15923
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Educação Infantil > Creche - Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Atividade - Construção de um jogo de percurso

Nesta atividade, as crianças irão criar jogos de tabuleiro em tamanho grande, como a amarelinha.

Plano 04 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Atividade alinhada à BNCC: • POR: Adriana Mitiko do Nascimento Takeuti

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para realizar esta atividade, é importante que as crianças já tenham jogado, ou manuseado algum jogo de tabuleiro e que tenham construído e brincado em percursos. Elabore com elas uma lista de materiais a serem utilizados nessa construção e a envie para as famílias, solicitando a colaboração de todos para reuni-los. Combinem um ou mais dias para a entrega desses materiais. Converse com a gestão da escola sobre a possibilidade de deixar o tabuleiro disponível para outras turmas no espaço em que ele for construído.

Para se inspirar, leia os textos Jogos de percurso - Contribuições para o ensino da matemática na Educação Infantil; e Esse jogo é nosso, ambos do Instituto Avisa lá.

Este plano faz parte de uma sequência de cinco. São eles:

Sondagem dos jogos conhecidos pelas crianças

Escolha dos jogos preferidos

Jogando um jogo novo

Construção de um jogo de percurso

Ampliação de repertório: os jogos das famílias

Materiais:

Para reunir os materiais, defina como vocês vão fazer a base das casas nas quais as crianças vão pisar. Aproveite o que tiver disponível na escola. Para se inspirar, imprima os modelos para percursos. É importante que você e a turma os utilizem apenas como inspiração para suas próprias criações.

Para o tabuleiro: gravetos, cordas, fitas adesivas, papelão, caixas, bambolês, cartolinas, papel kraft, canetinhas hidrocor, tintas, brinquedos e sucatas. Considere selecionar esses ou outros materiais, de acordo com a decisão das crianças (com seu apoio) sobre como querem construir o tabuleiro. Faça um dado grande, imprimindo da Internet algum modelo de recorte e colagem dele, ou da forma como você preferir.

Caso esteja seguindo a sequência de planos, a sugestão de materiais para o livro são: papel canson A3, ou outro grande e grosso; caneta, canetas hidrocor, gizes, cola, tesoura, tintas etc. Se preferir, computador e projetor para registrar as falas das crianças.

Para demais registros: aparelho fotográfico e de gravação de vídeo e áudio.

Espaços:

Planeje que esta atividade seja realizada em um espaço amplo, como um pátio, ou uma quadra, que permita toda a construção do tabuleiro gigante, de forma que as crianças caibam em cima das casas. Depois, em sala, reúna o grupo para a construção do livro.

Tempo sugerido:

Cerca de uma hora e vinte minutos sendo aproximadamente, 15 minutos para o momento de conversas iniciais, 30 minutos para o momento de construção do tabuleiro e 35 minutos para o momento de brincar no tabuleiro.

Perguntas para guiar suas observações:

1. De quais formas as crianças se deslocam ao construir e percorrer o percurso do tabuleiro? Como elas se orientam no espaço?

2. Como as crianças demonstram fazer conexões entre os movimentos dos corpos delas e as regras do jogo? E como elas planejam essas ações?

3. Ao se deslocar entre as casas, organizar os materiais e acompanhar as jogadas, quais gestos e falas indicam que as crianças tentam fazer uso de contagem? De que forma essas contagens as auxiliam-nas nessas ações?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e às diferenças de cada criança ou do grupo. Levante hipóteses sobre como as crianças se deslocarão entre as casas: pulando, se arrastando, engatinhando, com a ajuda de um adulto etc. Assim, adapte os materiais para serem desafiadores e acessíveis a todas, com caixas cortadas, papéis de diferentes cores e texturas, pinturas em relevo (indicando o que acontece no local) etc. Proponha que as crianças que não estejam dentro do tabuleiro ajudem as demais, sugerindo movimentos e indicando o que há no espaço. Auxilie aquelas que demonstram necessitar de mais apoio.

O que fazer durante?

ilustracao

1

(Cerca de 15 minutos para o momento de conversas iniciais)

Reúna todo o grupo no espaço escolhido para a atividade e diga que hoje vocês vão construir um tabuleiro gigante! Retome com as crianças jogos que envolvem tabuleiro e que já conhecem, permanecendo atento a conhecimentos e ideias que elas trazem. Tenha em mente que amarelinha é um tipo de jogo de tabuleiro gigante, ainda que com suas regras específicas.

Possíveis falas do professor neste momento: Vocês já jogaram jogos de tabuleiro antes? Como eles eram? O que tinha neles? Como vocês os jogavam? Como vocês imaginam que seja um tabuleiro gigante?


2

Explique para as crianças que primeiro vocês vão construir um tabuleiro e que, em seguida, vão jogar dentro dele. Por isso, elas próprias serão os peões do jogo. As crianças poderão colaborar envolvendo-se nas diferentes etapas de construção ou manuseando e conhecendo os materiais com liberdade.

Possíveis falas do professor neste momento: Como vocês acham que é um tabuleiro gigante? Qual tamanho ele precisa ter? Como podemos construí-lo?


3

Diga para todo o grupo que vocês precisam escolher um tema desse tabuleiro gigante de percurso e um nome para ele. Procure valorizar o que as crianças expressam, de forma que o tema represente a diversidade e cultura delas.

Peça a elas que, caso já tenham jogado outros jogos de tabuleiro, tentem se lembrar quais eram os temas e o nomes deles. Escute atentamente as ideias e observe se, ao manipular os materiais, elas já se envolvem em brincadeiras de imaginação, como inventar pistas de corridas, caminhos nas florestas, uma caverna assombrada, ou outro cenário baseado em suas próprias referências e na região onde vivem.


4

Depois de ouvir as ideias das crianças e estabelecer combinados, disponibilize os materiais e incentive que elas sejam protagonistas, individualmente ou em pequenos grupos,ao escolherem seus pares de pesquisa, os materiais e as atividades que mais lhes interessam.

Faça convites para a participação das crianças que não estiverem engajadas, a partir do momento em que vocês iniciarem uma nova etapa de construção.

Possíveis falas do professor neste momento: Quais desses materiais vocês querem usar na construção do nosso tabuleiro? Como esse material pode ser usado pela turma na construção do tabuleiro? Alguém tem ideia de outros materiais que podemos usar, mas que não estão aqui?


5

(Cerca de 30 minutos para o momento de construção do tabuleiro)

Mostre para as crianças modelos para percursos impressos. Promova uma conversa sobre cada modelo, procurando problematizar e questionar qual é o melhor para todas. Considerem também adaptar ou inventar outros percursos, de acordo com as ideias que forem surgindo. Se necessário, façam um esboço de outro desenho de percurso. É importante que todo o grupo entre em acordo sobre o que quer construir.

Utilizem giz, cordas, ou fitas para marcar o caminho que o tabuleiro deverá fazer.


6

Definam as casas do percurso. É indicado que cada casa tenha espaço suficiente para uma criança ficar em pé e que tenha elementos que remetam ao tema escolhido. Se forem feitas com folhas grandes, colem as folhas no chão. Se forem feita com caixas, distribuam as caixas ao longo dele. Se forem feitas com bambolês, prendam-os com fitas e assim por diante.


7

A brincadeira vai ficar mais divertida se algumas casas tiverem regras específicas como bônus (como andar mais para frente) para quem cair nelas , penalidades (voltar algumas casas ou ficar uma rodada sem jogar) e escolha (trocar de lugar com outra criança). Marquem essas casas com desenhos, pinturas, sucatas ou brinquedos que as diferencie das demais.

É importante que você apoie quando uma criança demonstrar não se sentir confortável perdendo ou voltando casas. Para isso, uma sugestão é que você também jogue o jogo e, ao voltar as casas ou perder, procure expressar seus sentimentos e buscar a compreensão e empatia delas, mesmo que isso não seja suficiente para convencê-las.


8

Quando a construção for finalizada, reúna todo o grupo e solicite apoio para que os materiais não utilizados sejam guardados. Conte com as crianças quantas casas têm cada caminho, do início até a chegada e avaliem se é necessário colocar, ou tirar, algumas casas. Isso vai depender se vocês querem que o jogo fique mais ou menos longo!Considere a faixa etária e a ideia de que o jogo tenha uma dinâmica interessante e atrativa, podendo ser ampliado em uma próxima oportunidade de desdobramento desta atividade.

Escreva nas casas os números correspondentes delas na sequência, solicitando que as crianças te auxiliem novamente com a contagem. Parabenize o grupo pelo trabalho coletivo concluído.

Possíveis ações da criança neste momento: Demonstrar animação batendo palmas, pulando, abraçando umas às outras e gritando, imitar você contando, começar a fazer testes já pulando entre as casas.


9

(Cerca de 35 minutos para o momento de brincar no tabuleiro)

Com o tabuleiro definido e montado, diga para todo o grupo que agora vocês poderão jogar. Combine que uma criança por vez vai jogar o dado e pular, andar, ou se arrastar entre as casas, de acordo com o número que tirar. Relembre a todos que vencerá o jogo quem finalizar o percurso primeiro, seguindo as regras de cada casa.


10

Auxilie as crianças a ir ao local de partida. Se não houver espaço no tabuleiro para todas as crianças da turma, entrem em um acordo sobre quem serão as crianças que vão jogar primeiro, separando-as em pequenos grupos. As demais podem assistir aos jogadores enquanto aguardam sua vez. Encoraje elas a torcerem, darem dicas para os jogadores se movimentarem entre as casas e relembrarem as regras das casas especiais.

Possíveis ações da criança neste momento: Correr, pular, ou se arrastar entre as casas, tentar contar as casas que quer andar, demonstrar empolgação ao andar várias casas, ficar brava, ou triste, ao precisar voltar as casas, ou perder o jogo; demonstrar felicidade ao perceber que fez uma boa jogada ou que venceu o jogo. Se estiver na torcida, demonstrar atenção, engajamento, ou dispersão.


11

Apoie, quando achar necessário, ou ao ser solicitado, brincando com elas, fazendo a contagem dos números do dados e indicando as casas correspondentes a serem percorridas.

Nas outras partidas, vocês podem trocar de papéis: algumas crianças acompanham as regras e dinâmicas, você entra no tabuleiro, quem estava jogando vai para torcida, como vocês preferirem.


Para finalizar:

(Cerca de 10 minutos para o momento de finalização)

Quando todas as crianças já tiverem brincado ao menos uma vez dentro do tabuleiro, diga para todo o grupo que essa brincadeira chegou ao fim.

Explique para a turma que outras crianças da escola poderão brincar no tabuleiro que vocês construíram e solicite o apoio de todas para organizá-lo, colocando as peças no lugar adequado, ou substituindo os materiais danificados que o compõe.

Desdobramentos

Retomem a construção do livro, definindo um nome para o jogo que construíram, descrevendo suas regras e o complementando-o com desenhos e fotografias. Seja o escriba das ideias das crianças e utilize uma folha grande, ou um computador, para que elas possam te acompanhar enquanto escreve. Façam um convite para outras crianças e adultos da escola brincarem nele e emprestem o livro para quem quiser jogar. Se vocês não estiverem fazendo o livro, escrevam as regras do jogo e entreguem-nas para quem for brincar nele. Depois, solicite que eles digam para vocês se conseguiram entender e jogar o jogo apenas com a leitura. Reescrevam seus textos partindo do que as crianças conversarem e considerando as sugestões que receberem, melhorando partes, ou alterando as regras.

Engajando as famílias

Convide as famílias para ensinar novos jogos para vocês na escola e realizem uma votação da melhor data para todos. Para isso, elabore com as crianças um bilhete com uma explicação sobre a proposta e indique opções de dias e horários de participação para escolha. Envie esse bilhete para os responsáveis. É importante divulgar a data escolhida com antecedência utilizando, por exemplo, um cartaz em um local de passagem.

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS ATIVIDADES:

ATIVIDADES DE Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses) :

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

Creche / Educação Infantil / Crianças bem pequenas (1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses)

MAIS ATIVIDADES DE Educação Infantil :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI02CG03 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI02ET07 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI02CG02 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Educação Infantil

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano