Matemática na cozinha: como ensinar fluxogramas no ensino remoto

Mesmo a distância, é possível pensar em propostas que coloquem o aluno no centro e construir aprendizagens significativas

POR:
Luiz Felipe Lins
professor segura pudim e mostra para câmera do computador
Professor utiliza receita de pudim para ensinar fluxograma no ensino remoto. Crédito: Nidiacris Ribeiro/Trupe Filmes

São tempos difíceis. Em apenas 15 dias, em março de 2020, tive que mudar toda a minha prática para aderir ao modelo de ensino remoto. Foi uma avalanche de novas aprendizagens: aprender a elaborar aulas on-line interessantes, montar slides, gravar e editar vídeos. Assim que me deparei com essa nova realidade enfrentei muitas dúvidas. O que fazer para desenvolver as competências e garantir o protagonismo dos estudantes? Como trabalhar as habilidades e seus objetos de conhecimento levando em consideração as vivências e realidades dos alunos? E como mediar os conhecimentos a distância?

Para responder esses questionamentos, o primeiro passo foi analisar as habilidades previstas nas orientações curriculares do 8º ano e qual era o planejamento nas duas redes que atuo - na pública e privada. Dessa forma, avaliei e busquei alternativas para adaptar as minhas aulas e garantir a aprendizagem dos alunos.

Duas habilidades da Base Nacional Curricular Comum (BNCC) me chamaram atenção:

  • (EF08MA10) Identificar a regularidade de uma sequência numérica ou figural não recursiva e construir um algoritmo por meio de um fluxograma que permita indicar os números ou as figuras seguintes.
  • (EF08MA11) Identificar a regularidade de uma sequência numérica recursiva e construir um algoritmo por meio de um fluxograma que permita indicar os números seguintes.

A partir delas, iniciei a busca por uma sequência didática que me permitisse trabalhá-las de uma forma contextualizada e aproveitando a realidade dos alunos. Fui assistir alguns vídeos no YouTube para relaxar a mente e colocar a criatividade para funcionar. Pesquisei diversos tutoriais de cozinha. Encontrei um que explicava como preparar pudim utilizando uma panela de pressão elétrica. Em seguida, tive a ideia de transformar a receita em um fluxograma simples, pois os procedimentos para fazer a sobremesa podem ser associados a um algoritmo. De forma resumida, algoritmo é um conjunto ordenado de instruções que conduzem à solução de um problema e a sua representação gráfica é um fluxograma, que é constituído de alguns elementos próprios para sua elaboração - para exemplificar, veja abaixo o fluxograma que criei. Foi assim que encontrei a forma de introduzir esses conceitos de forma interessante e lúdica. 

O fluxograma do pudim
A partir dessa ideia, fiz o planejamento da sequência didática. Levantei os objetivos a serem alcançamos e a forma como desenvolveria as atividades de forma remota.

Para começar, orientei os alunos a pesquisarem o conceito de algoritmo e fluxograma, e registrassem as descobertas. Depois, de forma coletiva, construímos um texto único. Em seguida, compartilhei meu vídeo explicando as etapas da receita do pudim. Nesse momento, mostrei o fluxograma que havia feito para preparar a sobremesa.

O susto inicial dos alunos com a quantidade de setas e sequências foi compensado por muitas risadas quando entenderem do que se tratava: o fluxograma do pudim. Também apresentei um slide com outras situações-problema envolvendo algoritmos e fluxogramas para que eles resolvessem em casa. Na aula seguinte, compartilhamos as diferentes estratégias de resolução.

Como enxergar a Matemática nossa de todo dia

Confira 3 dicas para ajustar o olhar e identificar as oportunidades de trabalhar conteúdos curriculares a partir de contextos reais

Depois de entenderem o conceito de algoritmo e fluxograma, propus o desafio de que preparassem um doce em casa com acompanhamento de um adulto responsável. Eles teriam que filmar todas as etapas, elaborar um fluxograma dos procedimentos da receita e apresentar para os colegas. Os alunos adoraram! Um aluno disse: “vamos trocar a sala de aula virtual pela cozinha, o lápis e a caneta pelos talheres”. Foi muito gratificante perceber o valor que viram na proposta.

O dia da apresentação teve o maior número de alunos participando do encontro virtual. Cada um apresentou seu vídeo para os demais colegas. Todos puderam interagir e foram feitas observações pertinentes que corroboraram os objetivos de aprendizagens previstos na atividade. O fato dos alunos colocarem a mão na massa (literalmente) e produzirem algo que partiu de uma decisão pessoal, respeitando suas individualidades e dificuldades particulares, foi o que tornou o processo educacional mais significativo.

Quando o aluno traduz na prática aquilo que é apresentado na teoria, os conteúdos fazem mais sentido, além de despertar a curiosidade e estimular a busca pelo conhecimento. O jovem se sente protagonista do processo.

Planejamento de 2021
Começaremos o ano letivo de 2021 com aulas presenciais e on-line. Por isso, se torna necessário planejar atividades que integrem esses dois formatos de ensino sem priorizar nenhum deles. A retomada deve ser muito bem planejada por toda comunidade escolar, preparar a recepção e acolhimento dos estudantes de tal forma que eles se sintam valorizados. Já para fazer o planejamento pedagógico teremos que pensar nas habilidades a serem desenvolvidas, individual e coletivamente, sempre buscando retomar os conceitos necessários.

A proposta fluxograma do pudim pode ser adaptada à nova realidade do ensino híbrido. A socialização das produções pode ser feita em aulas assíncronas e, na sala de aula, pode ser elaborado um mural contendo todos os fluxogramas produzidos.

Como o Ensino Híbrido pode inspirar as aulas de Matemática

Conheça estratégias de ensino híbrido, especialmente a sala de aula invertida, como fonte de inspiração para planejar aulas de Matemática no ensino remoto ou semi-presencial no Fundamental 2. 

Outra possibilidade seria, levando em consideração os protocolos de segurança, preparar com os alunos uma salada de frutas – ou outra receita que não utilizasse equipamentos de cozinha. Nesta atividade também seria possível incluir os professores de Ciências e Geografia para pensar questões relacionadas à qualidade de vida, relação entre as frutas e as estações do ano, solo, e estudar os cultivos existentes próximos ao local onde a escola está inserida. No planejamento dessa atividade, ou de qualquer outra, o importante é garantir protagonismo do aluno e estimular a autonomia durante o processo de aprendizagem. 

Iniciei dizendo que são tempos difíceis, porém vou mudar para são tempos de aprendizagem. Foi um ano desafiador para todos nós, mas planejar aulas interessantes e selecionar as habilidades fundamentais a serem construídas de forma remota me fez repensar as prioridades curriculares e os conceitos que podiam ser mais facilmente compreendidos a partir de situações vivenciadas no cotidiano dos estudantes. Em 2021, teremos muitas oportunidades para exercitar essas práticas!

Com gratidão e respeito, até a próxima,

Luiz Felipe 

Luiz Felipe Lins é professor de Matemática há 25 anos na Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, licenciado em licenciatura plena em Matemática e mestre  em Matemática pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Desenvolve ações de formação continuada para professoras e professores do Ensino Fundamental e Médio. Foi vencedor do Prêmio Educador Nota 10 2020 e ganhou o título de Educador do Ano pela premiação.

Tags

Guias