15975
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Atividade - Primeiros dias - expectativas para o dia seguinte

Nesta proposta, as crianças criarão brinquedos com materiais de largo alcance e organizarão a sala para continuar brincando com eles no dia seguinte

Plano 05 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Atividade alinhada à BNCC: • POR: Cristiane Martins Soares

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para essa atividade, peça com antecedência a colaboração das famílias para que enviem materiais de largo alcance, como potes plásticos, garrafas pet, tampinhas, cones, caixas de embalagens, retalhos de tecido ou outros que as famílias tenham disponíveis. O professor também deverá coletar materiais (de uso na própria escola ou sobras de indústrias, como os cones de linhas e outros) e organizá-los, prezando pela higiene e segurança. Quanto maior a variedade de materiais, maior a possibilidade de exploração e imaginação das crianças. Você pode obter mais informações sobre como usar materiais de largo alcance acessando os links: https://novaescola.org.br/conteudo/8658/qual-o-lugar-da-sucata-na-escola e

http://www.caleido.com.br/uploads/2/2/8/0/2280950/ambiente_l%C3%BAdico_2__materiais_da_ind%C3%BAstria_t%C3%AAxtil_caleidosc%C3%B3pio_15_anos.pdf

Materiais:

O foco são os materiais de largo alcance que você selecionou anteriormente, como tubos e flexíveis de pvc, garrafas e potes de plásticos, tampinhas, caixas e cones de papelão etc. Garanta uma quantidade e variedade que atenda a todas as crianças. Separe alguns ítens para a última etapa da atividade, como elemento surpresa. Reserve uma caixa decorada com alguns brinquedos artesanais já construídos anteriormente por você ou por alguém da comunidade. Se possível, garanta reproduções de brinquedos típicos de sua região. Você também precisará de outros materiais que ajudem na construção de brinquedos, como fitas adesivas, colas, canetas permanentes, papéis coloridos, tesoura, barbante e outros que a escola disponha. Organize-os em uma caixa para facilitar a apresentação desses materiais às crianças. Não se esqueça dos materiais para registro, como aparelho para filmagem e fotografia.

Espaços:

Organize a sala de atividade para receber as crianças. Deixe uma mesa reservada em um canto e exponha os materiais de largo alcance que você selecionou. Pense em criar algo com os próprios materiais que possa atrair a atenção das crianças para esse canto, como uma estrutura abstrata tridimensional em cima da mesa ou no chão, se preferir. Você precisará de outro canto na sala para dispor os materiais de apoio, como fitas adesivas, papéis e outros. Organize esses espaços de forma acessível a todas as crianças. A área externa também poderá ser usada para as crianças brincarem com as construções.

Tempo sugerido:

Tempo estimado de 1hora e 30 minutos, sendo 10 minutos para a entrada, 15 minutos para a roda de conversa, 30 minutos para exploração e construção dos brinquedos, 20 minutos para brincadeira na área externa e 15 minutos para o planejamento do dia seguinte e início da organização. Adapte esse planejamento de tempo à organização da sua escola. Essa é uma atividade que contempla um tempo reduzido de permanência das crianças novas. Se seu grupo de crianças é misto (crianças novas e as que já eram da escola), planeje a continuidade da proposta ou outras atividades para atender aos que permanecerão por todo o período.

Perguntas para guiar suas observações:

1.Como as crianças demonstram confiança e independência em suas construções? Caso isso não ocorra, como são apoiadas pelo grupo?

2. De que forma comunicam idéias e sugestões? Que aspectos interferem na escolha das crianças ao interagir com o grande grupo ou apenas em pequenos grupos?

3. Como estabelecem relações de convívio durante a brincadeira? Mostram flexibilidade em adequar as brincadeiras atendendo as diferentes propostas dos colegas?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender as necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo. Garanta que as crianças possam encontrar materiais de diferentes tamanhos, graus de resistência e texturas, favorecendo a exploração através dos diversos sentidos: tátil, auditivo e visual. Durante a construção dos brinquedos, observe como as crianças manifestam seus interesses pelos materiais e possíveis construções. Com base em interesses comuns, aproxime aquelas que demonstram maior autonomia das que precisam de apoio para as construções.

O que fazer durante?

ilustracao

1

Receba as crianças na porta. Coloque-se na altura de cada criança e, com a ajuda do crachá, trate-as pelo nome, seja cordial e diga que está feliz em revê-las. Não insista em expressões de afeto, como abraços, se a criança não estiver à vontade para isso. Promova uma despedida breve com os familiares. À medida que as crianças entram, instigue-as a explorarem o que você separou para a atividade do dia. Não interfira durante essa primeira investigação, apenas observe aquelas que mostram maior autonomia e que já começam a criar possibilidades para brincar com os materiais e as outras que, no primeiro momento, podem optar por apenas observar.


2

Quando as crianças já estiverem todas em sala, observe como interagem. Convide as que ainda não se envolveram com a proposta para conhecer os materiais com você. Acolha as dúvidas e sugestões delas enquanto manipulam os materiais. Apoie suas descobertas de forma individual ou nos pequenos grupos e proponha que compartilhem o que descobriram com os outros colegas. Convide-as para uma grande roda ediga que podem levar os materiais escolhidos para a roda. Ajude-as, se necessário, com a formação da roda, que pode ser algo novo para algumas. Aproveite o envolvimento delas com os materiais para começar a conversa. As crianças relatam sobre suas escolhas e possibilidades de brincadeiras com esses objetos.

Possíveis falas do professor neste momento: Do que você estava brincando com esse objeto? O que mais ele pode ser? E se juntarmos com esse outro, vocês imaginam qual outro brinquedo podemos fazer?


3

Traga para a roda uma caixa decorada com alguns brinquedos feitos com materiais de largo alcance. Você pode dizer que as crianças do ano anterior quiseram deixar um presente de boas vindas para elas, ou que você preparou uma surpresa especial. Entre os brinquedos, você pode inserir reproduções de brinquedos de sua cultura local. À medida que as crianças observam e manipulam os brinquedos, elas imaginam novas possibilidades de construção. Aproveite para apoiar as descobertas e as ideias trazidas pelas crianças. Pergunte o que acharam dos brinquedos que você trouxe. Diga a elas que também poderão fazer seus próprios brinquedos com os materiais que estão disponíveis e depois poderão brincar na área externa, junto com os novos amigos.


4

Convide as crianças para escolherem os materiais que usarão para confeccionar seus brinquedos. À medida que as crianças vão escolhendo e formando, espontaneamente, pequenos grupos (de acordo com seus interesses e afinidades), interaja com elas, mostrando interesse por suas propostas. Deixe a caixa de brinquedos prontos acessíveis às crianças. Assim, elas podem observar como foram feitos e quais materiais foram usados, tendo-os como referência. Ajude-as a pensar na estrutura e forma dos materiais, interagindo diretamente ou favorecendo o apoio dos colegas. Por exemplo, se notar que duas ou mais crianças querem construir um carrinho, incentive que conversem sobre o material que selecionaram para construí-lo ou sugira que construam juntas o mesmo carrinho. Outra criança pode dizer que quer fazer um fogão, mas diz que não sabe como fazer. Você pode pegar uma caixa de sapatos, por exemplo, e perguntar se aquele material não pode ajudá-la a fazer o fogão e, juntos, buscar outros elementos que servirão para completar seu brinquedo.

Possíveis ações da criança neste momento: Uma criança pode pegar e observar um trenzinho já construído que está na caixa de brinquedos e ir em busca de caixas de fósforo entre os materiais para fazer seu próprio trenzinho.


5

Após o tempo para planejar o que irão construir e selecionar os materiais, traga para a roda a caixa com os materiais de apoio para as construções, como pedaços de retalho, cola, tesoura sem ponta, papéis coloridos etc. Diga às crianças que você irá deixar esses materiais em uma mesa da sala e que elas poderão usá~los como quiserem para construir os brinquedos. Lembre-as que sempre que precisarem de ajuda poderão pedir a um colega ou para você (como para segurar o material para passar uma fita adesiva ou para recortar um tecido etc).

Observando nos pequenos grupos o que as crianças estão construindo, pergunte coisas como: “o que podemos usar para prender as rodinhas nesse carrinho?”. Escute as diferentes alternativas que as crianças trazem e converse sobre elas, pensando de que forma o brinquedo ficaria mais firme, como fazer para que rode etc. Organize o tempo para que possa apoiar as crianças. Caso não seja possível terminar todos os detalhes dos brinquedos, negocie com as crianças mais alguns minutos ou uma outra oportunidade para finalizar.Isso dará a possibilidade da criança pensar sobre o que ainda precisa fazer e organizar suas prioridades.


6

Passado o tempo combinado, peça que as crianças ajudem a recolher os materiais que não foram usados. Convide-as para uma divertida brincadeira na área externa com todos os brinquedos produzidos.Combinem onde podem ir para brincar e, caso algum brinquedo não tenha ficado pronto ou precise de tempo para secar, sugira que brinquem em duplas ou trios com os que já estão prontos. Também ofereça aqueles que você apresentou na grande roda. Diga para as crianças escolherem os brinquedos e se organizarem para brincar, conforme suas preferências e, juntos, se dirijam para a área externa que escolheram.


7

Aproveite o momento para registrar como as crianças brincam, como fazem uso do espaço disponível, como interagem com os novos colegas e com os educadores que acompanham as crianças (caso tenha algum outro te auxiliando). Se notar que ainda há crianças que não se sentem à vontade para interagir com o grande grupo, demonstrem choro ou apatia, proponha brincadeiras em pares ou mantenha-se próximo dessas crianças, dando apoio individual.


Se surgir conflitos por trocas de brinquedos ou ao envolverem-se em brincadeiras coletivas, observe como reagem no primeiro momento. Perceba se aceitam organizar a brincadeira atendendo a expectativa de todas ou se elas se retiram do grupo. Interfira apenas se notar que as crianças precisam de apoio para organização.

8


Depois de um tempo, convide as crianças para voltar para a sala com seus brinquedos. Peça que se sentem em grande roda e diga que está muito feliz com tantos novos brinquedos. Pergunte sobre o que acharam da brincadeira de hoje após conversarem sobre seus brinquedos, com quem brincaram etc. Sugira organizar na sala um canto especial com esses brinquedos que fizeram, para continuarem as brincadeiras no dia seguinte. Sugira outros cantos, como o canto de leitura, o de brinquedos de montar e o de desenho. Pergunte para as crianças se elas têm outras sugestões de coisas que gostavam de fazer no ano anterior ou em outra escola, se for o caso, para inserirem em algum dos cantos.

9

Com os cantos definidos, diga às crianças que a hora de se despedirem está próxima e que podem aproveitar esses minutos para começar a organização da sala para as brincadeiras no dia seguinte. Informe que, quando os familiares chegarem, poderão convidá-los para entrar e conhecer seus brinquedos e o que estão fazendo. Negocie com as crianças algumas coisas que não serão possíveis organizar na hora. Por exemplo, se as crianças pedirem um castelinho feito com mesas e lençol, diga que irá providenciar o lençol e poderão montá-lo no dia seguinte. Mantenha um registro para não se esquecer dos materiais que você prometer providenciar. À medida que as crianças organizam os materiais, apoie-as no que for necessário. Se possível, convide outro educador para ajudar nesse momento. Crie expectativas para o dia seguinte, perguntando, por exemplo, como irão usar os materiais escolhidos quando retornarem para a escola. Lembre-se que esse planejamento tem como objetivo deixar as crianças com gostinho de quero mais e com vontade de retornar para a escola no dia seguinte. Aproveite as sugestões que as crianças dão pra mostrar como será legal a sala toda ser organizada por elas, com espaços pensados para as brincadeiras que elas escolheram e com os brinquedos que elas fizeram.


Para finalizar:

Quando chegar a hora da saída, informe as crianças que você estará na porta recebendo os familiares e que elas poderão continuar o que estão fazendo até serem chamadas para irem embora. Quando os pais chegarem, convide-os a entrar, conhecer os espaços que as crianças estão organizando e os brinquedos que construíram. Se não for possível, chame a criança e diga que, se quiser, poderá levar para casa o brinquedo que construiu e trazê-lo de volta no dia seguinte, para continuar a organização da sala e a brincadeira. Se despeça da criança relembrando de forma breve o quanto esse dia foi divertido e dizendo o quanto está ansiosa por seu retorno.

Desdobramentos

As crianças devem trazer de volta os brinquedos para, no dia seguinte, continuarem a brincadeira com os colegas. Termine de organizar a sala com as sugestões delas, favorecendo a continuidade da proposta. Durante a organização para o dia seguinte, pense em outros materiais de largo alcance que podem enriquecer o faz de conta, como um elemento surpresa (blocos de madeira, pedaços de cano de pvc ou outros que tiver disponível). Prepare os cantos de forma atraente e esteticamente harmoniosa, garantindo que alí estejam as coisas que combinaram. Assim, as crianças, ao chegarem, estarão estimuladas a continuar a brincadeira do dia anterior.

Engajando as famílias

Quando os familiares chegarem, convide-os para entrar, conhecer os brinquedos que as crianças construíram e como elas estão organizando o ambiente para o dia seguinte. Diga o quanto é importante essa proposta para que as crianças ansiarem em retornar à escola. Os familiares que dispuserem de tempo poderão ajudar a criança na organização em que ela está envolvida. Para aquelas que não conseguiram concluir os brinquedos, antes de se despedirem, pergunte se querem terminá-los em casa com a família. Diga que, se precisar de materiais de apoio, poderá, junto com o familiar, pegar o que precisa na caixa que usaram (caixa de materiais diversos, como cola, fita adesiva, barbante etc.)


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS ATIVIDADES:

ATIVIDADES DE Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses) :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

MAIS ATIVIDADES DE Educação Infantil :

Pré Escola / Educação Infantil / Crianças pequenas (4 anos a 6 anos e 2 meses)

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03EO01 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03EO02 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EI03EO04 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Educação Infantil

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano