Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Alfabetização: como combinar e relacionar imagens e escrita

Veja uma sequência didática em que as crianças poderão exercitar a produção de textos com uso de diferentes linguagens

POR:
Mara Mansani
Crédito: Getty Images

Que tal desenvolver com seus alunos da Alfabetização uma sequência didática explorando a escrita e suas relações com imagens?

Um bom planejamento da sequência deve levar em conta a necessidade de aprendizagem da turma, diferentes agrupamentos dos alunos a cada atividade proposta, a progressão do nível de complexidade a cada etapa do desenvolvimento, tempo de realização, a distribuição das etapas em sua rotina, entre outros elementos.  

A sequência didática não deve ser apenas um conjunto de atividades. Já aprendemos isso com a pesquisadora e especialista argentina, Delia Lerner, em seus estudos sobre modalidades organizativas. Com isso em mente, um ponto ao qual você deve dedicar mais atenção no planejamento é a progressão do nível de complexidade. É essencial que a sequência didática traga um grau crescente de dificuldade, indicando o começo, meio e fim no desenvolvimento do objetivo proposto.

LEIA MAIS   Por que usar e criar dicionários ajuda na Alfabetização

Atualmente, vivemos a época da comunicação em tempo real, da popularização da Internet, do acesso as Redes sociais, das novas formas e necessidades de nos comunicarmos, onde a ideia, o conceito de texto se amplia, com o uso de diferentes linguagens e modos, muitas vezes usados em combinação e articulação dentro de um mesmo texto.

Você já ouviu falar em textos Multimodais? Veja um trecho do verbete sobre eles, no Glossário do Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (CEALE), da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que cita estudos de Roxane Rojo.

“Esses “novos escritos”, obviamente, dão lugar a novos gêneros discursivos, quase diariamente: chats, páginas, tweets, posts, ezines, funclips etc. E isso se dá porque hoje dispomos de novas tecnologias e ferramentas de “leitura-escrita”, que, convocando novos letramentos, configuram os enunciados/textos em sua multissemiose (multiplicidade de semioses ou linguagens), ou multimodalidade. São modos de significar e configurações que se valem das possibilidades hipertextuais, multimidiáticas e hipermidiáticas do texto eletrônico e que trazem novas feições para o ato de leitura: já não basta mais a leitura do texto verbal escrito – é preciso colocá-lo em relação com um conjunto de signos de outras modalidades de linguagem (imagem estática, imagem em movimento, som, fala) que o cercam, ou intercalam ou impregnam. Esses textos multissemióticos extrapolaram os limites dos ambientes digitais e invadiram, hoje, também os impressos (jornais, revistas, livros didáticos)”.

Contribuir com essas novas demandas da nossa comunicação é um grande desafio para todos nós professores, principalmente os alfabetizadores. Podemos começar ampliando o uso de diferentes linguagens na produção textual, como na sequência que proponho a vocês que combina o uso de duas linguagens, a linguagem escrita e de imagens. Essa é só uma das possibilidades, dentre tantas outras que podemos desenvolver com os alunos. Incrível, não é mesmo?

LEIA MAIS   Malas pedagógicas: como elas fortalecem laços entre aluno, família e escola

Os gêneros textuais que selecionei para a sequência didática estão previstos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). São legendas, cartaz e instrucional.

 

Objetivos de Aprendizagem
(EF01LP17) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, listas, agendas, calendários, avisos, convites, receitas, instruções de montagem e legendas para álbuns, fotos ou ilustrações (digitais ou impressos), dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto/finalidade do texto.

 

Crédito: Getty Images

Tema: Higiene pessoal

Escolhi a higiene pessoal como tema para o desenvolvimento da sequência, por ser conteúdo previsto para alunos da Alfabetização, por levar a reflexão e contribuir no bem-estar físico das crianças e para que as escritas façam sentido e sejam significativas.

Veja então, a minha proposta da sequência de produção de texto, envolvendo e relacionando imagem e escrita. Aproveite, adapte e ou faça a adequações para fazer com seus alunos.

 


1º MOMENTO

Escrita de texto instrucional: Passo a passo para uma boa escovação

Atividade coletiva: os alunos ditam e a professora escreve.

Materiais: Imagens com diferentes momentos da escovação de dentes; vídeo com o passo-a-passo da escovação e recomendações de profissionais da saúde, especialmente voltado para crianças; folha pautada, lápis e borracha.

Como fazer: Comece exibindo um vídeo sobre a escovação correta dos dentes. Na internet, você pode encontrar materiais de qualidade, disponibilizados por instituições sérias. Após exibir o vídeo, converse com as crianças sobre o que viram e entenderam. Distribua para cada criança folhas pautadas e imagens impressas do passo-a-passo do vídeo. Oriente-os para que organizem as imagens na ordem em que acontecem as ações que eles acabaram de ver. Depois vá escrevendo na lousa, fazendo o papel de escriba da turma, cada passo da escovação. As crianças vão ditando e você vai fazendo com eles os ajustes necessários, para ter a melhor escrita. Cada um registra em sua folha a escrita coletiva, ao lado de cada imagem correspondente. Chame atenção para a importância de a escrita estar ajustada à imagem, destacando que ambos elementos compõem o texto.

 


2º MOMENTO

Escrita de cartaz: Higiene corporal

Atividade coletiva: em grupos, um aluno escriba.

Materiais: papel para cartaz, lápis de cor, lápis preto e borracha.

Como fazer: Pensando na crescente dificuldade, no 1º momento da sequência, a atividade será a produção coletiva de um cartaz ensinando e orientando sobre os cuidados com o próprio corpo. Diga a eles que o cartaz ficará exposto na escola. Os alunos vão trabalhar juntos em grupos de três a quatro crianças. Reunidos em grupos, eles escreverão ações que indiquem como deve ser feita a higiene do corpo, como por exemplo: “Lave os cabelos”, “Escove os dentes”, “Tome banho”. No centro do cartaz eles podem desenhar um corpo de criança, indicando essas ações de acordo com cada parte do corpo. Eles podem usar o próprio corpo como molde para o desenho.

Na escrita, um escreve e os outros ditam e você vai fazendo as intervenções, levando a reflexão para escritas alfabéticas. Faça perguntas sobre como deve ser feita a higiene diária, como eles fazem a higiene pessoal e como as crianças podem escrever a outras crianças para que se cuidem. Peça que deem um título ao cartaz. Ao final, os cartazes produzidos serão apresentados e depois expostos a todos.

 


3º MOMENTO

Escrita de legenda: Dicas de higiene pessoal

Atividade em duplas: os dois escrevem e trocam hipóteses e ideias sobre a escrita.

Materiais: Imagens de crianças realizando sua higiene pessoal, folhas pautadas, lápis e borracha

Como fazer: Selecione imagens de crianças em atividades diárias de higiene pessoal. Você pode até fotografar seus alunos realizando essas ações de higiene pessoal e usar essas imagens na atividade (simule um banho com touca de banho e sabonete na mão). A proposta é construir legendas explicativas para as imagens. Explique às crianças que a ideia é escrever para aprender e ensinar outras crianças a cuidar do próprio corpo. Ofereça a cada dupla uma imagem colada em folha pautada para que escreva as legendas explicativas de orientação a higiene. Deixe que as duplas escrevam com autonomia, mas vá passando pelas duplas fazendo as intervenções quanto à escrita alfabética e quanto ao tema e característica do texto (legenda). Você pode repetir esse terceiro momento da sequência didática com outra atividade semelhante dessa proposta e adaptar logicamente escritas relacionadas com imagens.

 


4º MOMENTO

Escrita de legenda: Dicas de higiene pessoal

Atividade individual

Materiais: Imagens de crianças realizando sua higiene pessoal, folhas pautadas, lápis e borracha

Como fazer: Para esse momento, repita o desenvolvimento da atividade anterior, com a diferença de que agora a escrita é individual. Tome cuidado para que cada criança receba uma imagem diferente da que recebeu no momento anterior. Essa é a “atividade de raio-x”, que mostra habilidades e aprendizagem dos alunos desenvolvidas ao longo de toda a sequência. Observe também todos os saberes envolvidos nessa sequência: as crianças precisam pensar em como escrever alfabeticamente, construindo suas hipóteses quanto à escrita alfabética, manter foco e explorar o tema, levar em conta as características dos gêneros textuais e assim produzir textos que relacionam diferentes modos, como a escrita e imagem.

Perceba os movimentos no desenvolvimento da sequência. Primeiro, a escrita coletiva com toda a turma, depois a coletiva em grupos de até quatro alunos, na continuidade em duplas, para finalizar individualmente. Muitas vezes começamos o caminho de forma contrária, do individual para o coletivo, que nem sempre é a melhor forma para que todos aprendam. É preciso “modelizar”, ou seja, apresentar modelos ou experimentar primeiro a experiência de forma coletiva, para que haja debate, troca de conhecimentos e hipóteses construídas.

Uma última proposta possível é usar todos os textos produzidos como referência para construção de infográficos com as crianças, voltando para o momento coletivo. Mas isso fica para outra sequência que eu vou postar aqui no Blog Alfabetização.

LEIA MAIS  Blog de Alfabetização: confira mais conteúdos para usar na sua sala de aula

E aí, querida professora, acha possível realizar esta sequência didática com seus alunos? Tem alguma contribuição para aprimorar a sequência? Conte aqui nos comentários!

Até semana que vem e um grande abraço a todos!

 

Mara Mansani

Professora há quase 30 anos, lecionou em vários segmentos, da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, passando também pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2006, teve dois projetos de Educação Ambiental para o Ensino Básico publicados pela ONG WWF, no livro “Muda o Mundo, Raimundo”. Em 2014, recebeu o Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, na área de Alfabetização, com o projeto Escrevendo com Lengalenga.

Tags

Guias

Tags

Guias