Compartilhe:

Jornalismo

Início de ano na Educação Infantil: propostas e planos de atividades para a construção de vínculos

O campo de experiência “O eu, o outro e o nós” pode ser o carro-chefe para ações focadas no pertencimento e na criação de laços entre as crianças

PorPaula Sestari

03/03/2022

Crédito: Getty Images

Olá queridos professores e professoras. Espero que o início das atividades escolares tenha sido o melhor possível para vocês e suas crianças, em meio a esse momento que ainda exige cuidados – eu mesma, já perdi as contas de quantas vezes falei: “vamos arrumar a máscara” e “vamos dar só mais um passinho para trás”. 

Na última conversa por aqui, mencionei que é preciso pensar além da mera adaptação, e organizar um ambiente de acolhimento às crianças. Agora, nessa retomada das rotinas na escola, é hora de analisar os desafios que se apresentam e alinhar as primeiras estratégias. Assim, considerando que acolher envolve receptividade ao que as crianças nos trazem, e que os primeiros laços estão se formando, que tal investir em propostas que deem oportunidades para que os pequenos criem esses vínculos, e conheçam melhor as formas de vida e os diferentes contextos que vão além do seu núcleo familiar? 

A partir dessa intencionalidade, o campo de experiência “O eu, o outro e o nós”, um dos cinco que integram a BNCC de Educação Infantil, pode ser o carro-chefe para as primeiras intervenções. Conforme a própria Base, "é na interação com os pares e com adultos que as crianças vão constituindo um modo próprio de agir, sentir e pensar, e vão descobrindo que existem outros modos de vida, pessoas diferentes, com outros pontos de vista.” 

Para auxiliar nesse planejamento, selecionei seis propostas e dez indicações de planos de atividades aqui da NOVA ESCOLA – lembrando que os eixos norteadores devem sempre ser as interações e brincadeiras, e que cada intervenção deve ser estruturada a partir das coletas feitas por vocês; afinal, ninguém melhor do que os próprios professores para conhecerem a realidade das suas turmas. 

Vale ressaltar, também, que ter esse campo de experiência como ponto de apoio não significa desconsiderar os demais – todos eles se intercalam e se relacionam, já que não são áreas de conhecimentos específicos. Além disso, os objetivos de aprendizagem presentes nesses campos também são integrados e não devem ser cumpridos isoladamente. Então, vamos às propostas?

Avaliação, Leitura e Jogos 

Esse combo une três cursos completos que vão trabalhar com o seguintes temas: como fazer uma avaliação de qualidade; como planejar atividades de leitura; e como trabalhar com jogos na Educação Infantil  

Proposta 1: Valorização do grupo familiar

A ideia é criar situações para que as crianças tragam suas famílias para as conversas no grupo. É interessante que os professores saibam os nomes e arranjos familiares, e procurem envolver essas pessoas diretamente na atividade – ou então, que utilizem recursos como vídeos e fotos das famílias para a construção de um trabalho colaborativo junto com os pequenos.

Plano de atividades sugerido: Toda família tem história

Proposta 2: Brincadeiras coletivas

Outra possibilidade é promover situações visando a brincadeira das crianças com a mesma faixa etária e com grupos variados, para que elas tenham contato com o coletivo da instituição, e para que se sintam seguras na presença de outros adultos educadores. Um exemplo é o das brincadeiras de faz de conta, em que a criança pode exercer diferentes papéis, em situações que reproduzem as experiências da vida em família e na comunidade – oportunidade para colocar em evidência os seus saberes, e serem apresentados aos saberes dos outros.

Plano de atividades sugerido: Brincando com a história a partir de um cenário 

Proposta 3: Brincadeiras de roda

Aqui entram as experiências que valorizam os conhecimentos culturais de seu grupo familiar, da comunidade local e de outros grupos. As brincadeiras de roda são uma oportunidade de troca de olhares entre todos, e incluem: o movimento que busca ritmo e unidade; o contato que traz segurança; e a noção de que todos fazemos parte de algo maior.

Planos de atividades sugeridos: Brincadeiras com músicas de tradição oral e Brincando com cantigas de rodas conhecidas

Proposta 4: Brincando com as vivências diárias

Envolve organizar experiências em torno das ações de autocuidado, alimentação, higiene e repouso, de modo a apoiar a criança na construção de conhecimentos mais amplos sobre si e sobre como se dão esses momentos. Essas ações se dão por meio dos hábitos da cultura local, como piqueniques e brincadeiras de cabana e banho de boneca.

Planos de atividades sugeridos: Brincadeira de banho no boneco dos bebês e Lavar as mãos

Para avaliar na Educação Infantil 

Esse Nova Escola Box pretende ajudar professores e professoras da Educação Infantil a fazer registros de qualidade das atividades na escola, com o objetivo de avaliar a própria prática e também o desenvolvimento das crianças. 

Proposta 5: Brincadeiras com regras

Inclui proporcionar que a criança se envolva em dinâmicas e jogos com regras, situação em que é solicitado desempenhar um determinado papel – o que permite observar o seu lugar e a movimentação do outro nas interações.

Planos de atividades sugeridos: Jogando um jogo novo e Jogo de memória com desenhos autorais

Proposta 6: Combinados

A convivência coletiva requer alguns combinados que terão significado para as crianças se forem construídos com o seu envolvimento. Com isso, no dia a dia, é importante criar situações para o diálogo, reflexão e tomada de decisões sobre quais combinados são fundamentais para a boa convivência do grupo. Nesse processo, é importante que a criança se aproprie do espaço da escola e tenha contato com as pessoas que fazem parte dele.

Planos de atividades sugeridos: Adaptação: saída com atividade de livre escolha e Adaptação: conhecendo a escola


Dessa forma, vemos que nessa retomada, o seu olhar carregado de intencionalidade pedagógica visando que crianças se envolvam nas relações com seus pares, na formação dos primeiros agrupamentos, e no sentimento de pertencer ao espaço escolar, faz com que o campo “O eu, o outro e o nós” se sobressaia, mas essas propostas e planos de atividades percorrem todos os campos de experiências, e também os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento – e rendem observações que vão apoiar o seu replanejamento e a continuidade das intervenções, sempre estimulando o protagonismo dos pequenos. 

Um abraço e até breve, 

Paula Sestari é professora de Educação Infantil da rede municipal de ensino de Joinville (SC), com 10 anos de experiência nessa etapa, e mestre em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias. Em 2014, recebeu o Prêmio Educador Nota 10, da Fundação Victor Civita, e foi eleita Educadora do Ano com um projeto na área de Educação Ambiental com a faixa etária das crianças pequenas.

Veja mais sobre:

Últimas notícias