14240
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Pintura com diferentes instrumentos e suportes

POR: Renata Braga Fonseca 30/11/2018
Código: EDI2_21UND05

Creche / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02ET05) Classificar objetos, considerando determinado atributo (tamanho, peso, cor, forma etc.).

(EI02TS02) Utilizar materiais variados com possibilidades de manipulação (argila, massa de modelar), explorando cores, texturas, superfícies, planos, formas e volumes ao criar objetos tridimensionais.

(EI02CG05) Desenvolver progressivamente as habilidades manuais, adquirindo controle para desenhar, pintar, rasgar, folhear, entre outros.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para crianças bem pequenas sobre a utilização de materiais variados na criação de suporte para as crianças pintarem

Resumo

ilustracao

Para esta atividade, o professor oferece caixas de papelão, plásticos e outros materiais para servir como suporte para as crianças pintarem.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para a realização da atividade é importante que as crianças já tenham explorado livremente as caixas de papelão, o plástico bolha e os demais suportes que serão oferecidos para pintura. O contato com esses materiais nos dias anteriores à atividade permite que elas tenham certa familiaridade e explorem-os com autonomia. A apropriação dos materiais, proporcionada pela exploração livre, é primordial para que a criança avance na exploração deles, agora, no contexto da pintura.

Materiais:

Considere a quantidade de crianças do grupo e separe caixas de papelão em tamanhos diferentes (grandes: da altura das crianças, de TV; pequenas: caixas de pizza, de sapatos etc). Papéis com boa gramatura emvários tamanhos e papéis laminados. Plásticos bolhas e um plástico grande transparente. Instrumentos de pinturas como pincéis grossos de vários tamanhos, esponjas, rolos de vários tamanhos e escovas de unha. Recipientes para tintas em vários tamanhos com tintas atóxicas de várias cores diferentes, como guache, tintas caseiras ou outra que tenha disponível na sua escola. Fita adesiva, alguns varais e mesas na altura das crianças. Plástico transparente. Celular ou máquina fotográfica para registrar com fotos e vídeos.Aparelho para reproduzir os vídeos. Brinquedos de encaixe ou de empilhar. Balde com água.

Espaços:

Inicie a atividade na sala. Organize em forma de ateliê de pintura uma área externa ampla, de preferência próxima ao parque, com instrumentos, tintas e suportes em lugares estratégicos que possibilitem a exploração em pequenos grupos e individual. Distribua as caixas grandes em posições diferentes, com a abertura virada para cima, para o lado e em forma de túnel. Organize um canto com as caixas menores. Distribua os plásticos bolha pelo chão e pendurados em varal. Cole os papéis em mesas viradas de lado, imitando uma parede. Prenda o plástico transparente grande entre uma árvore e outra ou em algum apoio, de forma que fique esticado e que as crianças possam explorar os dois lados. Coloque duas ou três mesas viradas para baixo e envolva com o plástico transparente todo o entorno, para que as crianças possam pintar do lado de fora e de dentro.

Tempo sugerido:

Entre uma hora e uma hora e 20 minutos

Perguntas para guiar suas observações:

1. Como as crianças se relacionam com os materiais na proposta da pintura? Exploram a pintura tridimensional considerando o objeto em toda sua dimensão? Pintam dentro, fora, em cima, atrás, na frente ou realizam pinturas bidimensionais?

2. Como as crianças exploram as possibilidades de gestos e movimentos durante as pinturas? Quais sentimentos expressam ao observarem o efeito que seus gestos produzem com as tintas sobre os suportes?

3. Como as crianças interagem entre si? Quais reações apresentam ao socializarem os mesmos suportes durante as pinturas e ao dividir os instrumentos?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Apoie as crianças que não se sentirem à vontade para pintar em suportes diferentes e aponte as ações e o prazer das outras crianças como referência. Selecione caixas de papelão grandes e duras, que possam servir de apoio para as crianças que ainda não têm muito equilíbrio ao pintar em pé. Observe se alguma criança menor precisa mudar o instrumento de pintura e ofereça um mais adequado ao tamanho de sua mão.

O que fazer durante?

1

Reúna as crianças na sala em um grande grupo. Conte a elas qual atividade será realizada e como ela vai acontecer. Diga que você preparou na área externa um ateliê de pintura, com materiais já conhecidos por elas. Cite quais são eles, falando o nome de cada um, e pergunte se lembram como brincaram com eles. Diga que na atividade de hoje esses materiais serão usados como suportes de pintura e que poderão escolher quais querem pintar e, se quiserem, podem pintar mais de um.

Possíveis falas do professor neste momento: Essa semana brincamos com caixas de papelão. Quem lembra como brincou com elas? Muito bem! Elas foram carrinhos, casinhas e alguns até empilharam uma em cima da outra e depois as derrubaram! Hoje vamos usar caixas de papelão de uma maneira bem divertida também! Vamos fazer pinturas nelas e nos outros materiais com os quais também já brincamos! Vamos lá?


2

Convide as crianças para ir até o local da pintura na área externa marchando e cantando com você “ 1, 2, lá vamos nós, 3, 4, pintar no parque, 5, 6, caixas e plásticos, 7, 8 e muitos outros, 9,10, no fim lavar os pincéis!”. Leve com você uma caixa com brinquedos de encaixe ou de empilhar, para as crianças brincarem ao final de suas pinturas ou como opção de brincadeira para as que não quiserem participar. Observe como elas se organizam no espaço autonomamente e como exploram os materiais que você organizou.

Possíveis ações da criança neste momento: algumas crianças podem demonstrar preferências em pintar os suportes maiores, realizando movimentos amplos com o corpo, outras podem se concentrar nos suportes menores, como as caixas pequenas, e realizar movimentos mais refinados para pintar.


3

Deixe que as crianças tenham iniciativas na exploração dos instrumentos, suportes e tintas. Reveze-se entre os pequenos grupos que se formam e as que fazem pintura individual.Acolha as crianças que neste primeiro momento preferem apenas olhar. Aponte algumas ações e o prazer de outras na pintura dos suportes como forma de envolvê-las. Se necessário, acompanhe-as, apresentando os diversos tipos de suportes e instrumentos. Respeite o tempo de cada criança e deixe-a decidir a hora em que deseja participar. Registre toda a atividade com fotos e pequenos vídeos.

Possíveis ações do professor neste momento: ao perceber que algumas crianças exploram os suportes de forma bidimensional, como pintar a caixa de papelão somente em cima ou do lado, proponha que as crianças observem a exploração do objeto em toda sua dimensão por uma outra criança, chamando a atenção para a pintura tridimensional, se necessário.


4

Disponibilize um bom tempo para que as crianças possam vivenciar uma diversidade de experimentações de pinturas, escolhendo qual suporte querem pintar e a hora que desejam trocar, com autonomia e liberdade de se movimentarem pelo espaço, e traga desafios para as crianças na exploração dos diferentes suportes, a partir das descobertas delas. Observe atentamente a interação das crianças com os materiais e umas com os colegas da turma. Incentive a cooperação mútua e a socialização na divisão das tintas, de instrumentos e de suportes.

Possíveis ações da criança neste momento: algumas crianças podem explorar vários suportes e instrumentos: se for uma caixa grande, entrar para pintar a parte interna; se for no plástico transparente, pintar na frente seguindo o ritmo de uma criança que está pintando do outro lado. Outras podem se concentrar em poucos materiais ou apontar para os suportes e instrumentos que querem usar e não andarem até eles, outras podem pintar o próprio corpo e o corpo do colega.

Para finalizar:

Comunique que a atividade está perto de terminar e que em dez minutos irão começar a organizar os materiais. Perceba se há crianças ainda muito envolvidas e tranquilize-as, dizendo que podem continuar suas pinturas com calma e em seu tempo. Enquanto umas vão finalizando, as que já terminaram podem lavar as mãos em um balde com água e ir brincar no parque. Se não houver brinquedos próximos, ofereça uma opção, como a caixa com brinquedos de encaixe ou de empilhar.Passados os dez minutos, diga para o restante das crianças que elas podem começar a finalizar suas pinturas. Se necessário, dê a elas mais alguns minutos para concluírem. Passado esse tempo, diga que chegou a hora de organizar o ambiente e peça ajuda para reunir os suportes todos em um só local para secagem. Você pode usar esses suportes como base para expor as fotos dos momentos da atividade. Convide as crianças para lavar os instrumentos de pintura no banheiro ou em uma torneira próxima. Lembre-as da música que você cantou na ida para o local da pintura e diga que farão o trajeto até o banheiro da mesma forma: marchando e cantando.

Desdobramentos

É interessante repetir a atividade com as crianças, de forma que tenham a possibilidade de continuar explorando os mesmos materiais de formas diferentes. Para isso,

combine suportes e instrumentos pelos quais as crianças mais se interessaram e repita a atividade em locais diferentes e com outras configurações de grupos. Selecione, em outro momento, uma diversidade de outros suportes para pintura como tecidos, latas encapadas, uma parede de azulejos, placas de MDF etc.

Engajando as famílias

Monte um mural com as fotos dos momentos da atividade coladas em alguns suportes que as crianças pintaram. Próximo ao mural, organize uma mesa com um aparelho para reproduzir os vídeos que você gravou e exponha tudo no corredor da escola ou na entrada dela, para que os pais possam apreciar. Relate para eles, na hora da entrada ou da saída, como foram as experiências, as reações e descobertas das crianças. Convide-os para pensar em outros suportes e instrumentos que achem interessantes e que as crianças irão gostar. Sugira que os tragam à escola para que novas experiências sejam propiciadas à turma.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Renata Braga Fonseca

Mentora: Nilcileni Aparecida Ebani Brambilla

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 1 ano e 7 meses a 2 anos e 11 meses

Campos de Experiência: Corpo, gestos e movimentos; traços, sons, cores e formas; espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

Objetivos e códigos da Base:

(EI02TS02) Utilizar materiais variados com possibilidades de manipulac?a?o (argila, massa de modelar), explorando cores, texturas, superfi?cies, planos, formas e volumes ao criar objetos tridimensionais.

(EI02CG05) Desenvolver progressivamente as habilidades manuais, adquirindo controle para desenhar, pintar, rasgar, folhear, entre outros.

(EI02ET05) Classificar objetos, considerando determinado atributo (tamanho, peso, cor, forma etc.).

Abordagem didática:  Pintar e utilizar materiais apropriados de pintura (como pincéis, rolos, mãos e palitos, por exemplo), além de prazeroso, oferecem às crianças uma ampla gama de experiências de exploração com cunho estético. Cabe à escola planejar e manter em sua rotina momentos permanentes de produção, que incluem a pintura em si e a preparação de materiais para sua realização. Conversas e apreciações sobre como chegaram ao resultado final, como podem alcançar o que desejam e sobre como artistas conseguiram realizar suas obras são sempre bem-vindas.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

OUTRAS ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes