17691
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 7º ano > Lógicas comerciais e mercantis da modernidade

Plano de aula - Do escravizado antigo ao escravizado contemporâneo: contrapontos e convergências

Plano de aula de História com atividades para 7º ano do EF sobre Do escravizado antigo ao escravizado contemporâneo: contrapontos e convergências

Plano 04 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ruhama Ariella Sabião Batista

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07HI15, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Papel sulfite, giz de cera ou canetas hidrográficas.

Material complementar:

Contexto:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VyqQQPEefY2CHf6akVXsdWB6QqjJR9NprVHH4nESK2Tx5UVUhxbX4dY9mXaF/his15-un04-contexto.pdf

Fonte 1:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/nMJJN2kv9uTz3VawJV94twzrVUVAArEr2AqRXPcEYceQChnQp8dv4xu5k9xw/his7-15un04-fonte-1.pdf

Fonte 2:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Sxt5PxnqDEwYJ7777NeKHg4rkQhKUvMu6gsrzvsvmwVCtxWnR9EDqfSyP9JU/his7-15un04-fonte-2.pdf

Fonte 3:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/bQmvkMcGsqkRpRaZbuFHHXXhdAMqTzHrg26BfBBj4vcxJuuAWYdTSERQn9BZ/his7-15un04-fonte-3.pdf

Modelo para elaboração do conjunto de leis: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/PS43eTEkCbXvxZC79eXdrvTgKTZVsqSVuVvSsGbEgvbGFUchaXwUtRGyw949/his7-15un04-elaboracao-de-um-conjunto-de-leis.pdf

Para você saber mais:

CONDE, Soraya Franzoni. As medidas de enfrentamento à exploração do trabalho infantil no Brasil: forças em luta. R. Katál., Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 241-247, jul./dez. 2013. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/view/S1414-49802013000200010/25769>.
Acesso em: 8 abr. 19.

Escravo, nem pensar!: uma abordagem sobre trabalho escravo contemporâneo na sala de aula e na comunidade. São Paulo: Repórter Brasil, 2015. Disponível em: <http://escravonempensar.org.br/livro/>. Acesso em: 18 mar. 19.

MACHADO, Sidnei. Trabalho escravo e trabalho livre no Brasil - alguns paradoxos históricos do Direito do Trabalho. Revista da Faculdade de Direito UFPR, v. 38, p. 151-158. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/direito/article/view/1766/1463>. Acesso em: 8 abr. 19.

SCOTT, Rebecca. O trabalho escravo contemporâneo e os usos da História. Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 5, n. 9, 2013, p. 129-137. Disponível em: <https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2292162>. Acesso em: 8 abr. 19.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos.

Orientações: Faça a leitura em voz alta ou conjuntamente com os alunos. Se possível, também projete. É importante deixar claro aos alunos que não se trata de um tema com recorte temporal único, e sim relativo às Idades Antiga, Moderna e Contemporânea, visto que a escravidão antiga ainda permanece em moldes parecidos até meados da Idade Moderna, e que a escravidão moderna em alguns aspectos também é semelhante à escravidão contemporânea. Por isso, é essencial entender no que se assemelham e no que se diferem dentro de seus diferentes contextos históricos.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos.

O tempo sugerido refere-se a este slide e ao subsequente.

Orientações:

Descrição da fonte:

Trata-se de uma manchete acerca da situação de trabalhadores que receberam R$ 50,00 por dia para uma jornada exaustiva de 12 horas para a montagem dos palcos do festival de música Lollapalooza. O festival recebe milhares de pessoas, e o ingresso custa cerca de R$ 300,00 a R$ 800,00

por dia. A situação foi amplamente divulgada nas redes sociais e levou à comoção de milhares de pessoas que também denunciaram o acontecido, ocasionando no conteúdo da notícia.

Fonte:

SABBAGA, Júlia. Lollapalooza. Organização será denunciada por trabalho análogo à escravidão. Omelete, 8 de abril de 2019. Disponível em: <https://www.omelete.com.br/musica/lollapalooza-organizacao-sera-denunciada-por-trabalho-analogo-a-escravidao>. Acesso em: 8 abr. 19.

As perguntas a ser realizadas estão no próximo slide.

Para você saber mais:

MACHADO, Sidnei. Trabalho escravo e trabalho livre no Brasil - alguns paradoxos históricos do Direito do Trabalho. Revista da Faculdade de Direito UFPR, v. 38, p. 151-158. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/direito/article/view/1766/1463>. Acesso em: 8 abr. 19.

SCOTT, Rebecca. O trabalho escravo contemporâneo e os usos da História. Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 5, n. 9, 2013, p. 129-137. Disponível em: <https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2292162>. Acesso em: 8 abr. 19.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: A fonte em questão traz o debate ao contexto atual: O que seria um trabalho análogo à escravidão? Uma das fontes da Problematização trará alguns aspectos deste tipo de trabalho, mas o professor pode adiantar que seria relacionado às diferentes formas de exploração do trabalho, seja em jornadas exaustivas, em exposição a péssimas condições de estrutura do ambiente de trabalho, no aliciamento de crianças para o trabalho infantil, entre outras.

Para você saber mais:

MACHADO, Sidnei. Trabalho escravo e trabalho livre no Brasil - alguns paradoxos históricos do Direito do Trabalho. Revista da Faculdade de Direito UFPR, v. 38, p. 151-158. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/direito/article/view/1766/1463>. Acesso em: 8 abr. 19.

SCOTT, Rebecca. O trabalho escravo contemporâneo e os usos da História. Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 5, n. 9, 2013, p. 129-137. Disponível em: <https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2292162>. Acesso em: 8 abr. 19.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos.

O tempo sugerido refere-se a este slide e aos três subsequentes.

Orientações:

Descrição da fonte:

Trata de escravizados gregos antigos trabalhando em uma mina. São representados a partir dos aspectos da própria arte grega, ressaltando os corpos esculturais e os traços finos. A fonte mostra a forma de trabalho na Grécia Antiga e como era esta exploração. A escravidão antiga é marcada pelas dívidas entre o escravizado e quem o escravizava, bem como as guerras, em que os perdedores tornavam-se escravizados dos vencedores.

Fonte:

Wiki Commons. Escravizados trabalhando em uma mina. Pintura em placa de terracota coríntia, séc. J-C. Disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Slavery_in_ancient_Greece>. Acesso em: 8 abr. 19.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Descrição da fonte:

A pintura de Johann Moritz Rugendas traz as condições em que os escravizados eram trazidos para o Brasil nos navios negreiros, fazendo alusão ao poema “Navio negreiro”, de Castro Alves. Apesar de não mostrar pessoas trabalhando, a imagem possibilita entender as condições humanas a que estavam submetidos os escravizados trazidos para o Brasil, não somente no momento do trabalho. A escravidão neste período é marcada pela regulação das pessoas como propriedades, e o comércio lucrativo que era gerado a partir do tráfico de escravizados.

Fonte:

RUGENDAS, Johann Moritz. Quadro de Johann Moritz Rugendas (1802-1858) retratando o interior de um navio negreiro. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Tr%C3%A1fico_de_escravos_para_o_Brasil#/media/File:Navio_negreiro_-_Rugendas_1830.jpg>. Acesso em: 8 abr. 19.

Para você saber mais:

MUNANGA, Kabengele. Algumas considerações sobre “raça”, ação afirmativa e identidade negra no Brasil: fundamentos antropológicos. REVISTA USP, São Paulo, n.68, p. 46-57, dezembro/fevereiro 2005-2006. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/13482/15300>.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Descrição da fonte:

A fotografia, datada do ano de 2008, denuncia a situação em que uma criança recolhe recicláveis do lixão, ocasião muito frequente quando se trata de exploração do trabalho infantil, pois é considerado por muitos uma “ajuda” e não trabalho, sendo que da maneira como acontece em muitos lugares é uma forma de trabalho, e mais, análogo à escravidão, principalmente em se tratando de crianças. Para saber mais sobre o trabalho escravo contemporâneo, acesse o link “Escravos nem pensar!” no item “Para você saber mais”

Fonte:

CASAL JÚNIOR, Marcello. Criança saindo de lixão após coleta de recicláveis - Agência Brasil. Wiki Commons, 1º de fevereiro de 2008. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Trabalho_infantil#/media/File:Crianca_Lixao_20080220_-_Marcello_Casal_Jr._-_Agencia_Brasil.jpg>. Acesso em: 8 abr. 19.

Para você saber mais:

CONDE, Soraya Franzoni. As medidas de enfrentamento à exploração do trabalho infantil no Brasil: forças em luta. R. Katál., Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 241-247, jul./dez. 2013. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/view/S1414-49802013000200010/25769>.
Acesso em: 8 abr. 19.

Escravo, nem pensar!: uma abordagem sobre trabalho escravo contemporâneo na sala de aula e na comunidade. São Paulo: Repórter Brasil, 2015. Disponível em: <http://escravonempensar.org.br/livro/>. Acesso em: 18 mar. 19.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Como forma de levar os alunos a relacionar as imagens apresentadas é importante que eles identifiquem um elemento em comum: o trabalho, e em segundo a escravidão. Apesar de a Fonte 2 não tratar diretamente do trabalho, trata de condições às quais os trabalhadores escravizados eram expostos, o que caracteriza uma das condições análogas à escravidão, e que podem ser vistas até hoje, principalmente em trabalhos em que as pessoas são expostas a ambientes insalubres. A diferença entre épocas é a primeira a ser visualizada, já que a Fonte 1 trata da escravidão antiga, na Grécia, a Fonte 2 da escravidão moderna, em um navio negreiro vindo para o Brasil, e a Fonte 3 da escravidão contemporânea, já no contexto do Brasil contemporâneo. Apesar de a Fonte 1 não representar como as outras as condições das pessoas, não demonstra condições ruins como as fontes 2 e 3, ou seja, pode ser considerada razoável, já as fontes 2 e 3 são consideradas ruins. Espera-se que os alunos já tenham se deparado com outras condições de trabalho que se assemelham à escravidão e comentem sobre, mas, caso isso não aconteça, o professor pode citar as crianças pedindo no semáforo, trabalhando na lavoura e não indo à escola, adultos que trabalham muito e ganham abaixo do que deveriam ganhar, além de estar expostos a péssimas condições.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Nesta etapa, em grupos de até quatro pessoas, os estudantes deverão elaborar um conjunto de leis que proíbam qualquer tipo de trabalho que se assemelhe à escravidão, para isso eles terão que justificar com base no que aprenderam o por que não deve existir este tipo de trabalho. O modelo a ser apresentado para os alunos é o seguinte:

Modelo para elaboração do conjunto de leis

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/PS43eTEkCbXvxZC79eXdrvTgKTZVsqSVuVvSsGbEgvbGFUchaXwUtRGyw949/his7-15un04-elaboracao-de-um-conjunto-de-leis.pdf

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07HI15, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Papel sulfite, giz de cera ou canetas hidrográficas.

Material complementar:

Contexto:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VyqQQPEefY2CHf6akVXsdWB6QqjJR9NprVHH4nESK2Tx5UVUhxbX4dY9mXaF/his15-un04-contexto.pdf

Fonte 1:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/nMJJN2kv9uTz3VawJV94twzrVUVAArEr2AqRXPcEYceQChnQp8dv4xu5k9xw/his7-15un04-fonte-1.pdf

Fonte 2:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Sxt5PxnqDEwYJ7777NeKHg4rkQhKUvMu6gsrzvsvmwVCtxWnR9EDqfSyP9JU/his7-15un04-fonte-2.pdf

Fonte 3:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/bQmvkMcGsqkRpRaZbuFHHXXhdAMqTzHrg26BfBBj4vcxJuuAWYdTSERQn9BZ/his7-15un04-fonte-3.pdf

Modelo para elaboração do conjunto de leis: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/PS43eTEkCbXvxZC79eXdrvTgKTZVsqSVuVvSsGbEgvbGFUchaXwUtRGyw949/his7-15un04-elaboracao-de-um-conjunto-de-leis.pdf

Para você saber mais:

CONDE, Soraya Franzoni. As medidas de enfrentamento à exploração do trabalho infantil no Brasil: forças em luta. R. Katál., Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 241-247, jul./dez. 2013. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/view/S1414-49802013000200010/25769>.
Acesso em: 8 abr. 19.

Escravo, nem pensar!: uma abordagem sobre trabalho escravo contemporâneo na sala de aula e na comunidade. São Paulo: Repórter Brasil, 2015. Disponível em: <http://escravonempensar.org.br/livro/>. Acesso em: 18 mar. 19.

MACHADO, Sidnei. Trabalho escravo e trabalho livre no Brasil - alguns paradoxos históricos do Direito do Trabalho. Revista da Faculdade de Direito UFPR, v. 38, p. 151-158. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/direito/article/view/1766/1463>. Acesso em: 8 abr. 19.

SCOTT, Rebecca. O trabalho escravo contemporâneo e os usos da História. Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 5, n. 9, 2013, p. 129-137. Disponível em: <https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2292162>. Acesso em: 8 abr. 19.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos.

Orientações: Faça a leitura em voz alta ou conjuntamente com os alunos. Se possível, também projete. É importante deixar claro aos alunos que não se trata de um tema com recorte temporal único, e sim relativo às Idades Antiga, Moderna e Contemporânea, visto que a escravidão antiga ainda permanece em moldes parecidos até meados da Idade Moderna, e que a escravidão moderna em alguns aspectos também é semelhante à escravidão contemporânea. Por isso, é essencial entender no que se assemelham e no que se diferem dentro de seus diferentes contextos históricos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos.

O tempo sugerido refere-se a este slide e ao subsequente.

Orientações:

Descrição da fonte:

Trata-se de uma manchete acerca da situação de trabalhadores que receberam R$ 50,00 por dia para uma jornada exaustiva de 12 horas para a montagem dos palcos do festival de música Lollapalooza. O festival recebe milhares de pessoas, e o ingresso custa cerca de R$ 300,00 a R$ 800,00

por dia. A situação foi amplamente divulgada nas redes sociais e levou à comoção de milhares de pessoas que também denunciaram o acontecido, ocasionando no conteúdo da notícia.

Fonte:

SABBAGA, Júlia. Lollapalooza. Organização será denunciada por trabalho análogo à escravidão. Omelete, 8 de abril de 2019. Disponível em: <https://www.omelete.com.br/musica/lollapalooza-organizacao-sera-denunciada-por-trabalho-analogo-a-escravidao>. Acesso em: 8 abr. 19.

As perguntas a ser realizadas estão no próximo slide.

Para você saber mais:

MACHADO, Sidnei. Trabalho escravo e trabalho livre no Brasil - alguns paradoxos históricos do Direito do Trabalho. Revista da Faculdade de Direito UFPR, v. 38, p. 151-158. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/direito/article/view/1766/1463>. Acesso em: 8 abr. 19.

SCOTT, Rebecca. O trabalho escravo contemporâneo e os usos da História. Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 5, n. 9, 2013, p. 129-137. Disponível em: <https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2292162>. Acesso em: 8 abr. 19.

Slide Plano Aula

Orientações: A fonte em questão traz o debate ao contexto atual: O que seria um trabalho análogo à escravidão? Uma das fontes da Problematização trará alguns aspectos deste tipo de trabalho, mas o professor pode adiantar que seria relacionado às diferentes formas de exploração do trabalho, seja em jornadas exaustivas, em exposição a péssimas condições de estrutura do ambiente de trabalho, no aliciamento de crianças para o trabalho infantil, entre outras.

Para você saber mais:

MACHADO, Sidnei. Trabalho escravo e trabalho livre no Brasil - alguns paradoxos históricos do Direito do Trabalho. Revista da Faculdade de Direito UFPR, v. 38, p. 151-158. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/direito/article/view/1766/1463>. Acesso em: 8 abr. 19.

SCOTT, Rebecca. O trabalho escravo contemporâneo e os usos da História. Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 5, n. 9, 2013, p. 129-137. Disponível em: <https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2292162>. Acesso em: 8 abr. 19.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos.

O tempo sugerido refere-se a este slide e aos três subsequentes.

Orientações:

Descrição da fonte:

Trata de escravizados gregos antigos trabalhando em uma mina. São representados a partir dos aspectos da própria arte grega, ressaltando os corpos esculturais e os traços finos. A fonte mostra a forma de trabalho na Grécia Antiga e como era esta exploração. A escravidão antiga é marcada pelas dívidas entre o escravizado e quem o escravizava, bem como as guerras, em que os perdedores tornavam-se escravizados dos vencedores.

Fonte:

Wiki Commons. Escravizados trabalhando em uma mina. Pintura em placa de terracota coríntia, séc. J-C. Disponível em: <https://en.wikipedia.org/wiki/Slavery_in_ancient_Greece>. Acesso em: 8 abr. 19.

Slide Plano Aula

Orientações:

Descrição da fonte:

A pintura de Johann Moritz Rugendas traz as condições em que os escravizados eram trazidos para o Brasil nos navios negreiros, fazendo alusão ao poema “Navio negreiro”, de Castro Alves. Apesar de não mostrar pessoas trabalhando, a imagem possibilita entender as condições humanas a que estavam submetidos os escravizados trazidos para o Brasil, não somente no momento do trabalho. A escravidão neste período é marcada pela regulação das pessoas como propriedades, e o comércio lucrativo que era gerado a partir do tráfico de escravizados.

Fonte:

RUGENDAS, Johann Moritz. Quadro de Johann Moritz Rugendas (1802-1858) retratando o interior de um navio negreiro. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Tr%C3%A1fico_de_escravos_para_o_Brasil#/media/File:Navio_negreiro_-_Rugendas_1830.jpg>. Acesso em: 8 abr. 19.

Para você saber mais:

MUNANGA, Kabengele. Algumas considerações sobre “raça”, ação afirmativa e identidade negra no Brasil: fundamentos antropológicos. REVISTA USP, São Paulo, n.68, p. 46-57, dezembro/fevereiro 2005-2006. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/13482/15300>.

Slide Plano Aula

Orientações:

Descrição da fonte:

A fotografia, datada do ano de 2008, denuncia a situação em que uma criança recolhe recicláveis do lixão, ocasião muito frequente quando se trata de exploração do trabalho infantil, pois é considerado por muitos uma “ajuda” e não trabalho, sendo que da maneira como acontece em muitos lugares é uma forma de trabalho, e mais, análogo à escravidão, principalmente em se tratando de crianças. Para saber mais sobre o trabalho escravo contemporâneo, acesse o link “Escravos nem pensar!” no item “Para você saber mais”

Fonte:

CASAL JÚNIOR, Marcello. Criança saindo de lixão após coleta de recicláveis - Agência Brasil. Wiki Commons, 1º de fevereiro de 2008. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Trabalho_infantil#/media/File:Crianca_Lixao_20080220_-_Marcello_Casal_Jr._-_Agencia_Brasil.jpg>. Acesso em: 8 abr. 19.

Para você saber mais:

CONDE, Soraya Franzoni. As medidas de enfrentamento à exploração do trabalho infantil no Brasil: forças em luta. R. Katál., Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 241-247, jul./dez. 2013. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/view/S1414-49802013000200010/25769>.
Acesso em: 8 abr. 19.

Escravo, nem pensar!: uma abordagem sobre trabalho escravo contemporâneo na sala de aula e na comunidade. São Paulo: Repórter Brasil, 2015. Disponível em: <http://escravonempensar.org.br/livro/>. Acesso em: 18 mar. 19.

Slide Plano Aula

Orientações: Como forma de levar os alunos a relacionar as imagens apresentadas é importante que eles identifiquem um elemento em comum: o trabalho, e em segundo a escravidão. Apesar de a Fonte 2 não tratar diretamente do trabalho, trata de condições às quais os trabalhadores escravizados eram expostos, o que caracteriza uma das condições análogas à escravidão, e que podem ser vistas até hoje, principalmente em trabalhos em que as pessoas são expostas a ambientes insalubres. A diferença entre épocas é a primeira a ser visualizada, já que a Fonte 1 trata da escravidão antiga, na Grécia, a Fonte 2 da escravidão moderna, em um navio negreiro vindo para o Brasil, e a Fonte 3 da escravidão contemporânea, já no contexto do Brasil contemporâneo. Apesar de a Fonte 1 não representar como as outras as condições das pessoas, não demonstra condições ruins como as fontes 2 e 3, ou seja, pode ser considerada razoável, já as fontes 2 e 3 são consideradas ruins. Espera-se que os alunos já tenham se deparado com outras condições de trabalho que se assemelham à escravidão e comentem sobre, mas, caso isso não aconteça, o professor pode citar as crianças pedindo no semáforo, trabalhando na lavoura e não indo à escola, adultos que trabalham muito e ganham abaixo do que deveriam ganhar, além de estar expostos a péssimas condições.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Nesta etapa, em grupos de até quatro pessoas, os estudantes deverão elaborar um conjunto de leis que proíbam qualquer tipo de trabalho que se assemelhe à escravidão, para isso eles terão que justificar com base no que aprenderam o por que não deve existir este tipo de trabalho. O modelo a ser apresentado para os alunos é o seguinte:

Modelo para elaboração do conjunto de leis

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/PS43eTEkCbXvxZC79eXdrvTgKTZVsqSVuVvSsGbEgvbGFUchaXwUtRGyw949/his7-15un04-elaboracao-de-um-conjunto-de-leis.pdf

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Lógicas comerciais e mercantis da modernidade do 7º ano :

MAIS AULAS DE História do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF07HI15 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano