15986
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Educação Infantil > Pré Escola - Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Atividade - Arte, tecnologia e formas

Nesta proposta, as crianças irão se inspirar na obra de Ricardo Lara, o VJ Spetto, para produzir obras com formas geométricas e luz.

Plano 05 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Atividade alinhada à BNCC: • POR: Lisa Lea Barki Minkovicius

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para esta atividade é fundamental que as crianças já tenham vivenciado algumas propostas com as formas geométricas considerando as principais características dos sólidos geométricos e das figuras planas. Você vai precisar de recurso audiovisual para apresentar algumas obras do artista brasileiro VJ Spetto. Sua arte convida o público a apreciar projeções digitais de linhas e formas tridimensionais, feixes de luzes, movimentos visuais e ilusões de óticas, acompanhados de animadas trilhas sonoras. Para que você veja um pouco da obra do artista e se inspire, sugerimos que acesse os seguintes links:

Para te apoiar com informações sobre o artista, sugerimos esta matéria. Separe uma seleção de músicas para o momento de exploração.

Este plano faz parte de uma sequência de cinco. São eles:

As formas geométricas do nosso entorno

Máscaras geométricas

A arte geométrica das máquinas

Tridimensionalidade e formas geométricas

Arte, tecnologia e formas

Materiais:

Organize a projeção das imagens do artista por meio de um computador e projetor de imagem. Para o momento de criação, separe papéis diversos de cores, formas e tamanhos variados, papel mais rígido de diversos formatos para suporte, colas em bastão, tesoura, fita crepe e barbante. Observe como apresentar os materiais, tendo em vista a dimensão estética e respeitando a autonomia da criança, para que ela possa escolher o que deseja para sua criação. Organize um varal e pregadores para acolher as produções das crianças. Para a exploração, reserve uma lanterna para cada criança (cubra cada uma com uma cor diferente de papel celofane e prenda com elástico).

Preveja um repertório de músicas para tocar no ambiente enquanto as crianças estiverem explorando (uma sugestão aqui). Separe também papel, caneta e máquina fotográfica para registrar as experiências que emergem do grupo durante a atividade.

Espaços:

Preveja um espaço que acolha o grupo todo de forma confortável, para apreciar as obras projetadas e conversar sobre o artista. Depois, convide o grupo para o momento de criação e exploração. Poderá ser na mesma sala ou outra que dê para escurecer. Estabeleça uma organização estética para os materiais que selecionou para a criação. Caso disponha de uma mesa grande, o material poderá ser organizado seguindo suas caraterísticas e especificidades ou ser acolhido no chão, em bandejas e caixas. Observe que apresentar o material tendo em vista a dimensão estética convida as crianças para que, de forma autônoma, se relacionem, buscando neles belezas, funções e expressões para a criação. No final, reúna todos para conversar sobre a experiência e compartilhar sensações.

Tempo sugerido:

Aproximadamente 01 hora.

Perguntas para guiar suas observações:

1. O que as crianças expressaram ao criarem livremente com as formas geométricas? Quais aspectos da apreciação levaram em conta? Como consideraram esses aspectos para suas produções?

2. Como se relacionaram com os materiais dispostos? Exploraram diferentes possibilidades de composição? Como? Classificaram as formas? Trocaram ideias entre si?

3. Como coordenaram as habilidades manuais durante a exploração? Como enfrentaram desafios? Buscaram apoios? Trocaram ideias sobre as mudanças de cor?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Apoie que todas expressem suas impressões. Estimule-as a trocarem ideias entre si, mas atente-se se alguma criança não se sentir à vontade para expor a opinião ao grupo. Respeite esta opção e observe a interação dela com as outras crianças, suas expressões faciais e gestos enquanto aprecia as obras e na exploração do ambiente. Incentive que uma criança ajude a outra.

O que fazer durante?

ilustracao

1

Reúna as crianças e conte que hoje elas irão conhecer um pouco do trabalho do artista Ricardo Lara. Conte que, ao expor sua arte, ele utiliza o nome VJ Spetto e que é comum que alguns artistas estabeleçam nomes diferentes para si, a fim de traçarem maior identidade artística ao contexto de sua criação e nome. Neste momento, contextualize exemplificando outros artistas que usam deste mesmo artifício. Ainda reunido com as crianças, diga que você trouxe uma matéria que encontrou no jornal, que conta um pouco sobre a biografia do artista e as principais características de suas obras. Leia a matéria para as crianças e, após a leitura, busque investigar junto a elas curiosidades acerca do que foi lido. Considere anotá-las, para posteriormente conversarem mais. Em seguida, diga que hoje elas verão algumas projeções da arte de Vj Spetto e que conversarão sobre as impressões que elas geram ao serem apreciadas. Diga que você planejou um momento de criação e exploração com diversos materiais para que elas criem obras inspiradas na arte do artista.


2

Apresente os vídeos e observe as reações das crianças, suas expressões e seus movimentos. Esboçaram surpresa? Sorriram? Movimentaram o corpo? Atente-se às diversas manifestações e faça registros fotográficos e escritos. Neste primeiro momento, evite perguntas e permita que as crianças apreciem de forma livre. Respeite a apreciação e criação de significados.


3

Ao final das projeções, pergunte se gostaram e se já tinham visto algo parecido. O que chamou a atenção? Que formas apareceram? O que acharam das cores e da música? Que sensações tiveram? Qual a intenção do artista? Fale que mostrará novamente e peça e que desta vez observem minuciosamente as formas e figuras que aparecem para depois compararmos as impressões. Acolha percepções, hipóteses e a imaginação das crianças. Caso queiram assistir mais uma vez, oportunize este acesso às obras que selecionou.

Possíveis falas do professor neste momento: Ao verem essas imagens, o que vocês sentem? O que vocês acham que o artista quer nos dizer? A música faz diferença na obra? Por quê? E as formas? As luzes?


4

Ainda na roda, revele que organizou materiais para as crianças criarem e investigarem inspiradas no que viram. Caso tenha organizado um espaço diferente para a criação, convide o grupo para se dirigir ao local. Apresente as formas coloridas cortadas e diga que poderão colar no suporte, criando as imagens que quiserem, e que, depois, irão juntos fixar na parede, pendurar no teto e no varal. Deixe tudo exposto em uma mesa de forma organizada e convidativa para que as crianças peguem o que quiserem com autonomia. Revele que depois, com a sala toda decorada, faremos uma experiência com as luzes apagadas e as lanternas cobertas com papel celofane. Acorde a duração da atividade e a organização da sala.


5

Após apresentar os materiais, convide as crianças a iniciarem suas criações. Observe como estão se apropriando dos elementos, como estão compondo as imagens, como utilizam todo espaço do papel, se as formas inspiram figuras diferentes, se buscam classificá-las e como trocam ideias com os pares. Além de observar, aproveite para instigá-las sobre a criação, o que pretendem fazer, como acham que podem conseguir e que formas irão utilizar para obter o que querem. Se necessário, apoie as crianças, oportunizando a reflexão acerca de alguns materiais dispostos que as ajudarão a atingir seus objetivos sobre a criação das obras.


6

Conforme forem terminando as produções, peça ajuda para organizar a sala e decorá-la. Fixe nas paredes, pendure alguns no varal e, se der, no teto. Quando tudo estiver pronto, diga que irá escurecer a sala, que elas receberão uma lanterna com papel celofane para iluminar os trabalhos e que poderão trocar as cores entre si para ver o que acontece. Revele que colocará uma música para inspirá-las. Encoraje a exploração, a dança das luzes e incentive a comunicação entre elas. Tire fotos e anote os comentários, as expressões e as soluções que surgem frente aos desafios, encantamentos e surpresas.

Possíveis falas do professor e ações da criança neste momento: ao observar uma criança aproximando a lanterna para bem perto de uma figura, você se aproxima e pergunta: Que legal, o que você percebe quando aproxima e afasta a lanterna? Faz diferença? Vamos fazer novamente e observar o que acontece? E agora, o que você acha que aconteceu?


7

Ao perceber que começaram a se dispersar, sinalize que, em 2 minutos, vocês terminarão a exploração, organizarão o espaço e se reunirão em roda para conversarem. Dado este tempo, convide as crianças para organizarem o espaço, os materiais e, em seguida, para se reunirem em roda.


Para finalizar:Em roda, instigue as crianças a contarem o que acharam da atividade, o que sentiram e o que descobriram. Potencialize a conversa com as anotações que fez ao longo da atividade e traga para discussão a comparação com as obras de VJ. Pergunte para as crianças o que mais podemos fazer para se aproximar das projeções do artista e que elementos tecnológicos presentes na escola elas podem utilizar para criar arte. Anote as ideias e as impressões das crianças, dizendo que em outro momento aprofundarão as ideias. Em seguida, convide-as para a próxima vivência do dia.

Desdobramentos

Em outro momento, você poderá utilizar tablets para que as crianças, por meio do aplicativo Kids Doodle, por exemplo, desenhem formas geométricas. O aplicativo captura o movimento de desenho da criança e transforma em vídeo. É gratuito e há possibilidades de escolhas para os traços. Aqui você visualiza como o aplicativo funciona. Você poderá juntar os vídeos das crianças e projetá-los em uma parede da escola, trazendo maior proximidade da ideia de intervenção digital dos artistas vjs. Outra possibilidade é projetar a tela do computador e utilizar ferramentas de desenhos, como paint ou outra online (como essa),e convidar as crianças para criarem desenhos digitais ao som de músicas animadas.

Engajando as famílias

Escreva aos pais contando sobre a atividade que vocês fizeram. Se possível, ilustre com as fotos que tirou e com comentários das crianças. Sugira que, em passeio com a família, atentem-se à arquitetura da região e às formas que podem ser vistas em janelas, telhados, portas etc. Peça que tirem fotos para depois compartilharem com a turma.


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS ATIVIDADES:

ATIVIDADES DE Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses) :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

MAIS ATIVIDADES DE Educação Infantil :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03CG05 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03ET05 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03TS02 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Educação Infantil

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano