Crie sua conta e acesse o conteúdo completo. Cadastrar gratuitamente

5 dicas para estimular a contação de histórias durante as atividades remotas

A proposta estimula o desenvolvimento das crianças e permite que as famílias, com apoio do professor, criem um momento especial em casa

POR:
Evandro Tortora
Crédito: Getty Images

Conversando com uma colega, começamos a discutir uma prática que todo professor ou professora da Educação Infantil já fez: contação de histórias. Ela me contou uma experiência muito interessante que teve na sua prática durante pandemia. Vou compartilhar com vocês, professores.

Quando estava presencialmente, ela sentia-se muito realizada ao contar histórias para os pequenos. Usava fantoches, dedoches, encenações e leitura de livros. No trabalho remoto, encontrou dificuldades de dar continuidade a esse trabalho. Ela buscou vídeos de histórias contadas no YouTube para enviar para a turma. No entanto, percebeu que a relação que estabeleciam com a narrativa era diferente.

No fim da conversa, chegamos à conclusão que a experiência presencial era bem diferente de quando coloca os materiais no grupo do WhatsApp. Não apenas por estarem se comunicando pelo celular, mas porque ela não estava fazendo a contação. Dessa forma, sugeri começasse a gravar seus próprios vídeos utilizando os mesmos materiais e estratégias que usava quando estavam juntos.

Como incentivar a contação de histórias em casa

Saiba como orientar as famílias e conheça materiais para a realização de momentos de diversão e contato com a literatura durante as atividades remotas

Leitura na Educação Infantil

A minha troca com a professora pode nos ajudar a refletir sobre as relações que as crianças constroem com as contações de história. A narrativa em si não é a única que importa, mas também a forma como nós levamos as apresentamos.  

Ouvir histórias é um momento de muito prazer e alegria quando conquistamos as crianças com essa prática. Tive bons momentos de contação de história com meus pequenos - incluindo os bebês! Lembro-me deles ao meu redor, alguns ainda engatinhando, interessados pela narrativa enquanto brincávamos com as histórias presentes nos livros.

Além do momento de afetivo e interativo entre aquele que conta e quem ouve, narrar histórias para as crianças favorece a construção de vínculos com o educador e com o próprio ato de ler – inclusive quando é feita a distância. Durante essa atividade, possibilitamos que o pequeno inicie processos de dar um significado para aquele ato e incentiva o desenvolvimento da linguagem dos pequenos.

Curso Literatura na Educação Infantil

Neste curso, vamos refletir sobre o lugar da literatura na Educação Infantil, como planejar o encontro entre o livro e a criança-leitora e como realizar uma escuta atenta durante as atividades de leitura.

Neste momento de trabalho remoto, a contação de histórias deve ter uma atenção especial, pois favorece ações que podem ser desenvolvidas pelas famílias com nossa orientação. Por isso, preparei cinco dicas para estimular bons momentos na casa dos pequenos:

1 –  Empreste sua imagem ou voz para a contação de histórias, sempre que possível.

Pode parecer óbvio, mas precisamos reafirmar que é importante reduzir o uso de vídeos já prontos na internet para enviar as nossas crianças. Devemos valorizar a produção de conteúdo por parte dos próprios educadores. Nesse sentido, eu percebo que existem dificuldades em relação à tecnologia e falta de conhecimento sobre como contar histórias utilizando vídeos, por isso as escolas precisam apoiar os professores e professoras a melhorar a qualidade das interações com a crianças.

2- Escolha textos que estimulem a imaginação e enriqueçam o repertório das crianças.

Por vezes, costumamos subestimar as crianças e escolhemos histórias que achamos mais simples de serem compreendidas. No entanto, é preciso levar narrativas criativas, que explorem diferentes gêneros textuais e que estimulem a imaginação das crianças.

No ano passado, propus um projeto a partir da leitura “O Carteiro Chegou”. Eu gravei um vídeo que compartilhei com as famílias. Após a contação trocamos cartas e muitos outros projetos surgiram desta história – conheça aqui a experiência.

3 – Peça para as crianças produzirem suas próprias histórias.

Valorizar aquilo que as crianças trazem é fundamental nas práticas da Educação Infantil. Presencialmente, é comum pedir para elas contem suas histórias ou incentivar que inventem uma narrativa. É muito importante ouvi-las da forma que for possível, podemos pedir que enviem vídeos (ou áudios) contando histórias, sejam elas aqueles clássicos contos de fada ou uma que eles tenham criado com seus brinquedos favoritos!

Pode ser uma forma dos pequenos contarem suas histórias com ajuda de suas famílias, uma vez que explorar essas narrativas mostra que elas são protagonistas de suas próprias narrativas.

Leve a diversidade racial para a contação de histórias

Conheça obras e autores de livros infantis que procuram valorizar a cultura afro-brasileira e a representatividade das crianças negras para ampliar o repertório dos professores nos momentos de leitura com as crianças.

4 – Proporcione momentos síncronos de contação de histórias.

Caso tenha essa possibilidade, organize momentos de contação de história em lives com a turma. Ao vivo, é possível amenizar a saudade destes momentos e dar possibilidades de interação simultânea. O melhor destes momentos é a espontaneidade que as crianças podem nos mostrar! Por exemplo, para saber se elas gostaram de alguma proposta enviada pelo WhatsApp, no encontro virtual tem uma maior liberdade para externar suas vontades – esse momento é essencial estar atendo e fazer uma escuta ativas das necessidades dos pequenos.

5 – Diversifique as histórias contadas e valorize diferentes culturas.

A última dica diz respeito a diversificar o universo de histórias que existem. Geralmente, recorremos sempre aos mesmos autores tradicionais e histórias que não valorizam a cultura indígena ou africana, por exemplo. No entanto, é fundamental garantir a representatividade e apresentar diferentes histórias e autores. É uma forma de valorizar as diferentes vozes que contam as histórias de nosso país.

E você? Teria outra dica para os professores e professoras da Educação Infantil? Esta pandemia exigiu que nós, professores, precisemos nos reinventar e trazer novas formas para realizar esse tipo de trabalho com as crianças. Leve estas dicas para sua escola e estimule reflexões sobre elas para que, juntos, pensem na melhor forma de contar histórias para as crianças.

Um abraço carinhoso e até breve!

Evandro

Evandro Tortora é professor de Educação Infantil há 7 anos na Prefeitura Municipal de Campinas, licenciado em Pedagogia e Matemática e doutor em Educação para Ciência pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Bauru. Além da docência na Educação Infantil, tem experiência com pesquisas na área da Educação Infantil e Educação Matemática, bem como desenvolve ações de formação continuada para professoras e professores da Educação Infantil e do Ensino Fundamental.