14237
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Brincando com luzes e sombras no parque

POR: Adriana Mitiko do Nascimento Takeuti 30/11/2018
Código: EDI2_12UND05

2º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02ET04) Identificar relações espaciais (dentro e fora, em cima, embaixo, acima, abaixo, entre e do lado) e temporais (antes, durante e depois).

(EI02ET06) Utilizar conceitos básicos de tempo (agora, antes, durante, depois, ontem, hoje, amanhã, lento, rápido, depressa, devagar).

(EI02ET02) Observar, relatar e descrever incidentes do cotidiano e fenômenos naturais (luz solar, vento, chuva etc.).

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Crianças bem pequenas sobre observação, relato e descrição na brincadeira com lanternas e espelhos

Resumo

ilustracao

Nesta atividade, você organizará o espaço do parque para que as crianças brinquem com lanternas e espelhos.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para realizar esta atividade, é interessante que, nos momentos de brincadeiras no parque, você e as crianças já tenham observado e conversado sobre fenômenos naturais e temporais como noite, dia e a relação entre as luzes e sombras com os brinquedos, plantas e demais objetos que o compõe. A proposta será mais significativa se partir da postura investigativa e dos interesses que as crianças já estejam demonstrando.

Materiais:

Tecidos grandes e escuros que possam ser esticados e amarrados, como TNT, toalhas, tapetes e elastano. Lanternas e espelhos. É importante, para favorecer o manuseio e evitar acidentes, que os espelhos não sejam muito maiores do que a palma da mão das crianças, que estejam bem revestidos em suas bordas e que não tenham pontas agudas. Aproveite materiais disponíveis na escola como caixas, cadeiras, mesas, canos e gizes de lousa, que podem ser apagados depois.

Espaços:

Prepare antecipadamente dois ambientes, um com uma cabana escura e lanternas dentro dela. Se no parque houver brinquedos fixos, amarre os tecidos entre eles para formar as cabanas. Se não houver, utilize as cadeiras, mesas, canos e demais materiais que encontrar como apoio. O outro ambiente ficará em local aberto com tecidos e tapetes forrados no chão, espelhos, caixas e gizes sobre eles. Também é importante que a atividade seja realizada em um dia iluminado pelo sol.

Planeje que esta atividade iniciará com todo o grupo reunido em uma roda de conversa. Em seguida, todos irão brincar no parque. Convide as crianças para brincarem, encontrando luzes e sombras dos brinquedos e elementos da natureza disponíveis ou entre os dois ambientes previamente preparados por você. Por fim, reúna todo o grupo no mesmo espaço para uma conversa final e compartilhamento de percepções.

Tempo sugerido:

Aproximadamente 01 hora, levando em conta a organização do espaço.

Perguntas para guiar suas observações:

1. Quais atitudes das crianças demonstram uma postura investigativa sobre os espaços e materiais disponibilizados?

2. Como elas observam, relatam ou demonstram compreender relações entre as luzes e as sombras? Como estabelecem relações entre o tempo, o ambiente e suas ações?

3. Quais são as formas de interação com os espaços, materiais e entre si, que demonstram os interesses das crianças em relação à proposta desta atividade?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Para isso, considere adaptar formas de explorar os materiais e espaços, para promover a autonomia de cada criança. Procure selecionar materiais de diferentes tamanhos, texturas e cores. Incentive a percepção dos efeitos de projeção de luz e de sombra pela observação, pelo tato e pela interação no espaço. Fomente que as crianças apóiem e brinquem umas com as outras.

O que fazer durante?

1

Na sala ou em outro local em que seja adequado fazer uma roda de conversa, conte para todo o grupo que o próximo momento será o do parque e que, quem quiser, poderá brincar com as luzes e sombras nos ambientes que você preparou. Mostre alguns materiais que estarão disponíveis, como as lanternas e os espelhos, e estimule que as crianças os manuseiem. Incentive que elas explorem suas possibilidades de funcionamento e interfira, se necessário, ressaltando que as luzes refletidas não podem ser direcionadas para os rostos. Em seguida, vá com todo o grupo para o parque.

Possíveis falas do professor neste momento: Quais brincadeiras vocês costumam fazer no parque?; Alguém já brincou com as sombras lá?; As plantas têm sombras? Crianças têm sombras? E brinquedos? O que a gente precisa para poder fazer sombras? Vamos observar o céu. Como a luz do sol vai ajudar nessa nossa brincadeira?


2

Quando todo o grupo estiver brincando no parque, convide-os, aos poucos, para explorarem as luzes e sombras do local. Se houver crianças de outras turmas e faixas etárias, ou outros professores no parque, convide-os para brincarem também.


3

Escute as hipóteses das crianças sobre onde esses fenômenos podem ser percebidos. Observe seus deslocamentos e no que mexem enquanto fazem suas descobertas, para intervir dando continuidade à percepção desses fenômenos.

Possíveis falas do professor neste momento: Alguns de vocês já conversaram comigo ou notaram que seus corpos fazem sombras. Onde estão suas sombras agora?; Olha só, uma nuvem entrou na frente do sol. Onde foram parar nossas sombras?; O que mais a gente consegue encontrar no parque com sombras?; Em quais outros elementos a gente encontra luzes e sombras?; Como são as formas das sombras dos brinquedos?; Será que tem sombras embaixo deste brinquedo?; Onde estão as sombras das árvores? Elas se mexem?

Possíveis falas da criança neste momento: Minha sombra tá aqui. Ela fica grudada em mim.; Esse brinquedo tem sombra. Essa planta também tem.; A sombra da árvore é enorme!; Olha! A sombra mudou de tamanho!; Não tem mais sombra porque o sol sumiu;

Possíveis ações da criança: Apontar para as sombras.; Repetir o que a professora disse.; Imitar os gestos de outras crianças.


4

Mostre para as crianças que forem se interessando pela proposta que você preparou o parque com dois ambientes muito interessantes, um no escuro e outro no claro. Diga que ambos estão bonitos e cheios de materiais com os quais elas poderão brincar com as luzes e sombras. Diga que todas vão poder brincar nesses espaços ou que podem ficar nos brinquedos do parque, como preferirem. Atente-se para o que elas demonstram maior interesse. Incentive que as crianças que já estejam engajadas na atividade, ou nos ambientes, convidem as demais para participarem também, escolhendo seus pares ou formando pequenos grupos.

Se você contar com algum apoio, mantenha sempre um adulto nos agrupamentos em que você não estiver. Se não tiver este apoio, monte esses dois ambientes próximos um do outro e dos brinquedos do parque. Deixe a cabana com uma abertura, de forma que, de onde estiver, você consiga observar bem todos os grupos. Dessa forma você poderá intervir, se achar necessário. Mantenha a atenção relembrando, quando necessário, que é perigoso apontarem a luz refletida dos espelhos e lanternas para o rosto dos outros, pois pode machucar os olhos.


5

Permita que as crianças explorem os espaços e materiais com liberdade. Observe quais hipóteses elas levantam sobre os usos dos espelhos, das lanternas, das caixas e demais objetos que encontrarem, bem como suas reações ao formar sombras ou luzes. As descobertas também podem partir enquanto brincam nos brinquedos do parque, ou exploram os elementos da natureza lá disponíveis.


6

Intervenha, a partir das ações das próprias crianças, nomeando o que estão fazendo, brincando junto com elas quando for convidado, e incentivando que se apoiem e interajam. Brinque com os contextos e personagens que elas já estejam criando. Apóie suas ações, caso elas te solicitem, ou convide-as para brincarem com algum material não utilizado, observando os fenômenos com você.

Possíveis falas do professor neste momento: Nossa, que legal isso que você está fazendo! Me mostra como é que faz?; De onde está vindo essa sombra? Como vocês conseguiram fazer sombras nas cabanas?; Qual é a maior sombra daqui do parque? E a menor? Essa luz vem de onde?; Vamos tentar usar o espelho para fazer luzes?; Até onde essa luz vai?; Vamos mostrar para os outros amigos como fazer isso?

Possíveis ações da criança neste momento: Manusear as lanternas e tentar descobrir como elas funcionam; mover as caixas de lugar tentando colocar coisas ou projetar luzes dentro delas; se observarem nos espelhos; olharem as sombras nos brinquedos do parque; notarem que as sombras das árvores se movem com o vento; criar brincadeiras e personagens de faz de conta.


7

Ao perceber que as crianças já exploraram bem o ambiente em que estão, convide-as a se deslocarem para outros locais. Proponha que as crianças que não quiserem sair de onde estão expliquem para as que chegarem o que elas descobriram e como elas podem brincar com os materiais que estão disponíveis.


8

Algumas crianças podem chorar e se recusar a entrar na cabana por estar escura. Se isso acontecer, uma opção para mediar a situação é entrar na cabana com outras crianças que já estejam lá brincando, mostrar as lanternas ligadas e dizer que está tudo bem. No entanto, respeite se ela continuar se recusando a entrar e convide-a para brincar em outro local.

Possíveis falas do professor neste momento: Como você está se sentindo?; Olha só, está tudo bem aqui e nós estamos apenas brincando. Quer vir conosco?; Eu entendo que a gente pode ficar com medo do escuro porque fica difícil de ver o que está acontecendo e onde estão as coisas.; Podemos tentar vivenciar isso em outro dia. Tudo bem?

Possíveis ações da criança neste momento: Demonstrar medo; chorar; relatar que viu algum monstro ou animal dentro da cabana e se recusar a entrar.


9

Aos poucos, convide as crianças em duplas ou individualmentea fazerem registros das sombras que quiserem, se possível, contornando os corpos umas das outras ou dos brinquedos no chão do parque com um giz. Aproveite este momento de escuta mais próxima para investigar quais hipóteses elas já levantaram e se estão intrigadas com algum fenômeno. Procure fazer isso com todas as crianças. Se não houver tempo, ou se a criança se recusar, tente novamente se for repetir esta atividade.

Possíveis falas do professor neste momento: Como a gente pode usar esse giz para registrar nossa sombra?; Quais outras sombras você quer desenhar aqui?; É bem difícil desenhar nossas sombras se movendo. Qual outra sombra do parque seria mais fácil desenhar?; Você se lembra como estava o céu quando chegou à escola?; O que acontece no céu enquanto estamos aqui?; E depois, quando você vai embora, como está o céu? Escuro ou claro?; Será que a gente consegue fazer esses desenhos à noite? Como?; Está mais escuro ou mais claro lá dentro das caixas? O que podemos fazer para achar as sombras aí?; A luz do espelho/lanterna fica mais visível quando a gente aponta para cima ou para baixo?; Esta luz fica mais visível dentro ou fora da cabana?


10

Algumas crianças podem não estar interessadas na atividade ou podem preferir explorar o parque brincando apenas nos brinquedos. Permita que elas escolham onde querem ficar até que se encerre o tempo da atividade. Converse com elas sobre o que poderão fazer para que todas possam usar o espaço, como, por exemplo, ficarem próximas do grupo e tomarem cuidado para não desmancharem as cabanas, nem pisarem nos materiais.

Faça a mediação das brincadeiras com elas, se achar necessário. Tente encontrar momentos em que seja pertinente convidá-las a observar os fenômenos de luz e sombra de onde elas estão. Por exemplo, a sombra do balanço que se movimenta, acompanhando ele subindo e descendo.


11

Quando o tempo da atividade estiver chegando ao fim, diga para as crianças aproveitarem os últimos momentos para irem aonde ainda não foram ou para compartilharem os materiais que estão usando com as outras crianças. Diga que em breve vocês precisarão ir para a próxima atividade de acordo com sua rotina.


Para finalizar:

Chame todo o grupo e diga que vocês deverão ir para a próxima atividade em 10 ou 5 minutos, conforme o tempo que achar necessário para guardar os materiais e fazer um encerramento, respeitando o tempo de cada criança. Solicite o apoio delas nessa organização. Vocês podem fazer isso enquanto cantam alguma música, para que este momento seja mais divertido.

Em seguida, convide-as para se sentarem com você. Dessa forma, quem se sentir à vontade, pode contar quais foram as descobertas e de quais brincadeiras mais gostou.

Por fim, organizem-se, de acordo com a rotina de vocês, para prosseguirem para a próxima atividade.

Possíveis falas do professor neste momento: Quais desenhos de sombras vocês fizeram?; Quais foram os lugares em que encontraram as sombras?; De onde vieram as luzes que nós usamos?; As sombras e as luzes se mexem? Por quê?;

Será que amanhã (ou de acordo com a disponibilidade de vocês) a gente consegue repetir essa brincadeira? Como vocês acham que pode estar o céu neste próximo dia?

Desdobramentos

Você pode realizar a atividade novamente. Para isso, convide professores e crianças de outras turmas e idades para participarem. Aproveite os mesmos materiais e os momentos compartilhados de uso do parque para diversificar as propostas. Uma possibilidade é pendurar tecidos brancos para as crianças verem os formatos de seus corpos atrás deles. Peça para que tentem contornar com canetas hidrográficas essas formas no tecido. Para ter outras inspirações sobre o uso do parque e a apreciação de seus elementos na escola, assista a este vídeo: Educação Infantil e o Brincar Livre na Natureza, do Instituto Alana

Engajando as famílias

Faça um convite para que as famílias cheguem 30 minutos antes da saída das crianças no dia em que esta atividade for ocorrer para participarem de uma breve brincadeira com vocês. Para isso, prepare com as crianças cantinhos com os materiais utilizados nas explorações. É interessante colocar as lanternas para projetarem luzes na parede em um local escuro. As crianças podem conversar com seus familiares quando eles chegarem, contando o que fizeram e descobriram. Solicite que os familiares entrem na sala para visitar os cantos e brincarem com as crianças, fazendo imagens de animais ou monstros projetando as sombras de suas mãos e corpos na parede.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Adriana Mitiko do Nascimento Takeuti

Mentor: Vládia Maria Eulálio Raposo Freire Pires

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 3 anos

Campos de Experiência:  
ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES

Objetivos e códigos da Base:


(EI02ET02) Observar, relatar e descrever incidentes do cotidiano e fenômenos naturais (luz solar, vento, chuva etc.).
(EI02ET04) Identificar relações espaciais (dentro e fora, em cima, embaixo, acima, abaixo, entre e do lado) e temporais (antes, durante e depois).
(EI02ET06) Utilizar conceitos básicos de tempo (agora, antes, durante, depois, ontem, hoje, amanhã, lento, rápido, depressa, devagar).

Abordagem didática:

O movimento é fundamental para a construção da identidade e da autonomia nos primeiros anos de vida. Além de tornar possível a interação com o mundo, eles expressam sentimentos, emoções e pensamentos. As áreas externas são espaços privilegiados para promover desafios corporais para as crianças. É papel da escola oferecer oportunidades para que elas possam se movimentar livremente em ambientes seguros e acolhedores, sem a necessidade constante da ajuda do adulto. Assim, as crianças aprendem sobre necessidades, limites e possibilidades suas e dos outros.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADE 05

Brincando com luzes e sombras no parque

VOCÊ ESTÁ AQUI

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes