16346
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 6º ano > Mundo do trabalho

Plano de aula - As características e transformações das paisagens

Plano de aula de Geografia com atividades para 6º ano do Fundamental sobre identificar as características e as transformações das paisagens urbanas e rurais.

Plano 02 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Juliana Santiago De Freitas

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF06GE06 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada aqui em sua totalidade, mas as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Esta habilidade contempla a identificação de características das paisagens transformadas pelo trabalho humano a partir do desenvolvimento agrícola e do processo de industrialização. A habilidade permite trabalhar a temática por meio de paisagens em que os alunos possam verificar suas características, seus elementos e transformações de paisagens urbana e rural. O plano conta também com a elaboração de uma carta pessoal e um levantamento de hipóteses acerca das transformações da paisagem descrita pelo aluno na carta. Esta habilidade pode ser associada a outras habilidades da BNCC, tais como EF06GE01, EF06GE02 e EF06GE07.

Materiais necessários:

  • Caderno do aluno.
  • Lápis grafite e/ou caneta esferográfica e borracha.
  • Folha almaço para cada aluno.

Material complementar:

Arquivo com as imagens dos slides da contextualização. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf

Arquivo com orientações e imagens para a problematização. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/E4bcgshCc5PYkccQ3ekXX9XyqDpTMhfQet3E3dxpg2MEFmdMwgPRUfUAS6C3/geo6-06und02-problematizacao-atividade.pdf

Arquivo com orientações para a elaboração de uma carta pessoal na ação propositiva. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/W5awUhDdAr9XQTmQ49HufuzC8Kwp6B8JDprYAEsbCTYm6MQtRnbSFTyxfERS/geo6-06und02-acao-propositiva-carta-pessoal.pdf

Arquivo com orientações para levantamento de hipóteses das transformações da paisagem para a sistematização. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RN8PAcBWBaaQVqPFmTPxD6WgkDTdBZKJY7wQtBKuMNU2aUQnWVKwcu2FhYjG/geo6-06und02-sistematizacao-atividade.pdf

Link para as imagens:

Imagem 1: Floresta de coníferas, na Califórnia. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c3/Conifer_forest.jp. Acesso em 01 de dezembro de 2018.

Imagem 2: Plantação de hortifrutigranjeiros, em Almirante Tamandaré/PR. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a7/Horticulture_in_Almirante_Tamandar%C3%A9_countryside.JPG. Acesso em: 02 de dezembro de 2018.

Imagem 3: Vista da cidade de Sintra, Portugal. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d3/Vista_de_Sintra.jpg. Acesso em: 01 de dezembro de 2018.

Imagem 4: Plantação de algodão. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c4/Agriculture_in_Brazil.jpg. Acesso em: 02 de dezembro de 2018.

Imagem 5: Vista do Cristo Redentor, Rio de Janeiro. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/ae/Christ_on_Corcovado_mountain.JPG. Acesso em: 01 de dezembro de 2018.

Imagem 6: Avenida Paulista, São Paulo/SP, em 1890. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/97/Martin%2C_Jules_-_Avenida_Paulista_no_dia_da_Inaugura%C3%A7%C3%A3o%2C_8_de_Dezembro_de_1891%2C_Acervo_do_Museu_Paulista_da_USP_%28cropped%29.jpg. Acesso em: 03 de dezembro de 2018.

Imagem 7: Avenida Paulista, São Paulo/SP, em 2012. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Avenida_Paulista#/media/File:PaulistaPanorama.jpg. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente aos alunos o tema a ser abordado na aula, que consiste na discussão do conceito de paisagem, suas características e transformações relacionadas aos espaços rural e urbano. Comente também que será elaborada uma carta pessoal descrevendo uma paisagem da vivência dos alunos e, na sequência, um levantamento de hipóteses de suas transformações a partir de uma análise da paisagem descrita na carta pessoal.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 11 minutos.

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático.

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático.

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático. .

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático.

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático.

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos.

Orientações: Apresente aos alunos a paisagem do slide 8. Comente que a paisagem representa a Avenida Paulista em 1891. Solicite aos alunos que descrevam oralmente os principais elementos naturais e culturais da paisagem apresentada. Auxilie os alunos na descrição questionando-os o que mais chama a atenção na paisagem e peça que identifiquem se a paisagem representa o espaço urbano ou rural e quais elementos foram observados para chegar a essa conclusão. Solicite também que levantem características como: quais as cores desses elementos e como os elementos estão dispostos, dentre outras perguntas disparadoras. Em sequência, apresente a paisagem do slide 9, informando que representa também a Avenida Paulista, mas em 2012. Solicite neste momento que os alunos descrevam em seus cadernos as transformações ocorridas da paisagem anterior para a atual, destacando o espaço representado nas imagens (urbano ou rural), as transformações ocorridas e os principais elementos modificados. Auxilie os alunos no processo de elaboração da atividade, verificando possíveis dificuldades. Espera-se que os alunos percebam que o espaço rural foi transformado ao longo do tempo para um espaço urbano, a partir do desenvolvimento de técnicas, como energia elétrica, carros modernos, técnicas de engenharia que possibilitaram a construção de prédios cada vez maiores, dentre outros exemplos, e que essas técnicas só foram possíveis graças ao trabalho humano.

Finalize a etapa comentando que as transformações das paisagens se dão por diversas maneiras, seja pelo desenvolvimento de técnicas, seja pelas relações sociais que são estabelecidas ou até mesmo pelo significado que cada sujeito atribui ao espaço a partir de sua experiência. Essas transformações dão à paisagem uma característica dinâmica, sendo constantemente transformada e possibilitando sempre novas perspectivas e significações.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático. As paisagens também podem ser substituídas por imagens antigas e recentes da própria cidade, podendo ser encontradas em sites oficiais do município ou na biblioteca municipal.

Durante a realização da atividade, circule entre os alunos verificando possíveis dificuldades e avaliando-os.

Como adequar à sua realidade: As paisagens apresentadas podem ser alteradas por paisagens de vivência dos próprios alunos, como um ponto histórico e/ou turístico da cidade onde moram, da própria escola caso seja uma escola histórica, do bairro, dentre outras possibilidades, em que, a partir de uma fotografia ou imagem antiga e recente, os alunos possam descrever as paisagens e suas transformações. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município.

Caso a escola seja da região sudeste, comente da importância do desenvolvimento industrial como fator fundamental para a transformação da paisagem, assim como para a transição de uma paisagem rural para uma paisagem não tão somente urbana, mas também industrial.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente aos alunos a paisagem do slide 8. Comente que a paisagem representa a Avenida Paulista em 1891. Solicite aos alunos que descrevam oralmente os principais elementos naturais e culturais da paisagem apresentada. Auxilie os alunos na descrição questionando-os o que mais chama a atenção na paisagem e peça que identifiquem se a paisagem representa o espaço urbano ou rural e quais elementos foram observados para chegar a essa conclusão. Solicite também que levantem características como: quais as cores desses elementos e como os elementos estão dispostos, dentre outras perguntas disparadoras. Em sequência, apresente a paisagem do slide 9, informando que representa também a Avenida Paulista, mas em 2012. Solicite neste momento que os alunos descrevam em seus cadernos as transformações ocorridas da paisagem anterior para a atual, destacando o espaço representado nas imagens (urbano ou rural), as transformações ocorridas e os principais elementos modificados. Auxilie os alunos no processo de elaboração da atividade, verificando possíveis dificuldades. Espera-se que os alunos percebam que o espaço rural foi transformado ao longo do tempo para um espaço urbano, a partir do desenvolvimento de técnicas, como energia elétrica, carros modernos, técnicas de engenharia que possibilitaram a construção de prédios cada vez maiores, dentre outros exemplos, e que essas técnicas só foram possíveis graças ao trabalho humano.

Finalize a etapa comentando que as transformações das paisagens se dão por diversas maneiras, seja pelo desenvolvimento de técnicas, seja pelas relações sociais que são estabelecidas ou até mesmo pelo significado que cada sujeito atribui ao espaço a partir de sua experiência. Essas transformações dão à paisagem uma característica dinâmica, sendo constantemente transformada e possibilitando sempre novas perspectivas e significações.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático. As paisagens também podem ser substituídas por imagens antigas e recentes da própria cidade, podendo ser encontradas em sites oficiais do município ou na biblioteca municipal.

Durante a realização da atividade, circule entre os alunos verificando possíveis dificuldades e avaliando-os.

Como adequar à sua realidade: As paisagens apresentadas podem ser alteradas por paisagens de vivência dos próprios alunos, como um ponto histórico e/ou turístico da cidade onde moram, da própria escola caso seja uma escola histórica, do bairro, dentre outras possibilidades, em que, a partir de uma fotografia ou imagem antiga e recente, os alunos possam descrever as paisagens e suas transformações. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município.

Caso a escola seja da região sudeste, comente da importância do desenvolvimento industrial como fator fundamental para a transformação da paisagem, assim como para a transição de uma paisagem rural para uma paisagem não tão somente urbana, mas também industrial.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 16 minutos.

Orientações: Neste momento, proponha aos alunos a elaboração de uma carta pessoal. Explique que uma carta pessoal é breve e geralmente se refere a uma forma de comunicação com pessoas próximas, na qual tem a intenção de comunicar a vida cotidiana. Para a aula em questão, a carta terá como objetivo relatar e descrever uma paisagem a qual tenha sido vivenciada pelos alunos ou que seja de seu cotidiano (a casa ou sítio dos avós ou de alguém próximo, a casa, a escola, uma praça etc., por exemplo), resgatando assim a memória. Para a elaboração da atividade, entregue a cada aluno uma folha de papel almaço e apresente a estrutura de uma carta pessoal e as orientações para a elaboração da atividade, disponíveis no link a seguir: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/W5awUhDdAr9XQTmQ49HufuzC8Kwp6B8JDprYAEsbCTYm6MQtRnbSFTyxfERS/geo6-06und02-acao-propositiva-carta-pessoal.pdf. Caso não seja possível projetar o documento, organize os alunos em grupos (mesmo a atividade sendo individual) e entregue uma cópia impressa a cada grupo. Caso as opções não sejam possíveis, registre as orientações no quadro. A estrutura da carta pessoal conta com: local e data, vocativo (termo utilizado para chamar pessoas, que poderá ter qualquer aluno da sala como destinatário), corpo do texto (descrição de uma paisagem a partir da memória) e assinatura. Os alunos poderão destinar a carta para outro aluno da sala, desde que organize-os de modo que todos recebam a carta.

A atividade proposta poderá ser realizada em conjunto com o componente curricular de Língua Portuguesa e poderá compor um instrumento de avaliação. Outras adaptações poderão ser realizadas, tais como a construção de um blog para a divulgação das cartas. Junto com o professor do componente curricular de Língua Portuguesa, poderá ser proposto aos alunos a elaboração de outros gêneros textuais como relatos de viagem ou textos descritivos em que os alunos deverão descrever a paisagem que visitaram em viagens ou de seu bairro por exemplo.

Para você saber mais: Seguem algumas sugestões de leituras.

CAMARGO, Maria Rosa Rodrigues Martins. Cartas e escritas: práticas culturais, linguagem, tessitura da amizade. São Paulo: Editora Unesp, 2011. Disponível em:

https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/113672/ISBN8539301959.pdf?sequence=1. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

FRANK, Anne. O diário de Anne Frank. São Paulo: Le livros, 2018. Disponível em: https://youtruth.weebly.com/uploads/1/3/1/8/1318459/o_diario_de_anne_frank_-portuguese.pdf. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

LEITE, Maria Isabel Ferraz Pereira; YUNES, Virgínia Maria. Cartas entre Marias: uma viagem à Guiné-Bissau. São Paulo: Evoluir Cultural, 2009.

MULTIMIDIAED. Cartas pessoais. 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=n9pB7a47Q5g. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A caracterização de categorias de texto: tipos, gêneros e espécies. Alfa, São Paulo, v. 51(1), p. 39-79, 2007. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1426/1127. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos.

Orientações: No momento da sistematização, oriente os alunos a identificarem alguns aspectos da paisagem que foram retratadas em suas cartas pessoais, tais como: Como é a paisagem? Ela é urbana ou rural? Posteriormente, solicite aos alunos que pensem e levantem hipóteses para as possíveis modificações ocorridas na paisagem ao longo do tempo. Instigue-os: A paisagem sempre se apresentou da forma como é hoje? Será que ela foi transformada? O que teria feito com que a paisagem mudasse? Essas transformações continuam acontecendo?

Caso tenha organizado os alunos para que tivessem como destinatários os próprios colegas de sala de aula, sugere-se que a troca das cartas seja realizada na aula seguinte.

As orientações para os alunos estão disponíveis no link a seguir: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RN8PAcBWBaaQVqPFmTPxD6WgkDTdBZKJY7wQtBKuMNU2aUQnWVKwcu2FhYjG/geo6-06und02-sistematizacao-atividade.pdf. As orientações poderão ser impressas aos alunos ou registradas no quadro, caso prefira.

O registro das hipóteses pode ser realizado no caderno dos alunos ou no próprio verso da carta pessoal.

Após a realização da atividade, incentive os alunos a comentarem o que registraram. Leve-os a pensar nas transformações urbanas e rurais que ocorreram nas paisagens descritas, em que transforma-se uma paisagem predominantemente rural para uma agrícola ou urbanizada em função das necessidades humanas e do desenvolvimento de técnicas e, por esse motivo, estão em constantes transformações, em diferentes tempos.

Como adequar à sua realidade: Caso a cidade onde os alunos moram tenha passado por significativa transformação em sua paisagem, utilize-a como exemplo. Procure informações de bairros antigos, como eram, quais as principais transformações, o que representavam antigamente e o que representam na atualidade. Caso seja possível, procure imagens e/ou fotografias para que os alunos possam levantar hipóteses de uma paisagem vivenciada.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF06GE06 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada aqui em sua totalidade, mas as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Esta habilidade contempla a identificação de características das paisagens transformadas pelo trabalho humano a partir do desenvolvimento agrícola e do processo de industrialização. A habilidade permite trabalhar a temática por meio de paisagens em que os alunos possam verificar suas características, seus elementos e transformações de paisagens urbana e rural. O plano conta também com a elaboração de uma carta pessoal e um levantamento de hipóteses acerca das transformações da paisagem descrita pelo aluno na carta. Esta habilidade pode ser associada a outras habilidades da BNCC, tais como EF06GE01, EF06GE02 e EF06GE07.

Materiais necessários:

  • Caderno do aluno.
  • Lápis grafite e/ou caneta esferográfica e borracha.
  • Folha almaço para cada aluno.

Material complementar:

Arquivo com as imagens dos slides da contextualização. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf

Arquivo com orientações e imagens para a problematização. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/E4bcgshCc5PYkccQ3ekXX9XyqDpTMhfQet3E3dxpg2MEFmdMwgPRUfUAS6C3/geo6-06und02-problematizacao-atividade.pdf

Arquivo com orientações para a elaboração de uma carta pessoal na ação propositiva. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/W5awUhDdAr9XQTmQ49HufuzC8Kwp6B8JDprYAEsbCTYm6MQtRnbSFTyxfERS/geo6-06und02-acao-propositiva-carta-pessoal.pdf

Arquivo com orientações para levantamento de hipóteses das transformações da paisagem para a sistematização. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RN8PAcBWBaaQVqPFmTPxD6WgkDTdBZKJY7wQtBKuMNU2aUQnWVKwcu2FhYjG/geo6-06und02-sistematizacao-atividade.pdf

Link para as imagens:

Imagem 1: Floresta de coníferas, na Califórnia. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c3/Conifer_forest.jp. Acesso em 01 de dezembro de 2018.

Imagem 2: Plantação de hortifrutigranjeiros, em Almirante Tamandaré/PR. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a7/Horticulture_in_Almirante_Tamandar%C3%A9_countryside.JPG. Acesso em: 02 de dezembro de 2018.

Imagem 3: Vista da cidade de Sintra, Portugal. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d3/Vista_de_Sintra.jpg. Acesso em: 01 de dezembro de 2018.

Imagem 4: Plantação de algodão. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c4/Agriculture_in_Brazil.jpg. Acesso em: 02 de dezembro de 2018.

Imagem 5: Vista do Cristo Redentor, Rio de Janeiro. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/ae/Christ_on_Corcovado_mountain.JPG. Acesso em: 01 de dezembro de 2018.

Imagem 6: Avenida Paulista, São Paulo/SP, em 1890. Disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/97/Martin%2C_Jules_-_Avenida_Paulista_no_dia_da_Inaugura%C3%A7%C3%A3o%2C_8_de_Dezembro_de_1891%2C_Acervo_do_Museu_Paulista_da_USP_%28cropped%29.jpg. Acesso em: 03 de dezembro de 2018.

Imagem 7: Avenida Paulista, São Paulo/SP, em 2012. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Avenida_Paulista#/media/File:PaulistaPanorama.jpg. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente aos alunos o tema a ser abordado na aula, que consiste na discussão do conceito de paisagem, suas características e transformações relacionadas aos espaços rural e urbano. Comente também que será elaborada uma carta pessoal descrevendo uma paisagem da vivência dos alunos e, na sequência, um levantamento de hipóteses de suas transformações a partir de uma análise da paisagem descrita na carta pessoal.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 11 minutos.

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático.

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Slide Plano Aula

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático.

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Slide Plano Aula

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático. .

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Slide Plano Aula

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático.

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Slide Plano Aula

Orientações: Para iniciar a contextualização, sugere-se que altere o espaço da sala de aula para o formato em “U”, possibilitando um diálogo com os alunos. Apresente a imagem do slide 3 para os alunos, peça que observem a imagem e digam o que veem. Espera-se que os alunos possam identificar seus elementos naturais como as árvores e a montanha. Em sequência, apresente a imagem do slide 4 e solicite aos alunos o mesmo processo anterior. Espera-se que os alunos possam identificar a produção agrícola, a estufa, as árvores, a casa, o carro e as cercas. Neste momento, comente com os alunos que acabaram de descrever elementos de uma paisagem, naturais e culturais respectivamente, e que este conceito é muito importante para compreender o espaço em que vivemos. Dê continuidade a aula questionando-os o que é paisagem e, após alguns elementos citados, que poderão ser registrados no quadro, comente que este conceito geográfico representa um conjunto de formas, funções e de sentidos que está em constante transformação no espaço.

Apresente as as imagens dos slides 5, 6 e 7 e incentive os alunos a identificarem características desses espaços. Alguns questionamentos poderão ser realizados aos alunos para orientá-los e incentivá-los a participar da aula, tais como: Quais características das paisagens mais lhe chamaram a atenção? Por quê? Quais os elementos naturais e elementos culturais presentes nas paisagens? Em qual paisagem, do espaço urbano ou rural, há o predomínio de elementos naturais e em quais há o predomínio de elementos culturais? Em qual desses espaços há a coexistência dos dois elementos? As variadas respostas podem ser registradas concomitantemente no quadro por meio da construção de uma lista ou mapa conceitual.

Caso julgue necessário, realize as adequações conceituais, como:

  • Retome com os alunos as características dos espaço urbano e rural, com o objetivo que diferenciar esses espaços.
  • As paisagens não estão restritas apenas ao alcance da visão, mas envolve também a sua função, as experiências vividas e as relações estabelecidas no espaço pelo homem.
  • Os elementos culturais estão mais presentes no espaço urbano que no rural, e os elementos naturais estão presentes com maior frequência nos espaço rurais.
  • As paisagens passam por constantes transformações. Apresente como exemplo a própria cidade onde os alunos vivem, questionando-os se conseguem imaginar como ela era há 50 ou 100 anos atrás, ou quando os avós nasceram, por exemplo. Evidencie que grande parte das cidades no Brasil eram predominantemente rurais, mas que ao desenvolver a indústria e a modernização da agricultura, as cidades passaram a crescer mais, transformando sua paisagem.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático.

Como adequar à sua realidade: É interessante que complemente as imagens disponibilizadas com paisagens do próprio bairro, da escola ou da cidade onde os alunos vivem, aproximando as discussões de seu cotidiano. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município. É importante também que, ao longo da contextualização, associe o conteúdo com elementos naturais e culturais da própria paisagem do entorno da escola, do bairro ou da cidade para que os alunos possam ter referências de sua vivência. Por exemplo, se a escola for em uma área urbano-industrial, levante junto com os alunos seus elementos e características tais como prédios, shoppings centers, indústrias, presença de rodovias, carros, caminhões etc.; caso a escola seja de uma área rural, elementos como as plantações, maquinários, casas, presença de animais, agroindústrias etc. poderão ser levantados. Em ambas ocasiões a aula poderá ser externa, em que os alunos possam visualizar e vivenciar a paisagem.

Para você saber mais: Paisagem é o conceito central a ser abordado neste plano de aula. Tendo como base a habilidade contemplada, pode-se colocar a paisagem como um conjunto de formas e funções em constante transformações. Essas formas se dão pelos elementos na paisagem contidos, que podem ser classificados como elementos naturais e culturais. Os elementos naturais são aqueles que ainda não sofreram alterações humanas (morros, florestas, rios). No entanto, as paisagens essencialmente naturais são dificilmente encontradas, uma vez que muitas delas já sofreram interferência humana, como por exemplo a partir da alteração do relevo ou reflorestamento de uma determinada área. Os elementos culturais representam as paisagens que foram transformadas pelo homem (casas, prédios, carros). Na paisagem cultural ressalta-se a importância do desenvolvimento de técnicas e do trabalho humano os quais impulsionam a interferência humana no espaço. Destaca-se que esta interferência não é estática e sim dinâmica, assim a paisagem está em constante transformação e em diferentes tempos, sendo possível acumular formas, funções e sentidos a partir das experiências ao longo do espaço e tempo. Sendo assim, a paisagem não se dá sem as relações com a sociedade que lhe atribui sentido e função. Cabe destacar que não são atribuídos apenas sentidos técnicos e visíveis à paisagem, mas, ao mesmo tempo as diferenças estão também no olhar dos sujeitos que que vivenciam esse espaço e dão significados a eles.

Abaixo seguem algumas sugestões de leitura.

CABRAL, Luiz Otávio. A paisagem enquanto fenômeno vivido. Geosul, Florianópolis, v. 15, n. 30. p. 34-45, jul/dez. 2000. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/viewFile/14252/13053. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Disponível em: http://files.leadt-ufal.webnode.com.br/200000026-4d5134e4ca/Milton_Santos_A_Natureza_do_Espaco.pdf. Acesso em: 04 de dezembro de 2018.

SERPA, Angelo. Milton Santos e a paisagem: parâmetros para a construção de uma crítica da paisagem contemporânea. Paisagem Ambiente - ensaios, São Paulo, n. 27, p. 131-137, 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/paam/article/download/77376/81223/. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

Contextos prévios: É interessante que os alunos já tenham um conhecimento prévio sobre o espaço urbano-industrial e rural e suas características, e saibam diferenciar esses espaços, assim como já tenham discutido o conceito de paisagem, sabendo diferenciar seus elementos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos.

Orientações: Apresente aos alunos a paisagem do slide 8. Comente que a paisagem representa a Avenida Paulista em 1891. Solicite aos alunos que descrevam oralmente os principais elementos naturais e culturais da paisagem apresentada. Auxilie os alunos na descrição questionando-os o que mais chama a atenção na paisagem e peça que identifiquem se a paisagem representa o espaço urbano ou rural e quais elementos foram observados para chegar a essa conclusão. Solicite também que levantem características como: quais as cores desses elementos e como os elementos estão dispostos, dentre outras perguntas disparadoras. Em sequência, apresente a paisagem do slide 9, informando que representa também a Avenida Paulista, mas em 2012. Solicite neste momento que os alunos descrevam em seus cadernos as transformações ocorridas da paisagem anterior para a atual, destacando o espaço representado nas imagens (urbano ou rural), as transformações ocorridas e os principais elementos modificados. Auxilie os alunos no processo de elaboração da atividade, verificando possíveis dificuldades. Espera-se que os alunos percebam que o espaço rural foi transformado ao longo do tempo para um espaço urbano, a partir do desenvolvimento de técnicas, como energia elétrica, carros modernos, técnicas de engenharia que possibilitaram a construção de prédios cada vez maiores, dentre outros exemplos, e que essas técnicas só foram possíveis graças ao trabalho humano.

Finalize a etapa comentando que as transformações das paisagens se dão por diversas maneiras, seja pelo desenvolvimento de técnicas, seja pelas relações sociais que são estabelecidas ou até mesmo pelo significado que cada sujeito atribui ao espaço a partir de sua experiência. Essas transformações dão à paisagem uma característica dinâmica, sendo constantemente transformada e possibilitando sempre novas perspectivas e significações.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático. As paisagens também podem ser substituídas por imagens antigas e recentes da própria cidade, podendo ser encontradas em sites oficiais do município ou na biblioteca municipal.

Durante a realização da atividade, circule entre os alunos verificando possíveis dificuldades e avaliando-os.

Como adequar à sua realidade: As paisagens apresentadas podem ser alteradas por paisagens de vivência dos próprios alunos, como um ponto histórico e/ou turístico da cidade onde moram, da própria escola caso seja uma escola histórica, do bairro, dentre outras possibilidades, em que, a partir de uma fotografia ou imagem antiga e recente, os alunos possam descrever as paisagens e suas transformações. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município.

Caso a escola seja da região sudeste, comente da importância do desenvolvimento industrial como fator fundamental para a transformação da paisagem, assim como para a transição de uma paisagem rural para uma paisagem não tão somente urbana, mas também industrial.

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente aos alunos a paisagem do slide 8. Comente que a paisagem representa a Avenida Paulista em 1891. Solicite aos alunos que descrevam oralmente os principais elementos naturais e culturais da paisagem apresentada. Auxilie os alunos na descrição questionando-os o que mais chama a atenção na paisagem e peça que identifiquem se a paisagem representa o espaço urbano ou rural e quais elementos foram observados para chegar a essa conclusão. Solicite também que levantem características como: quais as cores desses elementos e como os elementos estão dispostos, dentre outras perguntas disparadoras. Em sequência, apresente a paisagem do slide 9, informando que representa também a Avenida Paulista, mas em 2012. Solicite neste momento que os alunos descrevam em seus cadernos as transformações ocorridas da paisagem anterior para a atual, destacando o espaço representado nas imagens (urbano ou rural), as transformações ocorridas e os principais elementos modificados. Auxilie os alunos no processo de elaboração da atividade, verificando possíveis dificuldades. Espera-se que os alunos percebam que o espaço rural foi transformado ao longo do tempo para um espaço urbano, a partir do desenvolvimento de técnicas, como energia elétrica, carros modernos, técnicas de engenharia que possibilitaram a construção de prédios cada vez maiores, dentre outros exemplos, e que essas técnicas só foram possíveis graças ao trabalho humano.

Finalize a etapa comentando que as transformações das paisagens se dão por diversas maneiras, seja pelo desenvolvimento de técnicas, seja pelas relações sociais que são estabelecidas ou até mesmo pelo significado que cada sujeito atribui ao espaço a partir de sua experiência. Essas transformações dão à paisagem uma característica dinâmica, sendo constantemente transformada e possibilitando sempre novas perspectivas e significações.

Caso não seja possível projetar as imagens indicadas, elas poderão ser impressas mediante o link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ypjtMYEHgyqyfQR2KVZ4zTNvheA9jcSyPsBqxrUxC67sbST7AbeVxBbHfZzb/geo6-06und02-contextualizacao-imagens.pdf, ou paisagens semelhantes poderão ser encontradas em revistas ou no livro didático. As paisagens também podem ser substituídas por imagens antigas e recentes da própria cidade, podendo ser encontradas em sites oficiais do município ou na biblioteca municipal.

Durante a realização da atividade, circule entre os alunos verificando possíveis dificuldades e avaliando-os.

Como adequar à sua realidade: As paisagens apresentadas podem ser alteradas por paisagens de vivência dos próprios alunos, como um ponto histórico e/ou turístico da cidade onde moram, da própria escola caso seja uma escola histórica, do bairro, dentre outras possibilidades, em que, a partir de uma fotografia ou imagem antiga e recente, os alunos possam descrever as paisagens e suas transformações. As imagens podem ser encontradas em sites oficiais do município.

Caso a escola seja da região sudeste, comente da importância do desenvolvimento industrial como fator fundamental para a transformação da paisagem, assim como para a transição de uma paisagem rural para uma paisagem não tão somente urbana, mas também industrial.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 16 minutos.

Orientações: Neste momento, proponha aos alunos a elaboração de uma carta pessoal. Explique que uma carta pessoal é breve e geralmente se refere a uma forma de comunicação com pessoas próximas, na qual tem a intenção de comunicar a vida cotidiana. Para a aula em questão, a carta terá como objetivo relatar e descrever uma paisagem a qual tenha sido vivenciada pelos alunos ou que seja de seu cotidiano (a casa ou sítio dos avós ou de alguém próximo, a casa, a escola, uma praça etc., por exemplo), resgatando assim a memória. Para a elaboração da atividade, entregue a cada aluno uma folha de papel almaço e apresente a estrutura de uma carta pessoal e as orientações para a elaboração da atividade, disponíveis no link a seguir: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/W5awUhDdAr9XQTmQ49HufuzC8Kwp6B8JDprYAEsbCTYm6MQtRnbSFTyxfERS/geo6-06und02-acao-propositiva-carta-pessoal.pdf. Caso não seja possível projetar o documento, organize os alunos em grupos (mesmo a atividade sendo individual) e entregue uma cópia impressa a cada grupo. Caso as opções não sejam possíveis, registre as orientações no quadro. A estrutura da carta pessoal conta com: local e data, vocativo (termo utilizado para chamar pessoas, que poderá ter qualquer aluno da sala como destinatário), corpo do texto (descrição de uma paisagem a partir da memória) e assinatura. Os alunos poderão destinar a carta para outro aluno da sala, desde que organize-os de modo que todos recebam a carta.

A atividade proposta poderá ser realizada em conjunto com o componente curricular de Língua Portuguesa e poderá compor um instrumento de avaliação. Outras adaptações poderão ser realizadas, tais como a construção de um blog para a divulgação das cartas. Junto com o professor do componente curricular de Língua Portuguesa, poderá ser proposto aos alunos a elaboração de outros gêneros textuais como relatos de viagem ou textos descritivos em que os alunos deverão descrever a paisagem que visitaram em viagens ou de seu bairro por exemplo.

Para você saber mais: Seguem algumas sugestões de leituras.

CAMARGO, Maria Rosa Rodrigues Martins. Cartas e escritas: práticas culturais, linguagem, tessitura da amizade. São Paulo: Editora Unesp, 2011. Disponível em:

https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/113672/ISBN8539301959.pdf?sequence=1. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

FRANK, Anne. O diário de Anne Frank. São Paulo: Le livros, 2018. Disponível em: https://youtruth.weebly.com/uploads/1/3/1/8/1318459/o_diario_de_anne_frank_-portuguese.pdf. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

LEITE, Maria Isabel Ferraz Pereira; YUNES, Virgínia Maria. Cartas entre Marias: uma viagem à Guiné-Bissau. São Paulo: Evoluir Cultural, 2009.

MULTIMIDIAED. Cartas pessoais. 2014. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=n9pB7a47Q5g. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A caracterização de categorias de texto: tipos, gêneros e espécies. Alfa, São Paulo, v. 51(1), p. 39-79, 2007. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1426/1127. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos.

Orientações: No momento da sistematização, oriente os alunos a identificarem alguns aspectos da paisagem que foram retratadas em suas cartas pessoais, tais como: Como é a paisagem? Ela é urbana ou rural? Posteriormente, solicite aos alunos que pensem e levantem hipóteses para as possíveis modificações ocorridas na paisagem ao longo do tempo. Instigue-os: A paisagem sempre se apresentou da forma como é hoje? Será que ela foi transformada? O que teria feito com que a paisagem mudasse? Essas transformações continuam acontecendo?

Caso tenha organizado os alunos para que tivessem como destinatários os próprios colegas de sala de aula, sugere-se que a troca das cartas seja realizada na aula seguinte.

As orientações para os alunos estão disponíveis no link a seguir: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RN8PAcBWBaaQVqPFmTPxD6WgkDTdBZKJY7wQtBKuMNU2aUQnWVKwcu2FhYjG/geo6-06und02-sistematizacao-atividade.pdf. As orientações poderão ser impressas aos alunos ou registradas no quadro, caso prefira.

O registro das hipóteses pode ser realizado no caderno dos alunos ou no próprio verso da carta pessoal.

Após a realização da atividade, incentive os alunos a comentarem o que registraram. Leve-os a pensar nas transformações urbanas e rurais que ocorreram nas paisagens descritas, em que transforma-se uma paisagem predominantemente rural para uma agrícola ou urbanizada em função das necessidades humanas e do desenvolvimento de técnicas e, por esse motivo, estão em constantes transformações, em diferentes tempos.

Como adequar à sua realidade: Caso a cidade onde os alunos moram tenha passado por significativa transformação em sua paisagem, utilize-a como exemplo. Procure informações de bairros antigos, como eram, quais as principais transformações, o que representavam antigamente e o que representam na atualidade. Caso seja possível, procure imagens e/ou fotografias para que os alunos possam levantar hipóteses de uma paisagem vivenciada.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Mundo do trabalho do 6º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF06GE06 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano