Blog de Alfabetização

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

Conheça um projeto de Linguagens para o Fundamental 1

Na Base, área do conhecimento é composta pelas disciplinas de Língua Portuguesa, Arte e Educação Física

POR:
Mara Mansani
Mara Mansani no meio e em volta as professoras que vão participar do projeto piloto que foi ampliado para todas as turmas do 1º ano Foto: Acervo pessoal

Quais são as linguagens que mais exploramos na escola, em nossas salas de aula? Já pensou sobre isso? Provavelmente sua resposta, independente do componente curricular que leciona, seja: “linguagem verbal e escrita”. Na alfabetização não é diferente. A maioria das nossas práticas dizem respeito à escrita. Essa é uma dificuldade de muitos professores: explorar, em nossas práticas, as diferentes formas de linguagens.

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) apresenta a Linguagem em destaque e de forma diferenciada:

“As linguagens, antes articuladas, passam a ter status próprios de objetos de conhecimento escolar. O importante, assim, é que os estudantes se apropriem das especificidades de cada linguagem, sem perder a visão do todo no qual elas estão inseridas. Mais do que isso, é relevante que compreendam que as linguagens são dinâmicas, e que todos participam desse processo de constante transformação.”

Fonte: Base Nacional Comum Curricular

Isso mostra mais uma de nossas dificuldades em relação as linguagens. Nossa visão em relação a elas é compartimentada, não temos essa compreensão do todo.

Na BNCC, a área de Linguagens é composta pelos seguintes componentes curriculares: Língua Portuguesa, Arte, Educação Física e, nos Anos Finais, a Língua Inglesa.

Pensando em tudo isso, conversei com as outras professoras da minha turma de alunos, na alfabetização, minhas colegas de profissão, a Jamila Goes, de Arte, e a Márcia Paes, de Educação Física, na EMEF Professora Sílvia Haddad, em Salto de Pirapora (SP). Conversamos sobre a nossa visão de Linguagem e as possibilidades de fazermos um trabalho juntas nesse sentido.

É a primeira vez, em todo tempo em que leciono, que participo de uma ação conjunta na área de Linguagens com outros profissionais e com essa intencionalidade. Mas também faz pouco tempo que nossos alunos têm a oportunidade de ter aulas com professores formados nas áreas. 

E você, professora, professor alfabetizador, já teve essa oportunidade? Se não, essa é a hora de trabalhar junto! Mesmo que a sua escola não esteja com atividades presenciais por conta da crise do coronavírus, é possível fazer esse exercício com os colegas à distância, por email, WhatsApp ou mesmo grupos em outras redes sociais. No meu último texto, eu também faço algumas sugestões de quatro atividades de alfabetização sobre coronavírus. Confira clicando aqui.

Coronavírus: como enfrentar a quarentena?

Minha conversa com as professoras resultou em um projeto piloto para explorar a linguagem com nossos alunos do 1º ano. Compartilho a proposta com vocês!

Escolhemos um tema significativo e que faz parte do nosso currículo: as brincadeiras infantis. A temática é objeto de conhecimento previsto para 1º e 2º anos. Dentro do assunto, escolhemos um nome para o nosso projeto: as brincadeiras e os jogos infantis da cultura popular.

Destacamos da Base e do currículo da nossa rede as competências específicas e as habilidades que iremos explorar com nossa turma de 1º ano. Pretendemos que esses elementos construam essa ideia de unidade e do todo na área de Linguagem para que também atendam as necessidades de aprendizagem dos alunos. Entenda abaixo:

Competência:

Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao diálogo, à resolução de conflitos e à cooperação. 

LÍNGUA PORTUGUESA

Habilidades:

(EF12LP04) Ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor ou já com certa autonomia, listas, agendas, calendários, avisos, convites, receitas, instruções de montagem (digitais ou impressos), dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto e relacionando sua forma de
organização à sua finalidade.

(EF01LP17) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, listas, agendas, calendários, avisos, convites, receitas, instruções de montagem e legendas para álbuns, fotos ou ilustrações (digitais ou impressos), dentre outros gêneros
do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto/finalidade do texto.

(EF12LP06) Planejar e produzir, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, recados, avisos, convites, receitas, instruções de montagem, dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, que possam ser repassados oralmente por meio de ferramentas digitais, em áudio ou vídeo, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto/finalidade do texto.

ARTE

Unidades Temáticas: Artes visuais e artes integradas

Habilidades:

Materialidades
(EF15AR04) Experimentar diferentes formas de expressão artística (desenho, pintura, colagem, quadrinhos, dobradura, escultura, modelagem, instalação, vídeo, fotografia etc.), fazendo uso sustentável de materiais, instrumentos, recursos e técnicas convencionais e não convencionais.

Processos de criação
(EF15AR05) Experimentar a criação em artes visuais de modo individual, coletivo e colaborativo, explorando diferentes espaços da escola e da comunidade.

(EF15AR06) Dialogar sobre a sua criação e as dos colegas, para alcançar sentidos plurais.

(EF15AR23) Reconhecer e experimentar, em projetos temáticos, as relações processuais entre linguagens artísticas.

Matrizes estéticas culturais
(EF15AR24) Caracterizar e experimentar brinquedos, brincadeiras, jogos, danças, canções ehistórias de diferentes matrizes estéticas e  culturais.

eDUCAÇÃO FÍSICA

Unidades Temáticas: Brincadeiras e Jogos

Habilidades
(EF12EF01) Experimentar, fruir e recriar diferentes brincadeiras e jogos da cultura popular presentes no contexto comunitário e regional, reconhecendo e respeitando as diferenças individuais de desempenho dos colegas.

(EF12EF02) Explicar, por meio de múltiplas linguagens (corporal, visual, oral e escrita), as brincadeiras e os jogos populares do contexto comunitário e regional, reconhecendo e valorizando a importância desses jogos e brincadeiras para suas culturas de origem.

(EF12EF03) Planejar e utilizar estratégias para resolver desafios de brincadeiras e jogos populares do contexto comunitário e regional, com base no reconhecimento das características dessas práticas.

(EF12EF04) Colaborar na proposição e na produção de alternativas para a prática, em outros momentos e espaços, de brincadeiras e jogos e demais práticas corporais tematizadas na escola, produzindo textos (orais, escritos, audiovisuais) para divulgá-las na escola e na comunidade.

Nossa proposta é que os nossos alunos, através da exploração do objeto de conhecimento, brincadeiras e jogos infantis, possam se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos fazendo uso de diferentes linguagens.

Para isso, a turma vai brincar, jogar, pesquisar, conhecer diferentes culturas, ler e escrever textos, cantar, dialogar, conhecer artistas e obras das artes visuais, fotografar, desenhar, criar obras e releituras das artes visuais, buscar soluções para conflitos, se movimentar... tudo isso para explorar a temática.

Todo esse percurso de aprendizagem culminará com a produção pelos alunos de um pequeno manual de brincadeiras da turma, com instruções de como brincar e/ou como produzir um brinquedo. Selecionamos seis brincadeiras e jogos, alguns que eles já conhecem e outros não conhecidos, para aprofundar o estudo.

Nossas práticas serão exploradas de forma integrada, mas cada professora, em sua disciplina, desenvolverá a temática com diferentes linguagens. A duração do nosso projeto será de dois meses, mas uma proposta desse tipo pode ser desenvolvida por todo o ano. As possibilidades de exploração desse percurso são inúmeras quando pensamos a linguagem de forma mais ampla e integrada.



Dica
Neste momento que muitas escolas tiveram suas atividades presenciais interrompidas, vale pensar quais brincadeiras e jogos é possível que eles realizem a distância com apoio dos responsáveis ou mesmo dos irmãos. É possível apresentar a proposta para os alunos por vídeo. Para saber mais sobre como o criar e usar vídeos na Educação, a NOVA ESCOLA liberou para acesso gratuito um curso exatamente sobre este tema. Confira aqui. Vale também chamar os outros docentes envolvidos no projeto para gravarem seus vídeos e proporem adaptações para que as atividades sejam feitas de casa. Se a proposta envolver uma criação na parte de Arte, é possível pedir para que os alunos enviem fotos dos seus desenhos, por exemplo, para apreciação e devolutiva da professora.


Imaginem só! Nossos alunos vão brincar de uma determinada brincadeira na Educação Física, em que a professora vai explorar a expressão corporal, o papel de cada um na brincadeira, as versões dessa brincadeira em outras culturas, a cooperação, o respeito... Já na aula de Arte a professora vai apresentar como as crianças e suas brincadeiras são representadas nas artes plásticas, nas esculturas, em vídeo e propor a eles que façam suas próprias representações. Na aula de Língua Portuguesa, irei propor o registro escrito e em imagem do passo a passo de como brincar, legendas em imagens sobre brincadeiras e a leitura de textos instrucionais.

Dessa forma contribuiremos no desenvolvimento integral de nossos alunos, oferecendo a oportunidade de explorarem as diferentes linguagens para se expressar e desenvolver as habilidades previstas. E olha que essa é uma proposta dentro de inúmeras de explorar a linguagem em sala de aula. Temos muito a aprender estudando a BNCC. Então, vamos lá!

Antes de me despedir, quero saber, compreendeu nossa proposta? Está preparada para abrir as possibilidades de uma aprendizagem que vai muito além do registro escrito? Se já faz esse trabalho, compartilhe com a gente aqui nos comentários!

Um abraço e até a próxima,

Mara

Mara Mansani é professora há quase 30 anos, lecionou em vários segmentos, da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, passando também pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em 2006, teve dois projetos de Educação Ambiental para o Ensino Básico publicados pela ONG WWF, no livro “Muda o Mundo, Raimundo”. Em 2014, recebeu o Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, na área de Alfabetização, com o projeto Escrevendo com Lengalenga.