Seções | Novo Ensino Médio | Em Dia

Faltou combinar com os alunos

POR:
Lucas Freire, Gustavo Heidrich e Laís Semis

Os resultados do Ideb 2015 colocaram o Ensino Médio em foco e abriram grandes polêmicas. A nota, estagnada em 3,7 desde 2011, motivou a publicação da Medida Provisória (MP) 746, que propõe alterações no currículo e no funcionamento da etapa. Se choveram críticas para a apresentação de uma reforma da etapa sem debate amplo, via MP, o conteúdo dividiu opiniões. O debate tomou a imprensa e as escolas. Várias foram ocupadas por secundaristas em protesto.

De fato, muitas demandas dos estudantes não aparecem na proposta do governo. É o que se percebe ao se  cruzar o texto da MP com os resultados da pesquisa Nossa Escola em (Re) Construção, realizada pelo Porvir em parceria com a Rede Conhecimento Social. Na sondagem feita pela internet, 132 mil jovens de 13 a 21 anos listaram suas visões sobre o modelo escolar ideal. Por enquanto, os desejos da juventude seguem parcialmente contemplados pela proposta do Ministério da Educação. 

 

QUATRO DENTRO...

Governo e alunos concordam nas ideias de flexibilização curricular

O que se aprende

A MP prevê mais variedade no currículo. Ele deverá considerar o projeto de vida e a formação integral dos alunos nos aspectos cognitivos e socioemocionais.

Trajetórias flexíveis

Dos alunos, 46% opinam que o currículo precisa ser flexível, mas ter parte preestabelecida. A reforma propõe 50% do tempo destinado à diversificação, definida pelas redes. 

Mundo do trabalho

A segunda maior preocupação dos jovens é a preparação para o mercado de trabalho. O item é contemplado com oferta de formação técnica e profissional.

Relação com entorno

Dos jovens, 56% pedem projetos de melhoria na escola ou no entorno. Para participar do novo programa, as secretarias deverão propor a participação da comunidade.

SEM CONSULTA

O que dizem uma aluna e um representante do MEC sobre a participação na reforma

"Os debates só começaram. Chegaremos numa parte desse processo que será a discussão da flexibilização do currículo, que será debatido pelos sistemas e os alunos vão poder apontar seus caminhos." 

ROSSIELI SOARES DA SILVA,  secretário de Educação Básica do MEC

 

"A reforma proposta pela MP traz a mesma questão da reorganização escolar. Ambas excluem alunos e professores do debate sobre o ensino público, nos tratando como máquinas que não pensam." 

LILITH PASSOS, aluna do 2º ano do Ensino Médio na EE Maria José, em São Paulo

 

...E QUATRO FORA

Alguns pedidos não são tratados. Outros pedem o oposto da MP

Gestão democrática

O tema não é citado no texto publicado pelo governo. Mas 52% dos participantes da pesquisa acham importante que alunos participem das decisões sobre a escola. 

Arte e esporte

A proposta delega à Base Nacional Comum Curricular a definição sobre a presença de Arte e Educação Física, que concentram as atividades preferidas  dos alunos.

Modos de ensinar

A metodologia de projetos ou resolução de problemas poderia fazê-los aprender mais, segundo 36% dos alunos entrevistados. A MP nada fala sobre o assunto.

Novos espaços

Usar ambientes internos e externos seria mais proveitoso, segundo 27% os alunos e 62% consideram essenciais trabalhos fora da escola. O ponto não é abordado.


Ilustração: Olavo Costa