13406
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Atividade - Jogos no quintal

As crianças vão vivenciar brincadeiras geralmente realizadas na área externa (quintal ou outro espaço semelhante na escola)  

Plano 01 de 6 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Atividade alinhada à BNCC: • POR: Fernanda Silvia Lionese

O que fazer antes?

Materiais:

Aparelho de reprodução sonora ou celular com caixa de som; papel para cartaz (pardo, cartolina, color set) e caneta hidrográfica. Dependendo das sugestões das crianças, talvez seja preciso separar materiais para o jogo escolhido para o dia. Envolva a turma, levantando os materiais necessários e conversando sobre a disponibilidade deles na escola e sobre a melhor forma de coletá-los. Para o desenho, serão necessários materiais riscantes como:lápis, canetinhas, lápis de cor, gizes de cera, borrachas, folhas e apontadores (em quantidades que atendam a todas as crianças).

Espaços:

Planeje que a atividade ocorra em dois espaços: na sala de atividades e em uma área externa. Ao final, as crianças retornarão à sala.

Organize na sala o equipamento para ouvirem a música e os materiais que serão utilizados para o desenho.

Tempo sugerido:

Aproximadamente uma hora e meia.

Perguntas para guiar suas observações:

1. As crianças participam oralmente, opinando sobre a proposta do jogo e sobre seu processo de escolha?

2. As crianças compartilham ideias, acolhendo as sugestões umas das outras?

3. Elas demonstram tranquilidade ao realizar o jogo, respeitando a forma de cada um se envolver na atividade corporal?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e às diferenças de cada criança ou do grupo. Os jogos, de modo geral, envolvem deslocamento e movimentação ampla. Pense junto com as crianças como garantir a participação de todos, conforme interesses e possibilidades delas.

O que fazer durante?

ilustracao

1

Na sala, com a turma sentada em roda com você, em um grande grupo, convide as crianças para ouvir a música Vou Brincar lá no Quintal, do grupo Quintal Musical. O objetivo é instigar a conversa sobre esses espaço. Converse com as crianças sobre o que é um quintal e se a escola tem um espaço parecido. Envolva-as na discussão, buscando referências pessoais de quintais conhecidos, das casas delas ou de familiares. Dialoguem sobre jogos e brincadeiras que são citados na música: se conhecem, já brincaram, com quem e em que local costumam brincar. A turma pode identificar na escola mais de um espaço parecido com um quintal. Não há problema se isso ocorrer, apenas na hora de jogar será preciso combinar qual quintal é o mais apropriado para a proposta.

Pergunte para a turma quais jogos, dentre os que conhecem, gostariam de jogar no quintal da escola.Encaminhe a conversa de forma que as crianças reflitam sobre as possibilidades do espaço.


2

Após todos se expressarem, proponha que façam uma lista em um cartaz no qual ficarão registradas as sugestões de jogos para brincar no quintal da escola. Como escriba, registre o nome do jogo e a criança que o sugeriu.

Combine com as crianças o melhor lugar para fixar a lista, para que ela possa ser consultada sempre que quiserem, adotando uma rotina de brincadeiras frequentes no grupo.


3

A partir da lista, problematize com as crianças sobre como irão eleger um jogo para ser vivenciado no quintal. Elas podem sugerir uma parlenda como “Uni duni tê”, podem escolher fazer um sorteio ou uma votação. É importante deixar as ideias partirem das crianças e dar espaço para que o grupo interaja e chegue à uma definição sobre a escolha.

Definido o processo de escolha, organize com o grupo o que for necessário. Se a turma optou por fazer um sorteio, por exemplo, será preciso copiar os nomes dos jogos em uma folha, cortá-los, dobrá-los e colocá-los em um saquinho. É importante que todo esse movimento seja compartilhado pela turma, com a participação das crianças em todas as ações.

Possíveis falas do professor neste momento: Agora nós vamos brincar de um dos jogos desta lista, como faremos para escolher qual iremos jogar hoje? Alguém tem alguma sugestão?


4

Após a definição do jogo que será realizado no dia, convide a criança que o sugeriu a explicar para a turma a forma de jogar.

Esteja atento à expressividade dela, se perceber que ela precisa de ajuda, fique próximo e contribua na interlocução, para que a explicação fique clara a todos.

Organize o deslocamento da turma até o quintal da escola. Se houver necessidade de material, envolva as crianças na coleta e no transporte deles.


5

Este é o momento de as crianças vivenciarem o jogo. Dependendo do jogo escolhido, poderá se dar em um grande grupo ou em pequenos grupos. Trata-se de um tempo precioso de interação e aprendizagem. Perceba se todos compreenderam as regras e o objetivo do jogo. Se for necessário, faça intervenções individuais e busque esclarecimentos junto à criança que ensinou o jogo. Sugira agrupamentos e apoio entre as crianças para que todos participem.

Cada brincadeira ou jogo trará necessidades diferentes de organização e de planejamento, que podem ser discutidas e problematizados com o grupo. Por exemplo, se a brincadeira for pular corda, como fazer para que não fiquem muito tempo esperando na fila?

Enquanto as crianças jogam, observe como resolvem os possíveis conflitos que podem ocorrer, seja por descumprimento das regras, frustração por perder, comemoração exagerada etc. Atente-se ao deslocamento pelo ambiente, à transposição de obstáculos, à forma como realizam os diversos movimentos (correr, saltar, girar, mudar de direção rapidamente, andar de costas, se arrastar, abaixar, arremessar ou chutar uma bola) e às conquistas individuais em relação às aprendizagens desenvolvidas.


6

Enquanto observa, procure documentar a vivência com fotos e vídeos. Esses registros podem ser usados para uma avaliação sobre a adequação dos jogos, a necessidade de mudanças e de variações. Servirão também para a observação do envolvimento dos pequenos nas propostas. Analisar as imagens com as crianças, indicando diferentes observáveis para avaliação do grupo, por exemplo, quanto às habilidades e movimentos envolvidos em cada jogo ou a interação entre elas.

Caso alguma criança não deseje participar, converse com ela sobre os motivos e veja se é possível apoiá-la para que participe. Apresente opções, como ajudá-lo na documentação, fotografando ou filmando junto com você.

Ofereça-se para jogar também e experimente as sugestões das crianças. Alguns jogos podem ser conhecidos, outros podem ter sido criados pela criança que o sugeriu.


7

Esteja atento ao envolvimento do grupo e ao tempo para cada jogo. Há jogos que podem ter um tempo maior de execução (pato-ganso, por exemplo) e outros que cansam mais rápido (por exemplo, pega-pega). Favoreça o tempo necessário para que as crianças joguem tranquilamente até o final (se tiver pontuação ou tempo, por exemplo) ou até que manifestem o desejo de parar.


8

Após a vivência do jogo, diga à turma que este será o momento de recolhimento e de organização dos materiais (se houver) e de higiene. Conte que depois retornarão à sala e lá conversarão um pouco mais sobre a experiência de jogar.


9

Na sala, proponha que as crianças expressem por meio de um desenho como se sentiram jogando, o que mais gostaram de fazer no jogo, o que não gostaram, uma experiência que viveram durante a atividade. Converse com a turma sobre os materiais disponíveis para desenhar e promova a autonomia no uso e na organização dos recursos.

Durante o tempo em que as crianças desenham, observe os diálogos e as trocas delas com os colegas, demonstre interesse sobre as impressões de cada um ao jogar, circulando pelo espaço e conversando individualmente. Registre as expressões que lhe chamarem a atenção para nortear sua prática nas próximas atividades de jogo.


Para finalizar:

Cincominutos antes do término da atividade, avise as crianças que terão mais esse tempo para encerrar os desenhos. Convide quem for terminando para expor sua produção em um mural ou em um varal na sala ou no corredor da escola. Peça que colaborem na organização dos materiais e incentivem-nas a observar os desenhos dos colegas.

Desdobramentos

Esta proposta pode se tornar uma atividade permanente, por meio da realização dos outros jogos listados pelo grupo. A cada jogo, proponha diferentes formas de expressão e de registro. As crianças podem conversar em pequenos grupos sobre a vivência, podem fazer escritas espontâneas, textos coletivos, pinturas, mímicas, entre outras. Quando todos os jogos listados forem experimentados, ampliem a lista por meio de pesquisa com outras turmas, funcionários da escola, familiares ou na internet.

Incentive as crianças a construir um livro de jogos da turma, com as regras, fotos e desenhos de cada jogo experimentado. Esse livro pode ser compartilhado com as demais turmas da escola. Outra possibilidade é fazer um gráfico dos jogos preferidos.

Engajando as famílias

Para aumentar o repertório de jogos da turma e envolver as famílias, organize com as crianças uma pesquisa sobre qual jogo os familiares mais gostavam na infância.

Após a realização da pesquisa, convide um familiar (que desejar participar) para vir à escola ensinar o jogo e brincar com as crianças.


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS ATIVIDADES:

ATIVIDADES DE Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses) :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

MAIS ATIVIDADES DE Educação Infantil :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03EF01 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03EO03 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03EO05 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Educação Infantil

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano