16626
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 5º ano > Registros da história: linguagens e culturas

Plano de aula - Falando com as mãos

Plano de aula de História com atividades para 5º ano do EF sobre Falando com as mãos

Plano 04 de 10 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Izabela Pereira e Lopes

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF05HI06) de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: computador, projetor, impressora, fichas impressas para cada aluno.

Material complementar:

Imagens para impressão. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/EMaRuAEUpRVjDHTzS6N5UHV5SR2zRfMvYxGE2VPFBY5DqMq8vEHM9mnH4NRe/his5-06und04-imagens-contexto-maos-que-falam.pdf

Alfabeto e números em Libras. Acesse e imprima. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/CJJk65AaAS9GRadRqBkxVwCstFkJt9XZhU8EMqFHG4m9vH4Pwz69Zv7tBwvQ/his5-06und04-alfabeto-e-numeros-em-libras.pdf

Imagens Braille. Acesse e imprima. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/wHuCGSVxQ3mVj9SctcudDbH38D4dqaGkPYWqA2qFt4yjS5fRSC6xKtWamAZj/his5-06und04-imagens-braille.pdf

Para você saber mais:

Libras é a língua de sinais utilizada pelos surdos brasileiros. Cada país tem sua própria língua de sinais assim como seu idioma. Então não é possível utilizar os gestos da libras como se fossem universais. Assim como qualquer outro idioma a melhor forma de aprender a língua é a prática. Explique aos alunos a diferença entre mímica e a libras.

  • Mímica: maneira de expressar o pensamento por meio de gestos, expressões corporais e fisionômicas. A arte de assim se expressar; pantomima.
  • Libras: é a sigla de Língua Brasileira de Sinais, um conjunto de formas gestuais utilizada por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e outras pessoas, sejam elas surdas ou ouvintes.

Para se preparar para essa aula utilize um dicionário de libras para que você saiba gestualizar os comandos da forma mais próxima do correto. Mini Dicionário SAT. Disponível em: http://www.faders.rs.gov.br/uploads/Dicionario_Libras_CAS_FADERS1.pdf. Acesso em 22 de dezembro de 2018.

Min e as mãozinhas. Trata-se do primeiro desenho animado para crianças surdas. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zNCczm3jzgo&feature=youtu.be&app=desktop. Acesso em 22 de dezembro de 2018. (Se houver a possibilidade é uma ótima opção para passar para os alunos, não havendo disponibilidade de internet, existem sites e aplicativos onde é possível fazer o download do vídeo).

O Instituto Nacional de Educação dos Surdos - INES disponibiliza um dicionário para aprendizado de como fazer corretamente cada gesto ou palavra em libras. Para isso acesse http://www.acessibilidadebrasil.org.br/libras/. Acesso em 22 de dezembro de 2018. (É necessário executar o Adobe Flash Player para execução correta).

Lei 10436/2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. Acesso em 24 de dezembro de 2018.

Essa aula é bastante desafiadora então é importante que o professor esteja preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do INES e do IBC.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Inicie a aula apenas gesticulando, alterne entre gestos habituais de sua região e algumas letras do alfabeto em Libras. Não use palavras nesse momento. Deixe que os alunos levantem possíveis questionamentos sobre a sua postura em sala. Sinalize que está sem voz e peça que eles se mantenham em silêncio para tentar entender as suas instruções. Siga esse roteiro:

  • Aponte para o primeiro aluno da fila da esquerda e peça que ele se levante, em seguida peça que ele se sente.
  • Escolha o aluno mais tímido da turma e peça que ele dance.
  • Peça um copo de água para qualquer um dos alunos.

Nesse momento é importante usar a linguagem corporal, você pode utilizar mímicas. Mas também é importante gestualizar as ordens dentro da Língua Brasileira de Sinais - Libras.

Depois de 2 minutos de gestualização pergunte aos alunos se eles sabem ou entenderam os significados dos seus gestos.

  • No momento das mímicas ficou fácil entender as ordens?
  • Quando houve apenas gestualização com as mãos ficou mais fácil ou mais difícil compreender?
  • Você sabe a diferença entre mímica e a libras?
  • Se não conseguisse ver seria possível entender o que estava acontecendo?

Explique de maneira simplificada o que é mímica e o que é libras. E fale sobre o sistema de escrita para cegos: o braille.

Para você saber mais: Libras é a língua de sinais utilizada pelos surdos brasileiros. Cada país tem sua própria língua de sinais assim como seu idioma. Então não é possível utilizar os gestos da libras como se fossem universais. Assim como qualquer outro idioma a melhor forma de aprender a língua é a prática. Explique aos alunos a diferença entre mímica e a libras.

  • Mímica: maneira de expressar o pensamento por meio de gestos, expressões corporais e fisionômicas. A arte de assim se expressar; pantomima.
  • Libras: é a sigla de Língua Brasileira de Sinais, um conjunto de formas gestuais utilizada por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e outras pessoas, sejam elas surdas ou ouvintes.

Para se preparar para essa aula utilize um dícionário de libras para que você saiba gestualizar os comandos da forma mais próxima do correto. Mini Dicionário SAT. Disponível em: http://www.faders.rs.gov.br/uploads/Dicionario_Libras_CAS_FADERS1.pdf. Acesso em 22 de dezembro de 2018.

Braille é um tipo de escrita criado por Louis Braille no século XIX na França. Louis era um jovem cego que desenvolveu esse tipo de escrita para padronizar a leitura e a escrita de pessoas cegas. Para mais informações acesse a Apostila de Introdução ao Sistema Braille. Disponível em: http://www.lapeade.com.br/publicacoes/documentos/Apostila%20Braille.pdf. Acesso em 10 de janeiro de 2019.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Projete as imagens no quadro e questione os alunos quais os significados dos gestos apresentados.

  • não é um sinal da libras, é apenas um apontamento para algo ou algum lugar.
  • não é um sinal da libras, é apenas uma forma de movimentar a mão.
  • leitura de um texto em Braille. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/8e/Braile.JPG. Acesso em 10 de janeiro de 2019.
  • não é um sinal da libras, é um simples aperto de mão entre duas pessoas.
  • é um sinal da libras, representa a letra S do alfabeto.
  • é um sinal da libras, representa o número 2.

Vá repetindo as gestualizações das imagens e fazendo os seguintes questionamentos:

  • Qual sentido você dá para cada uma das imagens apresentadas?
  • Olhando a gestualização ao vivo (feita pelo professor) é possível ter outra interpretação?
  • A expressão corporal e do rosto fez alguma diferença na compreensão do sentido?
  • Seria possível dar significado aos gestos sem observar a fisionomia da pessoa?
  • Você consegue dar significado à leitura braille? Onde você já viu esse tipo de escrita?

As imagens podem ser impressas e afixadas no quadro ou em outro lugar visível aos alunos. Ainda pode haver a opção de usar somente a gestualização do professor.

Imagens para impressão. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/EMaRuAEUpRVjDHTzS6N5UHV5SR2zRfMvYxGE2VPFBY5DqMq8vEHM9mnH4NRe/his5-06und04-imagens-contexto-maos-que-falam.pdf

Para você saber mais: para melhor compreender o processo de comunicação entre surdos e ouvintes assista ao vídeo Min e as mãozinhas. Trata-se do primeiro desenho animado para crianças surdas. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zNCczm3jzgo&feature=youtu.be&app=desktop. Acesso em 22 de dezembro de 2018. (Se houver a possibilidade é uma ótima opção para passar para os alunos, não havendo disponibilidade de internet, existem sites e aplicativos em que é possível fazer o download do vídeo).

Outro filme interessante que trata sobre o aprendizado da linguagem de sinais é “O milagre de Anne Sullivan” que é a história real de Hellen Keller, uma menina cega, surda e muda que tem dificuldades em entender o mundo onde vive por desconhecer uma forma de comunicação. A professora Anne Sullivan chega com esse objetivo e enfrenta oposição dos pais da menina, mas ela consegue fazer com que Hellen aprenda a se comunicar. O filme está disponível no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=uvtaTbdcxsE. Acesso em 23 de janeiro de 2019.

O Instituto Nacional de Educação dos Surdos - INES disponibiliza um dicionário para aprendizado de como fazer corretamente cada gesto ou palavra em libras. Para isso acesse http://www.acessibilidadebrasil.org.br/libras/. Acesso em 22 de dezembro de 2018. (É necessário executar o Adobe Flash Player para execução correta).

Braille é um tipo de escrita criado por Louis Braille no século XIX na França. Louis era um jovem cego que desenvolveu esse tipo de escrita para padronizar a leitura e a escrita de pessoas cegas. Para mais informações acesse a Apostila de Introdução ao Sistema Braille. Disponível em: http://www.lapeade.com.br/publicacoes/documentos/Apostila%20Braille.pdf. Acesso em 10 de janeiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: conte aos alunos a evolução da libras e como essa forma de linguagem se desenvolveu em outros países do mundo. Nesse slide faça a leitura coletiva com os alunos, e a cada tópico explique. Peça aos alunos que copiem esses tópicos no caderno.

  • Lei 10436/2002 - enfatizar que foi criada uma lei que garante o ensino e aprendizado da libras como língua materna dos surdos brasileiros. É também nesta lei que há a especificação e definição sobre libras.

“Art. 1o É reconhecida como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais - Libras e outros recursos de expressão a ela associados.

Parágrafo único. Entende-se como Língua Brasileira de Sinais - Libras a forma de comunicação e expressão, em que o sistema lingüístico de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria, constituem um sistema lingüístico de transmissão de idéias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil.” (BRASIL, 2002) Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. Acesso em 24 de dezembro de 2018.

  • Origem francesa - “A língua de sinais foi trazida para o Brasil em 1855 pelo professor francês Hernest Huet (1822-1882), que era surdo. Ele mesclou sua experiência na escola para surdos de Paris com a comunicação de sinais já utilizada no território brasileiro e criou a Libras.” (PLANETA, 2018) Disponível em: https://www.revistaplaneta.com.br/sinais-de-inclusao/. Acesso em 24 de dezembro de 2018.
  • Instituto Nacional de Surdos-Mudos - “Em junho de 1855, E. Huet apresentou ao Imperador D. Pedro II um relatório cujo conteúdo revelava a intenção de fundar uma escola para surdos no Brasil. Neste documento, também informou sobre a sua experiência anterior como diretor de uma instituição para surdos na França: o Instituto dos Surdos-Mudos de Bourges” (BRASIL, 2018). Disponível em: http://www.ines.gov.br/conheca-o-ines. Acesso em 24 de dezembro de 2018.
  • INES - “No seu percurso de quase dois séculos, o Instituto respondeu por outras denominações, sendo que a mudança mais significativa deu-se no ano de 1957, que foi a substituição da palavra “Mudo” pela palavra “Educação”. Essa mudança refletia o ideário de modernização da década de 1950, no Brasil, no qual o Instituto, e suas discussões sobre educação de surdos, também estava inscrito”(BRASIL, 2018). Disponível em: http://www.ines.gov.br/conheca-o-ines. Acesso em 24 de dezembro de 2018.

No caso de não haver o projetor esse conteúdo pode ser passado no quadro. Não há necessidade de impressão. Não se esqueça que o aluno deve ter os tópicos no caderno. Isso será importante para o final da aula.

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante estar preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do INES.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Conte aos alunos como surgiu a escrita braile. Ressalte a importância dessa escrita para o desenvolvimento de pessoas cegas ao redor do mundo.

  • Louis Braille - ficou cego aos 5 anos de idade, devido a uma infecção que contraiu por ter perfurado o olho na oficina de seu pai. Foi aluno do Instituto Real de Jovens Cegos de Paris onde teve contato com os tipos de técnicas de escrita para facilitar a leitura dos cegos, e onde desenvolveu o Sistema de escrita que leva o seu nome: Braille, a partir de um sistema de comunicação noturna entre soldados.
  • José Álvares de Azevedo - jovem cego brasileiro que foi aluno do Instituto Real de Jovens Cegos, de Paris, e que trouxe e implementou o Sistema Braille no Brasil.
  • Instituto dos Meninos Cegos - através do projeto e da insistência de José Álvares de Azevedo, o imperador D. Pedro II autorizou a fundação de um instituto de educação que tinha como base o ensino do sistema Braille para os jovens cegos, e por consequência a escolarização dos mesmos.
  • IBC - com o advento da República no Brasil, o Imperial Instituto de Meninos Cegos, se torna apenas Instituto de Meninos Cegos, e em 1891 um decreto muda definitivamente o nome para Instituto Benjamin Constant.

No caso de não haver o projetor esse conteúdo pode ser passado no quadro. Não há necessidade de impressão. Não se esqueça que o aluno deve ter os tópicos no caderno, isso será importante para o final da aula.

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante estar preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do IBC.

Problematização - parte 3 select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Conte aos alunos como surgiu a escrita braile. Ressalte a importância dessa escrita para o desenvolvimento de pessoas cegas ao redor do mundo.

Essas imagens podem ser impressas e afixadas no quadro.

Imagens Braille para impressão, clique: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/wHuCGSVxQ3mVj9SctcudDbH38D4dqaGkPYWqA2qFt4yjS5fRSC6xKtWamAZj/his5-06und04-imagens-braille.pdf

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante que o professor esteja preparado para o tema.

Curiosidade: em locais públicos, como órgãos do governo, escolas, hospitais e bancos é possível ver que no piso há marcações em alto relevo. Essas marcações são orientações em Braille para que os cegos possam ler usando sua bengala.

Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do IBC.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Entregue uma ficha com o alfabeto e os números em Libras e em Braille para cada um dos alunos e peçam que eles colem no caderno. Treine com os alunos a gestualização das letras e números em Libras.

Nesse momento é importante reforçar a posição das mãos para que os sinais saiam da maneira correta.

  • Indique a semelhança entre a letra W e o algarismo 3 que diferem pela posição da mão.
  • A igualdade entre a letra S e o algarismo 8, assim como a letra O e o algarismo 0 (zero) que só pode ser diferenciada pelo contexto.
  • As letras J e Z que são desenhadas no ar. Isso requer muita atenção de quem está vendo a gesticulação, não sendo possível conversar com o surdo se ele não estiver de frente para quem “fala”.

Divida a turma em dois grandes grupos. Siga as orientações para cada grupo.

  • Grupo 1: Peça que eles soletrem o nome de cada um usando os sinais. Primeiro com o seu nome depois com o nome dos colegas do grupo.
  • Grupo 2: Utilizando embalagens diversas que contenham a escrita Braille, exemplos: medicamentos, caixas de cereal (essas imagens podem ser solicitadas previamente aos alunos ou trazidas pelo professor). Os alunos tentarão identificar as letras que aparecem nas embalagens. Para garantir o sucesso dessa leitura, mantenha um gabarito com a estrutura correta da escrita das embalagens para consulta. Se na escola houver ferramentas para escrita Braille o professor poderá fazer a marcação, caso contrário desenhe o esquema de marcação para os alunos identificarem nas embalagens. Sugestão: os alunos poderão ser vendados para que não consigam enxergar e assim terem a experiência de ler apenas pela identificação do relevo das letras.

Alfabeto e números em Libras. Acesse e imprima. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/CJJk65AaAS9GRadRqBkxVwCstFkJt9XZhU8EMqFHG4m9vH4Pwz69Zv7tBwvQ/his5-06und04-alfabeto-e-numeros-em-libras.pdf

Alfabeto em Braille. Acesse e imprima.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/XcEwQU8dfXxs79ShMPaeqTuum4x7JhkevguhFWmSS8eJKzdDw7aAFjfDjFBm/his5-06und04-alfabeto-em-braile.pdf

Esse slide não precisa ser projetado. Mas é importante que o professor tenha uma cópia da ficha com o alfabeto e números em libras.

No caso da escrita Braille, se na escola houver qualquer uma das ferramentas de escrita braille o professor pode utilizar para demonstrar como funciona ou ainda mostrar aos alunos.

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante que o professor esteja preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do INES e do IBC.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações: Esse momento é para reflexão da importância da língua de sinais para a comunicação entre surdos-surdos e surdos-ouvintes. E como a escrita braille proporcionou educação e conhecimento para os cegos.

Sobre a Libras:

É importante levar o aluno a essa reflexão: a língua de sinais é diferente da mímica ou de qualquer outro código criado pelas famílias dos surdos.

A partir dessa reflexão a turma pode pensar num momento de apresentar o que aprenderam para outras turmas levando em consideração essa questão da conscientização da importância da comunicação correta na língua de sinais.

Sobre o Braille:

Os alunos devem compreender que esse tipo de escrita ajuda o cego na sua independência das pessoas videntes. E que os pontinhos em alto relevo representam a forma de como os cegos leem a sociedade que o cerca.

Como adequar à sua realidade: a turma pode ser dividida em grupos para fazer essa discussão. Além disso, se houver a possibilidade pode-se convidar um intérprete em LIbras ou ainda uma pessoa surda que tenha o domínio sobre a Libras.

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante que o professor esteja preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do INES e do IBC.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF05HI06) de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: computador, projetor, impressora, fichas impressas para cada aluno.

Material complementar:

Imagens para impressão. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/EMaRuAEUpRVjDHTzS6N5UHV5SR2zRfMvYxGE2VPFBY5DqMq8vEHM9mnH4NRe/his5-06und04-imagens-contexto-maos-que-falam.pdf

Alfabeto e números em Libras. Acesse e imprima. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/CJJk65AaAS9GRadRqBkxVwCstFkJt9XZhU8EMqFHG4m9vH4Pwz69Zv7tBwvQ/his5-06und04-alfabeto-e-numeros-em-libras.pdf

Imagens Braille. Acesse e imprima. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/wHuCGSVxQ3mVj9SctcudDbH38D4dqaGkPYWqA2qFt4yjS5fRSC6xKtWamAZj/his5-06und04-imagens-braille.pdf

Para você saber mais:

Libras é a língua de sinais utilizada pelos surdos brasileiros. Cada país tem sua própria língua de sinais assim como seu idioma. Então não é possível utilizar os gestos da libras como se fossem universais. Assim como qualquer outro idioma a melhor forma de aprender a língua é a prática. Explique aos alunos a diferença entre mímica e a libras.

  • Mímica: maneira de expressar o pensamento por meio de gestos, expressões corporais e fisionômicas. A arte de assim se expressar; pantomima.
  • Libras: é a sigla de Língua Brasileira de Sinais, um conjunto de formas gestuais utilizada por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e outras pessoas, sejam elas surdas ou ouvintes.

Para se preparar para essa aula utilize um dicionário de libras para que você saiba gestualizar os comandos da forma mais próxima do correto. Mini Dicionário SAT. Disponível em: http://www.faders.rs.gov.br/uploads/Dicionario_Libras_CAS_FADERS1.pdf. Acesso em 22 de dezembro de 2018.

Min e as mãozinhas. Trata-se do primeiro desenho animado para crianças surdas. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zNCczm3jzgo&feature=youtu.be&app=desktop. Acesso em 22 de dezembro de 2018. (Se houver a possibilidade é uma ótima opção para passar para os alunos, não havendo disponibilidade de internet, existem sites e aplicativos onde é possível fazer o download do vídeo).

O Instituto Nacional de Educação dos Surdos - INES disponibiliza um dicionário para aprendizado de como fazer corretamente cada gesto ou palavra em libras. Para isso acesse http://www.acessibilidadebrasil.org.br/libras/. Acesso em 22 de dezembro de 2018. (É necessário executar o Adobe Flash Player para execução correta).

Lei 10436/2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. Acesso em 24 de dezembro de 2018.

Essa aula é bastante desafiadora então é importante que o professor esteja preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do INES e do IBC.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Inicie a aula apenas gesticulando, alterne entre gestos habituais de sua região e algumas letras do alfabeto em Libras. Não use palavras nesse momento. Deixe que os alunos levantem possíveis questionamentos sobre a sua postura em sala. Sinalize que está sem voz e peça que eles se mantenham em silêncio para tentar entender as suas instruções. Siga esse roteiro:

  • Aponte para o primeiro aluno da fila da esquerda e peça que ele se levante, em seguida peça que ele se sente.
  • Escolha o aluno mais tímido da turma e peça que ele dance.
  • Peça um copo de água para qualquer um dos alunos.

Nesse momento é importante usar a linguagem corporal, você pode utilizar mímicas. Mas também é importante gestualizar as ordens dentro da Língua Brasileira de Sinais - Libras.

Depois de 2 minutos de gestualização pergunte aos alunos se eles sabem ou entenderam os significados dos seus gestos.

  • No momento das mímicas ficou fácil entender as ordens?
  • Quando houve apenas gestualização com as mãos ficou mais fácil ou mais difícil compreender?
  • Você sabe a diferença entre mímica e a libras?
  • Se não conseguisse ver seria possível entender o que estava acontecendo?

Explique de maneira simplificada o que é mímica e o que é libras. E fale sobre o sistema de escrita para cegos: o braille.

Para você saber mais: Libras é a língua de sinais utilizada pelos surdos brasileiros. Cada país tem sua própria língua de sinais assim como seu idioma. Então não é possível utilizar os gestos da libras como se fossem universais. Assim como qualquer outro idioma a melhor forma de aprender a língua é a prática. Explique aos alunos a diferença entre mímica e a libras.

  • Mímica: maneira de expressar o pensamento por meio de gestos, expressões corporais e fisionômicas. A arte de assim se expressar; pantomima.
  • Libras: é a sigla de Língua Brasileira de Sinais, um conjunto de formas gestuais utilizada por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e outras pessoas, sejam elas surdas ou ouvintes.

Para se preparar para essa aula utilize um dícionário de libras para que você saiba gestualizar os comandos da forma mais próxima do correto. Mini Dicionário SAT. Disponível em: http://www.faders.rs.gov.br/uploads/Dicionario_Libras_CAS_FADERS1.pdf. Acesso em 22 de dezembro de 2018.

Braille é um tipo de escrita criado por Louis Braille no século XIX na França. Louis era um jovem cego que desenvolveu esse tipo de escrita para padronizar a leitura e a escrita de pessoas cegas. Para mais informações acesse a Apostila de Introdução ao Sistema Braille. Disponível em: http://www.lapeade.com.br/publicacoes/documentos/Apostila%20Braille.pdf. Acesso em 10 de janeiro de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Projete as imagens no quadro e questione os alunos quais os significados dos gestos apresentados.

  • não é um sinal da libras, é apenas um apontamento para algo ou algum lugar.
  • não é um sinal da libras, é apenas uma forma de movimentar a mão.
  • leitura de um texto em Braille. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/8e/Braile.JPG. Acesso em 10 de janeiro de 2019.
  • não é um sinal da libras, é um simples aperto de mão entre duas pessoas.
  • é um sinal da libras, representa a letra S do alfabeto.
  • é um sinal da libras, representa o número 2.

Vá repetindo as gestualizações das imagens e fazendo os seguintes questionamentos:

  • Qual sentido você dá para cada uma das imagens apresentadas?
  • Olhando a gestualização ao vivo (feita pelo professor) é possível ter outra interpretação?
  • A expressão corporal e do rosto fez alguma diferença na compreensão do sentido?
  • Seria possível dar significado aos gestos sem observar a fisionomia da pessoa?
  • Você consegue dar significado à leitura braille? Onde você já viu esse tipo de escrita?

As imagens podem ser impressas e afixadas no quadro ou em outro lugar visível aos alunos. Ainda pode haver a opção de usar somente a gestualização do professor.

Imagens para impressão. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/EMaRuAEUpRVjDHTzS6N5UHV5SR2zRfMvYxGE2VPFBY5DqMq8vEHM9mnH4NRe/his5-06und04-imagens-contexto-maos-que-falam.pdf

Para você saber mais: para melhor compreender o processo de comunicação entre surdos e ouvintes assista ao vídeo Min e as mãozinhas. Trata-se do primeiro desenho animado para crianças surdas. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zNCczm3jzgo&feature=youtu.be&app=desktop. Acesso em 22 de dezembro de 2018. (Se houver a possibilidade é uma ótima opção para passar para os alunos, não havendo disponibilidade de internet, existem sites e aplicativos em que é possível fazer o download do vídeo).

Outro filme interessante que trata sobre o aprendizado da linguagem de sinais é “O milagre de Anne Sullivan” que é a história real de Hellen Keller, uma menina cega, surda e muda que tem dificuldades em entender o mundo onde vive por desconhecer uma forma de comunicação. A professora Anne Sullivan chega com esse objetivo e enfrenta oposição dos pais da menina, mas ela consegue fazer com que Hellen aprenda a se comunicar. O filme está disponível no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=uvtaTbdcxsE. Acesso em 23 de janeiro de 2019.

O Instituto Nacional de Educação dos Surdos - INES disponibiliza um dicionário para aprendizado de como fazer corretamente cada gesto ou palavra em libras. Para isso acesse http://www.acessibilidadebrasil.org.br/libras/. Acesso em 22 de dezembro de 2018. (É necessário executar o Adobe Flash Player para execução correta).

Braille é um tipo de escrita criado por Louis Braille no século XIX na França. Louis era um jovem cego que desenvolveu esse tipo de escrita para padronizar a leitura e a escrita de pessoas cegas. Para mais informações acesse a Apostila de Introdução ao Sistema Braille. Disponível em: http://www.lapeade.com.br/publicacoes/documentos/Apostila%20Braille.pdf. Acesso em 10 de janeiro de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: conte aos alunos a evolução da libras e como essa forma de linguagem se desenvolveu em outros países do mundo. Nesse slide faça a leitura coletiva com os alunos, e a cada tópico explique. Peça aos alunos que copiem esses tópicos no caderno.

  • Lei 10436/2002 - enfatizar que foi criada uma lei que garante o ensino e aprendizado da libras como língua materna dos surdos brasileiros. É também nesta lei que há a especificação e definição sobre libras.

“Art. 1o É reconhecida como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais - Libras e outros recursos de expressão a ela associados.

Parágrafo único. Entende-se como Língua Brasileira de Sinais - Libras a forma de comunicação e expressão, em que o sistema lingüístico de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria, constituem um sistema lingüístico de transmissão de idéias e fatos, oriundos de comunidades de pessoas surdas do Brasil.” (BRASIL, 2002) Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. Acesso em 24 de dezembro de 2018.

  • Origem francesa - “A língua de sinais foi trazida para o Brasil em 1855 pelo professor francês Hernest Huet (1822-1882), que era surdo. Ele mesclou sua experiência na escola para surdos de Paris com a comunicação de sinais já utilizada no território brasileiro e criou a Libras.” (PLANETA, 2018) Disponível em: https://www.revistaplaneta.com.br/sinais-de-inclusao/. Acesso em 24 de dezembro de 2018.
  • Instituto Nacional de Surdos-Mudos - “Em junho de 1855, E. Huet apresentou ao Imperador D. Pedro II um relatório cujo conteúdo revelava a intenção de fundar uma escola para surdos no Brasil. Neste documento, também informou sobre a sua experiência anterior como diretor de uma instituição para surdos na França: o Instituto dos Surdos-Mudos de Bourges” (BRASIL, 2018). Disponível em: http://www.ines.gov.br/conheca-o-ines. Acesso em 24 de dezembro de 2018.
  • INES - “No seu percurso de quase dois séculos, o Instituto respondeu por outras denominações, sendo que a mudança mais significativa deu-se no ano de 1957, que foi a substituição da palavra “Mudo” pela palavra “Educação”. Essa mudança refletia o ideário de modernização da década de 1950, no Brasil, no qual o Instituto, e suas discussões sobre educação de surdos, também estava inscrito”(BRASIL, 2018). Disponível em: http://www.ines.gov.br/conheca-o-ines. Acesso em 24 de dezembro de 2018.

No caso de não haver o projetor esse conteúdo pode ser passado no quadro. Não há necessidade de impressão. Não se esqueça que o aluno deve ter os tópicos no caderno. Isso será importante para o final da aula.

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante estar preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do INES.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Conte aos alunos como surgiu a escrita braile. Ressalte a importância dessa escrita para o desenvolvimento de pessoas cegas ao redor do mundo.

  • Louis Braille - ficou cego aos 5 anos de idade, devido a uma infecção que contraiu por ter perfurado o olho na oficina de seu pai. Foi aluno do Instituto Real de Jovens Cegos de Paris onde teve contato com os tipos de técnicas de escrita para facilitar a leitura dos cegos, e onde desenvolveu o Sistema de escrita que leva o seu nome: Braille, a partir de um sistema de comunicação noturna entre soldados.
  • José Álvares de Azevedo - jovem cego brasileiro que foi aluno do Instituto Real de Jovens Cegos, de Paris, e que trouxe e implementou o Sistema Braille no Brasil.
  • Instituto dos Meninos Cegos - através do projeto e da insistência de José Álvares de Azevedo, o imperador D. Pedro II autorizou a fundação de um instituto de educação que tinha como base o ensino do sistema Braille para os jovens cegos, e por consequência a escolarização dos mesmos.
  • IBC - com o advento da República no Brasil, o Imperial Instituto de Meninos Cegos, se torna apenas Instituto de Meninos Cegos, e em 1891 um decreto muda definitivamente o nome para Instituto Benjamin Constant.

No caso de não haver o projetor esse conteúdo pode ser passado no quadro. Não há necessidade de impressão. Não se esqueça que o aluno deve ter os tópicos no caderno, isso será importante para o final da aula.

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante estar preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do IBC.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Conte aos alunos como surgiu a escrita braile. Ressalte a importância dessa escrita para o desenvolvimento de pessoas cegas ao redor do mundo.

Essas imagens podem ser impressas e afixadas no quadro.

Imagens Braille para impressão, clique: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/wHuCGSVxQ3mVj9SctcudDbH38D4dqaGkPYWqA2qFt4yjS5fRSC6xKtWamAZj/his5-06und04-imagens-braille.pdf

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante que o professor esteja preparado para o tema.

Curiosidade: em locais públicos, como órgãos do governo, escolas, hospitais e bancos é possível ver que no piso há marcações em alto relevo. Essas marcações são orientações em Braille para que os cegos possam ler usando sua bengala.

Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do IBC.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Entregue uma ficha com o alfabeto e os números em Libras e em Braille para cada um dos alunos e peçam que eles colem no caderno. Treine com os alunos a gestualização das letras e números em Libras.

Nesse momento é importante reforçar a posição das mãos para que os sinais saiam da maneira correta.

  • Indique a semelhança entre a letra W e o algarismo 3 que diferem pela posição da mão.
  • A igualdade entre a letra S e o algarismo 8, assim como a letra O e o algarismo 0 (zero) que só pode ser diferenciada pelo contexto.
  • As letras J e Z que são desenhadas no ar. Isso requer muita atenção de quem está vendo a gesticulação, não sendo possível conversar com o surdo se ele não estiver de frente para quem “fala”.

Divida a turma em dois grandes grupos. Siga as orientações para cada grupo.

  • Grupo 1: Peça que eles soletrem o nome de cada um usando os sinais. Primeiro com o seu nome depois com o nome dos colegas do grupo.
  • Grupo 2: Utilizando embalagens diversas que contenham a escrita Braille, exemplos: medicamentos, caixas de cereal (essas imagens podem ser solicitadas previamente aos alunos ou trazidas pelo professor). Os alunos tentarão identificar as letras que aparecem nas embalagens. Para garantir o sucesso dessa leitura, mantenha um gabarito com a estrutura correta da escrita das embalagens para consulta. Se na escola houver ferramentas para escrita Braille o professor poderá fazer a marcação, caso contrário desenhe o esquema de marcação para os alunos identificarem nas embalagens. Sugestão: os alunos poderão ser vendados para que não consigam enxergar e assim terem a experiência de ler apenas pela identificação do relevo das letras.

Alfabeto e números em Libras. Acesse e imprima. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/CJJk65AaAS9GRadRqBkxVwCstFkJt9XZhU8EMqFHG4m9vH4Pwz69Zv7tBwvQ/his5-06und04-alfabeto-e-numeros-em-libras.pdf

Alfabeto em Braille. Acesse e imprima.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/XcEwQU8dfXxs79ShMPaeqTuum4x7JhkevguhFWmSS8eJKzdDw7aAFjfDjFBm/his5-06und04-alfabeto-em-braile.pdf

Esse slide não precisa ser projetado. Mas é importante que o professor tenha uma cópia da ficha com o alfabeto e números em libras.

No caso da escrita Braille, se na escola houver qualquer uma das ferramentas de escrita braille o professor pode utilizar para demonstrar como funciona ou ainda mostrar aos alunos.

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante que o professor esteja preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do INES e do IBC.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações: Esse momento é para reflexão da importância da língua de sinais para a comunicação entre surdos-surdos e surdos-ouvintes. E como a escrita braille proporcionou educação e conhecimento para os cegos.

Sobre a Libras:

É importante levar o aluno a essa reflexão: a língua de sinais é diferente da mímica ou de qualquer outro código criado pelas famílias dos surdos.

A partir dessa reflexão a turma pode pensar num momento de apresentar o que aprenderam para outras turmas levando em consideração essa questão da conscientização da importância da comunicação correta na língua de sinais.

Sobre o Braille:

Os alunos devem compreender que esse tipo de escrita ajuda o cego na sua independência das pessoas videntes. E que os pontinhos em alto relevo representam a forma de como os cegos leem a sociedade que o cerca.

Como adequar à sua realidade: a turma pode ser dividida em grupos para fazer essa discussão. Além disso, se houver a possibilidade pode-se convidar um intérprete em LIbras ou ainda uma pessoa surda que tenha o domínio sobre a Libras.

Para você saber mais: Essa aula é bastante desafiadora então é importante que o professor esteja preparado para o tema. Leia com atenção os artigos sugeridos bem como explore a página do INES e do IBC.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Registros da história: linguagens e culturas do 5º ano :

MAIS AULAS DE História do 5º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF05HI06 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano