14142
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 9º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Estrutura da narrativa no gênero conto

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 9º ano do EF sobre Estrutura da narrativa no gênero conto

Plano 04 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Daiane Eloisa Dos Santos

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é quarta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero conto e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Análise linguística e semiótica.

Materiais necessários: Cópias dos textos, quadro, projetor multimídia e computador.

Informações sobre o gênero: O que caracteriza o conto (tradicional ou moderno), conforme aponta Gotlib (2006), é o seu movimento enquanto uma narrativa através dos tempos. “O que era verdade para todos passa ou tende a ser verdade para um só. Neste sentido, evolui-se do enredo que dispõe um acontecimento em ordem linear, para outro, diluído em feelings, sensações, percepções, revelações ou sugestões íntimas. . .” (GOTLIB, 2006, pg. 30).

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem não reconhecer os tipos de discurso presentes na narrativa e, consequentemente, as múltiplas vozes que compõem o enredo (do narrador, da personagem). Para superar as dificuldades, sempre que necessário, recupere conceitos já estudados pelos alunos. Permita que eles troquem ideias e esteja sempre fornecendo o apoio necessário para formulações e conclusões.

Referências sobre o assunto:

GANCHO, Cândida. Como analisar narrativas. São Paulo: Ática, 2000.

GOMES, Clara Monica Marinho. A cartomante: traduções intersemióticas do conto de Machado de Assis. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal Fluminense, Instituto de Letras, 2015.
GOTLIB, Nádia. Teoria do conto. São Paulo: Ática, 2006.
LEITE, Ligia Chiappini. O foco narrativo. São Paulo: Ática, 1989.
TERRA, E.; PACHECO, J.. O conto na sala de aula. Curitiba: Intersaberes, 2017.

TODOROV, Tzvetan. As estruturas narrativas. São Paulo: Perspectiva, 2003.
VELLOSO, Elizabete. Dialética polifônica em A cartomante, de Machado de Assis. Revista Línguas & Letras. Cascavel, vol. 8 n.15, pgs. 165-178, 2º semestre de 2007.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientações:

  • Pergunte aos alunos se eles recordam quais elementos compõem uma narrativa. Espera-se que os alunos se recordem dos elementos: personagens, tempo, espaço, enredo, foco narrativo. Caso eles não se lembrem, retome com eles o conceito de cada um.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Exponha as várias definições do termo “trama”, presentes no dicionário, e pergunte a eles qual delas se encaixa melhor ao conceito de narrativa. Explique que a última definição é a mais adequada ao contexto depois que eles apontarem uma delas.
  • Explique aos alunos que o foco da aula será a construção do enredo e as vozes presentes na narrativa dos contos A cartomante e Entre a espada e a rosa, com o objetivo de compreender como organizam-se as diferentes vozes na trama do texto e como elas contribuem para a compreensão do texto.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Projete o slide ou distribua cópias do diálogo. O material para impressão está disponível aqui.
  • Peça a um aluno da classe que leia este trecho.
  • Pergunte a todos: Vocês reconhecem de quem são estas falas? A qual fato da história pertence o diálogo? Apenas pela leitura das falas isoladamente, podemos saber disso? Espera-se que os alunos reconheçam que as falas estão presentes no conto A cartomante, e pertencem às personagens cartomante e Camilo.
    O diálogo é do momento em que Camilo vai se consultar com a cartomante. Apenas pela leitura das falas não conseguiremos entender o fato como um todo.
  • Pergunte aos alunos: O que está faltando neste texto? Espera-se que eles percebam que as falas do narrador foram retiradas.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Depois que os alunos constatarem a falta do voz do narrador, projete o trecho com as falas do narrador em destaque e pergunte: Qual a importância da voz narrativa para o texto? Sugestão: O narrador descreve a cena para entendermos melhor o que se passa na história. Ele explica também o comportamento e as atitudes das personagens, descrevendo suas ações. Ele introduz a fala das personagens.
  • Para finalizar, questione: Nos contos estudados até aqui, qual é o envolvimento da voz narrativa com os fatos? Ela participa da história? Ela observa de forma imparcial ou há um envolvimento maior na narrativa? Sugestão de resposta: A voz narrativa não participa da história, porém não é apenas observadora, ela conhece muito bem cada personagem e apresenta os fatos de modo parcial. Ela conduz os fatos como alguém que conhece o desfecho. Mencione aos alunos que esse tipo de narrador é classificado como onisciente.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações:

  • Solicite aos alunos que formem duplas, para que possam analisar alguns excertos do conto trocando ideias. Você pode acessar o Material complementar aqui.
  • Distribua cópias do Excerto 1 do conto A cartomante.
  • Peça aos alunos que respondam no caderno os seguintes questionamentos:
  • A quais sujeitos podemos atribuir as vozes presentes no excerto lido? Sugestão: As vozes presentes no excerto são de Rita, Camilo, da cartomante e do narrador. O travessão introduz as vozes de Rita e Camilo. As aspas introduzem a fala da cartomante no discurso de Rita. As reticências indicam que a voz foi interrompida.
  • Quais recursos de pontuação mostram quem fala no texto? Sugestão: na fala de Rita, o discurso da cartomante aparece entre aspas porque foi reproduzido com as mesmas palavras ditas por ela. Rita usou a fala da cartomante para convencer Camilo do ponto de vista que ela apresentava. Ela queira dar crédito à cartomante, afirmando o seu poder de adivinhação.
  • Por que, na fala de Rita, o discurso inicial da cartomante aparece entre aspas? Qual é o efeito provocado pelo uso delas? Reescreva o trecho como se Rita contasse o que a cartomante disse e responda: Há diferença de sentido? Qual? Sugestão: Se Rita tivesse dito: “Apenas começou a botar as cartas e disse-me que eu gostava de uma pessoa...", o clima de mistério gerado durante a consulta de Rita à cartomante não seria reproduzido em sua fala.
  • Observe o verbo “interrompeu”, usado pelo narrador para indicar a maneira como Camilo se expressou. Se o verbo fosse substituído por “disse”, o que mudaria no sentido do texto? Sugestão: O verbo “interromper” reforça a atitude Camilo em desconsiderar o discurso de Rita, ele não estava levando a sério o que ela estava dizendo. Se o narrador tivesse usado o verbo “dizer”, ele introduziria a fala de Camilo de forma mais neutra.
  • A fala de Rita apresenta elementos que levam Camilo a acreditar na cartomante? Indique os trechos que possam comprovar sua resposta. Sugestão: A fala de Rita não é capaz de convencer Camilo, pois as falas da cartomante apresentadas por Rita “A senhora gosta de uma pessoa…” e “declarou que eu tinha medo que você me esquecesse” são fatos genéricos, não apresentam nada em específico, qualquer um poderia supor que quem está apaixonado não que ser esquecido.
  • A técnica de reproduzir a fala das personagens dando-lhes a voz é denominada discurso direto, ou seja, o narrador apresenta diretamente o que a personagem disse ou pensou. Se esse trecho fosse contado pelo narrador, que resultado esta mudança poderia causar na narrativa? Sugestão: O discurso direto permite que o leitor se aproxime mais das personagens, de suas angústias, sentimentos. Se o fato fosse contado apenas pelo narrador, a história seria mais objetiva ou, ainda que o narrador explicasse com detalhes, teríamos o olhar do narrador sobre a história, não da personagem.
  • Promova a socialização das respostas oralmente.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Distribua as cópias dos excertos (Excertos 2) aos alunos.
  • Pergunte a eles: De quem são as vozes presentes neste trecho? Espera-se que eles identifiquem que no conto Entre a espada e a rosa aparecem as vozes do narrador e do personagem Rei. No conto A cartomante aparecem as vozes do narrador e do personagem Camilo.
  • Peça que grifem de uma cor o que pertence à voz do narrador e de outra cor o que pertence à voz da personagem.
  • Ainda em duplas, peça que respondam no caderno: Há a presença de travessão ou aspas nos trechos lidos? Como o narrador apresenta a fala das personagens? Espera-se que eles percebam que não há a presença de travessão ou aspas. O narrador, por meio de sua fala, apresenta o que o outro disse. Este tipo de discurso chama-se discurso indireto. Apresente o conceito neste momento.
  • Após concluir com os alunos que o narrador apresenta a voz da personagem usando a sua própria voz, ou seja, indiretamente, oriente que cada dupla deve escolher um excerto de um conto. Peça para que os alunos passem para o discurso direto as falas das personagens.
  • Oriente-os, questionando: Para colocar de forma direta a fala das personagens, devemos apenas inserir as pontuações adequadas? O que será necessário fazer? Oriente os alunos que somente inserir os recursos de pontuação não basta, mas também há a necessidade de eles prestarem atenção em verbos, pronomes e outras adequações.
  • Por fim, pergunte a eles: O que mudou na maneira como a história é contada? Por que os autores teriam escolhido o discurso indireto em vez do discurso direto nas passagens analisadas? Explique que a passagem em que aparece a voz das personagens aproxima mais o leitor dos fatos e das próprias personagens.
    A opção pelo discurso indireto pode ter sido realizada para dar ênfase nas ações e não nas emoções e características das personagens.

Materiais complementares: Se julgar necessário, acesse a sugestão de resolução das questões aqui.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações:

  • Com os alunos dispostos em círculo, anuncie que eles escutarão uma adaptação do conto A cartomante para o gênero radionovela.
  • Reproduza um trecho da radionovela para os alunos, o áudio está disponível neste link. Interrompa a reprodução do áudio em 01’ 04”.
  • Pergunte aos alunos: O que compreenderam do início da história? Quem são as personagens envolvidas? Qual é a situação inicial apresentada? O que foi alterado no enredo? Sugestões: O início da história é o diálogo entre a cartomante Soraia e seu ajudante/informante. A cartomante exige as informações que o ajudante coletou da vida de Rita. Foi acrescentado um fato não existente na história original e um novo personagem.
  • Acolha as respostas coletivamente, garantindo que cada aluno se expresse, respeitando os turnos de fala dos colegas.
  • Reproduza mais uma vez o trecho da radionovela.
  • Pergunte oralmente: Como é a fala do narrador na radionovela? Espera-se que os alunos identifiquem que trata-se de uma fala breve, que ele apresenta apenas a situação principal da história e não explica em detalhes os personagens e o ambiente em que se passa a cena, como é feito no conto.
  • Finalmente, peça aos alunos que transformem a introdução da radionovela, passando o discurso direto para o indireto e acrescentando mais detalhes da cena, como se o narrador conhecesse detalhadamente as personagens envolvidas e o espaço em que ocorre a história.
  • Oriente que discutam em trios como será feita a transformação de um discurso para outro, fazendo um rascunho no caderno ou apenas discutindo entre eles. Depois, peça que leiam ou falem de forma espontânea a recriação da introdução da radionovela pela voz do narrador onisciente.
  • Você pode pedir que alguns alunos se apresentem no meio do círculo.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é quarta aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero conto e no campo de atuação artístico-literário. A aula faz parte do módulo de Análise linguística e semiótica.

Materiais necessários: Cópias dos textos, quadro, projetor multimídia e computador.

Informações sobre o gênero: O que caracteriza o conto (tradicional ou moderno), conforme aponta Gotlib (2006), é o seu movimento enquanto uma narrativa através dos tempos. “O que era verdade para todos passa ou tende a ser verdade para um só. Neste sentido, evolui-se do enredo que dispõe um acontecimento em ordem linear, para outro, diluído em feelings, sensações, percepções, revelações ou sugestões íntimas. . .” (GOTLIB, 2006, pg. 30).

Dificuldades antecipadas: Os alunos podem não reconhecer os tipos de discurso presentes na narrativa e, consequentemente, as múltiplas vozes que compõem o enredo (do narrador, da personagem). Para superar as dificuldades, sempre que necessário, recupere conceitos já estudados pelos alunos. Permita que eles troquem ideias e esteja sempre fornecendo o apoio necessário para formulações e conclusões.

Referências sobre o assunto:

GANCHO, Cândida. Como analisar narrativas. São Paulo: Ática, 2000.

GOMES, Clara Monica Marinho. A cartomante: traduções intersemióticas do conto de Machado de Assis. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal Fluminense, Instituto de Letras, 2015.
GOTLIB, Nádia. Teoria do conto. São Paulo: Ática, 2006.
LEITE, Ligia Chiappini. O foco narrativo. São Paulo: Ática, 1989.
TERRA, E.; PACHECO, J.. O conto na sala de aula. Curitiba: Intersaberes, 2017.

TODOROV, Tzvetan. As estruturas narrativas. São Paulo: Perspectiva, 2003.
VELLOSO, Elizabete. Dialética polifônica em A cartomante, de Machado de Assis. Revista Línguas & Letras. Cascavel, vol. 8 n.15, pgs. 165-178, 2º semestre de 2007.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos.

Orientações:

  • Pergunte aos alunos se eles recordam quais elementos compõem uma narrativa. Espera-se que os alunos se recordem dos elementos: personagens, tempo, espaço, enredo, foco narrativo. Caso eles não se lembrem, retome com eles o conceito de cada um.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Exponha as várias definições do termo “trama”, presentes no dicionário, e pergunte a eles qual delas se encaixa melhor ao conceito de narrativa. Explique que a última definição é a mais adequada ao contexto depois que eles apontarem uma delas.
  • Explique aos alunos que o foco da aula será a construção do enredo e as vozes presentes na narrativa dos contos A cartomante e Entre a espada e a rosa, com o objetivo de compreender como organizam-se as diferentes vozes na trama do texto e como elas contribuem para a compreensão do texto.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Projete o slide ou distribua cópias do diálogo. O material para impressão está disponível aqui.
  • Peça a um aluno da classe que leia este trecho.
  • Pergunte a todos: Vocês reconhecem de quem são estas falas? A qual fato da história pertence o diálogo? Apenas pela leitura das falas isoladamente, podemos saber disso? Espera-se que os alunos reconheçam que as falas estão presentes no conto A cartomante, e pertencem às personagens cartomante e Camilo.
    O diálogo é do momento em que Camilo vai se consultar com a cartomante. Apenas pela leitura das falas não conseguiremos entender o fato como um todo.
  • Pergunte aos alunos: O que está faltando neste texto? Espera-se que eles percebam que as falas do narrador foram retiradas.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Depois que os alunos constatarem a falta do voz do narrador, projete o trecho com as falas do narrador em destaque e pergunte: Qual a importância da voz narrativa para o texto? Sugestão: O narrador descreve a cena para entendermos melhor o que se passa na história. Ele explica também o comportamento e as atitudes das personagens, descrevendo suas ações. Ele introduz a fala das personagens.
  • Para finalizar, questione: Nos contos estudados até aqui, qual é o envolvimento da voz narrativa com os fatos? Ela participa da história? Ela observa de forma imparcial ou há um envolvimento maior na narrativa? Sugestão de resposta: A voz narrativa não participa da história, porém não é apenas observadora, ela conhece muito bem cada personagem e apresenta os fatos de modo parcial. Ela conduz os fatos como alguém que conhece o desfecho. Mencione aos alunos que esse tipo de narrador é classificado como onisciente.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações:

  • Solicite aos alunos que formem duplas, para que possam analisar alguns excertos do conto trocando ideias. Você pode acessar o Material complementar aqui.
  • Distribua cópias do Excerto 1 do conto A cartomante.
  • Peça aos alunos que respondam no caderno os seguintes questionamentos:
  • A quais sujeitos podemos atribuir as vozes presentes no excerto lido? Sugestão: As vozes presentes no excerto são de Rita, Camilo, da cartomante e do narrador. O travessão introduz as vozes de Rita e Camilo. As aspas introduzem a fala da cartomante no discurso de Rita. As reticências indicam que a voz foi interrompida.
  • Quais recursos de pontuação mostram quem fala no texto? Sugestão: na fala de Rita, o discurso da cartomante aparece entre aspas porque foi reproduzido com as mesmas palavras ditas por ela. Rita usou a fala da cartomante para convencer Camilo do ponto de vista que ela apresentava. Ela queira dar crédito à cartomante, afirmando o seu poder de adivinhação.
  • Por que, na fala de Rita, o discurso inicial da cartomante aparece entre aspas? Qual é o efeito provocado pelo uso delas? Reescreva o trecho como se Rita contasse o que a cartomante disse e responda: Há diferença de sentido? Qual? Sugestão: Se Rita tivesse dito: “Apenas começou a botar as cartas e disse-me que eu gostava de uma pessoa...", o clima de mistério gerado durante a consulta de Rita à cartomante não seria reproduzido em sua fala.
  • Observe o verbo “interrompeu”, usado pelo narrador para indicar a maneira como Camilo se expressou. Se o verbo fosse substituído por “disse”, o que mudaria no sentido do texto? Sugestão: O verbo “interromper” reforça a atitude Camilo em desconsiderar o discurso de Rita, ele não estava levando a sério o que ela estava dizendo. Se o narrador tivesse usado o verbo “dizer”, ele introduziria a fala de Camilo de forma mais neutra.
  • A fala de Rita apresenta elementos que levam Camilo a acreditar na cartomante? Indique os trechos que possam comprovar sua resposta. Sugestão: A fala de Rita não é capaz de convencer Camilo, pois as falas da cartomante apresentadas por Rita “A senhora gosta de uma pessoa…” e “declarou que eu tinha medo que você me esquecesse” são fatos genéricos, não apresentam nada em específico, qualquer um poderia supor que quem está apaixonado não que ser esquecido.
  • A técnica de reproduzir a fala das personagens dando-lhes a voz é denominada discurso direto, ou seja, o narrador apresenta diretamente o que a personagem disse ou pensou. Se esse trecho fosse contado pelo narrador, que resultado esta mudança poderia causar na narrativa? Sugestão: O discurso direto permite que o leitor se aproxime mais das personagens, de suas angústias, sentimentos. Se o fato fosse contado apenas pelo narrador, a história seria mais objetiva ou, ainda que o narrador explicasse com detalhes, teríamos o olhar do narrador sobre a história, não da personagem.
  • Promova a socialização das respostas oralmente.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Distribua as cópias dos excertos (Excertos 2) aos alunos.
  • Pergunte a eles: De quem são as vozes presentes neste trecho? Espera-se que eles identifiquem que no conto Entre a espada e a rosa aparecem as vozes do narrador e do personagem Rei. No conto A cartomante aparecem as vozes do narrador e do personagem Camilo.
  • Peça que grifem de uma cor o que pertence à voz do narrador e de outra cor o que pertence à voz da personagem.
  • Ainda em duplas, peça que respondam no caderno: Há a presença de travessão ou aspas nos trechos lidos? Como o narrador apresenta a fala das personagens? Espera-se que eles percebam que não há a presença de travessão ou aspas. O narrador, por meio de sua fala, apresenta o que o outro disse. Este tipo de discurso chama-se discurso indireto. Apresente o conceito neste momento.
  • Após concluir com os alunos que o narrador apresenta a voz da personagem usando a sua própria voz, ou seja, indiretamente, oriente que cada dupla deve escolher um excerto de um conto. Peça para que os alunos passem para o discurso direto as falas das personagens.
  • Oriente-os, questionando: Para colocar de forma direta a fala das personagens, devemos apenas inserir as pontuações adequadas? O que será necessário fazer? Oriente os alunos que somente inserir os recursos de pontuação não basta, mas também há a necessidade de eles prestarem atenção em verbos, pronomes e outras adequações.
  • Por fim, pergunte a eles: O que mudou na maneira como a história é contada? Por que os autores teriam escolhido o discurso indireto em vez do discurso direto nas passagens analisadas? Explique que a passagem em que aparece a voz das personagens aproxima mais o leitor dos fatos e das próprias personagens.
    A opção pelo discurso indireto pode ter sido realizada para dar ênfase nas ações e não nas emoções e características das personagens.

Materiais complementares: Se julgar necessário, acesse a sugestão de resolução das questões aqui.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações:

  • Com os alunos dispostos em círculo, anuncie que eles escutarão uma adaptação do conto A cartomante para o gênero radionovela.
  • Reproduza um trecho da radionovela para os alunos, o áudio está disponível neste link. Interrompa a reprodução do áudio em 01’ 04”.
  • Pergunte aos alunos: O que compreenderam do início da história? Quem são as personagens envolvidas? Qual é a situação inicial apresentada? O que foi alterado no enredo? Sugestões: O início da história é o diálogo entre a cartomante Soraia e seu ajudante/informante. A cartomante exige as informações que o ajudante coletou da vida de Rita. Foi acrescentado um fato não existente na história original e um novo personagem.
  • Acolha as respostas coletivamente, garantindo que cada aluno se expresse, respeitando os turnos de fala dos colegas.
  • Reproduza mais uma vez o trecho da radionovela.
  • Pergunte oralmente: Como é a fala do narrador na radionovela? Espera-se que os alunos identifiquem que trata-se de uma fala breve, que ele apresenta apenas a situação principal da história e não explica em detalhes os personagens e o ambiente em que se passa a cena, como é feito no conto.
  • Finalmente, peça aos alunos que transformem a introdução da radionovela, passando o discurso direto para o indireto e acrescentando mais detalhes da cena, como se o narrador conhecesse detalhadamente as personagens envolvidas e o espaço em que ocorre a história.
  • Oriente que discutam em trios como será feita a transformação de um discurso para outro, fazendo um rascunho no caderno ou apenas discutindo entre eles. Depois, peça que leiam ou falem de forma espontânea a recriação da introdução da radionovela pela voz do narrador onisciente.
  • Você pode pedir que alguns alunos se apresentem no meio do círculo.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 9º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 9º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP47 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano