12874
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Plano de aula - Língua e cultura em poesia

POR: Nathália Gasparini 23/10/2018
Código: ING8_02UND03

8º ano / Inglês

Plano de aula alinhado à BNCC:

(EF08LI20) Examinar fatores que podem impedir o entendimento entre pessoas de culturas diferentes que falam a língua inglesa.

(EF08LI05) Inferir informações e relações que não aparecem de modo explícito no texto para construção de sentidos.

Plano de aula de Inglês com atividades para 8o ano do EF sobre Língua e cultura em poesia

 

Sobre este plano select-down

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

OBJETIVOS select-down

Tempo sugerido: 2 minutos.

Propósito: Compartilhar o objetivo da aula com a turma.
Orientações: Leia o objetivo da aula. Explique que essa aula será de leitura de um poema e que a tarefa envolve a leitura a partir de palavras-chave para apreender sentimentos implícitos no texto. Durante a leitura, destaque as palavras keywords e feelings, que serão utilizadas e retomadas durante a aula. Se necessário, retome o sentido de implicit, que é utilizado nos planos 1 e 2 dessa unidade.

Context select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Propósito: Mobilizar a vivência dos alunos relacionada ao tema do poema a ser lido: nomes, pronúncias e sentimentos em relação a eles.

Expectativa: Que seja introduzida a discussão sobre o impacto da pronúncia e do uso do nome de pessoas e as possíveis reações delas diante dessas situações; que os alunos percebam as diferenças fonéticas e de forma entre os nomes das pessoas e como outras pessoas os utilizam, percebendo que existe possibilidade de um choque cultural quando as pessoas não se sentem confortáveis com a forma pela qual as pessoas as chamam, pois nomes são questões linguísticas, culturais e identitárias.

Orientações: Leia o texto do slide. Separe a turma em duplas e peça que a dupla se entreviste, alternadamente, utilizando as respostas disponíveis no slide ou outras possíveis, em inglês. Para essa parte da aula, o tempo sugerido é de 3 minutos. Caso os alunos não estejam familiarizados com o sentido da palavra feel, é relevante que você chame a atenção dos alunos para essa palavra. Escreva no quadro a palavra feeling, do slide anterior, ao lado de feel, e peça que deduzam seu significado através do contexto do questionamento.



Context select-down

Tempo sugerido: Context

Propósito: Assistir a um trecho de um vídeo e aprofundar a reflexão sobre a relevância identitária dos nomes.

Orientações: Leia o texto do slide. Peça que prestem atenção aos nomes das pessoas, aos nomes pelos quais relatam ser chamadas e à reação facial delas enquanto listam esses nomes. Em seguida, mostre o vídeo (copiando o link https://www.youtube.com/watch?v=6Om_XBmF0pA e colando no navegador). Para esse momento da aula, você pode utilizar apenas a primeira parte do vídeo, até aproximadamente 2:44. Para essa parte da contextualização, você pode utilizar cerca de 5 minutos.

Material complementar: Caso você queira refletir mais profundamente sobre a relação entre nome, cultura e identidade, você pode se preparar para essa aula utilizando os textos dos links abaixo, em que pessoas relatam sua experiência pessoal com essa questão:

http://www.financialpost.com/careers/your+name+part+your+identity/4677512/story.htmlhttp://blogs.lse.ac.uk/equityDiversityInclusion/2013/05/whats-in-a-name-identity-acceptance-and-racism-in-multicultural-britain/



Context select-down

Tempo sugerido: Context

Propósito: Mobilizar a vivência dos alunos relacionada ao tema do poema a ser lido: nomes, pronúncias e sentimentos em relação a eles, trazendo a dimensão linguístico-fonética, mas também cultural, do uso e da troca de nomes em contextos interculturais.

Orientações: Com os alunos ainda trabalhando em duplas, leia as questões do slide ou projete-o. Peça que, em pares, discutam as perguntas com o colega. Utilize aproximadamente 3 minutos. Nesse momento, você pode contextualizar a troca de nomes - ou sua imposição - como um fenômeno comum no continente africano e em outros territórios colonizados por europeus. De fato, a questão da troca de nome tem relação não só com a adequação fonética dos nomes às línguas europeias, mas também era um meio de catequização, aculturação e tentativa de alijamento dos povos de suas culturas e identidades originais. Outras autoras, além da estudada nessa aula, também falam sobre esse fenômeno no contexto literário. É o caso de Chimamanda Adichie, nigeriana, no livro “The thing around your neck”, e Yaa Gyasi, ganense, em “Homecoming”. Por isso, tanto no poema a ser lido quanto no vídeo acima, a questão do nome é mais do que de pronúncia: tem relação com a identidade individual e social e, também, com o processo histórico colonizador.


Input select-down

Tempo sugerido: 30 minutos

Propósito: Introduzir o gênero e o tema do texto.

Orientações: Leia o texto do slide ou projete-o. Você pode reproduzir os nomes no quadro, a fim de destacar a diferença de forma entre os nomes. Utilize cerca de 3 minutos.

Material complementar:O trecho do poema foi retirado do site Poetry for Life (http://www.poetryforlife.co.za). Trata-se de um concurso de poesias realizado na África do Sul, e o site conta com textos de diversos poetas do continente africano. Nesses campeonatos de poesia escrita e falada, é comum autores e autoras falarem de questões identitárias e de resistência, como no caso desse poema, que retrata revolta quanto a imposição de um nome europeu em detrimento do nome que confere identidade ao eu-lírico. Caso você se interesse por estender este plano de aula, trabalhando a compreensão oral do poema ou mesmo queira mostrar a pronúncia do nome citado no texto - e a diferente pronúncia do nome Maria em inglês -, você encontra o poema declamado na voz da poeta sul-africana Nontuthuzelo Ncasa no Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=xZIZvfymW3A). Mesmo que você não possa mostrar o vídeo, você pode se preparar para realizar uma leitura em voz alta do poema para ressaltar a pronúncia das palavras assistindo-o antes dessa aula.

Input select-down

Tempo sugerido: Input

Propósito: Contextualizar o assunto do poema, mobilizar o conhecimento de termos utilizados em outras aulas da unidade relacionados à interpretação de conteúdo implícito nos textos e utilizar o destaque de keywords como ferramenta de leitura.

Expectativa: Que os alunos, ao longo da tarefa de leitura, percebam que é possível fazer inferências a partir da compreensão de palavras-chave do texto, a fim de alcançar ideias implícitas (neste texto, os sentimentos do eu-lírico) textualmente materializadas nessas palavras.

Orientações: Leia o texto do slide. Retome o sentido dos termos implicit e infer, trabalhados nas aulas anteriores da unidade. Explique que palavras-chave são palavras ou conjuntos de palavras importantes no texto, a partir das quais podemos fazer inferências e que, nesse texto, as palavras destacadas ajudam a inferir quais os sentimentos expressos no poema em relação ao uso dos nomes citados. Utilize cerca de 7 minutos para essa parte do input.

Input select-down

Tempo sugerido: Input

Propósito: Utilizar o destaque de keywords como ferramenta de leitura para interpretação de implícitos.

Orientações: Distribua uma cópia do trecho do poema para cada aluno. Peça que realizem uma primeira leitura silenciosa, buscando compreender como Nomgquibelo se sente em relação a seu nome e em relação a ser chamada de Maria. Explique que as palavras destacadas são palavras-chave que denotam a impressão do eu-lírico sobre seu nome original e o nome que lhe foi atribuído por outra pessoa. Ofereça o glossário abaixo junto ao poema ou escreva no quadro. Certifique-se de que os alunos conhecem o significado das palavras destacadas; caso nem todos conheçam, você pode aumentar o glossário, no quadro, com elas, a partir do uso de dicionário ou de ativação de conhecimento prévio dos alunos. Para essa parte do input, cerca de 20 minutos podem ser utilizados.

Glossário

Burly bureaucrat: burocrata corpulento

Meaningful: significativo

Enough: suficiente

Whim: capricho, vontade

Output select-down

Tempo sugerido: 10 minutos

Propósito: Inferir o efeito de sentido das palavras-chave destacadas na interpretação dos sentimentos do eu-lírico do poema.

Orientações: Distribua a tabela do slide impressa para duplas de alunos ou copie na lousa e solicite que realizem a tarefa em pares. Explique que, na primeira coluna, estão as palavras-chave que ajudam a “desvendar” os sentimentos de Nomgquibelo sobre seu nome e sobre como o “burly bureaucreat” trata seu nome. Peça que os alunos discutam e registrem, pelo sentido da palavra, se elas têm um sentido positivo ou negativo, sinalizando com “+” ou “-” na segunda coluna. Em seguida, explique que eles devem, voltando ao texto, escrever na terceira coluna quem atribuiu aquelas descrições para o seu nome, escrevendo “1” para Nomgquibelo e “2” para “the burly bureaucreat”. A resposta para essa tabela está disponível em Resolução de Atividade - Output.

Output select-down

Tempo sugerido: Output

Propósito: Inferir os sentimentos de Nomgquibelo a partir da interpretação das palavras-chave.

Orientações: Projete o slide para os alunos ou reproduza a imagem em um cartaz. Leia as frases e peça que os alunos as completem com o sentimento mais adequado de acordo com a interpretação realizada por meio da tarefa da tabela.

Feedback select-down

Tempo sugerido: 3 minutos

Propósito: Organizar os saberes ativados durante a leitura e o estudo do texto.

Expectativa: Que os alunos saiam da aula com a noção de que é possível realizar inferências a partir de palavras-chave do texto; que nos alunos seja despertada também a consciência de que nomes são um aspecto cultural intimamente conectado à identidade, seja de falantes de inglês, seja de falantes de outras línguas.

Orientações: Encerre a aula com uma sistematização do conteúdo trabalhado. Você pode fazer essa sistematização em uma conversa coletiva (os alunos falam e você registra) ou, então, apresentar esse slide final já com as respostas. Se você desejar, pode retomar o significado das palavras keywords e implicit feelings, citando o trecho do excerto estudado.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Tempo sugerido: 2 minutos.

Propósito: Compartilhar o objetivo da aula com a turma.
Orientações: Leia o objetivo da aula. Explique que essa aula será de leitura de um poema e que a tarefa envolve a leitura a partir de palavras-chave para apreender sentimentos implícitos no texto. Durante a leitura, destaque as palavras keywords e feelings, que serão utilizadas e retomadas durante a aula. Se necessário, retome o sentido de implicit, que é utilizado nos planos 1 e 2 dessa unidade.

Tempo sugerido: 10 minutos

Propósito: Mobilizar a vivência dos alunos relacionada ao tema do poema a ser lido: nomes, pronúncias e sentimentos em relação a eles.

Expectativa: Que seja introduzida a discussão sobre o impacto da pronúncia e do uso do nome de pessoas e as possíveis reações delas diante dessas situações; que os alunos percebam as diferenças fonéticas e de forma entre os nomes das pessoas e como outras pessoas os utilizam, percebendo que existe possibilidade de um choque cultural quando as pessoas não se sentem confortáveis com a forma pela qual as pessoas as chamam, pois nomes são questões linguísticas, culturais e identitárias.

Orientações: Leia o texto do slide. Separe a turma em duplas e peça que a dupla se entreviste, alternadamente, utilizando as respostas disponíveis no slide ou outras possíveis, em inglês. Para essa parte da aula, o tempo sugerido é de 3 minutos. Caso os alunos não estejam familiarizados com o sentido da palavra feel, é relevante que você chame a atenção dos alunos para essa palavra. Escreva no quadro a palavra feeling, do slide anterior, ao lado de feel, e peça que deduzam seu significado através do contexto do questionamento.



Tempo sugerido: Context

Propósito: Assistir a um trecho de um vídeo e aprofundar a reflexão sobre a relevância identitária dos nomes.

Orientações: Leia o texto do slide. Peça que prestem atenção aos nomes das pessoas, aos nomes pelos quais relatam ser chamadas e à reação facial delas enquanto listam esses nomes. Em seguida, mostre o vídeo (copiando o link https://www.youtube.com/watch?v=6Om_XBmF0pA e colando no navegador). Para esse momento da aula, você pode utilizar apenas a primeira parte do vídeo, até aproximadamente 2:44. Para essa parte da contextualização, você pode utilizar cerca de 5 minutos.

Material complementar: Caso você queira refletir mais profundamente sobre a relação entre nome, cultura e identidade, você pode se preparar para essa aula utilizando os textos dos links abaixo, em que pessoas relatam sua experiência pessoal com essa questão:

http://www.financialpost.com/careers/your+name+part+your+identity/4677512/story.htmlhttp://blogs.lse.ac.uk/equityDiversityInclusion/2013/05/whats-in-a-name-identity-acceptance-and-racism-in-multicultural-britain/



Tempo sugerido: Context

Propósito: Mobilizar a vivência dos alunos relacionada ao tema do poema a ser lido: nomes, pronúncias e sentimentos em relação a eles, trazendo a dimensão linguístico-fonética, mas também cultural, do uso e da troca de nomes em contextos interculturais.

Orientações: Com os alunos ainda trabalhando em duplas, leia as questões do slide ou projete-o. Peça que, em pares, discutam as perguntas com o colega. Utilize aproximadamente 3 minutos. Nesse momento, você pode contextualizar a troca de nomes - ou sua imposição - como um fenômeno comum no continente africano e em outros territórios colonizados por europeus. De fato, a questão da troca de nome tem relação não só com a adequação fonética dos nomes às línguas europeias, mas também era um meio de catequização, aculturação e tentativa de alijamento dos povos de suas culturas e identidades originais. Outras autoras, além da estudada nessa aula, também falam sobre esse fenômeno no contexto literário. É o caso de Chimamanda Adichie, nigeriana, no livro “The thing around your neck”, e Yaa Gyasi, ganense, em “Homecoming”. Por isso, tanto no poema a ser lido quanto no vídeo acima, a questão do nome é mais do que de pronúncia: tem relação com a identidade individual e social e, também, com o processo histórico colonizador.


Tempo sugerido: 30 minutos

Propósito: Introduzir o gênero e o tema do texto.

Orientações: Leia o texto do slide ou projete-o. Você pode reproduzir os nomes no quadro, a fim de destacar a diferença de forma entre os nomes. Utilize cerca de 3 minutos.

Material complementar:O trecho do poema foi retirado do site Poetry for Life (http://www.poetryforlife.co.za). Trata-se de um concurso de poesias realizado na África do Sul, e o site conta com textos de diversos poetas do continente africano. Nesses campeonatos de poesia escrita e falada, é comum autores e autoras falarem de questões identitárias e de resistência, como no caso desse poema, que retrata revolta quanto a imposição de um nome europeu em detrimento do nome que confere identidade ao eu-lírico. Caso você se interesse por estender este plano de aula, trabalhando a compreensão oral do poema ou mesmo queira mostrar a pronúncia do nome citado no texto - e a diferente pronúncia do nome Maria em inglês -, você encontra o poema declamado na voz da poeta sul-africana Nontuthuzelo Ncasa no Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=xZIZvfymW3A). Mesmo que você não possa mostrar o vídeo, você pode se preparar para realizar uma leitura em voz alta do poema para ressaltar a pronúncia das palavras assistindo-o antes dessa aula.

Tempo sugerido: Input

Propósito: Contextualizar o assunto do poema, mobilizar o conhecimento de termos utilizados em outras aulas da unidade relacionados à interpretação de conteúdo implícito nos textos e utilizar o destaque de keywords como ferramenta de leitura.

Expectativa: Que os alunos, ao longo da tarefa de leitura, percebam que é possível fazer inferências a partir da compreensão de palavras-chave do texto, a fim de alcançar ideias implícitas (neste texto, os sentimentos do eu-lírico) textualmente materializadas nessas palavras.

Orientações: Leia o texto do slide. Retome o sentido dos termos implicit e infer, trabalhados nas aulas anteriores da unidade. Explique que palavras-chave são palavras ou conjuntos de palavras importantes no texto, a partir das quais podemos fazer inferências e que, nesse texto, as palavras destacadas ajudam a inferir quais os sentimentos expressos no poema em relação ao uso dos nomes citados. Utilize cerca de 7 minutos para essa parte do input.

Tempo sugerido: Input

Propósito: Utilizar o destaque de keywords como ferramenta de leitura para interpretação de implícitos.

Orientações: Distribua uma cópia do trecho do poema para cada aluno. Peça que realizem uma primeira leitura silenciosa, buscando compreender como Nomgquibelo se sente em relação a seu nome e em relação a ser chamada de Maria. Explique que as palavras destacadas são palavras-chave que denotam a impressão do eu-lírico sobre seu nome original e o nome que lhe foi atribuído por outra pessoa. Ofereça o glossário abaixo junto ao poema ou escreva no quadro. Certifique-se de que os alunos conhecem o significado das palavras destacadas; caso nem todos conheçam, você pode aumentar o glossário, no quadro, com elas, a partir do uso de dicionário ou de ativação de conhecimento prévio dos alunos. Para essa parte do input, cerca de 20 minutos podem ser utilizados.

Glossário

Burly bureaucrat: burocrata corpulento

Meaningful: significativo

Enough: suficiente

Whim: capricho, vontade

Tempo sugerido: 10 minutos

Propósito: Inferir o efeito de sentido das palavras-chave destacadas na interpretação dos sentimentos do eu-lírico do poema.

Orientações: Distribua a tabela do slide impressa para duplas de alunos ou copie na lousa e solicite que realizem a tarefa em pares. Explique que, na primeira coluna, estão as palavras-chave que ajudam a “desvendar” os sentimentos de Nomgquibelo sobre seu nome e sobre como o “burly bureaucreat” trata seu nome. Peça que os alunos discutam e registrem, pelo sentido da palavra, se elas têm um sentido positivo ou negativo, sinalizando com “+” ou “-” na segunda coluna. Em seguida, explique que eles devem, voltando ao texto, escrever na terceira coluna quem atribuiu aquelas descrições para o seu nome, escrevendo “1” para Nomgquibelo e “2” para “the burly bureaucreat”. A resposta para essa tabela está disponível em Resolução de Atividade - Output.

Tempo sugerido: Output

Propósito: Inferir os sentimentos de Nomgquibelo a partir da interpretação das palavras-chave.

Orientações: Projete o slide para os alunos ou reproduza a imagem em um cartaz. Leia as frases e peça que os alunos as completem com o sentimento mais adequado de acordo com a interpretação realizada por meio da tarefa da tabela.

Tempo sugerido: 3 minutos

Propósito: Organizar os saberes ativados durante a leitura e o estudo do texto.

Expectativa: Que os alunos saiam da aula com a noção de que é possível realizar inferências a partir de palavras-chave do texto; que nos alunos seja despertada também a consciência de que nomes são um aspecto cultural intimamente conectado à identidade, seja de falantes de inglês, seja de falantes de outras línguas.

Orientações: Encerre a aula com uma sistematização do conteúdo trabalhado. Você pode fazer essa sistematização em uma conversa coletiva (os alunos falam e você registra) ou, então, apresentar esse slide final já com as respostas. Se você desejar, pode retomar o significado das palavras keywords e implicit feelings, citando o trecho do excerto estudado.

Contents

  1. INPUT: Excerpt of a poetry, by Magoleng wa Selepe
  2. OUTPUT: Table and discussion in pairs

Habilidade da Base Nacional Comum Curricular

(EF08LI05) Inferir informações e relações que não aparecem de modo explícito no texto para construção de sentidos.

(EF08LI20) Examinar fatores que podem impedir o entendimento entre pessoas de culturas diferentes que falam a língua inglesa.

Este plano foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Professor-autor: Nathália Gasparini

Mentor: Newton Murce

Especialista: Celina Fernandes


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

OUTRAS AULAS DESSA UNIDADE:

AULAS DESSA DISCIPLINA:

AULAS RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes