13447
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Plano de aula - C ou QU?

POR: Isabella Patrícia Oliveira Madeira Da Silva 25/11/2018
Código: LPO2_03ATS01

2º ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

Plano de aula alinhado à BNCC:

(EF02LP03) Ler e escrever palavras com correspondências regulares diretas entre letras e fonemas (f, v, t, d, p, b) e correspondências regulares contextuais (c e q; e e o, em posição átona em final de palavra).

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 2º ano do Fundamental sobre construção do sistema alfabética usando palavras com C ou QU

 

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a primeira aula de um conjunto de três planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade deste conjunto de planos é perceber as regularidades na escrita de palavras com C e QU.

Materiais necessários: Cartolinas para a confecção do convite para o aniversário da dona Cutia; Texto do convite para impressão (clique aqui para acessar). Fichas silábicas para o desenvolvimento da atividade: 10 fichas CA; 10 fichas CO; 10 fichas CU; 10 fichas QUE; 10 fichas QUI que preencherão as partes faltantes no convite e serão utilizadas na atividade de reflexão. Caderno de produção textual. Quadro, giz ou pincel para quadro. Projetor multimídia para projeção dos slides da aula.

Dificuldades antecipadas: Não compreenderem a regularidade do uso do C e do QU com as vogais correspondentes para obter o som de /k/

Referências sobre o assunto:

MORAIS.;A.G.; Ortografia: ensinar e aprender. São Paulo: Ática,1998

NÓBREGA, Maria José. Ortografia. São Paulo: Melhoramentos, 2013. Disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/hotsite/especial-ortografia-reflexiva/#cap1

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

  • Nesta atividade, as crianças serão levadas a refletir e expressar suas reflexões por meio de afirmativas e respostas que as conduzirão a novas descobertas. Procure sempre validar socialmente o conhecimento produzido pelos alunos, utilizando-se de frases:
  • Olha, eu gostei muito da forma como você pensou para dar sua resposta! ou Suas ideias são interessantes, o caminho que você percorreu para me dar sua resposta foi muito bom.

Assim, você estimulará as crianças a participar e a articular bem seus pensamentos ao que está sendo proposto no desafio.

  • Enquanto cola no quadro o cartaz do convite (texto e instruções de confecção disponibilizados nos materiais) e dispõe as fichas organizadas no chão, explique aos alunos que, por meio desta atividade com as sílabas, eles poderão descobrir muitas coisas relacionadas ao modo como escrevemos certas palavras e que, para descobrir o segredo sobre o som das letras, destas sílabas e até mesmo das palavras, devem ficar bem atentos e participar com perguntas e respostas; dando e ouvindo dicas.

Tempo sugerido: 5-8 minutos.

Orientações:

  • Organize seus alunos em roda, à frente, no chão. Previamente, deixe o convite preso ao quadro e coloque as fichas divididas em montes (CA, CO, CU, QUE e QUI) no centro da roda. Pense no nível de dificuldade na hora de organizar estes montes, podendo deixá-los aleatórios ou agrupados por sílabas iguais e arrumadas em ordem alfabética etc. Estas fichas serão usadas para preencher as lacunas apresentadas no texto do convite. Lembre-se de que na atividade inicial o gênero convite não é o foco da aula, pois o foco está na descoberta das regularidades e na elaboração da lista. O convite é apenas o texto escolhido para que as crianças analisem. Peça para que as crianças olhem o texto preso ao quadro e pergunte:
    a. Vocês sabem que tipo de texto é este preso ao quadro?

Se as crianças não souberem, explique que se trata de um convite.

b. Mas está faltando algumas partes das palavras, vocês perceberam?

  • Inicie a contextualização da atividade, apresentando a seguinte problemática sobre o convite:
    a. Dona Cutia escreveu os convites para o seu aniversário e o Corvo ficou de levá-los para todos os convidados. Mas, no meio do caminho, várias sílabas se soltaram das palavras do convite. Então, a Capivara só saberá o que está escrito se encaixar essas sílabas nos lugares certos.

b. Será que podemos ajudar a Dona Capivara neste desafio? Vamos ver que partes são essas?

  • Mostre as fichas (CA, CO, CU, QUE e QUI) para os alunos. Diga que foram esstes pedacinhos que se soltaram do convite e que precisarão encontrar o lugar certo onde prendê-los de novo.
  • Esta apresentação pode ser feita de duas maneiras: mostrando a sílaba e perguntando qual é o nome dela, ou falando sobre a sílaba e pedindo para que as crianças apontem sobre qual delas você está falando. É interessante fazer uma mistura de apresentações, pois assim as crianças que ainda não estão alfabéticas vão olhar de modo mais especulativo para a estrutura de cada sílaba. Se as crianças tiverem dificuldade na leitura das fichas, tente resgatar algo com o qual elas já são familiarizadas, utilizando palavras que contenham estas sílabas e que elas já conhecem, por exemplo, os nomes dos colegas, que podem estar escritos em algum lugar na sala.
    Pergunte, por exemplo:
    a. Vocês já sabem que sílaba é esta? Conhecem o seu som? Qual é? - Enquanto apresenta uma sílaba.
    b. Quando a letra C se juntou à letra A e formou uma sílaba, como ficou o som dessa sílaba? - Não mostre a sílaba, peça para que apontem para a sílaba.

c. Vocês perceberam que junto da letra Q temos sempre o U? Ele é um companheiro inseparável desta letra. Olhe para as sílabas com Q e veja se o U não está bem grudadinho com o Q. Alguém poderia me apontar algumas palavras do convite em que temos o Q? Ele está sendo usado junto com o U em todas as palavras? Voltemos para as sílabas, quem pode ler essas sílabas com Q para mim? (apontar para QUE e QUI). Espere que leiam. O som do U não aparece não é mesmo? Mas mesmo assim ele é necessário para usarmos a letra Q. Esta é uma regra que é sempre bom lembrar: Q sempre vem acompanhado do U e de mais uma vogal, e é esta última vogal que vai marcar o som da sílaba. Vocês podem notar a diferença no som destas duas sílabas? (levante o QUE e depois o QUI). Não foram as últimas vogais que marcaram o som dessas sílabas? Mas usar somente Q e U não é suficiente para formar uma sílaba. Por que quando queremos escrever uma palavra com a sílaba Cu, como em cutia ou curioso, nós usamos quais letras? Isso mesmo, já conseguimos esse som com o C e U. Então, quando pensamos nas sílabas com Q, já temos de pensar que o Q estará sempre com o U, formando o QU. Lembrem-se desta conversa sobre QU e CU, pois lá na frente nós vamos conversar sobre isso novamente e vamos fazer mais descobertas.

d. Pegue duas ou três sílabas iguais, exemplo: Pegue 3 sílabas CA e coloque-as uma ao lado da outra e pergunte: Para eu formar essa sílaba é só eu colocar essas letras juntas? Posso colocar o A na frente do C? Como elas estão? As crianças vão notar que em todas as sílabas iguais o C está sempre na frente do A. Você pode fazer isso com todas as sílabas.

  • Depois de terem lido todas as sílabas:
    a. O que será que essas sílabas têm em comum? Pensem nisso, pois até o final da aula nós vamos descobrir.

Materiais complementares: Clique aqui para acessar. Neste documento você terá o texto do convite já com as lacunas e as sugestões de tamanho das letras para impressão e espaçamento das palavras. Confeccione o convite com o texto e as cartolinas. Imprima as sílabas no mesmo tamanho do texto e cole-as em cartolina, sem borda, para que fique mais fácil das crianças manuseá-las. Estas sílabas selecionadas representam o valor de base das letras C e QU. Para saber exatamente em que espaços estas sílabas serão postas, clique aqui.

Tempo sugerido: 35 minutos.

Orientações:

Esta primeira parte do desenvolvimento deve durar de 10 a 15 minutos

  • Peça para que os alunos olhem agora para o texto do convite que está preso ao quadro e pergunte:
    a. Vocês conseguem identificar alguma destas sílabas nas palavras inteiras que estão no convite?
    b. Vamos reconstruir juntos este convite? Eu vou fazer a leitura e, quando eu pausar, vocês podem sugerir qual dessas sílabas das fichas é a que devemos usar para completar as palavras.

  • Faça a primeira leitura do convite e peça a ajuda dos alunos para encaixar as partes faltantes das palavras. Explore as descobertas, permitindo tentativa e erro com a manipulação das sílabas, levantando os seguintes questionamentos quando for preciso pausar a leitura nas sílabas faltantes:
    a. Qual dessas sílabas você acredita que devemos escolher para completar esta palavra? - Espere a sugestão e continue: E por que você a escolheu?
    b. Tem alguém que discorda dessa escolha? – Se houver alguém que discorda: Por que você discorda?
  • A criança pode saber, na oralidade, a sílaba correta e então dizê-la, recusando-se a apontar qualquer uma das fichas no chão, pois na leitura não sabe ainda fazer esta identificação. Lembre-os que em toda sílaba sempre tem uma vogal e que lembrar o som da vogal pode ajudar a identificar também o som das sílabas, explicando por exemplo:
  • Quando a letra A se junta com a letrinha B, formamos o BA, quando se junta com a letrinha C, formamos o CA, Com D, fica DA. BA, CA, DA, FA, GA, JA, LA, percebe que o som final é parecido? Se você pensar nisso, pode ir descobrindo pistas que vão te ajudar a ler as palavras, ou pedacinhos das palavras.
  • Isso pode fazer com que os alunos, que ainda não sabem ler, passem a analisar melhor a composição do que está escrito e comecem a fazer associações enquanto ouvem e veem o que está escrito. Assim, os alunos que estiverem se apoiando nas consoantes e, por isso, tiverem dúvidas para escolher uma sílaba, já que todas essas têm o som de /k/ por causa da consoante, passem a olhar também para as vogais e o som que elas atribuem para cada sílaba. É uma maneira de fazer essas crianças confrontarem o que sabem sobre a escrita e passarem a se apoiar em outras pistas, compreendendo que uma consoante precisa de uma vogal nas sílabas. E para aqueles que se apoiam só na vogal, pensar também no som que cada consoante dá às sílabas junto das vogais.

  • Defina se todos podem opinar em cada escolha ou se é melhor selecionar alguns alunos para dar as respostas. É importante que todos participem, portanto, se perceber que alguns alunos não estão opinando, faça perguntas para estes alunos específicos, chamando-os para participar. É interessante direcionar as crianças que estão no processo de descoberta a participar nestas tentativas e incentivar aqueles que já compreendem mais o conteúdo, à contraposição de ideias, permitindo que respondam por que discordam de uma das escolhas, ou convidando-os a dar dicas para seus colegas, pedindo que eles encontrem no texto alguma palavra que use a mesma sílaba e apontem para esta palavra para ajudar o colega a descobrir. Depois de preenchidas todas as lacunas no convite, leia com as crianças todo o texto, agora com as palavras inteiras.

Orientações:

Esta segunda parte do desenvolvimento deve durar 15-20 minutos.

  • Peça para que os alunos se sentem em grupos de quatro ou cinco. Distribua as fichas com as sílabas que sobraram, pelo menos uma ficha CA, CO, CU, QUE e QUI para cada grupo. Peça para que eles discutam entre si sobre as descobertas que fizeram na atividade anterior, a do convite, e pergunte para eles como poderiam organizar, em uma tabela, as palavras que foram completadas no convite, levando-os a pensar em algumas diferenças e similaridades. Aqui, para compreenderem as similaridades, relembre-os que todas estas sílabas têm um som parecido, que eles devem perceber ser o som /k/. Se precisar, leia bem devagar cada sílaba, marcando bem o som da consoante e vogal.
  • Dê a eles mais ou menos 3 minutos para que façam esta análise, agora, sobre as possíveis diferenças encontradas nas sílabas, e vá passando de grupo em grupo. Espera-se que surja, dentre as sugestões e discussões, a ideia de que existem palavras que são escritas com C e outras com QU e que esta seria uma forma de listá-las. Caso isso não ocorra, vá anotando as sugestões no quadro e faça mais perguntas, como:
    a. O que as palavras “Capivara” e “Cutia” têm em comum? E o que as palavras “Querida” e “Quinze” têm em comum?

b. Quantas sílabas temos, vamos ver? Ler em voz alta CA-QUE-QUI-CO-CU. Quantas consoantes usamos?Quando as crianças chegarem à conclusão sobre o uso da letra C e Q, enfatizar, com elas, que o desafio era analisar o som e a escrita destas sílabas (com som /k/) e que este era o propósito da aula, aprender que algumas palavras com o som de /k/ poderiam ser escritas com C e outras com QU.

  • Proponha aos alunos que criem uma lista com as palavras que usam o C e o QU com som de /k/ que encontrarem no texto, pois assim eles poderiam fazer mais descobertas. Faça a lista em conjunto com os alunos, no quadro, enquanto eles produzem no caderno. Peça para que eles olhem para o texto e ditem as palavras, dizendo em que coluna ela deve ser colocada, na coluna do C ou na coluna do QU. É um bom momento para pedir a ajuda dos alunos menos participativos da atividade anterior.

Orientações:

  • Estabeleça com os alunos, observando as palavras na lista, as regularidades do uso das vogais A, O e U com a letra C, e o uso das vogais E e I com as letras QU. Para isso, peça para que os alunos olhem para a lista, circulem somente as sílabas com C e QU, e discutam com o grupo se eles perceberam algum tipo de padrão no uso das vogais com a letra C e com as letras QU para formar as sílabas. Relembre a regra do Q+U com eles, explicando que o U, aqui, vai ser sempre usado com Q e que não é esta a descoberta relacionada ao Q que se está procurando para essa lista, mas sim, uma outra regra.
  • Peça para que ditem para a professora quais vogais são recorrentes nas palavras com C e quais são recorrentes nas palavras com QU. Escreva as sílabas sobre as colunas da lista.
  • Nesta parte da aula, em que as crianças estão percebendo a regularidade do som /k/ da letra C, podem surgir questionamentos do porquê não se usa a letra C com a letra E ou I para conseguir este mesmo som. Diga às crianças que a letra C pode apresentar dois sons: o som de /k/ quando se junta com: A, O e U como já ficou evidente na lista, e com as letras E e I, a sílaba com C fica com som de /S/. No texto do convite há o uso da letra C, neste contexto, na palavra CINCO. Em conjunto, lembrem-se de mais palavras que são usadas seguindo esta regra, como, por exemplo: CEBOLA. CECÍLIA, etc. Explique que é por isso que utilizamos QU quando vamos escrever algo com som de QUE e QUI e não CE ou CI.

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientações:

  • Converse sobre as descobertas das regularidades, perguntando se no início eles pensaram que o desafio de encaixar as sílabas no texto seria difícil ou fácil, porque pensavam assim, e se a atividade foi interessante. Resgate nomes de pessoas e palavras que eles já conhecem e que seguem a regularidade vista na aula.
  • Pergunte se eles agora vão pensar antes de usar o C ou QU para escrever alguma palavra, lembrando sempre da vogal que define o seu uso.
  • Durante a atividade, o uso da letra K pode surgir, o que pode gerar certa confusão no entendimento das crianças. Sobre o uso da letra K, explique que esta letra é usada apenas em algumas situações: nomes de pessoas, como Kátia; nomes de coisas: Ketchup, kit; marcas de produtos: Kibon, Kia, Kaiser; e que geralmente estas são palavras ou nomes que vieram de outras línguas, como também: funk, rock e karatê, mas que nós aceitamos na nossa língua e que isso é muito comum em qualquer idioma.
  • É importante que eles entendam que as regras que temos estão ligadas ao uso do C e do QU e que são as letrinhas que mais vamos usar para escrever as palavras com som de /k/ na nossa língua, e que se eles se lembrarem disso, vai ficar mais fácil escrever as palavras de memória, quando precisarem.
  • Peça para que eles façam um registro do que aprenderam na aula, com suas próprias palavras. Ex: "Hoje, na aula, descobrimos que com a letra C a gente usa as letras A, O e U..." para reforçar os conceitos relacionados ao uso das regularidades. Caso seja possível, solicite que alguns alunos compartilhem seus registros.

.

Este plano de aula foi produzido pelo Time de Autores NOVA ESCOLA
Professor-autor: Isabella Patrícia Oliveira Madeira da Silva
Mentor: Gislaine Magnabosco
Especialista: Tânia Rios


Título da aula: 
C ou QU?

Finalidade da aula: Perceber as regularidades na escrita de palavras com C e QU, por meio de atividade de análise e manipulação de um texto lacunado.

Ano: 2º ano do Ensino Fundamental

Objeto(s) do conhecimento: Construção do sistema alfabético

Prática de linguagem: Análise linguística e semiótica

Habilidade(s) da BNCC: EF02LP03

Sobre esta aula: Esta é a primeira aula de um conjunto de três planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade deste conjunto de planos é perceber as regularidades na escrita de palavras com C e QU.

Materiais necessários: Cartolinas para a confecção do convite para o aniversário da dona Cutia; Texto do convite para impressão (clique aqui para acessar). Fichas silábicas para o desenvolvimento da atividade: 10 fichas CA; 10 fichas CO; 10 fichas CU; 10 fichas QUE; 10 fichas QUI que preencherão as partes faltantes no convite e serão utilizadas na atividade de reflexão. Caderno de produção textual. Quadro, giz ou pincel para quadro. Projetor multimídia para projeção dos slides da aula.

Dificuldades antecipadas: Não compreenderem a regularidade do uso do C e do QU com as vogais correspondentes para obter o som de /k/

Referências sobre o assunto:

MORAIS.;A.G.; Ortografia: ensinar e aprender. São Paulo: Ática,1998

NÓBREGA, Maria José. Ortografia. São Paulo: Melhoramentos, 2013. Disponível em: http://www.plataformadoletramento.org.br/hotsite/especial-ortografia-reflexiva/#cap1


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

AULAS DESSA UNIDADE:

AULAS DESSA DISCIPLINA:

1º Ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

2º Ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

AULAS RELACIONADAS:

2º Ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes