13374
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Narração de história

POR: Marcos de Souza Machado 30/11/2018
Código: EDI2_10UND01

2º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02EO03) Compartilhar os objetos e os espaços com crianças da mesma faixa etária e adultos.

(EI02EF05) Relatar experiências e fatos acontecidos, histórias ouvidas, filmes ou peças teatrais assistidos etc.

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Crianças bem Pequenas sobre o relato de experiências e fatos acontecidos

Resumo

ilustracao

Depois de conhecer a tradicional história da Linda Rosa Juvenil, as crianças escolhem personagens, conhecem mais sobre eles e usam a imaginação para representá-los.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

O foco desta atividade é a história da Linda Rosa Juvenil (clique aqui para ler a letra e ouvir como cantar). Por isso, é importante treinar sua contação, tanto no que diz respeito à sequência da narrativa quanto ao ritmo e tom de voz. Por se tratar de uma história cantada, a utilização de instrumentos musicais e objetos sonoros pode tornar a proposta mais interessante. Por isso, se você souber tocar algum instrumento, ou alguém da escola e de seu conhecimento puder colaborar para enriquecer a atividade, faça uso.

Este plano faz parte de uma sequência de cinco. São eles:

Narração de história: a Linda Rosa Juvenil (link)

Brincando de faz de conta (link)

Revisitando histórias (link)

História com teatro (link)

Encontro de contações de histórias (link)

Espaços:

A brincadeira poderá ser realizada em espaço interno. Organize as crianças em roda para ler ou cantar a história.

Tempo sugerido:

Disponha de 40 a 50 minutos para esta atividade.

Perguntas para guiar suas observações:

1. Quais as pistas de que as crianças compreendem bem as atitudes de cada um dos personagens?

2. Quais expressões e movimentos as crianças usaram para brincar e interpretar as fisionomias e gestos que os personagens propõem?

3. De que forma as crianças demonstram ter se apropriado da história?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Observe se tem alguma criança mais tímida ou pouco participativa e busque incluí-la na brincadeira. Convide-a para entrar na atividade acompanhada de um colega, ou mesmo com você. Se sua turma for grande, esta brincadeira poderá ser feita várias vezes, revezando as crianças e os personagens.

O que fazer durante?

1

Convide as crianças para se sentarem em roda, juntamente com você.Depois de todas acomodadas, compartilhe com o grande grupo sua proposta, que é contar uma história e que, em seguida, brincarão com ela.


2

Pergunte às crianças se elas conhecem a história A Linda Rosa Juvenil. Caso não, combine com elas que você irá ler e que, quem souber o enredo, e quiser, poderá ajudá-lo a ler.


3

Conte a história da Linda Rosa Juvenil, perguntando às crianças como se expressam e quais as ações dos personagens que compõem a história.

Possíveis falas do professor: Crianças, como é que a bruxa demonstra sua maldade?

Possíveis falas ou ações das crianças: Assim, ó (faz um gesto de abaixar a cabeça, franzir a testa e olhar de canto).

Possíveis falas do professor: E o Belo Rei, como ele faz com o corpo para mostrar que é belo e poderoso?

Possíveis falas ou ações das crianças: Ele faz assim (faz gesto de mão no peito, respiração profunda e elevação da cabeça).

Possíveis falas do professor: Crianças, como o mato faz para crescer? Qual movimento com nosso corpo poderemos fazer para imitar o mato crescendo?

Possíveis falas ou ações das crianças: O mato cresce assim (faz gestos de baixo para cima com as mãos).


4

Ainda em roda, convide as crianças para se levantarem e brincarem com a história. Combine com elas a escolha dos personagens que representarão. Os personagens da Linda Rosa e da Bruxa são, normalmente, os mais escolhidos. Caso isso ocorra, proponha um revezamento de crianças para que representem esses personagens.


5

Inicie com a turma a canção e, à medida em que os personagens forem sendo apresentados, estimule as crianças a fazerem as representações. Lembre-as das ações que elas descobriram que os personagens fazem nesta determinada parte da história. Garanta que cada um seja respeitado na forma de representar seu personagem escolhido. Lembre-se de modular a velocidade da canção para que dê tempo de a criança bem pequena conseguir ir até o centro e fazer a representação, antes de passar para outra personagem. Além disso, você pode modular a velocidade e a voz para que, a depender da narrativa (o tempo passou a correr, por exemplo), da personagem (a bruxa ou o rei, por exemplo), da característica da criança (mais animada, rápida, devagar, menor etc.) todas possam participar.


lPara finalizar:

À medida em que todas as crianças forem revezando, ou que você perceber um certo cansaço por parte delas, inclua na brincadeira o verso: “Agora vamos deitar, bem assim, bem assim, bem assim”. Deite e descanse junto com elas.

Desdobramentos

A partir de suas observações sobre as reações das crianças, através dos gestos e das falas, repita a mesma proposta, replanejando o modo como a realizará. Você pode propor que as crianças brinquem com a história em outros momentos e espaços, como, por exemplo, na área externa. Se tiver alguns elementos ou adereços que lembrem os personagens (uma capa, uma coroa etc.), leve e sugira que as crianças usem. Além disso, você pode propor outras histórias parecidas com a da Linda Rosa Juvenil, para que as crianças brinquem e façam relações entre elas. Pode também levar objetos abstratos como pedra, folha, galho e usá-los como personagens para uma contação.

Engajando as famílias

Combine com os familiares para que cheguem mais cedo em um dia e proponha uma brincadeira de roda com eles, usando essa canção. Familiares e crianças, juntos, brincarão e representarão os personagens.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Marcos de Souza Machado

Mentor: Elisiane Andreia Lippi

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 3 anos.

Campos de Experiência: Escuta, fala, pensamento e imaginação; Corpo, Gestos e Movimentos; O Eu, o outro e o nós

Objetivos e códigos da Base
Centrais:

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

(EI02EF05) Relatar experiências e fatos acontecidos, histórias ouvidas, filmes ou peças teatrais assistidos etc.

Transversal:

(EI02EO03) Compartilhar os objetos e os espaços com crianças da mesma faixa etária e adultos.

Abordagem didática: crianças bem pequenas se interessam por histórias e levam elementos da narrativa para as brincadeiras de faz de conta, como uma forma de dar significado às pessoas, ao dia a dia e às ideias que preenchem o imaginário. O caráter atemporal e universal dessas histórias torna isso possível. Elas envolvem a criança e a faz pensar, compreender e explorar o mundo. São as brincadeiras de faz de conta que dão contextos significativos para as descobertas.
Por isso, propiciar atividades que enriqueçam o repertório de histórias clássicas (com temas universais) e incentivar as brincadeiras contribui com a ampliação e o aprofundamento das experiências vividas. Esta é uma excelente forma de favorecer novas aprendizagens.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADE 01

Narração de história

VOCÊ ESTÁ AQUI

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes