17417
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 8º ano > Natureza, ambientes e qualidade de vida

Plano de aula - O compartilhamento das águas do Aquífero Guarani

Plano de aula de Geografia com atividades para 8° ano do Fundamental sobre Conhecer a importância das reservas de águas subterrâneas do Aquífero Guarani e os acordos de proteção e conservação assinados pelos países do Mercosul

Plano 05 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Fabiana Machado Leal

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE22 de Geografia, que consta na BNCC.

Esta habilidade diz respeito à identificação dos principais recursos naturais dos países da América Latina, analisando seu uso para a produção de matéria-prima e energia e sua relevância para a cooperação entre os países do Mercosul. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

· Cópia do mapa Aquífero Guarani, para cada aluno;

· Cópia do trecho do artigo Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional, para cada aluno;

· Cópia das Atividades da Ação Propositiva para cada dupla;

· Cópia do texto Acordo sobre o Aquífero Guarani, para o Aluno 1 da dupla;

· Cópia do texto Aquífero Guarani: atuação do Brasil na negociação do acordo, para o aluno 2 da dupla;

· Folhas de sulfite, borracha, lápis preto e caneta;

· Equipamento multimídia para reprodução dos slides.

Material complementar:

Trecho do artigo Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional, disponível no arquivo

GEO8_22UND05 - Artigo: Aquífero Guarani: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SBF2UwKMmZZhGMvVsKkpvKJayxVarf6RsGaYpr6jgXFmDWzK8FCVRwbWKcha/geo8-22und05-artigo-aquifero-guarani.pdf

Atividades da Ação Propositiva, disponível no arquivo GEO8_22UND05 - Atividades da Ação Propositiva:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/vbWSueqFKX9AN3RZYBGCDxQRerZGXGQHHp7BpE5xkPp9xuA83hE5ZKdA5ZCq/geo8-22und05-atividades-da-acao-propositiva.pdf

Texto Acordo sobre o Aquífero Guarani, para o Aluno 1 da dupla, disponível no arquivo GEO8_22UND05_Texto Aluno 1:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/tGzkgfnQSN4bBR8ZQ7VutnX2UG52ERKWgr7dragjaV427X5F6rdyGXZqwKmt/geo8-22und05-texto-aluno-1.pdf

Texto Aquífero Guarani: atuação do Brasil na negociação do acordo, para o Aluno 2 da dupla, disponível no arquivo GEO8_22UND05_Texto Aluno 2: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2bXYfeUmPzNTawnPCtYfT3kh2JkfZdSKQtNbgKjGNWR2qwU4JAwFPeYGaSNJ/geo8-22und05-texto-aluno-2.pdf

Link para os mapas:

Mapa Aquífero Guarani, disponível em GEO8_22UND05 - Mapa Aquífero Guarani:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3MTaDgghTyXUCrvRHJ5kh4hGBbvjsxsUMSB8hzQrgw3WJQ9c6Kf5k9jTr5eq/geo8-22und05-mapa-aquifero-guarani.pdf

Para você saber mais:

Acordo sobre o Aquífero Guarani. San Juan - Argentina, 2010. Disponível em: <https://www.internationalwaterlaw.org/documents/regionaldocs/Guarani_Aquifer_Agreement-Portuguese.pdf >. Acesso em 09 mar 2019.

GERENT, Juliana; GONÇALVES, Alcindo. Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional. Revista de Direito Ambiental, vol.83, set/2016. Disponível em: <http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/RDAmb_n.83.12.PDF >. Acesso em 10 mar 2019.

O que é um aquífero? O ECO. Disponível em: <https://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/28001-o-que-e-um-aquifero/ >. Acesso em 09 mar 2019.

SANTOS, Cinthia Leone dos. Aquífero Guarani: atuação do Brasil na negociação do acordo. SANTOS, 2015. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) - Instituto de Energia e Ambiente, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/106/106132/tde-12042016-111915/pt-br.php >. Acesso em 09 mar 2019.

Senado aprova o acordo sobre o Sistema Aquífero Guarani. Senado notícias, 02/05/2017. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/05/02/senado-aprova-acordo-sobre-o-sistema-aquifero-guarani >. Acesso em 09 mar 2019.

Para conhecer a metodologia Peer to Peer, apresentado na Ação Propositiva desta aula, leia o artigo:

LORENZONI, Marcela. Peer to Peer: 5 passos para aprendizagem por pares. Disponível em: <http://info.geekie.com.br/peer-to-peer/ >. Acesso em 09 mar 2019.

Contextos prévios: Aquíferos e Mercosul.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Comente com os alunos que nesta aula eles irão conhecer a importância das reservas de águas subterrâneas do Aquífero Guarani e discutir, em dupla, o acordo de proteção e conservação assinados pelos países membros do Mercosul.

Para você saber mais:

Aquíferos são formações geológicas subterrâneas capazes de reter, filtrar e armazenar água. São formados em rochas fraturadas ou porosas e permeáveis que permitem a retenção de água da superfície, como a água das chuvas que infiltram no subsolo. Pela condição de permeabilidade, grandes volumes de água subterrânea conseguem se movimentar pelo subsolo.

Os aquíferos servem de área de recarga e abastecem os rios e outros mananciais e podem ser usados para o consumo da sociedade. Em um contexto de escassez dos recursos hídricos superficiais, a captação e o aproveitamento das águas subterrâneas são alternativas viáveis para o abastecimento da população.

A contaminação do subsolo é um dos principais riscos ao aproveitamento das águas dos aquíferos. Estudos apontam que o Brasil abriga dois dos três maiores aquíferos do mundo em volume de água, o Aquífero Guarani e o Alter do Chão (o maior aquífero do mundo, com cerca de 437 mil km2 de área e 90 mil km3 de volume de água/ano; esse aquífero está localizado totalmente em território nacional, na região Norte). O segundo maior aquífero do mundo em volume de água, conhecido por Grande Bacia Artesiana, está localizado na Austrália (com 1,7 milhão km2 de área e cerca de 65 mil km3 de volume de água/ano).

O Mercosul é um bloco econômico formado em 1991, com a assinatura do Tratado de Assunção. Na época, pretendia-se a constituição de uma política comum que integrasse as economias dos quatro Estados signatários: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. O Mercosul é considerado uma união aduaneira, isto é, o bloco permite a livre circulação de pessoas, serviços e mercados entre os Estados-membros. Nessa constituição de bloco, os países também estabelecem tarifas alfandegárias comuns, a fim de unificar os impostos das mercadorias provenientes de países que não pertencem ao bloco. Em 2012, o bloco sofreu sua primeira alteração com a adesão oficial da Venezuela e a suspensão temporária do Paraguai. Atualmente, a Bolívia está em processo de adesão, enquanto a Venezuela encontra-se suspensa todos os direitos e obrigações enquanto Estado-membro do bloco, desde 2016.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações: Inicie a aula perguntando a turma se eles sabem o que é um aquífero e se já ouviram falar no Aquífero Guarani. Se necessário, anote os comentários no quadro.

A partir dessas respostas, apresente o slide com o mapa Aquífero Guarani e faça a interpretação conjunta das informações contidas na representação. Nesse momento, espera-se que a turma perceba que o Aquífero Guarani abriga águas subterrâneas nos territórios de Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Nesse contexto, os alunos também devem notar que a maior parte do volume desse aquífero encontra-se em território brasileiro, nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Comente com os alunos que o Brasil abriga cerca de 70% das reservas do aquífero, enquanto a Argentina detém cerca de 20%, e Paraguai e Uruguai ficam com cerca de 5% cada um.

Caso julgue necessário, retome o conceito de aquífero e explique a importância da preservação das águas subterrâneas em um contexto de escassez e crises hídricas vividas em muitos países, sobretudo, nas grandes cidades. Para tanto, você pode utilizar as informações apresentadas no tópico “Para você saber mais”.

O mapa Aquifero Guarani está disponível em:

Aquífero Guarani. Wikimedia commons. Disponível em: <https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Aq%C3%BC%C3%ADfero_Guarani.png>. Acesso em: 09 mar 2019.

Se desejar, você pode imprimir uma cópia do mapa para os alunos. O arquivo para impressão está disponível em Mapa Aquífero Guarani:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3MTaDgghTyXUCrvRHJ5kh4hGBbvjsxsUMSB8hzQrgw3WJQ9c6Kf5k9jTr5eq/geo8-22und05-mapa-aquifero-guarani.pdf

A partir dessa discussão, comente que, o Aquífero Guarani possui uma área de cerca de 1,2 milhão de km2 e uma reserva de água estimada em 45 mil km3 por ano. Por essas dimensões, o Aquífero Guarani é considerado o segundo maior aquífero do mundo em área e o terceiro maior em volume de armazenamento.

O aquífero está localizado na maior concentração urbano-industrial e agrícola da América do Sul. Em razão disso, comente que parte das reservas subterrâneas já estão contaminadas.

A região do município de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, é uma das principais áreas dos limites do aquífero que faz uso exclusivo das águas subterrâneas para abastecimento da população.

Comente com os alunos que esses dados, por si só, já seriam relevantes para se dimensionar a importância do aquífero para a região, no entanto, outro fator o torna ainda mais importante: trata-se da maior reserva de água subterrânea transfronteiriça do mundo, isto é, seus limites ultrapassam as fronteiras territoriais de um país. Em razão disso, para além da importância hidrológica, o estudo do Aquífero Guarani deve ser considerado enquanto uma questão de política internacional, uma vez que a gestão e a preservação dos recursos devem ser compartilhadas entre os países que detém as reservas, sendo, portanto, uma tarefa extremamente desafiadora.

Para você saber mais:

Aquíferos são formações geológicas subterrâneas capazes de reter, filtrar e armazenar água.

São formados em rochas fraturadas ou porosas e permeáveis que permitem a retenção e de água da superfície, como a água das chuvas que infiltram no subsolo. Pela condição de permeabilidade, grandes volumes de água subterrânea conseguem se movimentar pelo subsolo.

Os aquíferos servem de área de recarga e abastecem os rios e outros mananciais e podem ser usados para o consumo da sociedade. Em um contexto de escassez dos recursos hídricos superficiais, a captação e o aproveitamento das águas subterrâneas são alternativas viáveis para o abastecimento da população.

A contaminação do subsolo é um dos principais riscos ao aproveitamento das águas dos aquíferos. Estudos apontam que o Brasil abriga dois dos três maiores aquíferos do mundo em volume de água, o Aquífero Guarani e o Alter do Chão (o maior aquífero do mundo, com cerca de 437 mil km2 de área e 90 mil km3 de volume de água/ano; esse aquífero está localizado totalmente em território nacional, na região Norte).

O segundo maior aquífero do mundo em volume de água, conhecido por Grande Bacia Artesiana, está localizado na Austrália (com 1,7 milhão km2 de área e cerca de 65 mil km3 de volume de água/ano).

O Aquífero Guarani recebe esse nome em homenagem aos povos que tradicionalmente habitavam a região. As dimensões e a complexidade da estrutura hidráulica e geológica do aquífero, enquanto um sistema único, foram divulgadas em estudos publicados em 1996. Em 1995, estudos preliminares sobre as águas subterrâneas na região, o batizaram de “Aquífero Gigante do Mercosul”.

Quando descoberto, o sistema era visto como o maior reservatório de água subterrânea do mundo; hoje, sabe-se que seu grande potencial de armazenamento varia de acordo com a profundidade e as características estruturais do solo e das rochas que armazenam as águas subterrâneas, que podem tornar onerosas a perfuração e a extração do recurso.

Entre os anos de 2002 e 2009, antes da assinatura do Acordo sobre o Aquífero Guarani, firmado em 2010, os quatro países da área de abrangência participaram do Projeto de Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Sistema Aquífero Guarani. A Síntese Hidrogeológica do Sistema Aquífero Guarani, que faz parte do estudo, pode ser consultada em: <http://www.mma.gov.br/publicacoes/agua/category/42-recursos-hidricos.html>. Acesso em 09 mar 2019.

Argentina e Uruguai ratificaram o Acordo sobre o Aquífero Guarani em 2012, o Brasil em 2017, enquanto o Paraguai ainda não o aprovou, em retaliação à sua suspensão do Mercosul, sofrida em 2012.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações: Após contextualizar os alunos sobre o Aquífero Guarani, inicie a etapa da Problematização apresentando a pergunta:

  • Qual a relação existente entre o aquífero e o Mercosul?

Nesse momento, espera-se que eles percebam que os países que abrigam o aquífero em seus subsolos são os mesmos que, inicialmente, assinaram o Tratado de Assunção, em 1991: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Na sequência, apresente o slide com o trecho do artigo:

GERENT, Juliana; GONÇALVES, Alcindo. Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional. Revista de Direito Ambiental, vol.83, set/2016. Disponível em: <http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/RDAmb_n.83.12.PDF>. Acesso em 10 mar 2019.

Se preferir, você pode imprimir ou copiar o trecho do artigo, que está disponível no arquivo

GEO8_22UND05 - Artigo: Aquífero Guarani: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SBF2UwKMmZZhGMvVsKkpvKJayxVarf6RsGaYpr6jgXFmDWzK8FCVRwbWKcha/geo8-22und05-artigo-aquifero-guarani.pdf

Após a leitura, pergunte aos alunos sobre qual a importância dos países que integram o sistema Aquífero Guarani administrarem e preservarem as águas subterrâneas de forma compartilhada. A partir da discussão do trecho proposto, espera-se que os alunos comentem que a perfuração de poços, a contaminação do subsolo e o uso excessivo e/ou inadequado podem trazer danos, sobretudo nas áreas fronteiriças. Desta forma, a gestão compartilhada e o uso sustentável do recurso devem ser pensados a fim de se evitar conflitos de interesses e de modo a reduzir os prejuízos aos países em questão. Isto é, para além da preservação de um recurso natural, qualquer contaminação ou exploração excessiva do aquífero podem rebater em interesses de quatros nações.

Por fim, retome com os alunos que, apesar dos problemas ambientais analisados até o momento terem, em sua maioria, abrangência local, a gestão do aquífero deve ser compartilhada, pois trata-se de um sistema subterrâneo interdependente, apesar de possuir variações nas características dos solos, rochas e na dinâmica da água.

Para você saber mais:

O Mercosul é um bloco econômico formado em 1991, com a assinatura do Tratado de Assunção. Na época, pretendia-se a constituição de uma política comum que integrasse as economias dos quatro Estados signatários: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. O Mercosul é considerado uma união aduaneira, isto é, o bloco permite a livre circulação de pessoas, serviços e mercados entre os Estados-membros. Nessa constituição de bloco, os países também estabelecem tarifas alfandegárias comuns, a fim de unificar os impostos das mercadorias provenientes de países que não pertencem ao bloco.

Em 2012, o bloco sofreu sua primeira alteração com a adesão oficial da Venezuela e a suspensão temporária do Paraguai. Atualmente, a Bolívia está em processo de adesão, enquanto a Venezuela encontra-se suspensa todos os direitos e obrigações enquanto Estado-membro do bloco, desde 2016.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Após contextualizar os alunos sobre o Aquífero Guarani, inicie a etapa da Problematização apresentando a pergunta:

  • Qual a relação existente entre o aquífero e o Mercosul?

Nesse momento, espera-se que eles percebam que os países que abrigam o aquífero em seus subsolos são os mesmos que, inicialmente, assinaram o Tratado de Assunção, em 1991: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Na sequência, apresente o slide com o trecho do artigo:

GERENT, Juliana; GONÇALVES, Alcindo. Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional. Revista de Direito Ambiental, vol.83, set/2016. Disponível em: <http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/RDAmb_n.83.12.PDF>. Acesso em 10 mar 2019.

Se preferir, você pode imprimir ou copiar o trecho do artigo, que está disponível no arquivo

GEO8_22UND05 - Artigo: Aquífero Guarani: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SBF2UwKMmZZhGMvVsKkpvKJayxVarf6RsGaYpr6jgXFmDWzK8FCVRwbWKcha/geo8-22und05-artigo-aquifero-guarani.pdf

Após a leitura, pergunte aos alunos sobre qual a importância dos países que integram o sistema Aquífero Guarani administrarem e preservarem as águas subterrâneas de forma compartilhada. A partir da discussão do trecho proposto, espera-se que os alunos comentem que a perfuração de poços, a contaminação do subsolo e o uso excessivo e/ou inadequado podem trazer danos, sobretudo nas áreas fronteiriças. Desta forma, a gestão compartilhada e o uso sustentável do recurso devem ser pensados a fim de se evitar conflitos de interesses e de modo a reduzir os prejuízos aos países em questão. Isto é, para além da preservação de um recurso natural, qualquer contaminação ou exploração excessiva do aquífero podem rebater em interesses de quatros nações.

Por fim, retome com os alunos que, apesar dos problemas ambientais analisados até o momento terem, em sua maioria, abrangência local, a gestão do aquífero deve ser compartilhada, pois trata-se de um sistema subterrâneo interdependente, apesar de possuir variações nas características dos solos, rochas e na dinâmica da água.

Para você saber mais:

O Mercosul é um bloco econômico formado em 1991, com a assinatura do Tratado de Assunção. Na época, pretendia-se a constituição de uma política comum que integrasse as economias dos quatro Estados signatários: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. O Mercosul é considerado uma união aduaneira, isto é, o bloco permite a livre circulação de pessoas, serviços e mercados entre os Estados-membros. Nessa constituição de bloco, os países também estabelecem tarifas alfandegárias comuns, a fim de unificar os impostos das mercadorias provenientes de países que não pertencem ao bloco.

Em 2012, o bloco sofreu sua primeira alteração com a adesão oficial da Venezuela e a suspensão temporária do Paraguai. Atualmente, a Bolívia está em processo de adesão, enquanto a Venezuela encontra-se suspensa todos os direitos e obrigações enquanto Estado-membro do bloco, desde 2016.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo Sugerido: 27 minutos

Orientações: Para iniciar a Ação Propositiva, organize a turma em duplas e explique que, nesta etapa, eles irão realizar uma atividade inspirada na metodologia Peer to Peer ou Peer Instruction (no Brasil, conhecida por “aprendizagem por pares”).

A atividade consiste na leitura de um texto diferente por cada integrante da dupla, de modo que eles discutam e associem informações distintas, compartilhem conhecimento e possam trabalhar de forma colaborativa, um ensinando ao outro aquilo que compreendeu do texto que leu.

Para tanto, agrupe as duplas de forma intencional, organizando alunos com habilidades e conhecimentos que possam ser complementares. Se possível, direcione quais textos cada integrante da dupla vai ler, de acordo com os interesses e habilidades de cada um, de modo que a interação e a comunicação sejam favorecidas. Ao final, eles devem compartilhar as informações, tomar decisões conjuntas e chegar a um resultado construído colaborativamente.

Por isso, a escolha das duplas é fundamental para a dinâmica da atividade, uma vez que todos devem se sentir confortáveis para compartilhar ideias, se expressar e apresentar seus pontos de vista acerca do texto lido.

Com as duplas organizadas, apresente as orientações e explique a dinâmica da atividade. Você pode apresentar as informações no slide, escrever no quadro ou imprimi-las.

As orientações para essa etapa da aula estão disponíveis no arquivo

GEO8_22UND05 - Atividades da Ação Propositiva https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/vbWSueqFKX9AN3RZYBGCDxQRerZGXGQHHp7BpE5xkPp9xuA83hE5ZKdA5ZCq/geo8-22und05-atividades-da-acao-propositiva.pdf

Na sequência, entregue os textos 1 e 2 para as duplas.

O texto do aluno 1 contém trechos do Acordo sobre o Aquífero Guarani: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/tGzkgfnQSN4bBR8ZQ7VutnX2UG52ERKWgr7dragjaV427X5F6rdyGXZqwKmt/geo8-22und05-texto-aluno-1.pdf

O texto do aluno 2 contém trechos da dissertação de Mestrado Aquífero Guarani: atuação do Brasil na negociação do acordo,

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2bXYfeUmPzNTawnPCtYfT3kh2JkfZdSKQtNbgKjGNWR2qwU4JAwFPeYGaSNJ/geo8-22und05-texto-aluno-2.pdf

Para iniciar atividade, estipule um tempo para que cada integrante leia seu texto. Se necessário, peça para que eles anotem as informações que considerarem relevantes nos cadernos.

Terminado o tempo de leitura, chegou o momento de compartilhar as informações. Nesse momento, os dois alunos devem interagir e explicar as ideias principais de seu texto para o colega.

Na sequência, entregue uma folha de sulfite para cada dupla e sugira que eles elaborem uma pequena reflexão que contenha ao menos 2 elementos de cada texto lido. É por esse motivo que a interação e o compartilhamento de ideias é importante entre as duplas, uma vez que eles deverão decidir em conjunto sobre aquilo que é mais relevante em cada um dos textos. Nessa atividade, é importante que os alunos trabalhem apenas com aquilo que foi apontado pelo colega. Nesse contexto, já que um aluno não vai ler o texto do outro integrante da dupla, eles se tornam responsáveis diretos pela aprendizagem do colega.

Durante a atividade, circule pela sala e observe se as duplas estão trabalhando de forma colaborativa e se todos os alunos estão expondo suas ideias. Tire dúvidas e retome as reflexões feitas nas etapas anteriores, caso os alunos tenham dúvidas sobre os textos e temáticas discutidas durante a Contextualização e a Problematização. Ao final da atividade, sugira que a turma faça uma síntese da discussão, na etapa da Sistematização.

Para você saber mais:

Essa atividade foi inspirada na metodologia ativa Peer to Peer ou Peer Instruction, que foi criada na década de 1990, por Eric Mazur, professor de Física em Harvard. Além do artigo Peer to Peer: 5 passos para aprendizagem por pares, já indicado no início do plano, você pode aprofundar seus estudos com a leitura do artigo:

MESSAGE, Carla Plantier, et. al. Peer Instruction: metodologia ativa de ensino e aprendizagem e suas ferramentas de interatividade gratuitas. Colloquium Humanarum, vol. 14, n. Especial, Jul–Dez, 2017, p. 644-650. Disponível em: <http://www.unoeste.br/site/enepe/2017/suplementos/area/Humanarum/4%20%20Educa%C3%A7%C3%A3o/PEER%20INSTRUCTION%20METODOLOGIA%20ATIVA%20DE%20ENSINO%20E%20APRENDIZAGEM%20E%20SUAS%20FERRAMENTAS%20DE%20INTERATIVIDADE%20GRATUITAS.pdf >. Acesso em: 09 mar 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Após a realização da atividade da Ação Propositiva, utilize o momento da Sistematização para perguntar à turma sobre a experiência de realizar a atividade inspirada na metodologia “aprendizagem por pares”.

Utilize os primeiros minutos desta etapa para compartilhar ideias e retomar as discussões feitas nas etapas anteriores. Para tanto, reflita sobre os principais pontos destacados por cada texto, relacionando-os aos objetivos da aula.

Na sequência, sugira que as duplas troquem as folhas de sulfites com suas produções.

Nesse caso, os alunos podem conhecer pontos de vistas diferentes discutidos pelas outras duplas. Para tanto, peça para que eles leiam e apresentem para a turma pontos positivos discutidos pelos colegas, encontrando semelhanças e diferenças elaboradas pela própria dupla.

Essa discussão final pode servir de motivação para o desenvolvimento das suas próximas aulas, ajudando a turma a desenvolver a temática proposta. Com isso, você pode dar sequência e aprofundar esse plano, pesquisando outros textos, dados e recursos visuais (como mapas e gráficos) que evidenciem a importância do Aquífero Guarani no contexto do Mercosul.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE22 de Geografia, que consta na BNCC.

Esta habilidade diz respeito à identificação dos principais recursos naturais dos países da América Latina, analisando seu uso para a produção de matéria-prima e energia e sua relevância para a cooperação entre os países do Mercosul. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

· Cópia do mapa Aquífero Guarani, para cada aluno;

· Cópia do trecho do artigo Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional, para cada aluno;

· Cópia das Atividades da Ação Propositiva para cada dupla;

· Cópia do texto Acordo sobre o Aquífero Guarani, para o Aluno 1 da dupla;

· Cópia do texto Aquífero Guarani: atuação do Brasil na negociação do acordo, para o aluno 2 da dupla;

· Folhas de sulfite, borracha, lápis preto e caneta;

· Equipamento multimídia para reprodução dos slides.

Material complementar:

Trecho do artigo Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional, disponível no arquivo

GEO8_22UND05 - Artigo: Aquífero Guarani: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SBF2UwKMmZZhGMvVsKkpvKJayxVarf6RsGaYpr6jgXFmDWzK8FCVRwbWKcha/geo8-22und05-artigo-aquifero-guarani.pdf

Atividades da Ação Propositiva, disponível no arquivo GEO8_22UND05 - Atividades da Ação Propositiva:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/vbWSueqFKX9AN3RZYBGCDxQRerZGXGQHHp7BpE5xkPp9xuA83hE5ZKdA5ZCq/geo8-22und05-atividades-da-acao-propositiva.pdf

Texto Acordo sobre o Aquífero Guarani, para o Aluno 1 da dupla, disponível no arquivo GEO8_22UND05_Texto Aluno 1:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/tGzkgfnQSN4bBR8ZQ7VutnX2UG52ERKWgr7dragjaV427X5F6rdyGXZqwKmt/geo8-22und05-texto-aluno-1.pdf

Texto Aquífero Guarani: atuação do Brasil na negociação do acordo, para o Aluno 2 da dupla, disponível no arquivo GEO8_22UND05_Texto Aluno 2: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2bXYfeUmPzNTawnPCtYfT3kh2JkfZdSKQtNbgKjGNWR2qwU4JAwFPeYGaSNJ/geo8-22und05-texto-aluno-2.pdf

Link para os mapas:

Mapa Aquífero Guarani, disponível em GEO8_22UND05 - Mapa Aquífero Guarani:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3MTaDgghTyXUCrvRHJ5kh4hGBbvjsxsUMSB8hzQrgw3WJQ9c6Kf5k9jTr5eq/geo8-22und05-mapa-aquifero-guarani.pdf

Para você saber mais:

Acordo sobre o Aquífero Guarani. San Juan - Argentina, 2010. Disponível em: <https://www.internationalwaterlaw.org/documents/regionaldocs/Guarani_Aquifer_Agreement-Portuguese.pdf >. Acesso em 09 mar 2019.

GERENT, Juliana; GONÇALVES, Alcindo. Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional. Revista de Direito Ambiental, vol.83, set/2016. Disponível em: <http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/RDAmb_n.83.12.PDF >. Acesso em 10 mar 2019.

O que é um aquífero? O ECO. Disponível em: <https://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/28001-o-que-e-um-aquifero/ >. Acesso em 09 mar 2019.

SANTOS, Cinthia Leone dos. Aquífero Guarani: atuação do Brasil na negociação do acordo. SANTOS, 2015. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) - Instituto de Energia e Ambiente, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/106/106132/tde-12042016-111915/pt-br.php >. Acesso em 09 mar 2019.

Senado aprova o acordo sobre o Sistema Aquífero Guarani. Senado notícias, 02/05/2017. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/05/02/senado-aprova-acordo-sobre-o-sistema-aquifero-guarani >. Acesso em 09 mar 2019.

Para conhecer a metodologia Peer to Peer, apresentado na Ação Propositiva desta aula, leia o artigo:

LORENZONI, Marcela. Peer to Peer: 5 passos para aprendizagem por pares. Disponível em: <http://info.geekie.com.br/peer-to-peer/ >. Acesso em 09 mar 2019.

Contextos prévios: Aquíferos e Mercosul.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Comente com os alunos que nesta aula eles irão conhecer a importância das reservas de águas subterrâneas do Aquífero Guarani e discutir, em dupla, o acordo de proteção e conservação assinados pelos países membros do Mercosul.

Para você saber mais:

Aquíferos são formações geológicas subterrâneas capazes de reter, filtrar e armazenar água. São formados em rochas fraturadas ou porosas e permeáveis que permitem a retenção de água da superfície, como a água das chuvas que infiltram no subsolo. Pela condição de permeabilidade, grandes volumes de água subterrânea conseguem se movimentar pelo subsolo.

Os aquíferos servem de área de recarga e abastecem os rios e outros mananciais e podem ser usados para o consumo da sociedade. Em um contexto de escassez dos recursos hídricos superficiais, a captação e o aproveitamento das águas subterrâneas são alternativas viáveis para o abastecimento da população.

A contaminação do subsolo é um dos principais riscos ao aproveitamento das águas dos aquíferos. Estudos apontam que o Brasil abriga dois dos três maiores aquíferos do mundo em volume de água, o Aquífero Guarani e o Alter do Chão (o maior aquífero do mundo, com cerca de 437 mil km2 de área e 90 mil km3 de volume de água/ano; esse aquífero está localizado totalmente em território nacional, na região Norte). O segundo maior aquífero do mundo em volume de água, conhecido por Grande Bacia Artesiana, está localizado na Austrália (com 1,7 milhão km2 de área e cerca de 65 mil km3 de volume de água/ano).

O Mercosul é um bloco econômico formado em 1991, com a assinatura do Tratado de Assunção. Na época, pretendia-se a constituição de uma política comum que integrasse as economias dos quatro Estados signatários: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. O Mercosul é considerado uma união aduaneira, isto é, o bloco permite a livre circulação de pessoas, serviços e mercados entre os Estados-membros. Nessa constituição de bloco, os países também estabelecem tarifas alfandegárias comuns, a fim de unificar os impostos das mercadorias provenientes de países que não pertencem ao bloco. Em 2012, o bloco sofreu sua primeira alteração com a adesão oficial da Venezuela e a suspensão temporária do Paraguai. Atualmente, a Bolívia está em processo de adesão, enquanto a Venezuela encontra-se suspensa todos os direitos e obrigações enquanto Estado-membro do bloco, desde 2016.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações: Inicie a aula perguntando a turma se eles sabem o que é um aquífero e se já ouviram falar no Aquífero Guarani. Se necessário, anote os comentários no quadro.

A partir dessas respostas, apresente o slide com o mapa Aquífero Guarani e faça a interpretação conjunta das informações contidas na representação. Nesse momento, espera-se que a turma perceba que o Aquífero Guarani abriga águas subterrâneas nos territórios de Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. Nesse contexto, os alunos também devem notar que a maior parte do volume desse aquífero encontra-se em território brasileiro, nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Comente com os alunos que o Brasil abriga cerca de 70% das reservas do aquífero, enquanto a Argentina detém cerca de 20%, e Paraguai e Uruguai ficam com cerca de 5% cada um.

Caso julgue necessário, retome o conceito de aquífero e explique a importância da preservação das águas subterrâneas em um contexto de escassez e crises hídricas vividas em muitos países, sobretudo, nas grandes cidades. Para tanto, você pode utilizar as informações apresentadas no tópico “Para você saber mais”.

O mapa Aquifero Guarani está disponível em:

Aquífero Guarani. Wikimedia commons. Disponível em: <https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Aq%C3%BC%C3%ADfero_Guarani.png>. Acesso em: 09 mar 2019.

Se desejar, você pode imprimir uma cópia do mapa para os alunos. O arquivo para impressão está disponível em Mapa Aquífero Guarani:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3MTaDgghTyXUCrvRHJ5kh4hGBbvjsxsUMSB8hzQrgw3WJQ9c6Kf5k9jTr5eq/geo8-22und05-mapa-aquifero-guarani.pdf

A partir dessa discussão, comente que, o Aquífero Guarani possui uma área de cerca de 1,2 milhão de km2 e uma reserva de água estimada em 45 mil km3 por ano. Por essas dimensões, o Aquífero Guarani é considerado o segundo maior aquífero do mundo em área e o terceiro maior em volume de armazenamento.

O aquífero está localizado na maior concentração urbano-industrial e agrícola da América do Sul. Em razão disso, comente que parte das reservas subterrâneas já estão contaminadas.

A região do município de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, é uma das principais áreas dos limites do aquífero que faz uso exclusivo das águas subterrâneas para abastecimento da população.

Comente com os alunos que esses dados, por si só, já seriam relevantes para se dimensionar a importância do aquífero para a região, no entanto, outro fator o torna ainda mais importante: trata-se da maior reserva de água subterrânea transfronteiriça do mundo, isto é, seus limites ultrapassam as fronteiras territoriais de um país. Em razão disso, para além da importância hidrológica, o estudo do Aquífero Guarani deve ser considerado enquanto uma questão de política internacional, uma vez que a gestão e a preservação dos recursos devem ser compartilhadas entre os países que detém as reservas, sendo, portanto, uma tarefa extremamente desafiadora.

Para você saber mais:

Aquíferos são formações geológicas subterrâneas capazes de reter, filtrar e armazenar água.

São formados em rochas fraturadas ou porosas e permeáveis que permitem a retenção e de água da superfície, como a água das chuvas que infiltram no subsolo. Pela condição de permeabilidade, grandes volumes de água subterrânea conseguem se movimentar pelo subsolo.

Os aquíferos servem de área de recarga e abastecem os rios e outros mananciais e podem ser usados para o consumo da sociedade. Em um contexto de escassez dos recursos hídricos superficiais, a captação e o aproveitamento das águas subterrâneas são alternativas viáveis para o abastecimento da população.

A contaminação do subsolo é um dos principais riscos ao aproveitamento das águas dos aquíferos. Estudos apontam que o Brasil abriga dois dos três maiores aquíferos do mundo em volume de água, o Aquífero Guarani e o Alter do Chão (o maior aquífero do mundo, com cerca de 437 mil km2 de área e 90 mil km3 de volume de água/ano; esse aquífero está localizado totalmente em território nacional, na região Norte).

O segundo maior aquífero do mundo em volume de água, conhecido por Grande Bacia Artesiana, está localizado na Austrália (com 1,7 milhão km2 de área e cerca de 65 mil km3 de volume de água/ano).

O Aquífero Guarani recebe esse nome em homenagem aos povos que tradicionalmente habitavam a região. As dimensões e a complexidade da estrutura hidráulica e geológica do aquífero, enquanto um sistema único, foram divulgadas em estudos publicados em 1996. Em 1995, estudos preliminares sobre as águas subterrâneas na região, o batizaram de “Aquífero Gigante do Mercosul”.

Quando descoberto, o sistema era visto como o maior reservatório de água subterrânea do mundo; hoje, sabe-se que seu grande potencial de armazenamento varia de acordo com a profundidade e as características estruturais do solo e das rochas que armazenam as águas subterrâneas, que podem tornar onerosas a perfuração e a extração do recurso.

Entre os anos de 2002 e 2009, antes da assinatura do Acordo sobre o Aquífero Guarani, firmado em 2010, os quatro países da área de abrangência participaram do Projeto de Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável do Sistema Aquífero Guarani. A Síntese Hidrogeológica do Sistema Aquífero Guarani, que faz parte do estudo, pode ser consultada em: <http://www.mma.gov.br/publicacoes/agua/category/42-recursos-hidricos.html>. Acesso em 09 mar 2019.

Argentina e Uruguai ratificaram o Acordo sobre o Aquífero Guarani em 2012, o Brasil em 2017, enquanto o Paraguai ainda não o aprovou, em retaliação à sua suspensão do Mercosul, sofrida em 2012.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações: Após contextualizar os alunos sobre o Aquífero Guarani, inicie a etapa da Problematização apresentando a pergunta:

  • Qual a relação existente entre o aquífero e o Mercosul?

Nesse momento, espera-se que eles percebam que os países que abrigam o aquífero em seus subsolos são os mesmos que, inicialmente, assinaram o Tratado de Assunção, em 1991: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Na sequência, apresente o slide com o trecho do artigo:

GERENT, Juliana; GONÇALVES, Alcindo. Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional. Revista de Direito Ambiental, vol.83, set/2016. Disponível em: <http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/RDAmb_n.83.12.PDF>. Acesso em 10 mar 2019.

Se preferir, você pode imprimir ou copiar o trecho do artigo, que está disponível no arquivo

GEO8_22UND05 - Artigo: Aquífero Guarani: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SBF2UwKMmZZhGMvVsKkpvKJayxVarf6RsGaYpr6jgXFmDWzK8FCVRwbWKcha/geo8-22und05-artigo-aquifero-guarani.pdf

Após a leitura, pergunte aos alunos sobre qual a importância dos países que integram o sistema Aquífero Guarani administrarem e preservarem as águas subterrâneas de forma compartilhada. A partir da discussão do trecho proposto, espera-se que os alunos comentem que a perfuração de poços, a contaminação do subsolo e o uso excessivo e/ou inadequado podem trazer danos, sobretudo nas áreas fronteiriças. Desta forma, a gestão compartilhada e o uso sustentável do recurso devem ser pensados a fim de se evitar conflitos de interesses e de modo a reduzir os prejuízos aos países em questão. Isto é, para além da preservação de um recurso natural, qualquer contaminação ou exploração excessiva do aquífero podem rebater em interesses de quatros nações.

Por fim, retome com os alunos que, apesar dos problemas ambientais analisados até o momento terem, em sua maioria, abrangência local, a gestão do aquífero deve ser compartilhada, pois trata-se de um sistema subterrâneo interdependente, apesar de possuir variações nas características dos solos, rochas e na dinâmica da água.

Para você saber mais:

O Mercosul é um bloco econômico formado em 1991, com a assinatura do Tratado de Assunção. Na época, pretendia-se a constituição de uma política comum que integrasse as economias dos quatro Estados signatários: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. O Mercosul é considerado uma união aduaneira, isto é, o bloco permite a livre circulação de pessoas, serviços e mercados entre os Estados-membros. Nessa constituição de bloco, os países também estabelecem tarifas alfandegárias comuns, a fim de unificar os impostos das mercadorias provenientes de países que não pertencem ao bloco.

Em 2012, o bloco sofreu sua primeira alteração com a adesão oficial da Venezuela e a suspensão temporária do Paraguai. Atualmente, a Bolívia está em processo de adesão, enquanto a Venezuela encontra-se suspensa todos os direitos e obrigações enquanto Estado-membro do bloco, desde 2016.

Slide Plano Aula

Orientações: Após contextualizar os alunos sobre o Aquífero Guarani, inicie a etapa da Problematização apresentando a pergunta:

  • Qual a relação existente entre o aquífero e o Mercosul?

Nesse momento, espera-se que eles percebam que os países que abrigam o aquífero em seus subsolos são os mesmos que, inicialmente, assinaram o Tratado de Assunção, em 1991: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Na sequência, apresente o slide com o trecho do artigo:

GERENT, Juliana; GONÇALVES, Alcindo. Acordo sobre o aquífero guarani: proposta de um regime jurídico regional. Revista de Direito Ambiental, vol.83, set/2016. Disponível em: <http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/bibli_boletim/bibli_bol_2006/RDAmb_n.83.12.PDF>. Acesso em 10 mar 2019.

Se preferir, você pode imprimir ou copiar o trecho do artigo, que está disponível no arquivo

GEO8_22UND05 - Artigo: Aquífero Guarani: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SBF2UwKMmZZhGMvVsKkpvKJayxVarf6RsGaYpr6jgXFmDWzK8FCVRwbWKcha/geo8-22und05-artigo-aquifero-guarani.pdf

Após a leitura, pergunte aos alunos sobre qual a importância dos países que integram o sistema Aquífero Guarani administrarem e preservarem as águas subterrâneas de forma compartilhada. A partir da discussão do trecho proposto, espera-se que os alunos comentem que a perfuração de poços, a contaminação do subsolo e o uso excessivo e/ou inadequado podem trazer danos, sobretudo nas áreas fronteiriças. Desta forma, a gestão compartilhada e o uso sustentável do recurso devem ser pensados a fim de se evitar conflitos de interesses e de modo a reduzir os prejuízos aos países em questão. Isto é, para além da preservação de um recurso natural, qualquer contaminação ou exploração excessiva do aquífero podem rebater em interesses de quatros nações.

Por fim, retome com os alunos que, apesar dos problemas ambientais analisados até o momento terem, em sua maioria, abrangência local, a gestão do aquífero deve ser compartilhada, pois trata-se de um sistema subterrâneo interdependente, apesar de possuir variações nas características dos solos, rochas e na dinâmica da água.

Para você saber mais:

O Mercosul é um bloco econômico formado em 1991, com a assinatura do Tratado de Assunção. Na época, pretendia-se a constituição de uma política comum que integrasse as economias dos quatro Estados signatários: Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. O Mercosul é considerado uma união aduaneira, isto é, o bloco permite a livre circulação de pessoas, serviços e mercados entre os Estados-membros. Nessa constituição de bloco, os países também estabelecem tarifas alfandegárias comuns, a fim de unificar os impostos das mercadorias provenientes de países que não pertencem ao bloco.

Em 2012, o bloco sofreu sua primeira alteração com a adesão oficial da Venezuela e a suspensão temporária do Paraguai. Atualmente, a Bolívia está em processo de adesão, enquanto a Venezuela encontra-se suspensa todos os direitos e obrigações enquanto Estado-membro do bloco, desde 2016.

Slide Plano Aula

Tempo Sugerido: 27 minutos

Orientações: Para iniciar a Ação Propositiva, organize a turma em duplas e explique que, nesta etapa, eles irão realizar uma atividade inspirada na metodologia Peer to Peer ou Peer Instruction (no Brasil, conhecida por “aprendizagem por pares”).

A atividade consiste na leitura de um texto diferente por cada integrante da dupla, de modo que eles discutam e associem informações distintas, compartilhem conhecimento e possam trabalhar de forma colaborativa, um ensinando ao outro aquilo que compreendeu do texto que leu.

Para tanto, agrupe as duplas de forma intencional, organizando alunos com habilidades e conhecimentos que possam ser complementares. Se possível, direcione quais textos cada integrante da dupla vai ler, de acordo com os interesses e habilidades de cada um, de modo que a interação e a comunicação sejam favorecidas. Ao final, eles devem compartilhar as informações, tomar decisões conjuntas e chegar a um resultado construído colaborativamente.

Por isso, a escolha das duplas é fundamental para a dinâmica da atividade, uma vez que todos devem se sentir confortáveis para compartilhar ideias, se expressar e apresentar seus pontos de vista acerca do texto lido.

Com as duplas organizadas, apresente as orientações e explique a dinâmica da atividade. Você pode apresentar as informações no slide, escrever no quadro ou imprimi-las.

As orientações para essa etapa da aula estão disponíveis no arquivo

GEO8_22UND05 - Atividades da Ação Propositiva https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/vbWSueqFKX9AN3RZYBGCDxQRerZGXGQHHp7BpE5xkPp9xuA83hE5ZKdA5ZCq/geo8-22und05-atividades-da-acao-propositiva.pdf

Na sequência, entregue os textos 1 e 2 para as duplas.

O texto do aluno 1 contém trechos do Acordo sobre o Aquífero Guarani: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/tGzkgfnQSN4bBR8ZQ7VutnX2UG52ERKWgr7dragjaV427X5F6rdyGXZqwKmt/geo8-22und05-texto-aluno-1.pdf

O texto do aluno 2 contém trechos da dissertação de Mestrado Aquífero Guarani: atuação do Brasil na negociação do acordo,

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2bXYfeUmPzNTawnPCtYfT3kh2JkfZdSKQtNbgKjGNWR2qwU4JAwFPeYGaSNJ/geo8-22und05-texto-aluno-2.pdf

Para iniciar atividade, estipule um tempo para que cada integrante leia seu texto. Se necessário, peça para que eles anotem as informações que considerarem relevantes nos cadernos.

Terminado o tempo de leitura, chegou o momento de compartilhar as informações. Nesse momento, os dois alunos devem interagir e explicar as ideias principais de seu texto para o colega.

Na sequência, entregue uma folha de sulfite para cada dupla e sugira que eles elaborem uma pequena reflexão que contenha ao menos 2 elementos de cada texto lido. É por esse motivo que a interação e o compartilhamento de ideias é importante entre as duplas, uma vez que eles deverão decidir em conjunto sobre aquilo que é mais relevante em cada um dos textos. Nessa atividade, é importante que os alunos trabalhem apenas com aquilo que foi apontado pelo colega. Nesse contexto, já que um aluno não vai ler o texto do outro integrante da dupla, eles se tornam responsáveis diretos pela aprendizagem do colega.

Durante a atividade, circule pela sala e observe se as duplas estão trabalhando de forma colaborativa e se todos os alunos estão expondo suas ideias. Tire dúvidas e retome as reflexões feitas nas etapas anteriores, caso os alunos tenham dúvidas sobre os textos e temáticas discutidas durante a Contextualização e a Problematização. Ao final da atividade, sugira que a turma faça uma síntese da discussão, na etapa da Sistematização.

Para você saber mais:

Essa atividade foi inspirada na metodologia ativa Peer to Peer ou Peer Instruction, que foi criada na década de 1990, por Eric Mazur, professor de Física em Harvard. Além do artigo Peer to Peer: 5 passos para aprendizagem por pares, já indicado no início do plano, você pode aprofundar seus estudos com a leitura do artigo:

MESSAGE, Carla Plantier, et. al. Peer Instruction: metodologia ativa de ensino e aprendizagem e suas ferramentas de interatividade gratuitas. Colloquium Humanarum, vol. 14, n. Especial, Jul–Dez, 2017, p. 644-650. Disponível em: <http://www.unoeste.br/site/enepe/2017/suplementos/area/Humanarum/4%20%20Educa%C3%A7%C3%A3o/PEER%20INSTRUCTION%20METODOLOGIA%20ATIVA%20DE%20ENSINO%20E%20APRENDIZAGEM%20E%20SUAS%20FERRAMENTAS%20DE%20INTERATIVIDADE%20GRATUITAS.pdf >. Acesso em: 09 mar 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Após a realização da atividade da Ação Propositiva, utilize o momento da Sistematização para perguntar à turma sobre a experiência de realizar a atividade inspirada na metodologia “aprendizagem por pares”.

Utilize os primeiros minutos desta etapa para compartilhar ideias e retomar as discussões feitas nas etapas anteriores. Para tanto, reflita sobre os principais pontos destacados por cada texto, relacionando-os aos objetivos da aula.

Na sequência, sugira que as duplas troquem as folhas de sulfites com suas produções.

Nesse caso, os alunos podem conhecer pontos de vistas diferentes discutidos pelas outras duplas. Para tanto, peça para que eles leiam e apresentem para a turma pontos positivos discutidos pelos colegas, encontrando semelhanças e diferenças elaboradas pela própria dupla.

Essa discussão final pode servir de motivação para o desenvolvimento das suas próximas aulas, ajudando a turma a desenvolver a temática proposta. Com isso, você pode dar sequência e aprofundar esse plano, pesquisando outros textos, dados e recursos visuais (como mapas e gráficos) que evidenciem a importância do Aquífero Guarani no contexto do Mercosul.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Natureza, ambientes e qualidade de vida do 8º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08GE22 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano