13621
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Brincando de imitar os bichos de jardim

POR: Karla Alessandra Santos Pereira de Souza 18/02/2019
Código: EDI2_31UND03

Creche / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02TS03) Utilizar diferentes fontes sonoras disponíveis no ambiente em brincadeiras cantadas, canções, músicas e melodias.

(EI02EO04) Comunicar-se com os colegas e os adultos, buscando compreendê-los e fazendo-se compreender.

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Crianças bem pequenas sobre apropriação de gestos, movimentos e sons na imitação dos bichos do jardim

Resumo

ilustracao

Nesta atividade, as crianças vão assistir um vídeo sobre bichos do jardim e experimentar imitá-los

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Este plano faz parte de uma sequência de cinco. São eles:

Conhecendo os bichos de jardim

Visita ao jardim

Brincando de imitar os bichos de jardim

Diferenças entre bichos de jardim

Produção de um minijardim com as famílias

Materiais:

Baú, caixa ou cesto contendo fantasias de bichos de jardim ou algumas peças de roupas coloridas que possam remeter a alguns bichos de jardim ( gafanhoto, formiga, joaninha, borboleta, etc) acessórios como asas, antenas, tiaras, máscaras, etc., além de espelho grande, para que se observem. Instrumentos sonoros como colher de pau, tampa de panela, chocalhos de grãos. Vídeo de bichos e jardim para as brincadeiras de imitação (sugestão aqui). Data-show, tablet ou celular para reproduzir o vídeo.

Espaços:

Esta atividade pode ser realizada em qualquer espaço, desde que tenha condição de acomodar as crianças confortavelmente, que elas possam se movimentar com liberdade e autonomia, tenham acesso aos materiais necessários e também promova boa visualização das imagens do vídeo. Organize em um espaço de livre escolha, ao alcance dos pequenos, os instrumento sonoros (colher de pau, tampa de panela, chocalhos de grãos) e em um outro espaço, próximo ao espelho, as fantasias, acessórios e máscaras. Prepare um espaço para em grande grupo, assistirem ao vídeo.

Tempo sugerido:

Aproximadamente 1 hora.

Perguntas para guiar suas observações:

1. De que forma as crianças interagem com os sons, música e imagens mostrados no vídeo? Elas se interessam? Como a música as motiva a explorarem os movimentos de seu corpo?

2.Quais estratégias são usadas pelos pequenos para imitarem bichos de jardim? que brincadeiras os pequenos criam? Qual ou quais bichinhos foram mais imitados?

3.Como as crianças exploraram os materiais de fantasias, roupas e acessórios? Como utilizam seus corpos na exploração desses recursos?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Garanta a participação e envolvimento de todas as crianças, motivando, incentivando, convidando e oferecendo mais de uma possibilidade, de forma que, cada uma a sua maneira, imite, dance e use os materiais disponíveis, assegurando que o espaço seja seguro, que promova mobilidade, autonomia e liberdade.

O que fazer durante?

1

Convide às crianças para que, livremente e em grande grupo, se sentem no espaço prepardo por você para apreciação do vídeo sobre os bichinhos de jardim. Diga que, hoje, elas vão brincarão de imitar os bichos de jardim. Permita que as crianças se sentem com autonomia e observe suas preferências pelo espaço e pelos colegas. Respeite e auxilie as menores, se houver necessidade.


2

Apresente o vídeo. Uma sugestão é Bichinhos do Jardim, do Grupo Balangandan:

Perceba o que os pequenos manifestam, seja com palavras ou gestos. Observe como eles se comportam diante dos sons e imagens apresentados. Neste momento, deixe que interajam, como desejarem. Amplie as possibilidades de acordo com as ações e expressões de cada um.

Possíveis falas ou ações da criança neste momento: Algumas crianças podem apontar para o vídeo, se aproximar e tocar na tela apontando o que mais interessou; outras podem começar a dançar e/ou até “chamar” outras crianças para dançarem também, fazendo gestos com a mão.


3

Reproduza o vídeo novamente para que a turma continue com as manifestações. No decorrer do vídeo, perceba as iniciativas das crianças. Observe se reproduzem os movimentos e sons dos bichos que aparecem nas imagens, no grande grupo. Interaja com os pequenos. Brinque, dance, imite e se deixe conduzir pelos movimentos voluntários deles, reproduzindo alguns de seus gestos. Se houver necessidade, conduza, aqueles que não estiverem interagindo na brincadeira. Avise a todos que, quando o vídeo terminar, a brincadeira pode continuar com alguns materiais disponibilizados por você. 

Possíveis falas do professor neste momento: Ao perceber as iniciativas das crianças, você pode falar: “ Vou fazer o grilo como você! Que legal! Olhem como ela faz a formiga! O que vocês acham? Vamos tentar também? Que borboleta veloz! Adorei!” Incentive, mas respeite quem não quiser participar. 


4

Caso alguém já tenha livremente se direcionado aos espaços com fantasias e instrumentos, estimule os demais a fazerem o mesmo. Se não, convide as crianças a conhecer esses espaços comunicando o que tem ali, e ampliando as possibilidades delas. Convide a turma a explorar os objetos à vontade. Deixe que escolham onde preferem ir e o que querem pegar, fazer e experimentar. Fique atento a como se organizam e às preferências por determinado material. Observe se alguma criança convida outra para brincar e se há ajuda entre elas. Perceba se gostam dos barulhos que fazem, se pedem ajuda, se compartilham objetos, se imitam bichinhos e se criam novas brincadeiras.

Possíveis falas do professor neste momento: “Você gostou dessa fantasia? Olha! O que você acha que ele é com essa fantasia?
Que barulho legal, faz esse instrumento! O que você acha desse aqui? Quer experimentar?
Veja como ela está brincando com aquela fantasia! Vamos escolher uma para você?”


5

Incentive a capacidade imaginativa e criativa das crianças, como por exemplo, ao pensar que é uma princesa ou uma cantora quando coloca asas de borboleta ou antenas de formigas, por exemplo.

Possíveis falas do professor neste momento: “Vou deixar aqui esse baú com roupas, asas de brinquedo, antenas e outras fantasias. Vocês acham que podemos fazer alguma coisa com todas essas coisas? Como essa formiga canta bem!”
“Olha pra ela! O que será que ele/eles está(ão) imitando? Quer pegar algum acessório?"
"Vejam! Ela está voando com as asas, como uma borboleta! Você quer tentar?"

Possíveis falas ou ações da criança neste momento: Uma criança pode observar outra criança experimentando uma peça do baú e decide fazer o mesmo. Uma outra criança pode pedir ou apontar para um coleguinha, manifestando o desejo de usar a fantasia ou o acessório que ele está usando. Se alguém chorar ou se frustrar, incentive uma criança maior a brincar com ela, mas sempre respeitando a vontade de cada uma.


6

Perceba se as crianças se dirigem mais a um espaço ou a outro, formando pequenos grupos. Respeite as iniciativas delas. A partir das ações das crianças, sugira que tentem descobrir qual é o bicho que o colega está imitando. No caso das menores, ajude-as, verbalizando suas diferentes linguagens. Ao observar que algumas crianças brincam com os instrumentos, incentive-as a usá-los em suas imitações. Se notar que alguém se olha no espelho e se apresenta para os colegas, incentive os outros a fazerem o mesmo. Dê tempo para a exploração dos  objetos.

Possíveis ações da criança neste momento: Uma criança pode estar manuseando os objetos sonoros e começar a dançar. Outra pode tentar vestir uma fantasia ou colocar um acessório e manifestar um pedido de ajuda a outro colega. Outra ainda, pode ficar se olhando no espelho e fazer gestos com o corpo. Algumas podem desejar a fantasia que o colega está usando e, de repente, mudar de interesse; enquanto outra pode se dirigir a um grupo e, espontaneamente, começar a imitar para que os outros façam o mesmo. Fique atento a cada grupo e observe como as crianças se comportam e interagem.


Para finalizar:

Comunique às crianças que elas terão mais um tempinho para explorem, trocarem e experimentarem todos os objetos. Depois, elas guardarão os materiais para iniciar outra atividade. Para aqueles que já se desinteressaram pela exploração, reproduza o vídeo do início da atividade, deixando por mais um tempo os que ainda estão envolvidos com os materiais. Após um tempo, caso ainda tenham crianças envolvidas com as fantasias, diga que só terão mais 5 minutos. Quando esse tempo passar, avise que chegou a hora de colocar tudo no lugar e que todos precisam ajudar.

Cante uma canção que marque com o grupo os momentos de arrumação. Uma sugestão é Nós Vamos Guardar, de Fabiana Goddoy, disponível aqui.  

Desdobramentos

Caso você queira repetir a atividade, amplie as possibilidades dessa proposta, sugerindo que ela seja realizada em vários momentos e em outros espaço, de forma que as crianças possam explorar outros materiais de outras formas e outros que você incluir. Cada criança pode ainda escolher um animal para imitar que não seja de jardim. Em uma roda, ela se apresenta para os colegas e professores tentarem descobrir que animal está sendo imitado. Ao final, convide as crianças a cantar e coreografar uma música (sugestão: Imitando os Bichos, do grupo Palavra Cantada, disponível aqui) que fale de imitação de bichos.

Engajando as famílias

Conte às famílias sobre a brincadeira de imitar e sugira que repliquem  com seus filhos. Essa imitação pode ser feita de forma que, ora as crianças sejam os filhotes e os responsáveis os papais, ora, o contrário. Sugira um registro com fotos, desenhos e relatos sobre como se sentiram nesse momento em casa. Ele pode ser enviado à escola e afixado num mural na porta da sala para que a experiência de cada família seja compartilhada com as outras.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:   Karla Alessandra Santos Pereira de Souza

Mentora:  Nilcileni Aparecida Ebani Brambilla

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 1 ano e 7 meses a dois anos e 11 meses

Campos de Experiência:  O eu, o outro e o nós. Corpo, gestos e movimentos.

Traços, sons, cores e formas.

Objetivos e códigos da Base
(EI02EO04) Comunicar-se com os colegas e os adultos, buscando compreende?-los e fazendo-se compreender.

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

(EI02TS03) Utilizar diferentes fontes sonoras disponíveis no ambiente em brincadeiras cantadas, canções, músicas e melodias.

Abordagem didática: Muitas vezes os pequenos bichos de jardim (tatus, joaninhas, formigas, grilos, insetos, borboletas etc) provocam nas crianças reações diversas: medo, aflição, curiosidade, vontade de pegar, de pisar, de tocar, de seguir etc. É papel da escola aproveitar esse interesse para pensar em propostas com intencionalidade educativa. São várias as opções: organizar expedições no espaço externo da instituição para identificar e conversar sobre os bichos que moram ali, realizar pesquisas e apreciações de imagens (fotos, desenhos, pinturas, vídeos), brincar imitando esses bichos, entre outras.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

OUTRAS ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes