15263
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 5º ano > Oralidade

Plano de aula - Planejar uma entrevista a ser apresentada oralmente

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 5º ano do EF sobre Planejar uma entrevista a ser apresentada oralmente

Plano 11 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Isabel Cossalter

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é décima primeira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Reportagem e no campo de atuação Vida pública / Vida cotidiana / Estudo e Pesquisa. A aula faz parte do módulo de oralidade.

Materiais necessários: Computador com mídia, lápis, borracha, caderno, quadro com giz (ou caneta) ou folha grande de papel para registro no painel.

Informações sobre o gênero: Cada vez mais valorizada no mundo atual, a expressão oral tem sido também considerada um critério de seleção na escolha de profissionais das mais variadas áreas de atuação. No entanto, sabemos que a desenvoltura na expressão oral espontânea não garante, necessariamente, o desenvolvimento de habilidades que favoreçam a atuação dos alunos em situações que contemplem as diversas práticas sociais e culturais de uso da fala. Desse modo, cabe à escola oferecer-lhes vivências que os ajudem a conhecer e se apropriar de gêneros orais que possuem estrutura, regras e procedimentos próprios, como por exemplo, a entrevista.

Como sabemos, uma entrevista consiste em uma série de perguntas dirigidas a uma pessoa ou a um grupo. Quem faz as perguntas é chamado de entrevistador e quem responde é o entrevistado. Porém, diferentemente das conversas informais, que ocorrem sem maiores preocupações com o uso das palavras, uma entrevista exige preparação, tanto em relação ao conhecimento prévio sobre o assunto ou pessoa a ser a ser entrevistada, quanto ao fazer a escolha das palavras, de forma que as perguntas estejam de acordo com o objetivo pretendido, sejam coerentes e façam sentido. Mesmo quando apresentada oralmente, a entrevista tem sempre como apoio um texto escrito (um roteiro de perguntas e anotações durante as respostas do entrevistado).

Apenas para complementar, uma questão ainda a ser ressaltada diz respeito à publicação de uma entrevista: a divulgação das declarações do entrevistado precisam ser autorizadas por ele, logo, é importante orientar os alunos em relação à responsabilidade do entrevistador quanto aos direitos do entrevistado na divulgação do conteúdo de uma entrevista.

Dificuldades antecipadas: As crianças que apresentam timidez em situações de exposição oral ou dificuldade de expressão podem, eventualmente, necessitar de apoio nas aulas propostas neste módulo, que aborda a oralidade. Algumas estratégias podem ser eficientes no planejamento das aulas, como por exemplo:

  • Pensar equipes de trabalho que contem com uma boa interação entre os alunos e onde as crianças que apresentam dificuldades possam ser acolhidas.
  • Estimular a participação oral dessas crianças e ajudá-las a elaborar suas ideias.
  • Valorizar as habilidades individuais na construção do trabalho coletivo, fortalecendo a autoestima e a união dos alunos.

Referências sobre o assunto:

Fonte: Fala e escrita, Luiz Antônio Marcuschi e Angela Paiva Dionísio, disponível em: http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/29.pdf Acesso em 4 de novembro de 2018.

Fonte: Entrevistar para conhecer melhor, Rosangela Veliago, disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/6019/entrevistar-para-conhecer-melhor. Acesso em 6 de novembro de 2018.

Fonte: Comunicação oral: gênero entrevista, Claudio Bazzoni, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IopYU9RQID4. Acesso em 4 de novembro de 2018.

Fonte: Produção de textos orais, Cecília M.A. Goulart, disponível em: http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/producao-de-textos-orais. Acesso em 4 de novembro de 2018.

Fonte: Interação verbal, Luiz Carlos Travaglia, disponível em: http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/interacao-verbal. Acesso em 4 de novembro de 2018.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Leia com os alunos o título da aula.
  • Peça que expliquem o tema da aula, pergunte o que eles entendem por “fazer um planejamento de uma entrevista” e esclareça dúvidas.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Organize a classe em duplas, em um círculo ou semicírculo, de maneira que a turma consiga ver e ouvir a todos.
  • Projete o slide e peça às duplas que conversem brevemente sobre a cena e a imaginem como se pertencesse à entrevista. O diálogo deve provocar humor e criar um ambiente de descontração, ao mesmo tempo em que oferece aos alunos a oportunidade de perceber o efeito de sentido causado pela escolha das palavras na elaboração da pergunta “Em que ano você está?”. Dê um minuto para essa atividade.
  • Use os 4 minutos restantes para abrir a discussão com as crianças. Peça que comentem o que conversaram nas duplas e aproveite para questioná-las:
  • O que aconteceu neste diálogo? A garota não entendeu que a pergunta era sobre o ano escolar.
  • Na opinião de vocês, a pergunta feita pelo garoto deu margem à interpretação dada pela menina? Por quê? A pergunta do menino considera o contexto da conversa, ou seja, ele estava continuando o diálogo já iniciado (Você estuda?). Porém, a menina não percebeu isso e respondeu de acordo com o sentido literal (ano - contagem de tempo - 365 dias) e não conforme o que estava implícito na pergunta (ano - série escolar).
  • Para evitar um erro de interpretação, de que outra maneira a pergunta feita pelo menino poderia ser elaborada? Possibilidades: Você estuda em qual ano (série)? Você está em qual ano na escola onde você estuda?
  • Na opinião de vocês, por que é importante saber escolher as palavras ao planejar uma entrevista? Para que a pergunta comunique de forma mais clara possível o que o entrevistador pretende saber.

Professor, a introdução da aula propõe um rápido exercício de análise sobre os diferentes efeitos de sentido que decorrem da seleção de palavras e a importância de fazer escolhas que correspondam aos objetivos que se pretende atingir ao elaborar uma pergunta. Assim, explore coletivamente algumas possibilidades de reescrita da frase e deixe-as expostas para que sirvam de inspiração para as próximas etapas de trabalho.

Materiais complementares:

Fonte: Comunicação oral: entrevista no contexto de estudo, Denise Guilherme, disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/5796/comunicacao-oral-entrevista-no-contexto-de-estudo. Acesso em 11 de novembro de 2018.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 40 minutos

Orientações:

  • Mantenha os alunos organizados em duplas e projete o slide.
  • Sugere-se que o tempo para esta etapa seja organizado da seguinte forma: 10 minutos para a leitura e exploração do poema + escolha dos entrevistados; 20 minutos para a elaboração e revisão do roteiro de perguntas; 10 minutos para o ensaio da entrevista.
  • Explore o significado da pergunta “Quem faz a sua escola” com a turma, questione:
  • De quais maneiras podemos interpretar a oração “Quem faz a sua escola?” Algumas possibilidades: Quem construiu o prédio, quem reformou a escola, quem trabalha na instituição.
  • O verbo “faz“ nos dá alguma dica a respeito do sentido da oração? Por quê? Sim, ele está no tempo presente, o que sugere que há uma ação que ocorre na atualidade. Isso indica que não se trata da construção física, mas de atitudes realizadas diariamente, “fazer a escola” significa realizar ações para manter a escola em funcionamento.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Faça uma leitura expressiva para os alunos do poema “A Escola”, do educador Paulo Freire, atentando para a prosódia (para imprimi-lo, clique aqui).

Professor, para conhecer um pouco mais sobre leitura expressiva, acesse o link “ Leitura expressiva”, de Carlos Augusto Novais (veja o link nos materiais complementares).

  • Finalize a leitura e pergunte:
  • Qual é assunto do poema? O poema “humaniza a escola”, fala das pessoas que trabalham nela e da importância das relações pessoais, de criar laços de amizade e camaradagem.
  • O poema responde à questão “Quem faz a sua escola”? Como? Espera-se que as crianças percebam que sim, são as pessoas que fazem a escola. Como diz o poema, “a escola é sobretudo, gente”.

3. Encerre esta etapa do trabalho propondo à turma que as entrevistas sejam planejadas a partir do tema “Quem faz a sua escola?“

4. Realize um levantamento das pessoas “que fazem a escola” para serem entrevistadas e deixe a lista exposta no quadro.

5. Complemente a proposta, sugerindo que as entrevistas realizadas sejam apresentadas em forma de jornal mural com o objetivo de informar aos demais alunos a respeito de quem são, como trabalham e o que pensam as pessoas que “fazem a escola”.

6. Combine quem será entrevistado por cada dupla. Se considerar mais adequado ou facilitador, providencie um sorteio entre todos ou por interesse (somente entre as duplas que mostrarem curiosidade por determinado assunto ou entrevistado).

Materiais complementares:

Fonte: Leitura expressiva, Carlos Augusto Novais, disponível em: http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/leitura-expressiva. Acesso em 12 de novembro de 2018.

Fonte: Experimente fazer um jornal mural, Paula Baracat de Grande, disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/acervo-experimente/406/fazer-um-jornal-mural.html?pagina=1. Acesso em 11 de novembro de 2018.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Faça uma leitura expressiva para os alunos do poema “A Escola”, do educador Paulo Freire, atentando para a prosódia (para imprimi-lo, clique aqui).

Professor, para conhecer um pouco mais sobre leitura expressiva, acesse o link “ Leitura expressiva”, de Carlos Augusto Novais (veja o link nos materiais complementares).

  • Finalize a leitura e pergunte:
  • Qual é assunto do poema? O poema “humaniza a escola”, fala das pessoas que trabalham nela e da importância das relações pessoais, de criar laços de amizade e camaradagem.
  • O poema responde à questão “Quem faz a sua escola”? Como? Espera-se que as crianças percebam que sim, são as pessoas que fazem a escola. Como diz o poema, “a escola é sobretudo, gente”.

3. Encerre esta etapa do trabalho propondo à turma que as entrevistas sejam planejadas a partir do tema “Quem faz a sua escola?“

4. Realize um levantamento das pessoas “que fazem a escola” para serem entrevistadas e deixe a lista exposta no quadro.

5. Complemente a proposta, sugerindo que as entrevistas realizadas sejam apresentadas em forma de jornal mural com o objetivo de informar aos demais alunos a respeito de quem são, como trabalham e o que pensam as pessoas que “fazem a escola”.

6. Combine quem será entrevistado por cada dupla. Se considerar mais adequado ou facilitador, providencie um sorteio entre todos ou por interesse (somente entre as duplas que mostrarem curiosidade por determinado assunto ou entrevistado).

Materiais complementares:

Fonte: Leitura expressiva, Carlos Augusto Novais, disponível em: http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/leitura-expressiva. Acesso em 12 de novembro de 2018.

Fonte: Experimente fazer um jornal mural, Paula Baracat de Grande, disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/acervo-experimente/406/fazer-um-jornal-mural.html?pagina=1. Acesso em 11 de novembro de 2018.

.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Com o objetivo de preparar os alunos para a elaboração do roteiro da entrevista, converse brevemente com os alunos a respeito da profissão do entrevistado e do dia a dia do seu trabalho.
  • Com base nos dados levantados a partir desse diálogo inicial, elabore, com os alunos, um roteiro básico de perguntas. Planeje perguntas curtas e diretas, essa é uma maneira de ajudar as crianças a manterem o foco no assunto que querem abordar. Por exemplo:
  • Qual é o seu nome?
  • Há quantos anos você trabalha aqui?
  • Como é o dia a dia do seu trabalho?
  • Por que você escolheu trabalhar nesta função?
  • Você tem algum sonho? Qual?
  • Deixe que as crianças completem ou acrescentem questões ao roteiro coletivo. É natural que ocorra uma grande variação de questões, dependendo de quem é o entrevistado e do interesse da dupla. Por exemplo, pode haver curiosidade em saber se a merendeira cozinha para os seus filhos alguma comida que ela faz para os alunos, se o professor de educação física também faz esporte por lazer, etc.
  • Durante a realização dessa atividade, circule pela sala, acompanhe as discussões das duplas e verifique se os alunos estão contemplando a forma de composição do gênero entrevista oral. Se for necessário, oriente os grupos a completar ou refazer trechos do planejamento, convidando-os a pensar junto com você sobre as características de uma entrevista oral e relembrando trechos dos vídeos assistidos na aula anterior para exemplificar a sua intervenção.
  • Garanta que todos registrem as perguntas elaboradas e se preparem para ensaiar a entrevista.
  • Entregue uma cópia do roteiro com os itens a serem observados no ensaio da entrevista para cada aluno. Para imprimi-lo, clique aqui.
  • Peça que as duplas se alternem nas funções de entrevistador e de entrevistado durante os ensaios e avaliem a sua performance com base no roteiro citado acima. Em relação aos aspectos a serem observados na preparação para a entrevista, Schneuwly & Dolz (2004: p. 159-161)) afirmam que “há uma relação intrínseca entre palavra e corpo, pois este pode denunciar um comportamento emocional involuntário do falante (aceleração do ritmo cardíaco, tensão muscular, rosto enrubescido, tom agudo da voz). A postura corporal também se coloca a serviço da comunicação oral. Esta não se esgota somente na utilização de meios lingüísticos ou prosódicos; utiliza também signos de sistemas semióticos não-linguísticos, como a gestualidade. Essas mímicas faciais, as posturas, os olhares, a gestualidade do corpo que se tornam presentes na interação, dão suporte à comunicação verbal e, às vezes, substituem-na. Assim como constituem o verbal, também podem “trair o falante”, como quando deixam transparecer algo que o falante tenta esconder/minimizar na comunicação verbal. “Sabemos bem o quanto pode ser constrangedor um ator que desempenha ‘mal’ seu papel, dissociando os parâmetros, em princípio congruentes, da melodia, da acentuação e da gestualidade” (Schneuwly & Dolz apud Marcuschi,B; Suassuna, 2007: p. 159-161)”.

Materiais complementares:

Fonte: Marcuschi,B; Suassuna, L. Avaliação em língua portuguesa, contribuições para a prática pedagógica. Belo Horizonte. Ministério da Educação e Universidade Federal de Pernambuco. Editora Autêntica. 2007.

Fonte: Experimente fazer um jornal mural, Paula Baracat de Grande, disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/acervo-experimente/406/fazer-um-jornal-mural.html?pagina=1. Acesso em 11 de novembro de 2018.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações:

  • Projete o slide e leia as perguntas com as crianças.
  • Peça às duplas que se apresentem brevemente. Considere que se trata da apresentação de um ensaio, desse modo, valorize o empenho e a disposição da turma.
  • Questione os alunos a respeito do uso da tabela de itens a serem avaliados na entrevista: Ela ajudou a pensar formas mais adequadas de se comunicar em uma entrevista? A quais aspectos devemos estar atentos quando formos realizar a entrevista?
  • Faça oralmente uma breve síntese coletiva da conclusão dos alunos. Espera-se que percebam que os itens da tabela orientam o olhar do entrevistador para questões que podem facilitar ou não a comunicação oral, entre eles: a adequada preparação do local onde se realizará a entrevista, a importância da utilização de um roteiro de perguntas bem estruturado, a forma de abordar o entrevistado, o modo de colocação da voz e ritmo da fala, as expressões faciais e corporais e a elaboração de perguntas que instiguem o entrevistado a falar.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é décima primeira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Reportagem e no campo de atuação Vida pública / Vida cotidiana / Estudo e Pesquisa. A aula faz parte do módulo de oralidade.

Materiais necessários: Computador com mídia, lápis, borracha, caderno, quadro com giz (ou caneta) ou folha grande de papel para registro no painel.

Informações sobre o gênero: Cada vez mais valorizada no mundo atual, a expressão oral tem sido também considerada um critério de seleção na escolha de profissionais das mais variadas áreas de atuação. No entanto, sabemos que a desenvoltura na expressão oral espontânea não garante, necessariamente, o desenvolvimento de habilidades que favoreçam a atuação dos alunos em situações que contemplem as diversas práticas sociais e culturais de uso da fala. Desse modo, cabe à escola oferecer-lhes vivências que os ajudem a conhecer e se apropriar de gêneros orais que possuem estrutura, regras e procedimentos próprios, como por exemplo, a entrevista.

Como sabemos, uma entrevista consiste em uma série de perguntas dirigidas a uma pessoa ou a um grupo. Quem faz as perguntas é chamado de entrevistador e quem responde é o entrevistado. Porém, diferentemente das conversas informais, que ocorrem sem maiores preocupações com o uso das palavras, uma entrevista exige preparação, tanto em relação ao conhecimento prévio sobre o assunto ou pessoa a ser a ser entrevistada, quanto ao fazer a escolha das palavras, de forma que as perguntas estejam de acordo com o objetivo pretendido, sejam coerentes e façam sentido. Mesmo quando apresentada oralmente, a entrevista tem sempre como apoio um texto escrito (um roteiro de perguntas e anotações durante as respostas do entrevistado).

Apenas para complementar, uma questão ainda a ser ressaltada diz respeito à publicação de uma entrevista: a divulgação das declarações do entrevistado precisam ser autorizadas por ele, logo, é importante orientar os alunos em relação à responsabilidade do entrevistador quanto aos direitos do entrevistado na divulgação do conteúdo de uma entrevista.

Dificuldades antecipadas: As crianças que apresentam timidez em situações de exposição oral ou dificuldade de expressão podem, eventualmente, necessitar de apoio nas aulas propostas neste módulo, que aborda a oralidade. Algumas estratégias podem ser eficientes no planejamento das aulas, como por exemplo:

  • Pensar equipes de trabalho que contem com uma boa interação entre os alunos e onde as crianças que apresentam dificuldades possam ser acolhidas.
  • Estimular a participação oral dessas crianças e ajudá-las a elaborar suas ideias.
  • Valorizar as habilidades individuais na construção do trabalho coletivo, fortalecendo a autoestima e a união dos alunos.

Referências sobre o assunto:

Fonte: Fala e escrita, Luiz Antônio Marcuschi e Angela Paiva Dionísio, disponível em: http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/29.pdf Acesso em 4 de novembro de 2018.

Fonte: Entrevistar para conhecer melhor, Rosangela Veliago, disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/6019/entrevistar-para-conhecer-melhor. Acesso em 6 de novembro de 2018.

Fonte: Comunicação oral: gênero entrevista, Claudio Bazzoni, disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IopYU9RQID4. Acesso em 4 de novembro de 2018.

Fonte: Produção de textos orais, Cecília M.A. Goulart, disponível em: http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/producao-de-textos-orais. Acesso em 4 de novembro de 2018.

Fonte: Interação verbal, Luiz Carlos Travaglia, disponível em: http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/interacao-verbal. Acesso em 4 de novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Leia com os alunos o título da aula.
  • Peça que expliquem o tema da aula, pergunte o que eles entendem por “fazer um planejamento de uma entrevista” e esclareça dúvidas.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações:

  • Organize a classe em duplas, em um círculo ou semicírculo, de maneira que a turma consiga ver e ouvir a todos.
  • Projete o slide e peça às duplas que conversem brevemente sobre a cena e a imaginem como se pertencesse à entrevista. O diálogo deve provocar humor e criar um ambiente de descontração, ao mesmo tempo em que oferece aos alunos a oportunidade de perceber o efeito de sentido causado pela escolha das palavras na elaboração da pergunta “Em que ano você está?”. Dê um minuto para essa atividade.
  • Use os 4 minutos restantes para abrir a discussão com as crianças. Peça que comentem o que conversaram nas duplas e aproveite para questioná-las:
  • O que aconteceu neste diálogo? A garota não entendeu que a pergunta era sobre o ano escolar.
  • Na opinião de vocês, a pergunta feita pelo garoto deu margem à interpretação dada pela menina? Por quê? A pergunta do menino considera o contexto da conversa, ou seja, ele estava continuando o diálogo já iniciado (Você estuda?). Porém, a menina não percebeu isso e respondeu de acordo com o sentido literal (ano - contagem de tempo - 365 dias) e não conforme o que estava implícito na pergunta (ano - série escolar).
  • Para evitar um erro de interpretação, de que outra maneira a pergunta feita pelo menino poderia ser elaborada? Possibilidades: Você estuda em qual ano (série)? Você está em qual ano na escola onde você estuda?
  • Na opinião de vocês, por que é importante saber escolher as palavras ao planejar uma entrevista? Para que a pergunta comunique de forma mais clara possível o que o entrevistador pretende saber.

Professor, a introdução da aula propõe um rápido exercício de análise sobre os diferentes efeitos de sentido que decorrem da seleção de palavras e a importância de fazer escolhas que correspondam aos objetivos que se pretende atingir ao elaborar uma pergunta. Assim, explore coletivamente algumas possibilidades de reescrita da frase e deixe-as expostas para que sirvam de inspiração para as próximas etapas de trabalho.

Materiais complementares:

Fonte: Comunicação oral: entrevista no contexto de estudo, Denise Guilherme, disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/5796/comunicacao-oral-entrevista-no-contexto-de-estudo. Acesso em 11 de novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 40 minutos

Orientações:

  • Mantenha os alunos organizados em duplas e projete o slide.
  • Sugere-se que o tempo para esta etapa seja organizado da seguinte forma: 10 minutos para a leitura e exploração do poema + escolha dos entrevistados; 20 minutos para a elaboração e revisão do roteiro de perguntas; 10 minutos para o ensaio da entrevista.
  • Explore o significado da pergunta “Quem faz a sua escola” com a turma, questione:
  • De quais maneiras podemos interpretar a oração “Quem faz a sua escola?” Algumas possibilidades: Quem construiu o prédio, quem reformou a escola, quem trabalha na instituição.
  • O verbo “faz“ nos dá alguma dica a respeito do sentido da oração? Por quê? Sim, ele está no tempo presente, o que sugere que há uma ação que ocorre na atualidade. Isso indica que não se trata da construção física, mas de atitudes realizadas diariamente, “fazer a escola” significa realizar ações para manter a escola em funcionamento.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Faça uma leitura expressiva para os alunos do poema “A Escola”, do educador Paulo Freire, atentando para a prosódia (para imprimi-lo, clique aqui).

Professor, para conhecer um pouco mais sobre leitura expressiva, acesse o link “ Leitura expressiva”, de Carlos Augusto Novais (veja o link nos materiais complementares).

  • Finalize a leitura e pergunte:
  • Qual é assunto do poema? O poema “humaniza a escola”, fala das pessoas que trabalham nela e da importância das relações pessoais, de criar laços de amizade e camaradagem.
  • O poema responde à questão “Quem faz a sua escola”? Como? Espera-se que as crianças percebam que sim, são as pessoas que fazem a escola. Como diz o poema, “a escola é sobretudo, gente”.

3. Encerre esta etapa do trabalho propondo à turma que as entrevistas sejam planejadas a partir do tema “Quem faz a sua escola?“

4. Realize um levantamento das pessoas “que fazem a escola” para serem entrevistadas e deixe a lista exposta no quadro.

5. Complemente a proposta, sugerindo que as entrevistas realizadas sejam apresentadas em forma de jornal mural com o objetivo de informar aos demais alunos a respeito de quem são, como trabalham e o que pensam as pessoas que “fazem a escola”.

6. Combine quem será entrevistado por cada dupla. Se considerar mais adequado ou facilitador, providencie um sorteio entre todos ou por interesse (somente entre as duplas que mostrarem curiosidade por determinado assunto ou entrevistado).

Materiais complementares:

Fonte: Leitura expressiva, Carlos Augusto Novais, disponível em: http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/leitura-expressiva. Acesso em 12 de novembro de 2018.

Fonte: Experimente fazer um jornal mural, Paula Baracat de Grande, disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/acervo-experimente/406/fazer-um-jornal-mural.html?pagina=1. Acesso em 11 de novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Faça uma leitura expressiva para os alunos do poema “A Escola”, do educador Paulo Freire, atentando para a prosódia (para imprimi-lo, clique aqui).

Professor, para conhecer um pouco mais sobre leitura expressiva, acesse o link “ Leitura expressiva”, de Carlos Augusto Novais (veja o link nos materiais complementares).

  • Finalize a leitura e pergunte:
  • Qual é assunto do poema? O poema “humaniza a escola”, fala das pessoas que trabalham nela e da importância das relações pessoais, de criar laços de amizade e camaradagem.
  • O poema responde à questão “Quem faz a sua escola”? Como? Espera-se que as crianças percebam que sim, são as pessoas que fazem a escola. Como diz o poema, “a escola é sobretudo, gente”.

3. Encerre esta etapa do trabalho propondo à turma que as entrevistas sejam planejadas a partir do tema “Quem faz a sua escola?“

4. Realize um levantamento das pessoas “que fazem a escola” para serem entrevistadas e deixe a lista exposta no quadro.

5. Complemente a proposta, sugerindo que as entrevistas realizadas sejam apresentadas em forma de jornal mural com o objetivo de informar aos demais alunos a respeito de quem são, como trabalham e o que pensam as pessoas que “fazem a escola”.

6. Combine quem será entrevistado por cada dupla. Se considerar mais adequado ou facilitador, providencie um sorteio entre todos ou por interesse (somente entre as duplas que mostrarem curiosidade por determinado assunto ou entrevistado).

Materiais complementares:

Fonte: Leitura expressiva, Carlos Augusto Novais, disponível em: http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/leitura-expressiva. Acesso em 12 de novembro de 2018.

Fonte: Experimente fazer um jornal mural, Paula Baracat de Grande, disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/acervo-experimente/406/fazer-um-jornal-mural.html?pagina=1. Acesso em 11 de novembro de 2018.

.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Com o objetivo de preparar os alunos para a elaboração do roteiro da entrevista, converse brevemente com os alunos a respeito da profissão do entrevistado e do dia a dia do seu trabalho.
  • Com base nos dados levantados a partir desse diálogo inicial, elabore, com os alunos, um roteiro básico de perguntas. Planeje perguntas curtas e diretas, essa é uma maneira de ajudar as crianças a manterem o foco no assunto que querem abordar. Por exemplo:
  • Qual é o seu nome?
  • Há quantos anos você trabalha aqui?
  • Como é o dia a dia do seu trabalho?
  • Por que você escolheu trabalhar nesta função?
  • Você tem algum sonho? Qual?
  • Deixe que as crianças completem ou acrescentem questões ao roteiro coletivo. É natural que ocorra uma grande variação de questões, dependendo de quem é o entrevistado e do interesse da dupla. Por exemplo, pode haver curiosidade em saber se a merendeira cozinha para os seus filhos alguma comida que ela faz para os alunos, se o professor de educação física também faz esporte por lazer, etc.
  • Durante a realização dessa atividade, circule pela sala, acompanhe as discussões das duplas e verifique se os alunos estão contemplando a forma de composição do gênero entrevista oral. Se for necessário, oriente os grupos a completar ou refazer trechos do planejamento, convidando-os a pensar junto com você sobre as características de uma entrevista oral e relembrando trechos dos vídeos assistidos na aula anterior para exemplificar a sua intervenção.
  • Garanta que todos registrem as perguntas elaboradas e se preparem para ensaiar a entrevista.
  • Entregue uma cópia do roteiro com os itens a serem observados no ensaio da entrevista para cada aluno. Para imprimi-lo, clique aqui.
  • Peça que as duplas se alternem nas funções de entrevistador e de entrevistado durante os ensaios e avaliem a sua performance com base no roteiro citado acima. Em relação aos aspectos a serem observados na preparação para a entrevista, Schneuwly & Dolz (2004: p. 159-161)) afirmam que “há uma relação intrínseca entre palavra e corpo, pois este pode denunciar um comportamento emocional involuntário do falante (aceleração do ritmo cardíaco, tensão muscular, rosto enrubescido, tom agudo da voz). A postura corporal também se coloca a serviço da comunicação oral. Esta não se esgota somente na utilização de meios lingüísticos ou prosódicos; utiliza também signos de sistemas semióticos não-linguísticos, como a gestualidade. Essas mímicas faciais, as posturas, os olhares, a gestualidade do corpo que se tornam presentes na interação, dão suporte à comunicação verbal e, às vezes, substituem-na. Assim como constituem o verbal, também podem “trair o falante”, como quando deixam transparecer algo que o falante tenta esconder/minimizar na comunicação verbal. “Sabemos bem o quanto pode ser constrangedor um ator que desempenha ‘mal’ seu papel, dissociando os parâmetros, em princípio congruentes, da melodia, da acentuação e da gestualidade” (Schneuwly & Dolz apud Marcuschi,B; Suassuna, 2007: p. 159-161)”.

Materiais complementares:

Fonte: Marcuschi,B; Suassuna, L. Avaliação em língua portuguesa, contribuições para a prática pedagógica. Belo Horizonte. Ministério da Educação e Universidade Federal de Pernambuco. Editora Autêntica. 2007.

Fonte: Experimente fazer um jornal mural, Paula Baracat de Grande, disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/acervo-experimente/406/fazer-um-jornal-mural.html?pagina=1. Acesso em 11 de novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações:

  • Projete o slide e leia as perguntas com as crianças.
  • Peça às duplas que se apresentem brevemente. Considere que se trata da apresentação de um ensaio, desse modo, valorize o empenho e a disposição da turma.
  • Questione os alunos a respeito do uso da tabela de itens a serem avaliados na entrevista: Ela ajudou a pensar formas mais adequadas de se comunicar em uma entrevista? A quais aspectos devemos estar atentos quando formos realizar a entrevista?
  • Faça oralmente uma breve síntese coletiva da conclusão dos alunos. Espera-se que percebam que os itens da tabela orientam o olhar do entrevistador para questões que podem facilitar ou não a comunicação oral, entre eles: a adequada preparação do local onde se realizará a entrevista, a importância da utilização de um roteiro de perguntas bem estruturado, a forma de abordar o entrevistado, o modo de colocação da voz e ritmo da fala, as expressões faciais e corporais e a elaboração de perguntas que instiguem o entrevistado a falar.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Oralidade do 5º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 5º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF05LP15 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF35LP10 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP13 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano