14243
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Resolução de problemas com a receita de cajuzinhos

POR: Evandro Tortora 30/11/2018
Código: EDI2_33UND05

Creche / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02ET07) Contar oralmente objetos, pessoas, livros etc., em contextos diversos.

(EI02EF01) Dialogar com crianças e adultos, expressando seus desejos, necessidades, sentimentos e opiniões.

(EI02ET01) Explorar e descrever semelhanças e diferenças entre as características e propriedades dos objetos (textura, massa, tamanho).

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Crianças bem pequenas sobre dialogar com crianças e adultos na realização de receita de docinhos

Resumo

ilustracao

Nesta atividade, crianças e professor preparam docinhos a partir de uma receita, prestando atenção aos ingredientes e às quantidades descritas.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Faça o teste da receita escolhida para a atividade previamente. Dessa forma, veja se a quantidade de cajuzinhos que podem ser feitos a partir da receita será suficiente para a o número de crianças da turma.

Materiais:

Cartaz com a receita de cajuzinho (ou outra, que pode ter sido escolhida pelas crianças). O cartaz deve conter o texto da receita em letra de fôrma maiúscula, em um tamanho suficiente grande, para que toda a turma possa enxergar. Converse com a equipe gestora para que disponibilize os ingredientes da receita que será elaborada. Separe alguns ingredientes que não estão na receita, como sal e farinha (caso optem pela receita de cajuzinhos).Tigela grande, xícaras, colheres, mesa baixa e bandejas. Uma folha sulfite, canetinha preta e fita adesiva.Saquinho com fichas de duas cores diferentes, caso deseje dividir os grupos usando a dinâmica sugerida. Para a atividade empequenos grupos, separe materiais para atividades de livre escolha. (Algumas sugestões: papel cartolina, giz de cera, massinha e brinquedos a escolha das crianças).

Espaços:

A sala onde as crianças estão habituadas a ficar e o refeitório. Prepare a sala com atividades de livre escolha que elas já podem realizar com autonomia, como desenhar com giz de cera em cartolinas, brincar com massinha ou brincar com um brinquedos da escolha das crianças. No refeitório, separe os ingredientes em uma bandeja grande, deixando todos os materiais a serem utilizados ao alcance das crianças, para que elas possam manuseá-los durante o desenvolvimento da receita. Coloque outros ingredientes que não farão parte da receita na bandeja. Caso você não tenha outro professor ou auxiliar como apoio, você pode fazer a receita na sala com as crianças: enquanto uma parte da turma está nas atividades de livre escolha, a outra fica com você na execução da receita.

Tempo sugerido:

Uma hora.

Perguntas para guiar suas observações:

1.As crianças conseguem reconhecer aspectos do texto apresentado, como os ingredientes ou o modo de fazer? Quais as estratégias das crianças para conferir os ingredientes?

2. E para saber se há cajuzinhos para todos? Elas fazem uso da contagem ou sugerem outras soluções?

3. Como as crianças descrevem as diferenças entre os ingredientes da receita? E entre cajuzinhos grandes ou pequenos? Como elas fazem as comparações?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou um grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e às diferenças de cada criança ou do grupo. Verifique se há crianças intolerantes aos ingredientes da receita que vocês escolherem e, caso seja necessário, substitua os ingrediente ou a receita. Incentive as crianças a colaborar entre si em todos momentos da atividade, como para transportarem as bandejas, misturar os ingredientes ou realizar as contagens. Convide todas as crianças a participar e disponibilize todos os materiais ao alcance das crianças (se preciso, faça a receita no chão), porém, respeite aquelas que não quiserem se envolver na situação.

O que fazer durante?

1

Reúna o grande grupoem roda, conte às crianças que elas farão cajuzinhos e que, para isso, vão utilizar uma receita. Pergunte a elas se já provaram algum, se sabem o que é e se lembram-se do sabor (amargo, doce, salgado, azedo etc).Diga aqueles que ainda não comeram que poderão provar após, pois será feito pelo menos um cajuzinho para cada criança. Apresente o cartaz e leia a receita exatamente da forma como está escrito (sem pular ou simplificar palavras), passando os dedos em cada linha da receita e apontando os ingredientes e o modo de fazer. Após a leitura, pergunte às crianças: Quem vai querer um cajuzinho? Após se manifestarem, questione: Então, quantos cajuzinhos precisaremos fazer? Saliente a necessidade de saber quantos vão comer para que não faltem cajuzinhos e, caso ninguém tenha sugerido a contagem, sugira essa estratégia para solucionar o problema. Nesse caso, você pode pedir para que alguma criança faça a contagem e o registro da quantidade em uma folha sulfite com uma canetinha.


2

Após a leitura, diga que a turma será divida em dois pequenos grupos,para que iniciem a receita. Comente que as crianças vão se revezar na preparação: enquanto um grupo faz a receita, o outro ficará na sala fazendo outras atividade que já conseguem realizar com autonomia. Depois irão inverter. Como sugestão, você pode colocar em um saquinho fichas de papéis de duas cores. Peça para que cada criança tire uma ficha. Cole com fita adesiva a ficha na roupa da criança e forme os grupos. Apresente para as crianças que não irão realizar a produção dos cajuzinhos nesse primeiro momento os cantos que você organizou com outras atividades e convide o primeiro grupo para ir até o local que você organizou para a produção dos docinhos. Peça ajuda das crianças para levar o cartaz com a receita e a sulfite com o registro da quantidade de crianças para o espaço. Faça esse trajeto cantando uma música conhecida por todo o grupo de maneira divertida e convide-as para lavar as mãos antes de iniciar a receita.Caso você não disponha de outros adultos para te auxiliar, desenvolva a atividade na sala, deixando que as crianças brinquem nas atividades de livre escolha, enquanto você desenvolve a receita com um pequeno grupo.


3

Fixe o cartaz com a receita na parede, na altura das crianças e pergunte onde estão descritos os ingredientes na receita. Elas podem falar ou apontar para o texto. Diga que você já tem ingredientes na bandeja, apresente-os para a turma. Leia novamente a receita e após a leitura, pergunte ao grupo: Será que temos os ingredientes que precisamos? Como podemos descobrir?

Possíveis falas e ações do professor nesse momento: Você pode problematizar outras situações com as crianças, apontando para um ingrediente que não faz parte da receita (uma porção de sal ou de farinha) e criar problematizações: Qual ingrediente será esse? Alguém pode provar para sabermos? Esse é sal e aquele é farinha! Está escrito na receita que vamos usar sal ou farinha? O que acham? Onde está escrito? Vamos ler novamente? Alguém gostaria de tentar fazer a leitura?


4

Agora peça ajuda de uma das crianças para fazer a conferência dos ingredientes. Leia cada linha da receita e diga para separar os ingredientes de acordo com ela, fazendo as contagens dos ingredientes e identificando-os dentre os demais. Você também pode pedir que cada criança procure um ingredientes específico e as demais podem colaborar na busca por eles e na contagem. Apenas intervenha se for necessário uma vez que, agindo em colaboração, as crianças podem fazer a contagem sem a sua interferência. Elas podem querer provar ingredientes durante a separação. Incentive que toquem, cheirem e sintam cada ingrediente isoladamente.

Possíveis falas do professor neste momento: Vamos separar os ingredientes que iremos usar. Podemos conferir na receita. E quantos xícaras de açúcar vamos utilizar? Quantas colheres de chocolate? Vocês querem contar juntos?


5

Após a separação dos ingredientes, diga às crianças que já podemos fazer os cajuzinhos e pergunte como vocês irão fazer os doces. Aproveite as falas das crianças e, se preciso, faça a leitura do modo de preparo para afirmar o que elas estão dizendo ou questioná-las sobre o que diz a receita.

Possíveis ações das crianças neste momento: Elas podem se lembrar do que estava escrito no cartaz ou, ainda, podem apontar para ele, como se dissessem para seguirmos as instruções.

Possíveis falas do professor neste momento: Vocês disseram quase tudo o que precisamos fazer, mas vocês lembram do modo de preparo da receita? Onde está escrito isso no cartaz?

Após a confirmação do modo de preparo, leia cada item dos ingredientes e inicie a receita com as crianças, sempre contando com a participação delas para despejar os objetos na tigela e para misturá-los.


7

Após misturar os ingredientes, deixe que as crianças manipulem a massa ao seu modo. Quando terminarem de fazer os cajuzinhos, lance o problema para a turma: Será que temos cajuzinhos para todos? Como podemos saber?Ouça suas ideias e fique atento para notar se elas se lembram da quantidade de crianças que contaram na sala ou retomam o registro.

Possíveis falas e ações do professor neste momento: As crianças podem dizer que “sim” ou “não”, sem apontar motivos. Tente sempre querer saber mais para explorar suas estratégias “Como você sabe disso?”. Se elas não se lembrarem o registro feito em sala, retome-o como forma de consulta e juntos contem a quantidade feitas pela turma.

Crie problemas envolvendo o tamanho dos cajuzinhos: Elessão todos iguais? Quantos são maiores? Quantos menores? Se houver cajuzinhos muito maiores, você pode sugerir que as crianças os dividam em dois menores. Agora, diga que vão comer os cajuzinhos com os colegas da sala e peça para levarem a bandeja com os cajuzinhos para comerem os doces com os amigos. Após comerem, convide o grupo que estava envolvido com outras atividades para fazer mais cajuzinhos e repita atividade.


Para finalizar:

Após comerem os cajuzinhos feitos pela segundo grupo, avise a todos que em dez minutos irão terminar o que estão fazendo e ajudar a guardar os materiais e arrumar o espaço. Passados os dez minutos, explique que chegou a hora de guardar. Proponha à turma que guarde tudo de uma forma divertida e se possível, colabore na higienização dos materiais! Comente que vocês precisam organizar tudo, mas que farão isso cantando e dançando ao som da música “Arrumar a Bagunceira” do grupo “Palavra Cantada”

Desdobramentos

Caso queira repetir a atividade, proponha que as crianças repitam a receita num outro dia e sirvam os cajuzinhos para colegas de outra turma. Para isso, convide-os para visitar a outra sala, contar quantas crianças estão presentes e fazer pelo menos um cajuzinho para cada uma. Você pode explorar as quantidades com a receita duplicada, por exemplo, e promover um momento coletivo de partilha dos cajuzinhos produzidos.

Engajando as famílias

Envie um bilhete para as famílias convidando-as para comer cajuzinhos feitos pela turma. Nesse caso, chame as crianças para fazer os cajuzinhos para as famílias, assim como fizeram pra comer com a turma toda, considerando o número de familiares que irão participar da atividade.

Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor: Evandro Tortora

Mentor: Nilcileni Aparecida Ebani Brambilla

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 3 anos

Campos de Experiência:  Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações; Escuta, fala, pensamento e imaginação.

Objetivos e códigos da Base:

(EI02ET07) Contar oralmente objetos, pessoas, livros etc., em contextos diversos.

(EI02ET01) Explorar e descrever semelhanc?as e diferenc?as entre as caracteri?sticas e propriedades dos objetos (textura, massa, tamanho).

(EI02EF01) Dialogar com crianc?as e adultos, expressando seus desejos, necessidades, sentimentos e opinio?es.

Abordagem didática: Um dos objetivos da Educação Infantil é oferecer às crianças experiências significativas de contato com o mundo dos números. Para isso, é preciso planejar situações em que seja necessário utilizá-los em diferentes contextos. Uma boa ideia é aproveitar ações rotineiras, como contar quantas crianças vieram e quantas ficaram em casa ou organizar a quantidade de cadeiras para um jogo. Vale também propor brincadeiras como amarelinha e boliche. Uma orientação é manter exposta na sala uma régua com números de 1 a 100, que servirá de consulta para a contagem e de referência para a representação gráfica dos números.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

OUTRAS ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes