13355
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Brincadeiras com celofane

POR: Rozemar Messias Candido dos Santos 30/11/2018
Código: EDI1_14UND02

1º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI01CG03) Imitar gestos e movimentos de outras crianças, adultos e animais.

(EI01ET03) Explorar o ambiente pela ação e observação, manipulando, experimentando e fazendo descobertas.

(EI01ET04) Manipular, experimentar, arrumar e explorar o espaço por meio de experiências de deslocamentos de si e dos objetos.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Bebês sobre Imitação de gestos e movimentos de outras crianças , adultos e animais

Resumo

ilustracao

Monte um varal com folhas do papel transparente e permita que as crianças explorem esse recurso.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Separe os materiais antecipadamente (binóculos e varais) e prepare as cabanas para receber as crianças no espaço externo. Deixe figuras de celofane grandes e pequenas, de cores variadas, já recortadas.

Este plano faz parte de uma sequência de cinco. São eles:

Luz e sombra: brincadeiras com lanterna (link)

Luz e sombra: brincadeiras com celofane (link)

Luz e sombras: brincadeiras com lençol (link)

Luz e sombra: vamos fugir ou pegar? (link)

Luz e sombras: brincando com objetos luminosos (link)

Espaços:

Esta atividade deve ser realizada no espaço externo, que estará preparado com cabanas de tecidos leves. Forre com almofadas ou colchonetes, para que fique bem confortável para os bebês. Vire uma das mesas infantis de pernas para cima e cubra com plástico transparente, bem esticado. Grude tiras largas de plástico autoadesivo nas paredes de plástico, com a cola virada para fora, onde os bebês poderão grudar e desgrudar as figuram em celofane. Utilize fita dupla face ou outra fita adesiva transparente para fixar o papel autoadesivo no plástico. Forre o fundo da mesa com um tapete emborrachado, para maior conforto dos bebês. Deixe cestas com as figuras em celofane na cabana. Fora das cabanas, monte varais com tiras de papel celofane de diferentes cores, que serão amarradas nas cordas e estarão balançando. Coloque algumas folhas inteiras penduradas nos varais. Os binóculos estarão dispostos em pontos estratégicos: perto do tapete e próximos da cabana. Próximo aos binóculos, deixe também folhas de celofane inteiras e de cores variadas.

Materiais:

Tecido claro e leve para montagem das cabanas. Tiras de celofane de diversas cores para pendurar nos varais. Cordas para montagem dos varais. Folhas inteiras de celofane coloridas, figuras grandes e pequenas também em celofaneem formato de retângulos, quadrados, estrelas, círculos e corações, de cores variadas. Para montar essas figuras, desenhe em papel cartão ou papelão, deixando apenas a moldura (figura vazada) e cole celofane em volta; binóculos feitos com rolinhos de papelão (de papel higiênico) e celofane colorido. O binóculo pode ser feito com mais de uma cor de celofane. Uma folha grande de plástico liso, que tenha o dobro do tamanho de uma mesa infantil, para cobri-la. Pedaços largos de plástico autoadesivo transparente grudados no plástico, com o lado da cola virado para cima, para que os bebês grudem e desgrudem as figuras encapadas com celofane.

Tempo sugerido:

Aproximadamente 50 minutos.

Perguntas para guiar suas observações:

1. Quais são as descobertas que as crianças fizeram através da exploração desse ambiente na área externa?

2. Quais foram as experimentações das crianças em relação a luz e a sombra? E quanto ao deslocamento de objetos?

3. Como você percebeu a relação de uma criança com a outra, quanto à imitação de gestos e movimentos?


<inicio-h1>

Para incluir todos:

<

fim-h1>

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Assegure condições para que todas as crianças participem no momento da realização da proposta. Garanta um espaço seguro para aqueles que sentam com autonomia e um espaço de mobilidade para aqueles que engatinham ou andam, com ou sem autonomia. Disponibilize uma caixa com brinquedos conhecidos pelas crianças, para acessarem quando desejarem.

O que fazer durante?

1Leve o grande grupo para o espaço externo. Explique a proposta e apoie a exploração livre dos materiais dispostos ali. Acomode o grupo de bebês menores de maneira confortável, nos tapetes emborrachados, de formaque possam fazer tentativas de locomoção até os objetos de interesse. Observe e atenda individualmente a todos, para que tenham oportunidade de se aproximar, caso desejem. Leve para o local da atividade um cesto com objetos preferidos das crianças e ofereça, quando necessário. Auxilie os bebês que não se locomovem, aproximando objetos ou levando-os até outro lugar, e garanta que estejam próximos ao grupo de crianças. Fotografe, faça pequenos vídeos ou breves anotações durante a atividade, terminando o registro escrito após a atividade.

2

O grupo todo está envolvido na pesquisa exploratória de diferentes formas. Nos varais estão as diversas tiras de celofane coloridas amarradas e uma folha de celofane inteira pendurada. Disponibilize algumas folhas inteiras de celofane no chão, próximas ao varal. Assim que um dos bebês levá-la até o varal, destaque esse movimento, incentivando outros bebês a também experimentarem tirar e colocar as folhas no varal. Aproxime-se fazendo comentários como:Olhem, o amigo está colocando a folha no varal que está mais colorido agora! Será que cabem mais folhas ali? A luz do sol também está colorida, que linda! Venham ver!


3

Vá até a cabana e observe o pequeno grupo em sua exploração. Perceba suas ações, expressões e interações nesse momento. Apoie e valide suas iniciativas, evitando, ao máximo, conduzir a atividade. Se ainda não exploram as figuras de celofane na superfície colante, instigue a curiosidade deles com perguntas do tipo: Aqui fica grudado e ali caiu… venham ver! Quem quer tentar? Dessa forma, esteja atento para destacar positivamente as descobertas através da ação de grudar e desgrudar as figuras no papel colante. Incentive os bebês a fazerem sobreposições e testes com a aderência das figuras no plástico e na superfície colante, percebendo as diferenças.Em suas pesquisas, caso os bebês encontrem elementos naturais, como pedrinhas ou pedaços de grama, e queiram tentar grudar ou desgrudar para testar a superfície, apoie essa iniciativa e valide sua experiência.
Possíveis ações das crianças neste momento: um bebê se concentra por um tempo, tentando grudar uma das figuras no plástico. Ela cai e ele observa o movimento e repete sua ação. Ele pode ousar mudar e adere a figura a superfície colante. Nesse momento, sorri e balbucia. Ao retirar, sente sua mãozinha grudar e passa a explorar também com seu corpo.

4fim-num>Acompanhe a pesquisa exploratória que acontece na cabana de tecidos. Observe como as crianças, em pequenos grupos, interagem com os binóculos sobre as almofadas, observando o mundo colorido. É importante que eles tenham liberdade de ir e vir, tocar e experimentar. É um momento de interação. Dessa forma, participe da brincadeira com as crianças.
Possíveis ações das crianças neste momento: deitada sobre as almofadas, uma criança olha através do binóculo, aponta seu dedinho para o teto e balbucia como se estivesse dialogando com a imagem colorida ali refletida.

5

Convide todos para se envolverem na pesquisa exploratória nas cabanas. Para isso, ofereça diversas possibilidades, como:

Sente-se junto ao bebê e mostre o binóculo, permanecendo ao seu lado;

Ofereça sua mão a ele e explorem o espaço juntos, indo até o varal ou entrando na cabana;

Pegue o bebê no colo. Abrace-o e comente sobre as ações dos colegas, perguntando se ele também quer participar;


6

Atenda os bebês menores de acordo com suas necessidades. Segure a folha de celofane em frente ao rosto da criança e brinque de esconder e achar, com as diferentes cores. Pegue o bebê no colo e observem juntos a estrutura da cabana. Leve-o até os varais coloridos e, juntos, balancem as folhas de celofane.

Enquanto você realiza essa ação individual ou em pequeno grupo, oportunize que as outras crianças explorem o espaço entre a cabana e os varais, criando suas próprias brincadeiras com as luzes coloridas.


Para finalizar:

Para encerrar a atividade, com 10 minutos de antecedência, convide todo grupo de bebês para que saiam da cabana e cante o trecho de uma música, para ajudar na organização dos materiais. Pesquise na internet músicas para este momento. Você encontrará várias ideias interessantes! Comunique que, a seguir, vocês retornarão para sala. Deixe a sala organizada para o retorno, com material de largo alcance (caixas), disponível para aqueles que retornaram possam brincar enquanto aguardam a volta dos colegas.

Desdobramentos

Variações possíveis para essa brincadeira:

1) em vez de binóculos, faça móbiles com bandejas de isopor ou outro material disponível e cole celofane no meio. Essa moldura também poderá ser grudada no chão da sala.

2) leve caixas de papelão grandes e pequenas, com diversos buracos onde haverá celofane colorido colado. O papel celofane pode ser substituído por papel manteiga ou papel vegetal. Dessa forma, será possível oportunizar um contexto de diferentes tonalidades de brancos que perpassam a luz. Leve, pelo menos, uma caixa bem grande, onde o bebê poderá deitar e observar as janelas iluminadas no teto.

Esses móbiles e caixas poderão fazer parte do espaço físico da sala, como um canto fixo, dando continuidade a essa atividade.

3) Outra opção interessante é revestir as janelas ou espelho da sala com papel celofane de diversas cores.

Engajando as famílias

Divulgue, no mural da turma ou em reuniões com as famílias, as fotos e vídeos registrados durante as atividades. Acrescente suas considerações, evidenciando as ações e conquistas dos pequenos e elaborando uma documentação pedagógica. Após a realização das atividades, convide as famílias, através de bilhetes ou da forma como costumam se comunicar em sua escola, para continuarem a brincadeira em suas casas. Explique a intencionalidade da proposta e proponha uma parceria na brincadeira. Envie kits de figuras recortadas em celofane (sem a moldura) com formato de círculo, coração, estrela, quadrado, em tamanhos e cores diversas. Sugira que, se possível, as famílias enviem fotos e relatos para contribuir com as formas que já brincam na escola e fortalecer, ainda mais, o vínculo família e escola.

Sugestão de bilhete às famílias: CLIQUE AQUI

Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Rozemar Messias Candido dos Santos

Mentor: Keli Patricia Luca

Especialista do subgrupo etário: Ana Teresa Gavião

Campos de Experiência: O eu, o nós e o outro; Corpo, gestos e movimentos; Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

Objetivos e códigos da Base
Centrais: (EI01ET03) Explorar o ambiente pela ação e observação, manipulando, experimentando e fazendo descobertas.

(EI01ET04) Manipular, experimentar, arrumar e explorar o espaço por meio de experiências de deslocamentos de si e dos objetos.

Transversal: (EI01CG03) Imitar gestos e movimentos de outras crianças, adultos e animais.

Abordagem didática: Elemento de grande impacto emotivo para as crianças, que gera surpresa, mistério, encanto e diversão. As crianças, em frente à ‘luz e sombra’, realizam diversos gestos em busca do desejo de tocar, capturar e transformar tais fenômenos. A sombra é uma oportunidade para se conhecer através de sua imagem projetada, que por vezes é privada de informações figurativas. Também é uma forma de conhecer o outro de maneiras diversas – sombra maior, menor, desfocada, inclinada, entre outras perspectivas.     

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

facebook-color pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADE 02

Brincadeiras com celofane

VOCÊ ESTÁ AQUI

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes