5 planos de atividade para trabalhar folclore na Educação Infantil

O contato com a cultura popular pode ampliar as experiências das crianças, além de ajudá-las a conhecer mais sobre as histórias e lendas de sua região

POR:
Daniel Santos
Crédito: Getty Images

Um saber que se valoriza ao longo de tempo e se perpetua no imaginário e dia a dia de uma comunidade: esse é o folclore. Palavra de origem inglesa, folk-lore significa “sabedoria ou conhecimento de um povo”, algo ligado às tradições e manifestações culturais locais. Muitas dessas expressões, que contam as histórias de uma região ou de um país, são transmitidas de forma oral de pais para filhos, de avós para netos. 

Trabalhar essa temática no Educação Infantil é abrir a oportunidade para que as crianças despertem a curiosidade e o interesse pela sua cultura. “A vivência dos saberes populares alcança todos os pontos importantes da formação das crianças, pois essas atividades folclóricas são fundamentalmente socializadoras. Além de colaborarem para a formação dos aspectos psicológico-emocionais, intelectual-cognitivos e até no desenvolvimento físico das crianças nas suas diversas modalidades”, explica Alberto Tsuyoshi Ikeda, professor de Cultura Popular e Etnomusicologia do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (UNESP).

No Brasil, o Dia do Folclore é comemorado em 22 de agosto. Danças como o baião ou a catira, ritmos como o coco ou maracatu, e os personagens mais famosos, como saci-pererê e curupira são lembrados nessa época do ano. 

Muitas vezes as escolas concentram as atividades que exploram o folclore e a cultura popular no mês de agosto. No entanto, como comenta Renata Braga Fonseca, professora da rede municipal de Manaus (AM), é importante abordar essas expressões culturais durante todo o ano. “O folclore brasileiro é um dos mais diversos no mundo. Por isso, nós devemos explorar todas essas riquezas populares”, afirma. Cada região traz uma marca cultural muito forte e com comemorações em épocas diferentes. “Somos ricos não só em lendas, mas em parlendas, músicas, comidas típicas, tudo que fala muito sobre as culturas regionais do nosso país”, completa. 

O trabalho com cultura popular é uma boa oportunidade para envolver as famílias e que elas partilhem os conhecimentos. “O folclore faz o resgate da história, do reconhecimento do passado, da identidade cultural. É interessante a criança conhecer as brincadeiras dos seus pais e avós”, diz Renata. O contato com aquilo que foi produzido pelos antepassados pode estimular respeito pelo passado, pelas diferenças, pela diversidade. 

Muitas canções infantis são expressões integradas com movimentos de roda, gestuais, linguagens, danças e outras atividades variadas que potencializam a formação das crianças. Alberto Tsuyoshi Ikeda lembra da importância de abordar essas atividades não como conhecimento ou conteúdo específico, mas sim como experiências culturais para serem vivenciadas. 

O professor ainda faz um alerta sobre a necessidade de ter cuidado na hora de selecionar as canções e brincadeiras a serem apresentados para os pequenos. “O folclore também abriga  aspectos que devem ser questionados e merecem algum critério de seleção e até discussão com as crianças”, ressalta Alberto. “Mesmo a vertente infantil [da cultura popular], preserva valores morais históricos que resultam do preconceitos de raça, como ‘Barra Manteiga na fuça da nega’; princípios antiecológicos, como ‘Atirei o Pau no Gato’, e educação repressora e intimidadora, como ‘Boi da cara preta’ e ‘Sambalelê’”, finaliza. 

NOVA ESCOLA selecionou a seguir 5 planos de atividade para trabalhar o folclore com as crianças. Todos os materiais contam com sugestões para usar a distância. Confira:

Conhecendo a ciranda Cacuriá do Maranhão
Aproveite essa atividade para apresentar às crianças uma das danças típicas do estado do Maranhão, o cacuriá. A expressão artística faz parte das festividades do Divino Espírito Santo, uma das tradições juninas. Para usar o plano a distância, é possível gravar um vídeo explicando como a atividade deve ser feita e enviar às famílias. Você pode utilizar objetos ou imagens que lembrem essas cantigas para dinamizar a sua gravação.

Explorando as letras das cirandas de roda
Aqui o professor vai explorar os conhecimentos que as crianças têm sobre as cirandas de roda. Os pequenos podem mostrar às famílias as letras que já recebem e criarem uma brincadeira em casa. Os pequenos devem ser convidados a dançarem em roda, que possam se movimentar seguindo o ritmo. Para saber mais sobre a atividade, confira aqui

Brincadeiras cantadas: Valorizando a tradição popular

Neste curso gratuito, a proposta é contribuir para a ampliação do repertório de canções e brincadeiras da tradição oral brasileira. O repertório escolhido possibilita desafios rítmicos, melódicos e de coordenação entre movimento, palavra e música para potencializar o desenvolvimento integral da criança nos diversos aspectos da sua formação: emocionais, físicos, cognitivos, sociais e motores.

Brincando com cantigas de rodas conhecidas
Essa é mais uma atividade para explorar o repertório dos pequenos sobre cantigas que eles conhecem. Nesta proposta, a família pode  apresentar algumas cantigas folclóricas que conhecem e que fazem parte da cultura regional onde estão inseridos. É a oportunidade para ampliar o repertório de cantigas e as experiências das crianças.

Pesquisa sobre cirandas
Nesta atividade a criança, junto com a família, vai realizar uma pesquisa sobre as tradições populares e as cantigas das várias regiões do país. Para propor esta atividade para os pequenos, confira as sugestões de adaptação aqui.

Conhecendo a ciranda Coco de roda
O coco, ritmo tradicional em Pernambuco, é outra dança que pode ser apresentada aos pequenos. Para propor esta atividade, envie alguns vídeos sobre esse ritmo e peça que os responsáveis conversem com as crianças sobre as características e movimentos do ritmo pernambucano. Eles podem aproveitar para gravar um vídeo dançando em casa.

Tags

Guias