13612
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Explorando as Expressões

POR: Fatima Herculano Marcolino 30/11/2018
Código: EDI2_08UND01

2º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02EO05) Perceber que as pessoas têm características físicas diferentes, respeitando essas diferenças.

(EI02EO06) Respeitar regras básicas de convívio social nas interações e brincadeiras.

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Crianças bem pequenas sobre Apropriação de gestos e movimentos

Resumo

ilustracao

Com fotografias da família e espelhos, as crianças vão explorar expressões faciais e corporais.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Antes de realizar a atividade, envie um bilhete às famílias solicitandoque contribuam na exposição, com fotos das crianças ou de familiares fazendo várias expressões faciais ou corporais. As imagens devem conter expressões de alegria, preguiça, tristeza, choro, sono, nojo, indiferença etc.

Este plano faz parte de uma sequência de cinco. São eles:

Explorando as expressões (link)

Brincando com as Expressões (link)

Confecção do Painel das Expressões (link)

Faz de conta na floresta: Sentimentos e sensações (link)

Montando um álbum de expressões da turma (link)

Materiais

Os materiais necessários para a atividade são: barbante ou corda de varal; pequenos espelhos; fotos enviadas pelas famílias; fita adesiva; cds velhos; cola quente; caixa surpresa (caixa de sapatos com tampa e com um espelho colado no fundo, de maneira que, quando a criança abre a caixa, vê seu reflexo no espelho); prendedores de roupas; massinha pegajosa colocada em recipientes ou tigelas largas; gelatinas preparadas em diversas cores, preferencialmente colocadas em bacia ou tigela larga para facilitar o manuseio; mesinhas de apoio; papel toalha para limpar as mãos; caixa com brinquedos de encaixe. Se achar necessário, acrescente outros materiais de exploração, para que as crianças tenham possibilidades de vivências variadas, o que fará com que ampliem suas pesquisas e conheçam melhor o mundo à sua volta.

Espaços:

Monte a Exposição dando preferência a um espaço interno, que pode ser a própria sala de atividades ou outra que a Instituição tenha disponível, com espaço para as crianças circularem e explorarem. Prenda a corda de varal ou barbante na parede escolhida para montar a exposição e pendure as fotos utilizando os prendedores, intercalando com alguns pequenos espelhos que devem ser presos com barbante ou fita. Distribua as mesinhas de apoio com os cds, massinha pegajosa, gelatinas e caixa surpresa em pontos diferentes da sala, para que as crianças os descubram ao circular e explorar o espaço.Todos os materiais devem ficar ao alcance das crianças, favorecendo um ambiente em que as crianças interajam com os colegas, observem, experimentem e aprendam de maneira espontânea. Também deixe na sala uma caixa com jogos de encaixe, para que as crianças que forem encerrando a exploração possam brincar.

Tempo sugerido:

O tempo estimado para esta atividade é de 1 hora.

Perguntas para guiar suas observações:

1. As crianças identificam características próprias e dos colegas? Como expressam isso (imitando, apontando, fazendo comentários)?

2. As crianças se sentem confiantes para explorar os diversos elementos da exposição? Solicitam ou demonstram (por meio do comportamento) necessitar da ajuda do professor? Para quais ações mais solicitam apoio do adulto ?

3. As crianças interagem com os elementos da exposição utilizando e se expressando através de todo o corpo? Quais gestos e movimentos que mais utilizam? Com as demais crianças e adultos, há interação? Como ela acontece?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Possibilite as pesquisas das crianças com relação às expressões faciais e corporais, assegurando a todas os direitos de explorar, expressar e participar. Ajude as que tiverem dúvidas sobre por onde podem iniciar a exploração, convidando para participarem com os colegas, olhando as fotos, manuseando a massinha e no que mais demonstrarem necessidade de apoio.

O que fazer durante?

1

Convide as crianças a se sentarem na roda com você no grande grupo e conte que irão visitar um espaço especialmente preparado para elas. Conte que neste espaço tem um canto com vários materiais para serem explorados. Combine com as crianças que, quando chegarem lá, elas poderão escolher o que querem ver primeiro e brincar com tudo o que estiver disposto. Converse com elas, ainda no grande grupo, sobre a ideia de fazerem um álbum das expressões da turma e diga que, para isso, você vai tirar fotos delas enquanto brincam, registrando suas expressões.


2

Convide as crianças para que se desloquem até o local preparado para elas. Garanta que elas cheguem em segurança e fique sempre atento àquelas que necessitarem de ajuda.Quando chegarem ao espaço, lembre o grupo que tudo que está ali organizado é para eles brincarem. É possível que parte das crianças vá direto para ação e parte fique ainda observando, com certa apreensão. Incentive as que estão mais contidas a participarem da exploração. Deixe que as crianças escolham onde, com o que e com quem querem brincar. Incentive elas a buscarem apoio dos colegas, em especial quando precisarem de ajuda, e enfatize que se apoiem umas às outras.


3

Observe comoas crianças exploram o ambiente, como interagem com os colegas e experimentam as possibilidades de cada proposta. Lembre que é importante deixá-las livres para explorar. Incentive e ajude se for necessário, sempre considerando a importância da autonomia para se expressarem naturalmente.

Algumas crianças poderão ficar desconfortáveis com as mãos sujas de gelatina ou de massinha pegajosa. Para que isto não atrapalhe as outras explorações, disponibilize o papel toalha para que higienizem as mãos. Enquanto elas exploram e brincam com os materiais, circule, observe e fotografe as descobertas delas, registrando suas reações, expressões corporais e faciais.

Possíveis falas das crianças neste momento: Credo, que nojo!; Olha, ela é mole, não quero pegar!; Eu gosto, é legal, ela escorrega!; Pode comer a gelatina?

Possíveis ações das crianças neste momento:algumas crianças podem ficar aflitas tentando limpar as mãos e outras crianças podem fazer caretas e até chorar como forma de indicar o desagrado.


4

Incentive as crianças a observarem as fotos do varal de exposição. Este será o momento em que encontrarão imagens próprias e de familiares. Isto poderá gerar interesse e curiosidade entre elas, instigando conversas e interações variadas. As crianças descobrirão os espelhos enquanto estiverem observando as fotos, então sugira que elas brinquem com a própria imagem no espelho.

Nesta parte da atividade, você poderá sugerir que elas expressem diante do espelho como foi a sensação e os sentimentos que experimentaram quando manusearam a gelatina e a massinha pegajosa.

Possíveis ações e falas do professor neste momento: convide as crianças para se aproximarem do espelho e fale: Qual foi a sensação de tocar na gelatina? E na massa gosmenta? Que careta fazemos quando sentimos essas sensações?


5

Respeite o tempo da atividade levando em consideração o interesse de exploração das crianças. Avise, com 5 minutos de antecedência, que a atividade já vai acabar e dê um tempo para que elas explorem mais um pouco, se desejarem. Quando o tempo acabar, explique que está na hora de encerrar a brincadeira, mas que algumas propostas permanecerão na sala para que elas possam brincar outras vezes .

Você pode deixar alguns brinquedos de encaixe reservados em uma caixa e oferecer para as crianças que terminarem antes a exploração e quiserem brincar de outra coisa.


6

Antes de encerrar a atividade, ainda no espaço em que a exposição foi explorada, convide as crianças para que, em grande grupo, possam conversar a respeito da brincadeira que vivenciaram. Dê espaço para que se manifestem quanto às suas descobertas, compartilhando com os colegas sobre o que mais gostaram e o que não gostaram de fazer. Converse sobre a atividade e pergunte o que elas viram na exposição de fotos, se tinha alguém que elas conheciam e como se sentiram ao verem fotos de pessoas conhecidas. Organize as falas e outras formas de expressão, para que observem umas às outras e tenham a oportunidade de falar dos sentimentos e preferências, assim como demonstrar corporalmente. Aproveite esse momento para fazer fotos das expressões que forem surgindo com os relatos. Se tiver uma criança que não queira compartilhar, deixe outras se expressarem e depois volte a palavra para ela e pergunte se ela quer contar sobre a experiência.Respeite as crianças que não querem se manifestar e apenas faça o convite.


Para finalizar:

Convide as crianças para organizarem o espaço e guardarem os materiais em local predeterminado. Isto é uma atividade importante para colocá-las como ativas e responsivas pelo espaço que pertence a elas. Para que seja divertida a organização do espaço, você pode cantar com o grupo uma cantiga já usada no cotidiano para esta prática. A sugestão de música está neste link.

Desdobramentos

Esta atividade pode ser um bom caminho para criar com as crianças, a partir do desenvolvimento de outras propostas, um álbum de expressões do grupo. Para tanto, aproveite as fotos tiradas durante a exploração do espaço para que, juntos, organizem propostas que ajudem na construção do álbum. Por exemplo: selecionar fotos que farão parte do álbum, conversar e combinar as legendas e o título que querem, categorizar as imagens de acordo com as sensações, mostrando quanto nosso corpo reage fisicamente a elas etc. Este álbum pode ser apresentado às famílias em reuniões pedagógicas e ficar disponível na sala, para que as crianças possam reviver as expressões que vivenciaram durante a atividade. É importante repetir esta proposta algumas vezes, utilizando imagens variadas para ampliar a exploração em torno de diferentes sensações e expressões corporais e faciais das crianças.

Engajando as famílias

O envolvimento das famílias é muito importante para o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças. Elas se sentem muito mais seguras e orgulhosas de suas descobertas e produções quando sabem que as famílias estão participando das atividades de alguma forma. Assim, convide as famílias para visitarem a exposição de fotos que foi montada com as imagens que elas mesmas enviaram para a instituição.

Você também pode imprimir as fotos tiradas durante esta atividade e montar, com as crianças, um álbum de expressões da turma para levar à uma reunião pedagógica com as famílias.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Fatima Herculano Marcolino

Mentor: Elisiane Andreia Lippi

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 3 anos.

Campos de Experiência:  O eu, o outro e o nós; Corpo gestos e movimentos.

Objetivos e códigos da Base
Centrais:

(EI02EO05) Perceber que as pessoas têm características físicas diferentes, respeitando essas diferenças.

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

Transversal:

(EI02EO06) Respeitar regras ba?sicas de convi?vio social nas interac?o?es e brincadeiras.

Abordagem didática:

As crianças desta faixa etária estão em pleno desenvolvimento da personalidade. Em interação com outros, elas têm a oportunidade de observar e interiorizar características que podem modificar suas escolhas, preferências, modos de agir etc. Atividades como o álbum do grupo permitem que as crianças representem a si mesmas e depois coloquem isso em perspectiva. Dessa forma, elas conhecem outros modos de expressão e de estar no mundo, fundamentais para se constituírem como sujeitos e para aprenderem sobre o mundo que as cerca.  

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes