13377
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Brincando de lavar roupas na área externa

POR: Adriana Mitiko do Nascimento Takeuti 17/11/2018
Código: EDI2_12UND03

2º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

(EI02CG02) Deslocar seu corpo no espaço, orientando-se por noções como em frente, atrás, no alto, embaixo, dentro, fora etc., ao se envolver em brincadeiras e atividades de diferentes naturezas.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Crianças Bem Pequenas sobre Lavar Roupas

Resumo

ilustracao

Os pequenos vão interagir com água e sabão e refletirão sobre essa importante tarefa do dia a dia.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para realizar essa atividade, avise as famílias antecipadamente. Caso avalie como necessário, solicite mais conjuntos de roupas e uma autorização para que as crianças brinquem com água, sabão e uma peça de roupa delas. É importante que essa atividade seja realizada em um parque, ou outro espaço externo, em que elas já brincaram.

Materiais:

Baldes com água limpa e água com sabão neutro. Varais, prendedores, cestos, roupas das crianças e uma mangueira, se houver disponibilidade. Aproveite para complementar esses materiais utilizando os itens disponíveis na escola, como cadeiras, cordões e roupas de brinquedos. Separe também brinquedos e materiais que favoreçam o brincar de faz de conta em ambiente externo como esponjas, escorredores, escovinhas, blocos de espuma para serem os “sabões”, bacias de plástico grandes para serem os “tanques”, potes vazios de diferentes tamanhos para serem “amaciantes”, ou “alvejantes”, copinhos, regadores etc. Se as crianças não reconhecem suas próprias peças de roupas, atente-se para que estejam identificadas com seus nomes.

Espaços:

Planeje que a atividade iniciará com todo o grupo em uma sala com um cesto e roupas. Em seguida, ocorrerá em um espaço externo, como um parque, pátio, ou quadra, onde as crianças se dividirão em grupos menores. Considere que esse local seja amplo, seguro, no sentido de evitar escorregões, que possa ser molhado e limpo depois, e que permita a movimentação das crianças.

Disponha as bacias com água em cantos diferentes, próximos da mangueira, e os pregadores próximos aos varais. Prenda os varais entre cadeiras, ou paredes. Se a atividade for realizada em um parque com brinquedos, amarre os varais também entre os brinquedos que tenham uma estrutura fixa. O encerramento será com todo o grupo no mesmo espaço.

Tempo sugerido:

Aproximadamente uma hora.

Perguntas para guiar suas observações:

Quais hipóteses as crianças levantam durante as descobertas sobre o uso dos materiais e suas funções? Quais falas ou gestos demonstram confiança e respeito ao próximo durante essas tentativas?

Em quais ações realizadas pelas crianças é possível notar os deslocamentos como andar para frente, para trás, se agachar e se levantar? E quais estratégias elas usam para guardar objetos dentro de cestos, manusear as roupas e utilizar a água?

Em quais momentos da brincadeira é possível perceber o aprendizado pela observação e imitação entre os grupos? Quais desses jogos de imitação podem ser reconhecidos como pertencentes à sua cultura?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e às diferenças de cada criança ou do grupo. Atente-se para que a atividade não seja realizada em um local que fique escorregadio quando molhado. Organize o espaço de forma que os materiais sejam acessíveis às crianças. Escolha roupas de diferentes tamanhos, cores e texturas. Incentive que as crianças percebam a temperatura da água e os cheiros das roupas e sabões. Com o apoio das crianças, descreva suas atividades, ações e a localização dos materiais.

O que fazer durante?

1

Na sala, convide o grande grupo para se sentar com você ao redor do cesto vazio e das peças de roupas e tecidos. Pergunte se as crianças têm hipóteses sobre qual atividade vocês vão realizar. A partir das falas, conte que vocês vão brincar de lavar roupas no parque e proponha que elas expressem o que acham que poderão fazer e quais são suas experiências anteriores relacionadas a essa brincadeira.

Possíveis falas do professor neste momento: O que aconteceu para essa roupa ficar suja? O que precisa ser feito para ela ficar limpa novamente? O que precisamos usar para lavar as roupas? Por que usamos roupas limpas? Alguém já ajudou a lavar roupas em casa, ou em outro lugar? Como?

Possíveis falas da criança neste momento: A gente coloca a roupa dentro do balde e da máquina para lavar. A gente precisa de sabão e água pra lavar a roupa. Lá em casa quem lava a roupa é minha mãe/meu pai/minha vó/meu vô.


2

Solicite que as crianças escolham uma peça de roupa delas para ser lavada, ou uma peça dentre as que você já disponibilizou na sala, e que a coloquem dentro do cesto. Considere reservar um tempo adequado para que vocês possam se preparar e, se necessário, trocar de roupas antes de sair, respeitando o ritmo de cada criança. Em seguida, vá com todo o grupo e o cesto para o parque ou para o ambiente previamente preparado por você.

Possíveis ações das crianças neste momento: tirar uma peça de roupa que esteja usando e que tenha alguma sujeira, ou pegar uma peça de roupa de dentro de suas mochilas, caso utilize na escola, para colocar no cesto.


3

No parque, ou área externa previamente organizada, converse novamente com o todo o grupo. Caso o espaço escolhido seja um parque com brinquedos como escorregador, gira-gira e balanços, diga que todos poderão brincar nos brinquedos e que, quem quiser, poderá participar dessa outra proposta, de brincar de lavar as roupas.

Antes de as crianças escolherem onde querem brincar, é importante que vocês conversem sobre os cuidados que os grupos divididos entre os brinquedos do parque e a brincadeira de faz de conta podem ter, como: evitar empurrões, não passar correndo pelos varais, respeitar a vez de cada um usar os brinquedos e não levar água e roupas para dentro dos brinquedos do parque. Ressalte também que é preciso que todos tomem cuidado para não escorregar, nem levar nada à boca, pois pode fazer mal.


4

Convide todo o grupo para apreciar se o tempo está propício para a brincadeira: se há sol, vento, ou nuvens.

Mostre para as crianças interessadas na proposta que você criou um espaço para a brincadeira de lavar roupas e diga que, durante essa brincadeira de faz de conta, elas terão a bacia para molhar a roupa, um lugar para passar sabão e brincar com a espuma, o varal de pendurar as roupas para secarem com o vento e o sol e ainda diversos materiais e utensílios que podem ser o que elas imaginarem.


5

Atente-se aos deslocamentos e gestos que as crianças fazem, de acordo com seus interesses e levantamento de hipóteses. Dê um tempo para que possam fazer descobertas e explorações sobre o uso dos materiais e de suas ações na interação com eles. Se desejar, demonstre alguns usos possíveis, a partir das ações das próprias crianças. Brinque junto com elas de molhar a roupa, torcer, passar sabão e enxaguar. Converse sobre o estado das roupas, pergunte como elas ficaram sujas e enfatize como é refrescante e divertido brincar com água e sabão.


6

Se houver falas das crianças que caracterizem essa atividade como sendo apenas de meninas, procure contextualizar e ampliar essas considerações, conversando com elas sobre as possibilidades de diversão e interesse dessa brincadeira por todos.

Possíveis falas do professor neste momento: Por que esta brincadeira é só para meninas? Quem aqui está se divertindo e gostando dessa brincadeira? São só as meninas? E quem gosta de usar roupas limpas e cheirosas? Os meninos não gostam?

Possíveis falas da criança neste momento: eu não quero brincar disso porque é brincadeira de menina. Ele não pode brincar com a gente porque é uma brincadeira de meninas.


7

Permita que as crianças escolham se querem brincar em grupos menores, ou individualmente, elegendo pares de acordo com suas investigações, formas de apoio e interesses. Nesse momento, não é preciso cobrar uma sequência específica de ações, mas se uma criança ou um pequeno grupo ficar muito tempo em um só local, por exemplo, no balde com água limpa, faça outras propostas de ações e desafios. Se alguma criança apresentar desconforto, ou não estiver conseguindo alcançar algo, pergunte se ela precisa de ajuda e considere mover os materiais de local, ou alterar a altura do varal.

Possíveis falas do professor neste momento: Que cheiro sua blusa tem agora? O que será que acontece se colocarmos essa sua roupa neste balde com sabão? Você consegue alcançar o varal para colocar sua roupa para secar? Como a gente faz para usar o prendedor? Você precisa de algum apoio agora?

Possíveis falas da criança neste momento: não sei abrir esse pregador. Quero mais sabão.

Possíveis ações da criança neste momento: demorar muito em uma única etapa da lavagem. Entrar dentro da bacia com água e sabão. Chacoalhar as roupas na água com sabão para fazer espuma. Jogar água para cima. Tentar alcançar algo.


8

Pode haver crianças que não queiram explorar os materiais e participar da atividade, ou que terminem o que estavam fazendo antes das demais. Procure conversar com elas e interpretar seus gestos, para compreender seus objetivos e no que estão interessadas. Interaja também com quem estiver participando de outras ações e sugira que brinquem nos brinquedos do parque, com as crianças que já estiverem lá.

Possíveis falas do professor neste momento: Olha como o sabão é legal, ele faz espuma, vem fazer espuma comigo? Nossa, olha só o que acontece quando eu balanço essa roupa aqui bem forte. Como será que a gente vai tirar esse sabão daqui? Você já terminou a brincadeira? Não vai lavar mais nenhuma roupa? Já viu se algum amigo precisa de ajuda? Você prefere brincar perto da gente, nos brinquedos do parque? Quais cuidados precisamos tomar para você poder brincar lá?


9

Tente participar da brincadeira com uma criança, incentivando suas tentativas, interagindo e tentando transmitir segurança em suas escolhas. Nomeie as ações que ela esteja fazendo, como sentir o cheiro do sabão, a textura e a temperatura da água, mergulhar e esfregar as roupas, abrir os pregadores, se esticar para colocar as roupas no varal e se abaixar para pegar objetos.

Neste momento, é importante observar as falas e deslocamentos das crianças para, a partir deles, ampliar as possibilidades de protagonismo delas em jogos de imitação que remetam a contextos culturais conhecidos por vocês. Repare se as crianças fazem de conta que são personagens, ou pessoas que elas conhecem, durante essas brincadeiras e brinque com elas, participando das narrativas que estejam construindo.

Se você estiver com uma mangueira disponível, convide uma criança por vez para molhar as roupas nela, controlando o uso da água.

Pode não haver tempo, ou disponibilidade, para ter momentos seus de brincadeiras individuais com todas as crianças. Se isso ocorrer tente novamente, ao repetir a atividade, iniciando com as crianças com quem não ainda brincou de lavar roupas.


10

Quando o tempo estiver se encerrando, ou se você achar apropriado iniciar a finalização, diga às crianças que a atividade vai acabar em breve e que elas podem pendurar no varal as roupas que ainda estiverem sendo lavadas, ou terminar a brincadeira que estiverem fazendo.

Avise ao grupo que vocês têm dez ou cinco minutos para finalizar a atividade, de acordo com o tempo que você ache adequado para fazer a organização, respeitando o ritmo de cada criança.


Para finalizar:

Diga para o todo ogrupo que o tempo para essa brincadeira chegou ao fim e solicite a colaboração para que os materiais utilizados sejam organizados e guardados. Vocês podem cantar alguma música que deixe este momento de organização mais divertido.

Converse com outros adultos da escola sobre a possibilidade de reutilização da água que sobrou da brincadeira. É importante que as crianças acompanhem esse processo de reutilização, como forma de vivenciar a questão do reaproveitamento e de valorizar o meio ambiente.

Se achar necessário, para que as crianças fiquem vestidas com roupas secas, retornem ao local inicial da atividade e auxilie-as a se trocarem, conforme for habitual para vocês, antes de irem para a próxima atividade.

Desdobramentos

Ao repetir esta atividade você pode propor outros desafios como separar as roupas em grupos de cores ou texturas semelhantes, seguir uma sequência de ações, ou pegar do varal, dobrar e guardar as roupas secas. Você também pode, apenas inicialmente, organizar grupos menores entre os espaços e materiais, conforme as ações que elas já demonstraram maior interesse. Outra proposta é pesquisar cantigas e danças regionais sobre “lavar roupas” para fazer com as crianças durante a atividade, como a “Lavadeira”. Utilizando os mesmos materiais e espaços, também é possível propor uma atividade com um contexto diferente, como lavar os brinquedos ou dar banhos em bonecos. Sugestão: Lavadeira 1, do Mapa do Brincar da Folha de S. Paulo

http://mapadobrincar.folha.com.br/brincadeiras/roda/567-lavadeira-1

Engajando as famílias

Próximo ao horário da saída, caso as roupas estejam secas, organize-as com o grupo em uma mesa e proponha que as crianças chamem as famílias para pegar suas respectivas peças. Incentive que os responsáveis conversem com as crianças em casa sobre a brincadeira de hoje. Solicite ainda que contem e mostrem para elas como as roupas são lavadas lá. Em outro dia, proponha um diálogo para que elas compartilhem o que descobriram sobre como as roupas são lavadas em suas casas e acolha todas as experiências relatadas pelas crianças, de acordo com suas realidades. Se achar pertinente, intervenha relacionando essas falas com o que elas conheciam e com as hipóteses que levantaram, antes ou durante a brincadeira.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor:  Adriana Mitiko do Nascimento Takeuti

Mentor: Vládia Maria Eulálio Raposo Freire Pires

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 3 anos

Campo de Experiência: Corpo, gestos e movimentos.

Objetivos e códigos da Base Centrais:

(EI02CG02) Deslocar seu corpo no espaço, orientando-se por noções como em frente, atrás, no alto, embaixo, dentro, fora etc., ao se envolver em brincadeiras e atividades de diferentes naturezas.

Transversal:

(EI02CG01) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras.

Abordagem didática:

Os movimentos são fundamental para a construção da identidade e da autonomia nos primeiros anos de vida. Além de tornarem possível a interação com o mundo, eles expressam sentimentos, emoções e pensamentos. As áreas externas são espaços privilegiados para promover desafios corporais para as crianças. É papel da escola oferecer oportunidades para que elas possam se movimentar livremente em ambientes seguros e acolhedores, sem a necessidade constante da ajuda do adulto. Assim, as crianças aprendem sobre necessidades, limites e possibilidades, suas e dos outros.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADE 03

Brincando de lavar roupas na área externa

VOCÊ ESTÁ AQUI

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes