Volte ao texto, recapitule o contexto e volte a ler a frase, novamente.
  • Como ela se despede do seu diário?

6. Deixe tempo livre para outros comentários.

Material complementar

Slide Plano Aula

Tempo sugerido:

Orientações: continuação do slide anterior.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido:

Orientações:

1. Projete o slide ou imprima o texto. Disponível para a impressão, conforme link abaixo.

2. Continue com a organização em duplas.

3. Peça-lhes que iniciem a leitura silenciosa do texto.

4. Transite pela sala de aula e verifique se as duplas se auxiliam mutuamente.

5. Cada dupla deverá, após leitura do texto, comentar:

  • Quem é o autor do texto? Está explícito? Há alguma “pista” que indica se é criança ou adulto que redigiu? É esperado que levante hipóteses pela maneira de se expressar e pelas marcas linguísticas como sendo uma criança do sexo feminino. É interessante comentar que a pessoa levou o seu diário em sua viagem, tendo-o como companheiro de todas as horas.
  • Para quem foi escrito? Trata-se de um relato pessoal em primeira pessoa do singular no qual a narradora é a protagonista.
  • Com qual finalidade foi escrito o texto? É esperado que concluam que a finalidade dos escreventes de diário é escrever para si mesmos: confissões, segredos, inquietações, relatos do dia a dia, registro de opiniões…

6. Inicie a análise das palavras/expressões que indicam algo que irá acontecer: louca para voltar e a onomatopeia SPLASH (ansiedade/ alegria).

7. Comente sobre o tratamento dado ao objeto diário: Meu caro e Eu te amo. São indícios da confiabilidade da escrevente ao seu fiel companheiro.

8. Peça-lhes que sublinhem as informações sobre as características do gênero Diário explícitas no texto: data, saudação, despedida…

Material complementar

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

1. Projete o slide ou reproduza-o no quadro.

2. Recapitule as leituras dos episódios de vida dos escreventes de diários e os elementos essenciais do gênero, conforme slide.

Sugestão de atividade complementar:

Brincadeira do Caderno de Respostas.

Explique-lhes que, na década de 80, não havia Facebook, blog, internet, tecnologias… e era muito comum circular entre os colegas de classe o Caderno de Respostas.

Explique-lhes como funcionava e deixe-a como uma sugestão para auxiliar na socialização de todos:

A pessoa que irá proporcionar a brincadeira deve dispor de um caderno de, no mínimo, 30 folhas
Na primeira folha, coloca-se o nome e idade. Nas outras folhas, as perguntas, sempre na mesma linha e uma pergunta em cada folha. Exemplo:
1. Qual é o seu nome? E sua idade?
2. Você promete responder tudo com a mais completa verdade?
3. Qual é seu apelido? (...)
As perguntas eram todas numeradas e, depois que todas as perguntas eram colocadas no papel, o caderno era entregue a um amigo (a) que seria o (a) primeiro (a) a responder a todas as questões de cada folha do caderno. Quando devolvia o caderno, era passado para outro e assim por diante, até que todos pudessem responder às perguntas. Assim como as perguntas eram numeradas, as respostas também eram, por isso as linhas de cada folha do caderno recebiam numeração. Era fácil, assim, verificar quem escreveu o quê, pois cada um que respondia colocava a sua resposta num número correspondente. Era só olhar para o número para ver quem havia escrito. Por exemplo, se você foi a décima pessoa a pegar o caderno para responder às perguntas, as suas respostas sempre estavam relacionadas ao número 10. Quem vai começar?

Materiais complementares:

Brincadeira do "Caderno de Respostas".

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Leitura/Escuta do 3º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 3º ano:

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP02 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP03 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF03LP12 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano