13483
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - Diário: conhecendo o gênero.

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 3º ano do Fundamental sobre o gênero textual do diário

Plano 01 de 15 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Valéria Ap Rodrigues Da Silveira

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é primeira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Diário e no campo de atuação Vida cotidiana; Artístico-literário, esta aula faz parte do módulo de Leitura.

Materiais necessários: Computador, projetor multimídia e tela ou impressão dos slides. Bloco de folhas pautadas, grampeadas, ou de acordo com a realidade local, disponibilizar um caderno com pautas para cada aluno.

Informações sobre o gênero: Os gêneros que expressam, por escrito, a vida de uma pessoa por ela mesma são autobiográficos, e interessa-nos o diário pessoal, informal e íntimo de comunicação cotidiana; bem como o de comunicação produzida. São gêneros propícios a refletir a individualidade de quem enuncia. Apresentam elementos constitutivos mais maleáveis. Entretanto, sua estrutura constitucional apresenta elementos essenciais: TEMA: a escrita sobre si (confissões, segredos, inquietações, emoções, opiniões…) FORMA: datação, vocativo e despedida. LINGUAGEM: uso da primeira pessoa, vocabulário informal, caligrafia como marca pessoal nos suportes tradicionais e emoção TEMPO: resgate da memória diária no fim do dia, geralmente; INTERLOCUÇÃO: o próprio diálogo com o diário. Leitor imaginário ou, eventualmente, autorizados pelo autor. INTERATIVIDADE: inexistente - leitor não interfere. Qualquer pessoa pode ter um diário, bastando compromisso e iniciativa. Sua função é “guardar segredo”, se o autor assim quiser.

Dificuldades antecipadas: No início do 3º ano, a expectativa é que os alunos tenham construído o Sistema de Escrita Alfabética e, que, deste modo, leiam e escrevam autonomamente. O desafio é ampliar a fluência na leitura e na escrita com base em textos orais e escritos, inseridos em contextos reais ou imaginários.

Referências sobre o assunto:

PEREIRA, M. H. M. SILVA, J. B. O gênero diário pessoal: como se confecciona o íntimo. Revista Línguas & Letras – Unioeste – Vol. 16 – Nº 34 – 2015. Disponível em: http://erevista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/11973/9212

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

1. Projete o slide ou reproduza-o no quadro.

2. Organize os estudantes em duplas. Ative os conhecimentos prévios quanto ao gênero Diário:

Vocês já tiveram ou têm um Diário Pessoal?

O que vocês sabem sobre Diário Pessoal?

Para que serve o Diário Pessoal?

As palavras DIÁrio PESSOAl nos dizem alguma coisa?

Conhecem alguém que faz uso de um diário?

De que tipos de diário vocês já ouviram falar? É bom que saibam que os diários eram utilizados para manifestações públicas e comunitárias, cujo objetivo era narrar acontecimentos de um determinado grupo social: Diário de Classe, Diário de Bordo, Diário de Viagem, Diário de Guerra. O diário, como instrumento de autorreflexão, surgiu mais tarde.

Alguém já assistiu a filmes com o título “Diário”? Quais? Acolha todas as hipóteses e registre suas observações.

3. Informe aos alunos que, por um período, eles vão se dedicar ao estudo do gênero Diário e que a escolha se deu por se tratar de um gênero que expressa, por escrito, a vida de uma pessoa por ela mesma e que qualquer pessoa pode fazer uso do Diário, bastando iniciativa e compromisso.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações:

1. Projete o slide ou imprima a imagem, conforme link abaixo.

2. Questione o que vem a ser “escrita íntima”. (É a escrita da vida de uma pessoa por ela mesma.)

3. Informe-lhes que o gênero Diário pessoal se aproxima das atividades diárias dos indivíduos e, desta forma, se produz um gênero mais maleável, que permite registros bem pessoais. Esta prática de registro íntimo é muito antiga, mas é bastante atual nos dias de hoje.

4. Peça que observem e analisem a consigna, a imagem e a legenda. No caso da imagem, a autora do manuscrito trata-o como álbum da vida. Interessante definição sobre a escrita íntima que merece ser comentada.

Material Complementar aqui

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Continuação.

1. Projete o slide. Caso você julgue necessário, imprima as imagens, disponíveis no link abaixo.

2. Observando as imagens, pergunte:

  • Quem produz o diário? É esperado que saibam que qualquer pessoa pode ter um diário pessoal, em diferentes suportes: papéis, agendas, cadernos, digitais, internet...
  • Para que alguém escreve um diário pessoal? Espera-se que os alunos respondam que, no diário, o sujeito relata o que há de mais íntimo em seu ser. Muitos escreventes escondem e trancam seus diários para garantir que seus segredos sejam bem guardados. A escrita em sigilo atravessa os tempos, e muitos escreventes de diários continuam praticando-a.
  • A seleção de assuntos a escrever é importante? O escrevente escreve sobre si mesmo: confissões, segredos, inquietações, escritas herméticas, relatos de vivências, emoções, críticas, opiniões…
  • O escrevente de diário decide inserir recursos visuais em seus textos: embalagens de produtos, ingressos, papéis de balas e outros. Por que isso seria importante? O que significam estes recursos? É esperado que percebam que estes elementos vão ilustrando, contando a história da pessoa e que o gênero Diário possibilita o estilo individual de escrita.
  • Por que alguém teria o diário como um amigo fiel? Um confidente? O diário é um confidente que não emite opinião. Apenas “guarda o segredo”.
  • O que significa uma escrita particularizada? Uso de apelidos, segredos abreviados, criação de nomes fictícios, nomes de “ amigos imaginários”, códigos… (O escrevente conta os fatos como quer, na ordem que quer e, pode, também, ocultar algo…)

Material complementar - Imagens.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações: 25 minutos.

  • Projete o slide. Caso você julgue necessário, utilize atividade complementar disponível no link abaixo.
  • Organize os estudantes, em duplas.
  • Peça que façam a leitura das escritas pessoais.
  • Após a leitura, indague:
  • Qual é o tema destas escritas? Qual a intenção de escrever? É esperado que os estudantes observem que se trata de expressões escritas da individualidade de alguém.
  • Para quem se escreve? É esperado que observem que é um diálogo com o próprio objeto diário. Escrita sobre si mesmo.
  • Como essas escritas se apresentam? Quais são suas formas? É esperado que observem alguns elementos essenciais: data, vocativo “Querido diário”, despedida, escrita sobre si mesmo.
  • Como se caracteriza a linguagem? É uma linguagem formal ou informal? É narrada em que pessoa? Espera-se que observem que a linguagem é informal, com a caligrafia como marca pessoal e emoção, em primeira pessoa do singular.
  • Com relação ao tempo? Espera-se que observem que é um resgate de memória diária. O registro feito, geralmente, nofinal do dia.
  • E a interatividade? Há leitores? O leitor é imaginário ou amigos íntimos autorizados pelo autor.

Observações: Comente a forma de tratamento “ Di”, utilizada pelo escrevente para o chamamento ao Diário.

Material complementar

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Continuação.

  • Projete o slide ou reproduza-o no quadro.
  • Diga-lhes que eles irão ajudá-lo a preencher a tabela.
  • Seja mediador e vá questionando item a item. Você será escriba.
  • Peça-lhes que anotem em seus cadernos as conclusões.

Características essenciais do gênero Diário:

Diário pessoal/tema: é uma forma de expressão íntima.

Quem escreve? O próprio autor.

Para quem se escreve? Para ele mesmo.

Onde? Suportes diversificados: papéis, digitais, internet.

Quando/Tempo? Diariamente, no fim do dia.

Com que intenção? Relatar acontecimentos, expressar vivências, emoções, opiniões...

Forma: Data, vocativo, despedida, assinatura.

Linguagem: Informal, o narrador personagem é identificado pela primeira pessoa, com pronomes pessoais [eu] e possessivos [meu, minha], caligrafia como marca pessoal e emoção.
Diálogo/Interlocução/Interatividade: Com o próprio diário.

Função: Arquivo de relatos e confissões. Guarda de segredos.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

1. Projete a imagem ou utilize a impressão, conforme link abaixo.

2. Conte-lhes, de maneira direta, a história da menina judia que viu sua realidade ser transformada, drasticamente, durante a Segunda Guerra Mundial. Ela teve que se esconder com mais outras pessoas para escapar de perseguições. Anne Frank começou a fazer uso de um diário onde pode expressar suas vivências e relatar tudo o que acontecia ao seu redor. Ela tinha uma amiga imaginária chamada Kitty para qual escrevia sobre seus medos, sua esperança e sua vontade de, um dia, ser uma grande escritora. O registro, feito em um diário, por uma adolescente, se transformou em uma importante obra literária por representar um modo de sensibilizar as pessoas sobre fatos, épocas e questões humanas vividas.

3. Aproveite para levar os alunos a refletir como o registro é importante: se Anne Frank não tivesse escrito seu diário, muitas informações teriam sido perdidas e hoje em dia não poderíamos usar sua narrativa para compreender melhor um episódio histórico triste da humanidade.

Material complementar:

Imagem de Anne Frank

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Finalize a aula indagando se gostaram do que foi visto na aula.
  • Projete o slide ou reproduza-o, no quadro. Peça-lhes que registrem em seus cadernos cinco motivos para iniciar a escrita de um diário pessoal.

Faça o convite à turma para escrever um diário pessoal, como, onde e quando quiser. Lembre-se que os gêneros textuais podem ser recebidos e produzidos, na escola e fora dela.

  • Presenteie a turma com um bloco de folhas pautadas, grampeadas ou, de acordo com sua realidade, poderá ser um caderno ou a criação de um diário virtual ou, ainda, o aluno pode dar continuidade ao diário já existente. O importante é fazê-los extravasar emoções, sentimentos, registrar acontecimentos, lembranças, desabafos… por meio da escrita.
  • Dê-lhes dicas para personalizá-lo: colocar capa mais dura, encapar, utilizar gravuras de temas que goste...fotos…elementos de recordações, bilhetes, fotos, poesias.
  • Crie expectativas para a próxima aula onde serão analisados textos do gênero em estudo.

LEMBRETES:

  • Saiba que este diário pessoal (presente) não sofrerá intervenções pedagógicas. É de livre expressão, conforme sua função social.
  • Aproveite para abordar que diário não é só coisa de menina.
  • Convide-os, também, a compartilhar o seu novo amigo, diário, na próxima aula, totalmente, personalizado.
  • Inicie o seu diário pessoal, também. É uma oportunidade de você sentir o que seus alunos irão vivenciar!
  • Proponha aos alunos que incentivem outros colegas a começar a escrever um diário pessoal, socializando, de maneira informal, o que aprenderam até o momento.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é primeira aula de uma sequência de 15 planos de aula com foco no gênero Diário e no campo de atuação Vida cotidiana; Artístico-literário, esta aula faz parte do módulo de Leitura.

Materiais necessários: Computador, projetor multimídia e tela ou impressão dos slides. Bloco de folhas pautadas, grampeadas, ou de acordo com a realidade local, disponibilizar um caderno com pautas para cada aluno.

Informações sobre o gênero: Os gêneros que expressam, por escrito, a vida de uma pessoa por ela mesma são autobiográficos, e interessa-nos o diário pessoal, informal e íntimo de comunicação cotidiana; bem como o de comunicação produzida. São gêneros propícios a refletir a individualidade de quem enuncia. Apresentam elementos constitutivos mais maleáveis. Entretanto, sua estrutura constitucional apresenta elementos essenciais: TEMA: a escrita sobre si (confissões, segredos, inquietações, emoções, opiniões…) FORMA: datação, vocativo e despedida. LINGUAGEM: uso da primeira pessoa, vocabulário informal, caligrafia como marca pessoal nos suportes tradicionais e emoção TEMPO: resgate da memória diária no fim do dia, geralmente; INTERLOCUÇÃO: o próprio diálogo com o diário. Leitor imaginário ou, eventualmente, autorizados pelo autor. INTERATIVIDADE: inexistente - leitor não interfere. Qualquer pessoa pode ter um diário, bastando compromisso e iniciativa. Sua função é “guardar segredo”, se o autor assim quiser.

Dificuldades antecipadas: No início do 3º ano, a expectativa é que os alunos tenham construído o Sistema de Escrita Alfabética e, que, deste modo, leiam e escrevam autonomamente. O desafio é ampliar a fluência na leitura e na escrita com base em textos orais e escritos, inseridos em contextos reais ou imaginários.

Referências sobre o assunto:

PEREIRA, M. H. M. SILVA, J. B. O gênero diário pessoal: como se confecciona o íntimo. Revista Línguas & Letras – Unioeste – Vol. 16 – Nº 34 – 2015. Disponível em: http://erevista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/11973/9212

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

1. Projete o slide ou reproduza-o no quadro.

2. Organize os estudantes em duplas. Ative os conhecimentos prévios quanto ao gênero Diário:

Vocês já tiveram ou têm um Diário Pessoal?

O que vocês sabem sobre Diário Pessoal?

Para que serve o Diário Pessoal?

As palavras DIÁrio PESSOAl nos dizem alguma coisa?

Conhecem alguém que faz uso de um diário?

De que tipos de diário vocês já ouviram falar? É bom que saibam que os diários eram utilizados para manifestações públicas e comunitárias, cujo objetivo era narrar acontecimentos de um determinado grupo social: Diário de Classe, Diário de Bordo, Diário de Viagem, Diário de Guerra. O diário, como instrumento de autorreflexão, surgiu mais tarde.

Alguém já assistiu a filmes com o título “Diário”? Quais? Acolha todas as hipóteses e registre suas observações.

3. Informe aos alunos que, por um período, eles vão se dedicar ao estudo do gênero Diário e que a escolha se deu por se tratar de um gênero que expressa, por escrito, a vida de uma pessoa por ela mesma e que qualquer pessoa pode fazer uso do Diário, bastando iniciativa e compromisso.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações:

1. Projete o slide ou imprima a imagem, conforme link abaixo.

2. Questione o que vem a ser “escrita íntima”. (É a escrita da vida de uma pessoa por ela mesma.)

3. Informe-lhes que o gênero Diário pessoal se aproxima das atividades diárias dos indivíduos e, desta forma, se produz um gênero mais maleável, que permite registros bem pessoais. Esta prática de registro íntimo é muito antiga, mas é bastante atual nos dias de hoje.

4. Peça que observem e analisem a consigna, a imagem e a legenda. No caso da imagem, a autora do manuscrito trata-o como álbum da vida. Interessante definição sobre a escrita íntima que merece ser comentada.

Material Complementar aqui

Slide Plano Aula

Orientações: Continuação.

1. Projete o slide. Caso você julgue necessário, imprima as imagens, disponíveis no link abaixo.

2. Observando as imagens, pergunte:

  • Quem produz o diário? É esperado que saibam que qualquer pessoa pode ter um diário pessoal, em diferentes suportes: papéis, agendas, cadernos, digitais, internet...
  • Para que alguém escreve um diário pessoal? Espera-se que os alunos respondam que, no diário, o sujeito relata o que há de mais íntimo em seu ser. Muitos escreventes escondem e trancam seus diários para garantir que seus segredos sejam bem guardados. A escrita em sigilo atravessa os tempos, e muitos escreventes de diários continuam praticando-a.
  • A seleção de assuntos a escrever é importante? O escrevente escreve sobre si mesmo: confissões, segredos, inquietações, escritas herméticas, relatos de vivências, emoções, críticas, opiniões…
  • O escrevente de diário decide inserir recursos visuais em seus textos: embalagens de produtos, ingressos, papéis de balas e outros. Por que isso seria importante? O que significam estes recursos? É esperado que percebam que estes elementos vão ilustrando, contando a história da pessoa e que o gênero Diário possibilita o estilo individual de escrita.
  • Por que alguém teria o diário como um amigo fiel? Um confidente? O diário é um confidente que não emite opinião. Apenas “guarda o segredo”.
  • O que significa uma escrita particularizada? Uso de apelidos, segredos abreviados, criação de nomes fictícios, nomes de “ amigos imaginários”, códigos… (O escrevente conta os fatos como quer, na ordem que quer e, pode, também, ocultar algo…)

Material complementar - Imagens.

Slide Plano Aula

Orientações: 25 minutos.

  • Projete o slide. Caso você julgue necessário, utilize atividade complementar disponível no link abaixo.
  • Organize os estudantes, em duplas.
  • Peça que façam a leitura das escritas pessoais.
  • Após a leitura, indague:
  • Qual é o tema destas escritas? Qual a intenção de escrever? É esperado que os estudantes observem que se trata de expressões escritas da individualidade de alguém.
  • Para quem se escreve? É esperado que observem que é um diálogo com o próprio objeto diário. Escrita sobre si mesmo.
  • Como essas escritas se apresentam? Quais são suas formas? É esperado que observem alguns elementos essenciais: data, vocativo “Querido diário”, despedida, escrita sobre si mesmo.
  • Como se caracteriza a linguagem? É uma linguagem formal ou informal? É narrada em que pessoa? Espera-se que observem que a linguagem é informal, com a caligrafia como marca pessoal e emoção, em primeira pessoa do singular.
  • Com relação ao tempo? Espera-se que observem que é um resgate de memória diária. O registro feito, geralmente, nofinal do dia.
  • E a interatividade? Há leitores? O leitor é imaginário ou amigos íntimos autorizados pelo autor.

Observações: Comente a forma de tratamento “ Di”, utilizada pelo escrevente para o chamamento ao Diário.

Material complementar

Slide Plano Aula

Orientações: Continuação.

  • Projete o slide ou reproduza-o no quadro.
  • Diga-lhes que eles irão ajudá-lo a preencher a tabela.
  • Seja mediador e vá questionando item a item. Você será escriba.
  • Peça-lhes que anotem em seus cadernos as conclusões.

Características essenciais do gênero Diário:

Diário pessoal/tema: é uma forma de expressão íntima.

Quem escreve? O próprio autor.

Para quem se escreve? Para ele mesmo.

Onde? Suportes diversificados: papéis, digitais, internet.

Quando/Tempo? Diariamente, no fim do dia.

Com que intenção? Relatar acontecimentos, expressar vivências, emoções, opiniões...

Forma: Data, vocativo, despedida, assinatura.

Linguagem: Informal, o narrador personagem é identificado pela primeira pessoa, com pronomes pessoais [eu] e possessivos [meu, minha], caligrafia como marca pessoal e emoção.
Diálogo/Interlocução/Interatividade: Com o próprio diário.

Função: Arquivo de relatos e confissões. Guarda de segredos.

Slide Plano Aula

Orientações:

1. Projete a imagem ou utilize a impressão, conforme link abaixo.

2. Conte-lhes, de maneira direta, a história da menina judia que viu sua realidade ser transformada, drasticamente, durante a Segunda Guerra Mundial. Ela teve que se esconder com mais outras pessoas para escapar de perseguições. Anne Frank começou a fazer uso de um diário onde pode expressar suas vivências e relatar tudo o que acontecia ao seu redor. Ela tinha uma amiga imaginária chamada Kitty para qual escrevia sobre seus medos, sua esperança e sua vontade de, um dia, ser uma grande escritora. O registro, feito em um diário, por uma adolescente, se transformou em uma importante obra literária por representar um modo de sensibilizar as pessoas sobre fatos, épocas e questões humanas vividas.

3. Aproveite para levar os alunos a refletir como o registro é importante: se Anne Frank não tivesse escrito seu diário, muitas informações teriam sido perdidas e hoje em dia não poderíamos usar sua narrativa para compreender melhor um episódio histórico triste da humanidade.

Material complementar:

Imagem de Anne Frank

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Finalize a aula indagando se gostaram do que foi visto na aula.
  • Projete o slide ou reproduza-o, no quadro. Peça-lhes que registrem em seus cadernos cinco motivos para iniciar a escrita de um diário pessoal.

Faça o convite à turma para escrever um diário pessoal, como, onde e quando quiser. Lembre-se que os gêneros textuais podem ser recebidos e produzidos, na escola e fora dela.

  • Presenteie a turma com um bloco de folhas pautadas, grampeadas ou, de acordo com sua realidade, poderá ser um caderno ou a criação de um diário virtual ou, ainda, o aluno pode dar continuidade ao diário já existente. O importante é fazê-los extravasar emoções, sentimentos, registrar acontecimentos, lembranças, desabafos… por meio da escrita.
  • Dê-lhes dicas para personalizá-lo: colocar capa mais dura, encapar, utilizar gravuras de temas que goste...fotos…elementos de recordações, bilhetes, fotos, poesias.
  • Crie expectativas para a próxima aula onde serão analisados textos do gênero em estudo.

LEMBRETES:

  • Saiba que este diário pessoal (presente) não sofrerá intervenções pedagógicas. É de livre expressão, conforme sua função social.
  • Aproveite para abordar que diário não é só coisa de menina.
  • Convide-os, também, a compartilhar o seu novo amigo, diário, na próxima aula, totalmente, personalizado.
  • Inicie o seu diário pessoal, também. É uma oportunidade de você sentir o que seus alunos irão vivenciar!
  • Proponha aos alunos que incentivem outros colegas a começar a escrever um diário pessoal, socializando, de maneira informal, o que aprenderam até o momento.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Leitura/Escuta do 3º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 3º ano:

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

3º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP01 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF15LP02 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano