17179
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 8º ano > O mundo contemporâneo: o Antigo Regime em crise

Plano de aula - Revoluções inglesas: entendendo o papel do rei

Plano de aula de História com atividades para 8º ano do EF sobre Revoluções inglesas: entendendo o papel do rei

Plano 01 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Gabriel Amato Bruno De Lima

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI02, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópias impressas das imagens ou data show para projeção das fontes.

Material complementar:

Fotografia da rainha Elizabeth II (2006):

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Dk7xUmQPZT5zfTvGTwZzdtFGfEEvGC96sR48VjGYp34Pf72vpPmxfRbHeHfh/his8-02und01--fotografia-da-rainha-elizabeth-ii-2006.pdf

Frontispício do panfleto “O mundo de ponta-cabeça” (1647), de John Taylor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mp4AfNt9PbXdvqWf4P9p8wRXXUwNj87XMwHA4GyScXK3Gvb74Ed4J7V2StEu/his8-02und01--frontispicio-do-panfleto-o-mundo-de-ponta-cabeca.pdf

Trecho do panfleto “O mundo de ponta-cabeça” (1647), de John Taylor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GdN3KVucBv2agCGKbsga3teCFnQ7fEKBJynRR9BZXtdf99aHkKvdQuvVA7TZ/his8-02und01--trecho-do-panfleto-o-mundo-de-ponta-cabeca.pdf

Frontispício da primeira edição do Leviatã (1651), de Thomas Hobbes:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZEAmaXdbcWV9P4MRebQtsdgGsGDeX9hj7JJDYXVAktEQQGRhESfwPTzFGt2d/his8-02und01--frontispicio-da-primeira-edicao-do-leviata.pdf

Trecho do livro Leviatã (1651), de Thomas Hobbes:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/XZq2gdXMReVkQgbaecp9CqrAHSg6zFymVyXAAGKbEkJQGuV6nYmaKt6sffRm/his8-02und01--trecho-do-livro-leviata-1651-de-thomas-hobbes.pdf

Para você saber mais:

“Quais países são monarquias atualmente no mundo”, por Gabriel Zanlorenssi, Vitória Ostetti e Rodolfo Almeida, no jornal Nexo. 15/11/2018. Disponível em: <https://www.nexojornal.com.br/grafico/2018/11/15/Quais-pa%C3%ADses-são-monarquias-atualmente-no-mundo> Acesso em: 4 de dezembro de 2018.

HILL, Christopher. Virando o mundo de ponta-cabeça: o outro lado da revolução inglesa. Varia História, Belo Horizonte, nº 14, Set. 1995, p. 110-123. Disponível em: <https://static1.squarespace.com/static/561937b1e4b0ae8c3b97a702/t/572789bb9f72660cf993240c/1462208959120/08_Hill%2C+Christopher.pdf>
Acesso em: 3 de dezembro de 2018.

OSTRENSKY, Eunice. Teóricos políticos e propostas constitucionais na Inglaterra (1645-1669). Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 33, nº 98, 2018,
pp. 1-17. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v33n98/0102-6909-rbcsoc-33-98-e339805.pdf> Acesso em: 4 de dezembro de 2018.

Thomas Hobbes – Teoria Política, The School of Life (vídeo, 6m:45s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=9i4jb5XBX5s>
Acesso em: 3 de dezembro de 2018.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente este slide e faça uma leitura coletiva. Lembre-se de não antecipar as reflexões da aula neste momento, pois a intenção é que os estudantes construam o raciocínio por meio da leitura e debate das fontes, com a sua mediação.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações: A intenção deste momento é estimular uma reflexão sobre a representação da rainha britânica e a organização política da Inglaterra no tempo presente. Projete, se estiver usando um data show, ou imprima e mostre aos alunos a fotografia da rainha da Elizabeth II feita em 2006. Ela está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Dk7xUmQPZT5zfTvGTwZzdtFGfEEvGC96sR48VjGYp34Pf72vpPmxfRbHeHfh/his8-02und01--fotografia-da-rainha-elizabeth-ii-2006.pdf

  • Para garantir que os alunos sejam os protagonistas da aula, não explique sobre a rainha diretamente. Estimule o questionamento da fonte, primeiro com base na identificação de suas condições de produção: suporte (fotografia), data de produção (2006), local em que a fonte foi produzida (Londres, Reino Unido), situação em que a fotografia foi realizada (um banquete oficial oferecido ao então presidente do Brasil pela monarquia britânica).

  • Depois, questione aos estudantes sobre os significados da imagem com perguntas como:
    Vocês sabem quem é esta pessoa? Ela é uma autoridade política em qual(is) país(es)? Por que ela está usando uma coroa? Em qual tipo de governo há uma rainha? Além da coroa, quais outros símbolos representam uma monarquia? Qual é o papel de uma rainha? Será que esse papel mudou ao longo do tempo? Qual o papel da rainha da Inglaterra hoje? Vocês sabem dizer quais países tiveram uma monarquia e um rei no passado? E quais países têm uma monarquia hoje, nosso tempo presente? Qual a diferença entre um monarca e um presidente?

Para você saber mais:

“Quais países são monarquias atualmente no mundo”, por Gabriel Zanlorenssi, Vitória Ostetti e Rodolfo Almeida, no jornal Nexo. 15/11/2018. Disponível em: <https://www.nexojornal.com.br/grafico/2018/11/15/Quais-pa%C3%ADses-são-monarquias-atualmente-no-mundo> Acesso em: 4 de dezembro de 2018.

Gráfico com a indicação geográfica das monarquias existente no mundo atual, incluindo a britânica. A reportagem traz também as diferenciações entre os sistemas políticos monárquicos (absoluto, constitucional, diarquia constitucional e união pessoal) bem como dos sistemas de sucessão presentes nestes sistemas (eletivo e hereditário). Note que o Reino Unido é uma monarquia constitucional e que a rainha Elizabeth II é a sua chefe de Estado, sucedida de maneira hereditária. A monarca exerce o mesmo cargo em outros 15 países – todos ex-colônias britânicas, mas hoje independentes.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 23 minutos.

Orientações: Organize a turma em trios e distribua cópias do seguinte material para cada grupo:

Frontispício do panfleto “O mundo de ponta-cabeça”(1647), de John Taylor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mp4AfNt9PbXdvqWf4P9p8wRXXUwNj87XMwHA4GyScXK3Gvb74Ed4J7V2StEu/his8-02und01--frontispicio-do-panfleto-o-mundo-de-ponta-cabeca.pdf

Trecho do panfleto “O mundo de ponta-cabeça” (1647), de John Taylor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GdN3KVucBv2agCGKbsga3teCFnQ7fEKBJynRR9BZXtdf99aHkKvdQuvVA7TZ/his8-02und01--trecho-do-panfleto-o-mundo-de-ponta-cabeca.pdf

Frontispício da primeira edição do Leviatã (1651), de Thomas Hobbes:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZEAmaXdbcWV9P4MRebQtsdgGsGDeX9hj7JJDYXVAktEQQGRhESfwPTzFGt2d/his8-02und01--frontispicio-da-primeira-edicao-do-leviata.pdf

Trecho do livro Leviatã (1651), de Thomas Hobbes:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/XZq2gdXMReVkQgbaecp9CqrAHSg6zFymVyXAAGKbEkJQGuV6nYmaKt6sffRm/his8-02und01--trecho-do-livro-leviata-1651-de-thomas-hobbes.pdf

  • Peça aos trios que leiam e discutam o conjunto de fontes, combinando um tempo (entre 5 e 8 minutos) para que os estudantes tentem ter uma primeira compreensão do material sozinhos. Diga que eles devem procurar perceber se as imagens e os textos concordam ou discordam e no quê. Peça que eles registrem no caderno, em tópicos, os pontos principais da discussão.

  • Neste momento, circule pela sala e medeie o debate. Auxilie os estudantes na identificação dos argumentos defendidos por John Taylor e Thomas Hobbes, ajude-os com dúvidas de vocabulário ou de compreensão e questione-os sobre alguns aspectos das imagens (a relação do título das publicações com o que está representado, por exemplo).

Depois disso, inicie a leitura coletiva das fontes – ela deve durar entre 15 e 17 minutos. Se estiver usando o data show, projete as imagens e textos; caso contrário, cole a impressão das fontes e/ou escreva os textos no quadro.

  • Peça a um estudante que apresente os pontos debatidos em seu grupo sobre a imagem referente ao panfleto “O mundo de ponta-cabeça” (1647),
    de John Taylor. Neste momento, medeie a discussão, inicialmente com perguntas sobre as condições de produção da fonte como, por exemplo:
  • Quando e onde ela circulou; o que é um panfleto político?

  • Depois, questione os estudantes sobre os significados da fonte com perguntas que os levem a perceber as particulares políticas e sociais da Inglaterra do século XVII, como:
  • Quais elementos compõem a imagem? Quais posições estes elementos ocupam na imagem? Estas posições estão corretas? Os animais e instrumentos de trabalho que aparecem na fonte são de uma sociedade rural ou urbana? Por que, numa monarquia, tudo está de ponta-cabeça se o monarca está de ponta-cabeça? A fonte é uma crítica ou um elogio à figura do rei?

  • Na mediação da leitura da fonte, é possível relacionar este tema com a relação entre Igreja e Estado após a reforma anglicana (assunto trabalhado na habilidade EF07HI05: Identificar e relacionar as vinculações entre as reformas religiosas e os processos culturais e sociais do período moderno na Europa e na América). Por fim, também é possível informar aos alunos que a expressão que dá título ao panfleto foi originalmente utilizada na Bíblia (Atos dos Apóstolos 17, 1-6) e perguntar sobre as relações entre política e religião neste momento da História:
  • Por que a religião e a igreja se relacionam de maneira tão próxima com a monarquia na Inglaterra do século XVII?

Para você saber mais:

HILL, Christopher. Virando o mundo de ponta-cabeça: o outro lado da revolução inglesa. Varia História, Belo Horizonte, nº 14, Set. 1995, p. 110-123. Disponível em: <https://static1.squarespace.com/static/561937b1e4b0ae8c3b97a702/t/572789bb9f72660cf993240c/1462208959120/08_Hill%2C+Christopher.pdf>
Acesso em: 3 de dezembro de 2018.

Neste artigo, o historiador inglês Christopher Hill discute os sentidos das ideias políticas radicais – como as de John Taylor, uma das fontes utilizadas neste plano de aula – durante o século XVII, debatendo também as suas dimensões religiosas e diferenciando os grupos existentes no período (diggers, ranters etc.). O autor estabelece relações com o contexto revolucionário mais geral, refletindo sobre como os panfletos radicais eram recebidos pelo Parlamento. Atenção para as análises que o autor faz dos aspectos religiosos destas ideias, inclusive da própria expressão “o mundo de ponta-cabeça” (originalmente, um trecho do livro Ato dos Apóstolos da Bíblia).

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Passe, então, para a discussão das fontes referentes a Hobbes.

  • Solicite a um segundo estudante que apresente os pontos debatidos em seu grupo sobre o texto e a imagem referente ao livro Leviatã (1651), de Thomas Hobbes. Mais uma vez, medeie a discussão, inicialmente com perguntas sobre as condições de produção da fonte como, por exemplo: Quando e onde ela foi produzida; o que é um livro de filosofia política?

  • Depois, questione os estudantes sobre os significados da fonte com perguntas que os levem a perceber as particulares políticas e sociais da Inglaterra do século XVII, como: Quais elementos compõem a imagem? Quais posições e proporções estes elementos ocupam na imagem? Quais as funções do Estado/soberano definidas por Hobbes? Como estas funções aparecem representadas nas imagens da capa do livro (canhão, coroa, fortaleza)? Qual o significado da metáfora do Estado como um leviatã (monstro citado na Bíblia)? Por que o corpo do leviatã é formado por pequenos indivíduos, segundo
    o trecho do livro de Hobbes?

  • Aqui, mais uma vez, a questão da relação entre Estado e religião durante a Idade Moderna pode surgir – caso ela não seja apontada pelos alunos, questione-os por que o poder eclesiástico faz parte da reflexão de Hobbes sobre o Estado e aparece também na imagem que serve de capa para o seu livro (igreja e religiosos reunidos, à direita da gravura).

Para você saber mais:

Thomas Hobbes – Teoria Política, The School of Life (vídeo, 6m:45s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=9i4jb5XBX5s>
Acesso em: 3 de dezembro de 2018.

Neste vídeo, produzido pelo canal do YouTube The School of Life (uma organização global focada na produção de conteúdo nas áreas de Filosofia, Cultura, Psicologia etc.) apresenta didaticamente as ideias de Thomas Hobbes, com enfoque em seu pensamento político e nas suas ideias sobre o contrato social.
O vídeo está originalmente em inglês, mas você pode ativar as legendas em português.

OSTRENSKY, Eunice. Teóricos políticos e propostas constitucionais na Inglaterra (1645-1669). Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 33, nº 98, 2018, p. 1-17. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v33n98/0102-6909-rbcsoc-33-98-e339805.pdf> Acesso em: 4 de dezembro de 2018.

Neste texto, de autoria de uma das maiores especialistas brasileiras em ideias políticas no contexto inglês da Idade Moderna, a cientista política Eunice Ostrensky narra a crise política entre rei e Parlamento que antecedeu as guerras civis inglesas, relacionando-a com a produção da teoria política na segunda metade do século XVII. O pensamento de Thomas Hobbes, expresso na publicação de Leviatã em 1651, é contextualizado e relacionado a outras produções do debate sobre a crise de soberania da época, como textos dos levellers, de John Locke e de James Harrington.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Por fim, peça a um terceiro estudante que apresente a comparação feita por seu grupo entre as fontes referentes a John Taylor e a Thomas Hobbes. Retome a questão-problema: As imagens e os textos concordam ou discordam? No quê? A intenção é que, com a Problematização das fontes, os alunos sejam capazes de reconhecer que havia uma disputa pelos sentidos da monarquia e pela delimitação das funções do monarca na Inglaterra do século XVII. Na capa e no texto do panfleto de John Taylor, a Inglaterra do século XVII é descrita como um tempo "furioso", "ridículo" e "de ponta-cabeça", o que é associado justamente aos problemas da monarquia; já na capa e no tratado de Thomas Hobbes, a figura do monarca garante a estabilidade do Estado e representa o contrato social que cria a sociedade. O objetivo é, também, que os estudantes reflitam que este conflito político era inseparável da religião.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Organize a turma em trios e distribua cópias das três imagens trabalhadas ao longo da aula. Depois, solicite que cada membro do trio crise uma legenda explicativa com base nos debates realizados e em conjunto com os colegas do grupo.

Os textos devem ser curtos (4-6 linhas), localizando as imagens no tempo e interpretando seus significados. Peça que cada grupo escolha um aspecto específico da imagem para se aprofundarem na criação legenda – por exemplo, o lugar na Igreja ou o sentido político dos símbolos ligados ao soberano. Além disso, lembre que as legendas devem incluir informações como as condições de produção da fonte (suporte/técnica, autor, data), a descrição do que se vê e uma interpretação do contexto da Inglaterra no tempo presente, para a primeira imagem, e século XVII, para as outras duas, possibilitada pela imagem.

Neste momento, circule pela sala e estimule os estudantes a incluir, em suas legendas, respostas para perguntas já debatidas na Problematização como, por exemplo: Como o rei é representado? Quais são os símbolos que remetem ao soberano/monarca e o que eles significam? A imagem do soberano presente na imagem é positiva ou negativa?

Na medida em que os grupos forem concluindo seu trabalho, cole as imagens com as legendas produzidas pelos estudantes no quadro. Agrupe-as de acordo com o tipo de fonte. Para finalizar, peça que alguns alunos leiam suas legendas para a turma possibilitando a socialização das discussões.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI02, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópias impressas das imagens ou data show para projeção das fontes.

Material complementar:

Fotografia da rainha Elizabeth II (2006):

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Dk7xUmQPZT5zfTvGTwZzdtFGfEEvGC96sR48VjGYp34Pf72vpPmxfRbHeHfh/his8-02und01--fotografia-da-rainha-elizabeth-ii-2006.pdf

Frontispício do panfleto “O mundo de ponta-cabeça” (1647), de John Taylor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mp4AfNt9PbXdvqWf4P9p8wRXXUwNj87XMwHA4GyScXK3Gvb74Ed4J7V2StEu/his8-02und01--frontispicio-do-panfleto-o-mundo-de-ponta-cabeca.pdf

Trecho do panfleto “O mundo de ponta-cabeça” (1647), de John Taylor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GdN3KVucBv2agCGKbsga3teCFnQ7fEKBJynRR9BZXtdf99aHkKvdQuvVA7TZ/his8-02und01--trecho-do-panfleto-o-mundo-de-ponta-cabeca.pdf

Frontispício da primeira edição do Leviatã (1651), de Thomas Hobbes:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZEAmaXdbcWV9P4MRebQtsdgGsGDeX9hj7JJDYXVAktEQQGRhESfwPTzFGt2d/his8-02und01--frontispicio-da-primeira-edicao-do-leviata.pdf

Trecho do livro Leviatã (1651), de Thomas Hobbes:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/XZq2gdXMReVkQgbaecp9CqrAHSg6zFymVyXAAGKbEkJQGuV6nYmaKt6sffRm/his8-02und01--trecho-do-livro-leviata-1651-de-thomas-hobbes.pdf

Para você saber mais:

“Quais países são monarquias atualmente no mundo”, por Gabriel Zanlorenssi, Vitória Ostetti e Rodolfo Almeida, no jornal Nexo. 15/11/2018. Disponível em: <https://www.nexojornal.com.br/grafico/2018/11/15/Quais-pa%C3%ADses-são-monarquias-atualmente-no-mundo> Acesso em: 4 de dezembro de 2018.

HILL, Christopher. Virando o mundo de ponta-cabeça: o outro lado da revolução inglesa. Varia História, Belo Horizonte, nº 14, Set. 1995, p. 110-123. Disponível em: <https://static1.squarespace.com/static/561937b1e4b0ae8c3b97a702/t/572789bb9f72660cf993240c/1462208959120/08_Hill%2C+Christopher.pdf>
Acesso em: 3 de dezembro de 2018.

OSTRENSKY, Eunice. Teóricos políticos e propostas constitucionais na Inglaterra (1645-1669). Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 33, nº 98, 2018,
pp. 1-17. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v33n98/0102-6909-rbcsoc-33-98-e339805.pdf> Acesso em: 4 de dezembro de 2018.

Thomas Hobbes – Teoria Política, The School of Life (vídeo, 6m:45s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=9i4jb5XBX5s>
Acesso em: 3 de dezembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente este slide e faça uma leitura coletiva. Lembre-se de não antecipar as reflexões da aula neste momento, pois a intenção é que os estudantes construam o raciocínio por meio da leitura e debate das fontes, com a sua mediação.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações: A intenção deste momento é estimular uma reflexão sobre a representação da rainha britânica e a organização política da Inglaterra no tempo presente. Projete, se estiver usando um data show, ou imprima e mostre aos alunos a fotografia da rainha da Elizabeth II feita em 2006. Ela está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Dk7xUmQPZT5zfTvGTwZzdtFGfEEvGC96sR48VjGYp34Pf72vpPmxfRbHeHfh/his8-02und01--fotografia-da-rainha-elizabeth-ii-2006.pdf

  • Para garantir que os alunos sejam os protagonistas da aula, não explique sobre a rainha diretamente. Estimule o questionamento da fonte, primeiro com base na identificação de suas condições de produção: suporte (fotografia), data de produção (2006), local em que a fonte foi produzida (Londres, Reino Unido), situação em que a fotografia foi realizada (um banquete oficial oferecido ao então presidente do Brasil pela monarquia britânica).

  • Depois, questione aos estudantes sobre os significados da imagem com perguntas como:
    Vocês sabem quem é esta pessoa? Ela é uma autoridade política em qual(is) país(es)? Por que ela está usando uma coroa? Em qual tipo de governo há uma rainha? Além da coroa, quais outros símbolos representam uma monarquia? Qual é o papel de uma rainha? Será que esse papel mudou ao longo do tempo? Qual o papel da rainha da Inglaterra hoje? Vocês sabem dizer quais países tiveram uma monarquia e um rei no passado? E quais países têm uma monarquia hoje, nosso tempo presente? Qual a diferença entre um monarca e um presidente?

Para você saber mais:

“Quais países são monarquias atualmente no mundo”, por Gabriel Zanlorenssi, Vitória Ostetti e Rodolfo Almeida, no jornal Nexo. 15/11/2018. Disponível em: <https://www.nexojornal.com.br/grafico/2018/11/15/Quais-pa%C3%ADses-são-monarquias-atualmente-no-mundo> Acesso em: 4 de dezembro de 2018.

Gráfico com a indicação geográfica das monarquias existente no mundo atual, incluindo a britânica. A reportagem traz também as diferenciações entre os sistemas políticos monárquicos (absoluto, constitucional, diarquia constitucional e união pessoal) bem como dos sistemas de sucessão presentes nestes sistemas (eletivo e hereditário). Note que o Reino Unido é uma monarquia constitucional e que a rainha Elizabeth II é a sua chefe de Estado, sucedida de maneira hereditária. A monarca exerce o mesmo cargo em outros 15 países – todos ex-colônias britânicas, mas hoje independentes.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 23 minutos.

Orientações: Organize a turma em trios e distribua cópias do seguinte material para cada grupo:

Frontispício do panfleto “O mundo de ponta-cabeça”(1647), de John Taylor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mp4AfNt9PbXdvqWf4P9p8wRXXUwNj87XMwHA4GyScXK3Gvb74Ed4J7V2StEu/his8-02und01--frontispicio-do-panfleto-o-mundo-de-ponta-cabeca.pdf

Trecho do panfleto “O mundo de ponta-cabeça” (1647), de John Taylor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GdN3KVucBv2agCGKbsga3teCFnQ7fEKBJynRR9BZXtdf99aHkKvdQuvVA7TZ/his8-02und01--trecho-do-panfleto-o-mundo-de-ponta-cabeca.pdf

Frontispício da primeira edição do Leviatã (1651), de Thomas Hobbes:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZEAmaXdbcWV9P4MRebQtsdgGsGDeX9hj7JJDYXVAktEQQGRhESfwPTzFGt2d/his8-02und01--frontispicio-da-primeira-edicao-do-leviata.pdf

Trecho do livro Leviatã (1651), de Thomas Hobbes:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/XZq2gdXMReVkQgbaecp9CqrAHSg6zFymVyXAAGKbEkJQGuV6nYmaKt6sffRm/his8-02und01--trecho-do-livro-leviata-1651-de-thomas-hobbes.pdf

  • Peça aos trios que leiam e discutam o conjunto de fontes, combinando um tempo (entre 5 e 8 minutos) para que os estudantes tentem ter uma primeira compreensão do material sozinhos. Diga que eles devem procurar perceber se as imagens e os textos concordam ou discordam e no quê. Peça que eles registrem no caderno, em tópicos, os pontos principais da discussão.

  • Neste momento, circule pela sala e medeie o debate. Auxilie os estudantes na identificação dos argumentos defendidos por John Taylor e Thomas Hobbes, ajude-os com dúvidas de vocabulário ou de compreensão e questione-os sobre alguns aspectos das imagens (a relação do título das publicações com o que está representado, por exemplo).

Depois disso, inicie a leitura coletiva das fontes – ela deve durar entre 15 e 17 minutos. Se estiver usando o data show, projete as imagens e textos; caso contrário, cole a impressão das fontes e/ou escreva os textos no quadro.

  • Peça a um estudante que apresente os pontos debatidos em seu grupo sobre a imagem referente ao panfleto “O mundo de ponta-cabeça” (1647),
    de John Taylor. Neste momento, medeie a discussão, inicialmente com perguntas sobre as condições de produção da fonte como, por exemplo:
  • Quando e onde ela circulou; o que é um panfleto político?

  • Depois, questione os estudantes sobre os significados da fonte com perguntas que os levem a perceber as particulares políticas e sociais da Inglaterra do século XVII, como:
  • Quais elementos compõem a imagem? Quais posições estes elementos ocupam na imagem? Estas posições estão corretas? Os animais e instrumentos de trabalho que aparecem na fonte são de uma sociedade rural ou urbana? Por que, numa monarquia, tudo está de ponta-cabeça se o monarca está de ponta-cabeça? A fonte é uma crítica ou um elogio à figura do rei?

  • Na mediação da leitura da fonte, é possível relacionar este tema com a relação entre Igreja e Estado após a reforma anglicana (assunto trabalhado na habilidade EF07HI05: Identificar e relacionar as vinculações entre as reformas religiosas e os processos culturais e sociais do período moderno na Europa e na América). Por fim, também é possível informar aos alunos que a expressão que dá título ao panfleto foi originalmente utilizada na Bíblia (Atos dos Apóstolos 17, 1-6) e perguntar sobre as relações entre política e religião neste momento da História:
  • Por que a religião e a igreja se relacionam de maneira tão próxima com a monarquia na Inglaterra do século XVII?

Para você saber mais:

HILL, Christopher. Virando o mundo de ponta-cabeça: o outro lado da revolução inglesa. Varia História, Belo Horizonte, nº 14, Set. 1995, p. 110-123. Disponível em: <https://static1.squarespace.com/static/561937b1e4b0ae8c3b97a702/t/572789bb9f72660cf993240c/1462208959120/08_Hill%2C+Christopher.pdf>
Acesso em: 3 de dezembro de 2018.

Neste artigo, o historiador inglês Christopher Hill discute os sentidos das ideias políticas radicais – como as de John Taylor, uma das fontes utilizadas neste plano de aula – durante o século XVII, debatendo também as suas dimensões religiosas e diferenciando os grupos existentes no período (diggers, ranters etc.). O autor estabelece relações com o contexto revolucionário mais geral, refletindo sobre como os panfletos radicais eram recebidos pelo Parlamento. Atenção para as análises que o autor faz dos aspectos religiosos destas ideias, inclusive da própria expressão “o mundo de ponta-cabeça” (originalmente, um trecho do livro Ato dos Apóstolos da Bíblia).

Slide Plano Aula

Orientações: Passe, então, para a discussão das fontes referentes a Hobbes.

  • Solicite a um segundo estudante que apresente os pontos debatidos em seu grupo sobre o texto e a imagem referente ao livro Leviatã (1651), de Thomas Hobbes. Mais uma vez, medeie a discussão, inicialmente com perguntas sobre as condições de produção da fonte como, por exemplo: Quando e onde ela foi produzida; o que é um livro de filosofia política?

  • Depois, questione os estudantes sobre os significados da fonte com perguntas que os levem a perceber as particulares políticas e sociais da Inglaterra do século XVII, como: Quais elementos compõem a imagem? Quais posições e proporções estes elementos ocupam na imagem? Quais as funções do Estado/soberano definidas por Hobbes? Como estas funções aparecem representadas nas imagens da capa do livro (canhão, coroa, fortaleza)? Qual o significado da metáfora do Estado como um leviatã (monstro citado na Bíblia)? Por que o corpo do leviatã é formado por pequenos indivíduos, segundo
    o trecho do livro de Hobbes?

  • Aqui, mais uma vez, a questão da relação entre Estado e religião durante a Idade Moderna pode surgir – caso ela não seja apontada pelos alunos, questione-os por que o poder eclesiástico faz parte da reflexão de Hobbes sobre o Estado e aparece também na imagem que serve de capa para o seu livro (igreja e religiosos reunidos, à direita da gravura).

Para você saber mais:

Thomas Hobbes – Teoria Política, The School of Life (vídeo, 6m:45s). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=9i4jb5XBX5s>
Acesso em: 3 de dezembro de 2018.

Neste vídeo, produzido pelo canal do YouTube The School of Life (uma organização global focada na produção de conteúdo nas áreas de Filosofia, Cultura, Psicologia etc.) apresenta didaticamente as ideias de Thomas Hobbes, com enfoque em seu pensamento político e nas suas ideias sobre o contrato social.
O vídeo está originalmente em inglês, mas você pode ativar as legendas em português.

OSTRENSKY, Eunice. Teóricos políticos e propostas constitucionais na Inglaterra (1645-1669). Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 33, nº 98, 2018, p. 1-17. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v33n98/0102-6909-rbcsoc-33-98-e339805.pdf> Acesso em: 4 de dezembro de 2018.

Neste texto, de autoria de uma das maiores especialistas brasileiras em ideias políticas no contexto inglês da Idade Moderna, a cientista política Eunice Ostrensky narra a crise política entre rei e Parlamento que antecedeu as guerras civis inglesas, relacionando-a com a produção da teoria política na segunda metade do século XVII. O pensamento de Thomas Hobbes, expresso na publicação de Leviatã em 1651, é contextualizado e relacionado a outras produções do debate sobre a crise de soberania da época, como textos dos levellers, de John Locke e de James Harrington.

Slide Plano Aula

Orientações: Por fim, peça a um terceiro estudante que apresente a comparação feita por seu grupo entre as fontes referentes a John Taylor e a Thomas Hobbes. Retome a questão-problema: As imagens e os textos concordam ou discordam? No quê? A intenção é que, com a Problematização das fontes, os alunos sejam capazes de reconhecer que havia uma disputa pelos sentidos da monarquia e pela delimitação das funções do monarca na Inglaterra do século XVII. Na capa e no texto do panfleto de John Taylor, a Inglaterra do século XVII é descrita como um tempo "furioso", "ridículo" e "de ponta-cabeça", o que é associado justamente aos problemas da monarquia; já na capa e no tratado de Thomas Hobbes, a figura do monarca garante a estabilidade do Estado e representa o contrato social que cria a sociedade. O objetivo é, também, que os estudantes reflitam que este conflito político era inseparável da religião.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Organize a turma em trios e distribua cópias das três imagens trabalhadas ao longo da aula. Depois, solicite que cada membro do trio crise uma legenda explicativa com base nos debates realizados e em conjunto com os colegas do grupo.

Os textos devem ser curtos (4-6 linhas), localizando as imagens no tempo e interpretando seus significados. Peça que cada grupo escolha um aspecto específico da imagem para se aprofundarem na criação legenda – por exemplo, o lugar na Igreja ou o sentido político dos símbolos ligados ao soberano. Além disso, lembre que as legendas devem incluir informações como as condições de produção da fonte (suporte/técnica, autor, data), a descrição do que se vê e uma interpretação do contexto da Inglaterra no tempo presente, para a primeira imagem, e século XVII, para as outras duas, possibilitada pela imagem.

Neste momento, circule pela sala e estimule os estudantes a incluir, em suas legendas, respostas para perguntas já debatidas na Problematização como, por exemplo: Como o rei é representado? Quais são os símbolos que remetem ao soberano/monarca e o que eles significam? A imagem do soberano presente na imagem é positiva ou negativa?

Na medida em que os grupos forem concluindo seu trabalho, cole as imagens com as legendas produzidas pelos estudantes no quadro. Agrupe-as de acordo com o tipo de fonte. Para finalizar, peça que alguns alunos leiam suas legendas para a turma possibilitando a socialização das discussões.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE O mundo contemporâneo: o Antigo Regime em crise do 8º ano :

MAIS AULAS DE História do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08HI02 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano