10 planos de atividades com brincadeiras para explorar ambientes externos

Aproveite o ar livre para propor o brincar, a exploração e a interação com os colegas e com a natureza

POR:
Nairim Bernardo
Crédito: Getty Images

Toda criança gosta de brincar e precisa ser incentivada a fazê-lo desde cedo na Educação Infantil. Brincar faz parte da cultura da infância e, estando com os amigos ou sozinhos, os pequenos se divertem à beça soltando a imaginação. No ambiente escolar, é importante propor diferentes brincadeiras e agrupamentos para que as crianças entrem em contato com novas maneiras de se divertir e novas possibilidades de interação. Inovar nos lugares para propor as brincadeiras também é importante, pois gera diferentes aprendizagens para a meninada. 

Brincar ao ar livre sempre foi considerado valioso para o desenvolvimento infantil. Neste momento que atravessamos, da pandemia da covid-19, os ambientes externos ganham mais importância ainda, pois contribuem para evitar a disseminação do novo coronavírus. O parque, a caixa de areia, a quadra, o jardim e até mesmo os corredores abertos da escola são boas opções para se brincar fora da sala.


O brincar é um dos seis direitos de direitos e aprendizagem da Educação infantil conforme a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Tanto esse direito como os demais - conviver, participar, explorar, expressar e conhecer-se - podem ser bastante trabalhados em ambientes externos, se bem planejados pelo educador. 

Confira, na lista abaixo, 10 planos de atividades que têm como cenário o ar livre e colocam em jogo diversos materiais para divertir e ajudar no desenvolvimento de bebês e crianças.

  1. Brincando com elementos da natureza
    Indicado para: bebês

O objetivo da atividade é incentivar que os bebês explorem e recolham elementos naturais diversos como folhas, gravetos e pedras. Para isso, a proposta é organizar e separar previamente alguns materiais de tamanhos, formas e pesos diferentes e sempre aproximar os bebês que ainda não andam para que possam interagir, respeitando as possibilidades motoras de cada um. A possibilidade de ver, sentir, cheirar e ouvir a natureza amplia a percepção sensorial das crianças, que poderão interagir em duplas, pequenos grupos ou individualmente. 

  1. Brincadeiras com espuma colorida
    Indicado para: bebês

Convide os bebês para observar as diferenças de temperatura da água, o processo de derretimento do gelo, a transformação da água em espuma e o que acontece quando duas cores são misturadas. Como a atividade envolve água, certifique-se que o chão não é escorregadio (ou forre-o previamente com tapetes para evitar escorregões e quedas) e prepare sacos de água e cubos de gelo com anilina colorida, purpurina ou glitter. As cores vão despertar a atenção da turma e ajudar os pequenos a notar os processos de transformação da água. Conforme o interesse deles, incentive o uso do próprio corpo para tocarem na espuma, explorando suas características, como a textura, o cheiro e a temperatura. 

  1. Livres escolhas no parque
    Indicador para: crianças bem pequenas

Brincadeiras e brinquedos estruturados são interessantes para se explorar com os pequenos e devem fazer parte da infância e da rotina escolar. Mas também é importante respeitar o tempo do livre brincar. Para isso, que tal propor que as crianças tenham contato com materiais de largo alcance em um ambiente externo? Algumas opções são: caixas, tubos de PVC, embalagens, carretéis e cones de linhas, tecidos, lonas, folhas, galhos, potes, garrafas e tampas. Para montar o acervo, vale pedir a ajuda dos funcionários da escola e das famílias. A ideia é que as crianças brinquem livremente - no entanto, é fundamental estabelecer combinados e regras para que ocorra troca e compartilhamento de materiais entre os pequenos. 

Vamos aprender ao ar livre?

Neste Nova Escola Box, entenda os benefícios e possibilidades da aprendizagem em ambientes externos, que devem ser priorizados neste momento de retomada das atividades presenciais de acordo com os protocolos

  1. Brincando com água no tanque de areia
    Indicador para: crianças bem pequenas

As brincadeiras no tanque de areia são sempre as mesmas e algumas crianças já não se interessam mais por esse espaço? Experimente surpreender as crianças: adicione um elemento a mais na diversão: água. A proposta é organizar o espaço de maneira diferente: coloque no tanque alguns objetos e brinquedos com os quais a turma já está acostumada e algumas bacias com água ao redor dele. Depois, chame a criançada para visitar o local. Ao descobrirem a água, será possível, por exemplo, fazer castelos, túneis, bolinhas de areia úmida, lagos, entre outras novidades. 

  1. Luzes e sombras
    Indicador para: crianças bem pequenas

Você sabe como as crianças da turma observam, relatam ou demonstram compreender relações entre luz e sombra? Ajude-as a estabelecer relações entre o tempo, o ambiente e suas ações por meio da exploração no parque da escola. A atividade começa com o levantamento das hipóteses sobre luz e sombra e segue para a percepção em dois ambientes, um banhado pela luz do sol e outro mais escuro, preparado previamente por você, deixando à disposição espelhos e lanternas. É interessante observar os deslocamentos dos pequenos e como eles interagem com os objetos em cada ambiente para então intervir e aprofundar a percepção desses fenômenos.

Explore brincadeiras e histórias da região Norte

Confira sugestões de atividades e referências para ajudar no planejamento do professor e ampliar o repertório cultural das crianças

  1. Construção de um jogo de percurso
    Indicador para: crianças bem pequenas

Para as crianças que já conhecem e gostam de jogos de tabuleiro, aumente o desafio, literalmente. Em um ambiente externo, convide a turma para trabalhar coletivamente e construir um jogo de tabuleiro gigante. É mais fácil do que parece: basta saber que amarelinha, por exemplo, é um tipo de jogo de tabuleiro. Desafie os pequenos a construir o tabuleiro no chão e depois a jogar nele, atuando como os peões do jogo. Inspirada por outros jogos e referências, a turma pode definir um nome, as regras e outros detalhes da brincadeira. Converse com a gestão da escola sobre a possibilidade de deixar o tabuleiro disponível para outras turmas ou mesmo para que a mesma possa jogar novamente. 

  1. Explorando um lugar de brincar
    Indicado para: crianças pequenas

Que tal ultrapassar, literalmente, os muros da escola? Converse com as crianças e com os familiares ou responsáveis por elas sobre lugares seguros e ao ar livre para brincar ao redor da escola: praças e parques, por exemplo. Elabore uma lista com as opções e selecione com um deles. Convide as crianças para uma saída planejada para fazer uma investigação e explique o que é isso. Ao chegar ao espaço, proponha que os pequenos observem as características do espaço, o que há disponível nele e que brinquem - essa também é uma das etapas da investigação. Por fim, de volta à escola, as crianças devem conversar. Pergunte a elas sobre o escorregador do parque da praça: é mais alto do que o da escola? Como era o entorno do lugar?

Brincadeiras que começam na escola e seguem em casa

Aproveite a relação entre escola e família durante a pandemia, se valendo do modelo semipresencial, para propor brincadeiras e atividades que comecem a ser feitas na escola e possam ser complementadas em casa, com a ajuda da família - ou vice-versa.

  1. Cordas e elásticos no parque
    Indicado para:
    crianças pequenas

Uma forma de modificar um espaço já conhecido por todos, como o parque da escola, é propor que as crianças realizem intervenções nos brinquedos fixos e nas árvores, criando outras formas de brincar, construindo obstáculos e desafios. Nessa atividade, ofereça cordas, barbantes e elásticos para que os pequenos soltem a imaginação. Observe como elas transpõem os obstáculos, convide-as a observar a si mesmas e aos colegas também e sugira movimentos desafiadores. 

  1. Jogo Volençol
    Indicado para: crianças pequenas

Você conhece e muito provavelmente já assistiu à uma partida de vôlei. E o volençol, hein? Conhece? Ele faz parte do repertório de jogos e brincadeiras da turma? Separe uma bola leve, lençóis velhos e em bom estado e explique as regras do jogo para a turma. Para desdobrar a atividade, o plano de atividade sugere investigações relacionadas a alfabetização matemática, como a discussão sobre as formas como podemos registrar os pontos para acompanhar quanto está o jogo durante a partida e se essa responsabilidade ficará com uma ou mais pessoas. Assista aqui ao vídeo de uma partida de volençol

Curso: Como organizar os espaços na Educação Infantil

Entenda a relação entre os direitos de aprendizagem da BNCC e a organização dos espaços. Saiba também como planejar e organizar ateliês para os pequenos.

  1. Brincadeiras com o vento
    Indicado para: crianças pequenas

Converse com a turma sobre o vento e sobre como diferentes objetos se comportam em contato com ele: uma fita amarrada em um poste, um balão, uma pedra… O objetivo do plano é que as crianças possam observar esses efeitos em um dia com vento. Proponha que manipulem materiais pré-selecionados e observem o que fazem e como se expressam. Elas correm/exploram mudanças nos movimentos, geradas por diferentes direções do vento e por diferentes movimentos corporais? Como reagem quando sentem o vento tocar o corpo?

Tags

Guias