Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

140

Formação: Como apresentar a BNCC para os professores

Confira uma pauta formativa para aproximar os professores do documento

Autor:

Para aproximar os professores da BNCC, confira uma sugestão de formação. Ilustração: Nik Neves/Nova Escola

Planejar uma pauta formativa é muito importante para que os momentos coletivos na escola sejam produtivos. Não podem faltar leitura, levantamento dos conhecimentos prévios do grupo, ampliação dos saberes por meio de vídeos e textos, socialização e sistematização dos saberes construídos ao longo do encontro e uma avaliação final.

Duração: 2 horas

Objetivos: Conhecer o contexto de produção da Base Nacional Comum (BNCC), refletir sobre mitos acerca da BNCC e conhecer as dez Competências Gerais da BNCC

Materiais:  Computador, projetor, cópias impressas dos anexos 1 e 2

BAIXE O ANEXO 1

BAIXE O ANEXO 2

PASSO A PASSO

ATIVIDADE OPCIONAL: Leitura em voz alta (tempo sugerido: 15 minutos)

1.  Explique que o encontro se inicia com a leitura de um texto retirado de uma obra antológica, Um Espinho de Marfim, de Marina Colasanti. Um dos professores deve fazer a leitura. É importante contextualizar que o livro faz parte de uma coletânea de contos em que as personagens protagonistas são mulheres. Depois, pode-se comentar sobre essa vertente da autora (para saber mais sobre Marina Colasanti, acesse aqui). 

IMPORTANTE: Iniciar o encontro com uma leitura permite que o professor amplie seu repertório e contribui para que eles levem essa mesma vivência para sua sala de aula.

2. Apresente a obra, o autor e o ilustrador; um procedimento didático importantíssimo e que sempre deve ser feito antes da leitura.

3. Para essa leitura, os professores não terão em mãos uma cópia do texto, como acontece,  geralmente, na escola. Eles deverão prestar atenção, tanto no livro quanto no leitor. Para isso, há uma estratégia importantíssima que é a leitura lateral. Nela, o leitor expõe o livro ao público, exibindo as imagens e o lê lateralmente. Essa técnica evita que os outros parem a leitura, que deve ser feita sem interrupções, para ver as imagens.

4. Pergunte por que, na opinião dos participantes, o conto se chama A Moça Tecelã e qual a relação desse título com a formação.

IMPORTANTE: Caso deseje, você poderá escolher outra leitura, porém é importante contextualizar, trazer as referências sobre o autor e o ilustrador, assim como nesse exemplo.

5. Explique que a escolha do texto foi em razão de que a Base Nacional Comum Curricular é um emaranhado de linhas que formam um tecido plural. Além disso, essa formação vai procurar “tecer alguns fios” a respeito do documento. Cada gestor poderá dar um enfoque a determinado público, de acordo com a sua realidade: Educação Infantil, Ensino Fundamental I ou Ensino Fundamental II.

ATIVIDADE 1: O que sabemos sobre a BNCC? (tempo sugerido: 45 minutos)

1. Inicie a conversa com a seguinte pergunta: O que você já sabe sobre a BNCC?

2. Escute todos na sala, anotando na lousa ou em um painel os pontos levantados. Poderá intervir quando for preciso, mas, sobretudo, deverá colher informações que possam ajudar os participantes a compreenderem, em linhas gerais, do que se trata a Base. Não é o momento de sistematizar, mas de escutar.

3. Divida os participantes em pequenos grupos para debater algumas afirmações em relação à BNCC, identificando se é um mito ou um fato e justificar.

4. Distribua o material impresso “O que sabemos sobre a BNCC?” (Anexo 1), que reúne afirmações que circulam sobre a Base Nacional e as respostas que o Movimento pela Base disponibiliza em seu site. Ao lado das afirmações, há duas colunas: fato e mito. Em grupo, eles terão 15 minutos para marcar uma opção e justificar a resposta.

5. Leia cada uma das afirmações e escolha um dos grupos para anunciar suas respostas, para que na sequência justifiquem suas escolhas. Eles devem ouvir se os outros grupos fizeram a mesma escolha e depois fazer um fechamento, procurando deixar claro se é mito ou se é verdade e dando a justificativa final. Deve-se fazer isso com cada uma das afirmações.

6. Apresente a linha do tempo da construção da Base até o momento em que foi entregue ao Consed para aprovação (disponível aqui). Isso deixa claro como o documento foi aprovado e como foi a participação da sociedade no processo. 

7. Enfatize que a Base foi aprovada pelo CNE e homologada pelo MEC em dezembro de 2017. Agora, chegou o momento de implementação, por isso é preciso se apropriar do conteúdo para pensar em como levá-la para a sala de aula.

8. Explique as diversas possibilidades de entender o currículo a partir de um movimento linear que começa pela Base e se encerra na sala de aula, conforme podemos representar na imagem A seguir:

Da BNCC à prática do professor. Ilustração: Caronte Design/Nova Escola

ATIVIDADE 2: As 10 competências gerais (tempo sugerido: 45 minutos)

1.  Apresente aos professores a estrutura da BNCC no Ensino Fundamental. Fale que o documento se organiza em anos iniciais (1º ao 5º ano) e anos finais (6º ao 9º ano), que as áreas estão divididas em Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Ensino Religioso.
- Linguagens abrange as áreas: Língua Portuguesa, Arte, Educação Física e Língua Inglesa
- Matemática: Matemática
- Ciências da Natureza: Ciências
- Ciências Humanas: Geografia e História
- Ensino Religioso: Ensino Religioso



Sobre o Ensino Religioso

i. O Ensino religioso está previsto na Constituição: art. 210. Serão fixados conteúdos para o Ensino Fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum e respeito aos valores culturais e artísticos, nacionais e regionais.
§ 1º O Ensino Religioso, de matrícula facultativa, constituirá disciplina dos horários normais das escolas públicas de Ensino Fundamental.
ii. O Ensino Religioso está previsto na LDB: Art. 33. O Ensino Religioso, de matrícula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão e constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de Ensino Fundamental, assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo. (Redação dada pela Lei nº 9.475, de 22-7-1997.)



2. Solicite que todos peguem a folha com as dez Competências Gerais da BNCC (Anexo 2). Explicar que essas competências deverão nortear os currículos de cada rede e escola do Brasil. Elas trazem o que se espera que seja desenvolvido com cada criança de toda a Educação Básica. 

3. Assistir ao vídeoBNCC em profundidade: as dez Competências Gerais da BNCC” e façam anotações ao lado de cada uma delas para conversarmos durante a atividade.

4. Forme dez duplas, cada uma deve escolher uma competência para trabalhar. Pedir para que escrevam em tarjetas o número da competência da seguinte maneira:
- Na tarjeta 1: uma ação ou projeto que já realizam e que esteja ligado a esta competência.
- Na tarjeta 2: uma ação que poderiam realizar (ações concretas) para o desenvolvimento da competência.

OBSERVAÇÃO: Caso tenha menos duplas, poderá dar duas ou três competências para cada uma. Os grupos terão 15 minutos para a atividade. Assim que concluírem, deverão colar a tarjeta no painel. 

5.  Solicite que um membro das duplas leia a competência e as ações sugeridas pelo grupo. Depois, faça o mesmo com as demais competências, chamando um grupo por vez. No final, os professores terão um “banco” com várias ideias para serem implementadas em sala de aula.

ORIENTAÇÃO PARA O GESTOR: Faça comentários sobre a intencionalidade, a importância do planejamento ou outros comentários que achar importante. 

6. Relembre que as Competências Gerais apontam para a necessidade de as escolas promoverem não apenas o desenvolvimento intelectual, mas também, o social, o físico, o emocional e o cultural, compreendidos como dimensões fundamentais para a perspectiva de uma educação integral. Isso as diferencia das habilidades, que são mais focadas no desenvolvimento cognitivo. No final, o gestor também deve enfatizar que não será necessário planejar uma aula para o desenvolvimento de cada competência, elas deverão ser desenvolvidas junto ao trabalho de cada área. Comentar, ainda, que as Competências Gerais integram o capítulo introdutório da Base Nacional Comum Curricular e foram definidas a partir dos direitos éticos, estéticos e políticos assegurados pelas Diretrizes Curriculares Nacionais e dos conhecimentos, habilidades, atitudes e valores essenciais para a vida no século 21.

ATIVIDADE 3: Fechamento (tempo sugerido: 15 minutos)

1. Retome os objetivos do encontro.

2. Enfatize as ideias principais:
- Ler no início do encontro é tão importante quanto no início da aula e ajuda a ampliar o repertório de professores e alunos;
- Há diversos mitos sobre a BNCC que precisam ser analisados e compreendidos para que os professores possam entendê-la e implementá-la em sala de aula;
- As dez Competências Gerais ajudam o aluno a desenvolver os aspectos intelectuais, emocionais, culturais, físicos e sociais.

3. Faça uma avaliação do encontro, pedindo para que cada um escreva em uma tarjeta os destaques do dia e em outra, o que poderia ser melhorado. Assim que preencherem, as tarjetas deverão ser recolhidas e o encontro finalizado.

IMPORTANTE: Fazer a avaliação ao final de uma pauta é muito importante, pois ajuda os gestores a entenderem o que funcionou e o que pode ser melhorado para os próximos momentos de formação coletiva.