14372
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Atividade - Intervenções no tanque de areia

Nesta proposta, conheça sugestões sobre como conduzir uma atividade na caixa de areia.

Atividade alinhada à BNCC: • POR: Fernanda Silvia Lionese

O que fazer antes?

Contextos prévios:

A seleção dos materiais é muito importante nesta atividade. O objetivo é que eles contribuam para ampliação do repertório de brincadeiras das crianças, instiguem novas ações, promovam diversidade de procedimentos, favoreçam a investigação, enriquecendo a dinâmica das brincadeiras no tanque de areia. Para sua realização será preciso coletar objetos do cotidiano e materiais de largo alcance. Envolva toda a comunidade escolar nessa coleta. Envie um comunicado às famílias com uma relação de possíveis objetos que são interessantes para as brincadeiras dos pequenos, converse com professores e funcionários da escola para que participem desse movimento e inclua as crianças na busca, seleção e organização dos materiais.

Sendo esta atividade realizada em espaço do parque, onde outras turmas podem estar utilizando, há possibilidade de você planejá-la com outros professores da escola.

Materiais:

1) Sugestõesde objetos do cotidiano: potes, copos, panelas, pratos, formas, bandejas, talheres, batedores de clara, escorredores de massa, funis, bacias, baldes, esponjas, medidores, peneiras, espremedores, pilões.

2) Sugestões de materiais de largo alcance: embalagens, garrafas plásticas, latas, pedaços de conduites ou canos de pvc, caixas de papelão e tecidos.

Os objetos do cotidiano e materiais de largo alcance devem ser organizados em caixas que possam ser transportadas para o tanque de areia. É importante que haja uma boa quantidade de materiais e utensílios para que as crianças possam fazer as escolhas e trocas.

3) Elementos da natureza que serão recolhidos pelas crianças durante a atividade, tais como folhas, sementes, flores, gravetos, frutos e pedrinhas .

4) Uma fonte de água, que pode ser uma torneira próxima, uma mangueira ou mesmo alguns baldes grandescomágua.

Espaços:

Planeje que a atividade aconteça no tanque de areia ou em outro espaço da escola em que as crianças brinquem com areia, como o parque, caixotes ou piscinas plásticas com areia etc. Ao se deslocar com as crianças para o local, leve as caixas previamente organizadas. Peça que as crianças o ajude nesse transporte.

Tempo sugerido:

Aproximadamente uma hora.

Perguntas para guiar suas observações:

1. Como as crianças compartilham os materiais: colaboram entre si, agrupam-se para brincar com um ou mais colegas, envolvem-se em conflitos e procuram resolver? De que forma?

2. Quais movimentos e usos do corpo demonstram dominar diante dos desafios corporais da brincadeira? De que formas utilizam o corpo para conseguir realizar uma ação, resolver um problema, atingir um objetivo?

3. Que conhecimentos são mobilizados para definição do uso dos objetos e elementos da natureza? Que diálogos e ações demonstram comparações, investigações e descobertas?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e às diferenças de cada criança ou do grupo. Por se tratar de uma exploração livrede utensílios e materiais diversos, incluindo elementos naturais, as crianças têm múltiplas possibilidades de envolvimento e interação, conforme suas próprias preferências. Incentive-as a descobrir os materiais usando diferentes sentidos (audição, visão, tato, olfato), e comunicando aos colegas suas descobertas, com descrições do ambiente, localização e características dos objetos.

O que fazer durante?

ilustracao

1

Acomodados junto ao tanque de areia em grande grupo, converse com as crianças sobre os materiais que trouxeram nas caixas, que foram coletados e organizados junto às famílias e funcionários da escola. Troquem ideias sobre como podem organizar esse espaço do tanque de areia para brincadeiras, incluindo esses materiais.Problematize sobre quais elementos da natureza estão disponíveis no espaço e que podem enriquecer as atividades. Incentive os pequenos a explorar o local, quando forem brincar, e a coletar materiais naturais. É importante conversar sobre o cuidado com as plantas que estão vivas, para que não sejam arrancados galhos, folhas ou flores. Diga onde poderão pegar a água para brincar e faça combinados com a turma, como por exemplo, a respeito do uso da água, da possibilidade de tirar os calçados e onde organizá-los.


2

No primeiro momento da proposta, as crianças planejam e organizam o espaço, os materiais e a própria brincadeira, decidindo com os colegas com o que e como brincar. Estão à vontade para retirar os materiais da caixa, identificar objetos, explorando diversos movimentos, mostrando o que encontraram para os colegas etc. Se desejarem, circulam pelo local, procurando elementos da natureza. As brincadeiras se darão em duplas, pequenos grupos ou individualmente, como elas preferirem.Não fique preso à divisão e ao arranjo inicial das crianças, possivelmente durante a brincadeira elas encontrarão outras formas de organização dos espaços e materiais, desfarão agrupamentos e farão interações entre diversos grupos.


3

Esteja atento sobre os conhecimentos que têm sobre os objetos, usos e nomes. Observe se as crianças compartilham os conhecimentos, oralmente ou por meio de gestos. Talvez alguém pergunte o que é determinado objeto, para que serve. Envolva os pequenos que estão próximos, perguntando quem o conhece e pedindo que explique ao colega. Caso necessário, ajude esclarecendo a dúvida. Acompanhe as crianças que estão coletando materiais naturais e água, atente-se para as curiosidades que surgem, os diálogos e interaja escolhendo alguns elementos também, de preferência os menos selecionados por elas.

Aquelas que não desejarem utilizar esses materiais podem brincar como de costume quando estão no tanque de areia, por exemplo, com os baldinhos ou outros brinquedos disponíveis.


4

Durante a brincadeira, as crianças construirão narrativas, personagens, cenários e enredos,reproduzindo situações do cotidiano, do que assistem, do que imaginam ou fantasiam. Se algum grupo pedir sua ajuda em alguma ação, aproveite a aproximação e brinque junto delas. Interaja a partir do que as crianças construíram e brinque, utilizando utensílios e materiais naturais pouco explorados por elas, convidando-as para ações com você. Faça isso naturalmente, deixando sempre que as narrativas delas orientem ações e propiciando ampliação a partir das experiências do cotidiano.

Possíveis falas do professor neste momento: Por favor, me passe essa escumadeira porque estou fritando as coxinhas e preciso tirá-las da panela antes que queimem. Você poderia me ajudar a carregar esta bandeja de bolo? Está muito pesada.

5

Procure deslocar-se entre os grupos e faça intervenções que tragam novos desafios ou que favoreçam investigações e descobertas de novas possibilidades. Veja se há alguma criança que ainda está brincando sozinha. Observe como interage com os objetos e elementos naturais, que ações está experimentando. Se houver receptividade, brinque com ela, envolvendo-se em suas pesquisas e narrativas, conversando sobre suas descobertas ou ainda procurando inseri-la em algum dos grupos existentes.

Possíveis ações do professor neste momento: Ao perceber que uma criança está tentando passar a água de um baldinho para uma garrafa e que está derramando o líquido no chão, inicie um diálogo convidando-a a olharem juntos os objetos disponíveis para encontrarem algum que possa ajudá-la nessa tarefa.


6

Enquanto interage brincando e conversando com as crianças, observe se elas reproduzem modelos sociais, como organizam as divisões de papéis e funções, por exemplo, se há uma criança encarregada por pegar a água. Veja se os materiais selecionados estão favorecendo a criação de novas brincadeiras, quais desafios e problemas surgem e como estão sendo solucionados. É muito importante que as observações sejam registradas, ainda que posteriormente, para nortear o planejamento das ações futuras, a partir das curiosidades, interesses e necessidades demonstradas pelas crianças. Os registros também serão úteis para planejar outras intervenções no tanque de areia, refletindo sobre a seleção dos materiais e podendo apontar para a necessidade de diferentes organizações.


Para finalizar:

Quando estiver terminando o tempo previsto para a atividade, avise as crianças que faltam cinco minutos para o encerramento da brincadeira no tanque de areia. Após os cinco minutos, peça que organizem os objetos, lavando o que for preciso e guardando tudo nas caixas. Indique o local onde devem ficar armazenados. Relembre com o grupo qual será a próxima atividade da rotina e sigam juntos até os sanitários ou os lavatórios para realizarem a higiene pessoal.

Desdobramentos

Esta atividade pode ser repetida muitas vezes, favorecendo que as crianças experimentem outros objetos, novas transformações com a água, diferentes formas de organização e interação. Converse com os pequenos sobre a vivência no tanque de areia. Envolva-os em um diálogo sobre quais objetos e elementos mais gostaram de utilizar, que brincadeiras construíram e quais dificuldades encontraram. Peça que contem se sentiram falta de algum objeto ou se imaginam algum material ou elemento da natureza que possa ser utilizado nas brincadeiras na areia. Faça uma lista, com as crianças, do que poderiam coletar para incorporar às caixas.

Engajando as famílias

Você pode combinar com os pequenos uma forma de contar para as famílias como foi a experiência no tanque de areia com os objetos que ajudaram a coletar. A turma pode, por exemplo, optar por fazer desenhos para levar para casa e conversar com os familiares sobre eles ou escrever uma carta coletiva.

A partir da conversa com as crianças sobre a vivência, e da construção da lista dos objetos e materiais que poderiam enriquecer ainda mais as brincadeiras, você pode pedir que as famílias continuem participando, enviando alguns dos objetos ou materiais listados pela turma. Esse pedido pode ser feito por meio de um comunicado no caderno de recados ou durante uma reunião.


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DE Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses) :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

MAIS ATIVIDADES DE Educação Infantil :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03EO03 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03CG02 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03ET01 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Educação Infantil

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano