13892
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Esconde esconde de objetos sonoros

POR: Wildes Gomes de Campos 15/12/2018
Código: EDI2_17UND04

Creche / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02TS03) Utilizar diferentes fontes sonoras disponíveis no ambiente em brincadeiras cantadas, canções, músicas e melodias.

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

(EI02ET01) Explorar e descrever semelhanças e diferenças entre as características e propriedades dos objetos (textura, massa, tamanho).

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Crianças bem pequenas sobre brincadeira com objetos sonoros escondidos

Resumo

ilustracao

Convide as crianças a encontrar objetos escondidos que fazem barulho -- como gaitas, sinos de vento e despertadores -- e brincar com eles.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Este plano faz parte de uma sequência de cinco, são eles:

Exploração e criação de sons com objetos

Brincadeiras com sons do corpo

Instalações Sonoras

Esconde esconde de objetos sonoros

Nossa orquestra: explorando instrumentos musicais


Materiais:

Objetos sonoros não comuns às crianças mas que estejam funcionando, como: telefone antigo (de disco), pau de chuva, caixinha de música, gravador antigo com fita cassete, despertador à corda, conchas do mar, castanholas, gaita, sino dos ventos. Selecione mais ou menos cinco objetos para que sejam escondidos no espaço que escolheu para a brincadeira. Selecione outros objetos sonoros, de três a cinco, mais comuns às crianças, como chocalho, sino, tamborzinho, brinquedo sonoros de bebês etc. Coloque-os em um cesto coberto com um tecido.

Tenha o cuidado de garantir materiais que tenham sons de qualidade, por isso a indicação para usar objetos “de verdade”, evitando o uso de instrumentos de kit bandinha que não favorecem o reconhecimento de boa sonoridade. Tapete, colchonete e almofadas para organizar o espaço aconchegante da grande roda.

Espaços:

Esta atividade pode ocorrer em ambiente interno, como a sala de atividades e biblioteca, ou em ambiente externo. É necessário ter espaço suficiente para as crianças correrem, mas, caso o local seja muito amplo, delimite com as crianças um espaço que valerá para a procura dos objetos. Onde for realizar a proposta, organize um canto aconchegante, com tapetes ou colchonetes e almofadas, para os momentos de grande grupo.

Tempo sugerido:

Tempo estimado de 50 minutos.

Perguntas para guiar suas observações:

Como as crianças se movimentam pelo espaço em busca dos objetos escondidos? Esse processo é individual ou elas se apoiam nos colegas e professor?

Que estratégias utilizam para encontrar os objetos sonoros? Socializam suas hipóteses? Como as pistas oferecidas pelo professor são consideradas nesse percurso?

As crianças manifestam interesse pelos tesouros sonoros? Como os exploram e quais são as sensações socializadas?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Esta proposta permite a exploração de diversos objetos, movimentos e expressões, com a utilização dos sentidos (tátil, auditivo, gestual e visual). Essa diversidade favorece que a participação de toda criança seja garantida, com apoio do professor ou de outra criança, se necessário.

O que fazer durante?

1

Convide as crianças a sentarem com você no grande grupo e mostre um cesto coberto com algum tecido, para aguçar a curiosidade delas. Diga que irá compartilhar com elas alguns tesouros seus, para brincarem. Pergunte se alguém tem algum tesouro guardado e deixe que se manifestem. Ressalte que seus tesouros são sonoros e fazem alguns barulhos!

Espere a manifestação dos pequenos, que pode ser alguma fala, olhar, ou se aproximar da cesta. Permita que criem hipóteses e conversem sobre as possibilidades de objetos que possam estar guardados na cesta. Sugira que alguma criança coloque a mão dentro do cesto para sentir o que tem dentro, combinando que não é para olhar. Ao perceberem o som do objeto, pergunte o que elas imaginam que tenha feito aquele som! Retire o objeto e permita que cada criança o explore. Enquanto umas investigam o primeiro objeto, proponha que outra criança vá buscar um novo tesouro, procurando descobrir o que é por meio do som que faz. Repita essa sequência até o último objeto, permitindo que as crianças se movimentem e experimentem todas as possibilidades de sons daqueles tesouros!

Possíveis ações das crianças: uma criança vai até o cesto, mexe em um objeto, o balança e faz cara de assustada com o barulho que fez!


2

Após o último objeto sonoro ser retirado do cesto, demonstre espanto e diga que você deve ter perdido alguns dos seus tesouros. Diga que precisa de ajuda para encontrá-los. Converse com as crianças sobre como farão para encontrar e para saber se são os seus tesouros. Instigue a ideia de que, se as outras coisas do cesto faziam alguns sons, os objetos “perdidos” também devem fazer.

Comente que você deve ter perdido os objetos ali perto, quando trouxe o cesto para esse local. Combine com as crianças para que elas não se desloquem para muito longe. Dessa forma, você poderá vê-las e saber se estão encontrando os tesouros.

Possíveis falas do professor neste momento: Crianças, eu tinha mais tesouros sonoros para brincar com vocês e percebi que estão faltando algumas coisas no meu cesto. Acho que perdi, vocês me ajudam a encontrar?


3

Proponha que as crianças se levantem e comecem a procurar os objetos sonoros escondidos por você previamente em local de fácil acesso. Diga que podem ir junto com os colegas em pequenos grupos, para encontrarem com mais facilidade. Chame a atenção das crianças e diga que devem ser objetos que elas nunca viram por ali. Naturalmente, elas trarão alguns materiais que não fazem parte de sua seleção. Neste caso, aproveite para explorar com elas e verificar se o objeto emite algum som. Se o objeto não emitir, diga “que pena! este não é meu tesouro”. Se emitir, você pode aproveitar para dizer “nossa, esse tesouro sonoro eu ainda não tinha em minha coleção mas agora vou guardar em meu cesto”.

Possíveis falas da criança neste momento: olha, encontrei essa caneta, se eu bater assim no chão, faz barulho!


4

A cada tesouro sonoro encontrado, demonstre contentamento. Confirme junto às crianças se o objeto faz algum som e deixe que elas o explorem livremente. Após algum tempo, combine que vai guardar no cesto para não perder novamente e convide-os a continuar procurando até que todos o tesouros sejam encontrados.

Observe quais estratégias as crianças utilizam para encontrar e certificar que o objeto é um tesouro sonoro, se mexem, batem, perguntam para o amigo ou para você, se levam ao ouvido etc. Fique atento aos comentários e expressões que possam fazer a respeito da sonoridade do objeto ou ao observar que não sai nenhum som. Por exemplo, ao pegar um pau de chuva, o som é instantâneo, mas ao pegar um gravador antigo, não conseguirão emitir o som. Cada situação provocará emoções diferentes às crianças


5

Procure junto com as crianças os tesouros que estiverem faltando, dando a elas algumas dicas em relação ao tamanho, forma e outras características do objeto. Também é possível falar que está quente ou está frio (aproveitando para ensinar aos que não conhecem essa brincadeira).

Algumas crianças podem não se interessar em procurar os objetos. Deixe-as cuidando de seu cesto de tesouros para que não suma mais nada e permita que brinquem se desejarem, combinando que não podem perder nada.


6

Quando todos os objetos sonoros já estiverem sido encontrados e guardados no cesto, organize novamente a grande roda para que conheçam melhor seus tesouros. Escolha um dos objetos para tirar do cesto e conte uma pequena história sobre ele. Por exemplo, pegando o telefone antigo, diga: “este tesouro eu ganhei da minha avó, vocês sabem o que fazemos com ele?”. Deixe que as crianças expressem suas ideias, chame atenção para o som que o telefone faz ao ser discado e fale sobre como seria o som dele tocando. Elas podem brincar com o som de diferentes telefones tocando, relacionando com o celular que hoje utilizam, que podem imitar seus diferentes toques.

A cada tesouro retirado do cesto, você pode criar algumas histórias ou perguntar se alguém conhece ou tem alguma coisa a contar sobre algum dos tesouros.

Desperte a atenção das crianças para as diferentes sonoridades extraídas dos vários tesouros e para as ações que provocam seus sons, como o gravador, que precisa colocar a fita para tocar, o despertador e a caixinha de música, que precisam que dê corda para funcionar etc. Fique atento à expressividade e iniciativa das crianças, seja por movimento, gestos ou falas, e interaja a partir destas manifestações, aguçando a escuta dos pequenos e à exploração dos objetos.

Possíveis falas do professor neste momento: Estou muito feliz de ter todos meus tesouros de volta! Obrigado crianças por encontrarem prá mim. Agora posso apresentar todos eles à vocês!


7

Deixe um tempo para que as crianças brinquem livremente, individualmente ou em pequenos grupos, escolhendo seus parceiros para a brincadeira com os tesouros sonoros. Observe suas novas descobertas, tentativas e experimentações para extrair os sons, as interações e os conflitos que surgem durante este percurso exploratório e como buscam solucioná-los. Procure, neste momento, intervir apenas quando solicitado. Esteja disponível ao observar a necessidade de alguma intervenção, seja para auxiliar a criança a lidar com algum dos objetos ou para mediar alguma situação de conflito. Avise as crianças quando estiver a 5 minutos do tempo estipulado para que comecem a se organizar para concluírem a brincadeira.


Para finalizar:

Avise que a brincadeira está terminando e que precisam guardar muito bem os tesouros de volta no cesto. Cante com as crianças a música que utilizam no momento de guardar os materiais. Você pode acompanhar fazendo sons com algum dos objetos, como, por exemplo, o pau de chuva.

Após todos os tesouros guardados, tampe delicadamente com o tecido e junto com as crianças leve o cesto para um armário ou prateleira na sala de atividades. Diga que, como gostaram muito destes tesouros, você o deixará em local acessível à elas, para que brinquem em outros momentos. Diga que elas precisam ajudar a cuidar para que nenhum objeto suma do cesto!

Desdobramentos

O cesto dos tesouros sonoros pode fazer parte do acervo das crianças para ser utilizado em inúmeras propostas. É possível utilizá-lo em brincadeiras simbólicas, em brincadeiras cantadas, ou mesmo para brincadeira livre, quando buscam na sala de atividades os materiais que desejam brincar.

A brincadeira de esconde esconde também pode ser repetida várias vezes, com os mesmos objetos ou com as crianças inserindo o que desejarem na brincadeira.

É possível também propor uma brincadeira em que o professor se esconde e toca um objeto sonoro para as crianças o encontrarem pelo som ou de olhos fechados, tentando adivinhar o objeto sonoro que um dos colegas está tocando.

Engajando as famílias

As crianças podem investigar em casa alguns objetos que são tesouros sonoros e, se houver concordância dos familiares, trazer para compor o novo cesto de tesouros sonoros da turma.

Ter alguns tesouros e fazer coleções são atividades que seduzem as crianças. Você pode combinar com elas e familiares que tragam para a escola alguns tesouros ou algumas coleções, para compartilhar com a turma. De acordo com o que surgir, é interessante que o adulto venha até a escola para contar sobre a coleção. Por exemplo, alguém que coleciona selos, alguém que coleciona objetos de viagens etc.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Wildes Gomes de Campos

Mentora: Vládia Maria Eulálio Raposo Freire Pires

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 1ano e 7 meses a 2 anos e 11 meses

Campos de Experiência:  Corpo, Gestos e Movimentos. Traços, Sons, Cores e Formas. Espaços, Tempos, Quantidades, Relações e Transformações

Objetivos e códigos da Base:

(EI02TS03) Utilizar diferentes fontes sonoras disponíveis no ambiente em brincadeiras cantadas, canções, músicas e melodias.

(EI02ET01) Explorar e descrever semelhanças e diferenças entre as características e propriedades dos objetos (textura, massa, tamanho).

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.


Abordagem didática: Cantar e tocar são atividades que compõem a educação musical das crianças pequenas. Aos professores, cabe estimulá-las a explorar os sons e barulhinhos que podem fazer com a boca e com os materiais sonoros, ajudando-as nessa construção de sons e de musicalidade. Por isso, a oferta de instrumentos e materiais que produzem sons diferentes dos convencionais amplia as possibilidades do trabalho com a música, em uma proposta que também se baseia na escuta e coloca sua atenção nas similaridades e diferenciações entre sons.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

OUTRAS ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes