16366
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 8º ano > O Brasil no século XIX

Plano de aula - Quilombos no Brasil: Histórias de resistências através do tempo

Plano de aula de História com atividades para 8º ano do EF sobre Quilombos no Brasil: Histórias de resistências através do tempo

Plano 01 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Julia Bittencourt Barbosa Correa

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI19 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

  • Significado de Quilombo pelo dicionário de língua portuguesa Aurélio impresso, para colar no caderno de cada aluno. (Imprimir quantidade suficiente para cada aluno da turma)
  • Coletânea de imagem e texto 1 e 2 impressas, para serem distribuídas para cada quarteto. (Imprimir quantidade suficiente para cada quarteto da turma)

Material complementar:

Para você saber mais:

Para aprofundar a discussão sobre o conceito de Quilombos, é sugerida a leitura da declaração do CONAQ - Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas, disponível em: http://conaq.org.br/nossa-historia/. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Também é recomendada a leitura do artigo de Carlos Eduardo Marques, de Quilombos a Quilombolas, disponível em: http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/27338. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Apresente o tema para os alunos escrevendo no quadro ou realizando a leitura para a turma. Faça a projeção do slide se assim for possível em sua escola.

Faça a leitura coletiva para a sala, de maneira que todos os alunos entendam a proposta a ser desenvolvida. Pergunte aos alunos se há dúvidas quanto ao objetivo da aula.

Para você saber mais: Para aprofundar a discussão sobre o conceito de Quilombos, sugere-se a leitura da declaração do CONAQ - Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas, disponível em: http://conaq.org.br/nossa-historia/.

Também é recomendada a leitura do artigo de Carlos Eduardo Marques, de Quilombos a Quilombolas, disponível em: http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/27338. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Nessa etapa é o momento de introduzir a discussão que será desenvolvida durante a aula. O contexto deve ser a chave para que os alunos entendam o assunto a ser trabalhado e a forma como isso será feito.

  • Para contextualizar os alunos sobre a discussão proposta para essa aula, distribua para os alunos um xerox com o significado de Quilombos segundo o dicionário de Língua Portuguesa Aurélio e oriente-os a colar a folha em seu caderno. Se não for possível realizar a impressão e a distribuição do xerox, escreva o significado no quadro e peça para que os alunos copiem nos cadernos.
  • Após essa parte, leia o significado ou oriente que algum aluno que queira leia o que está escrito no material que foi distribuído para a sala e estimular que os alunos reflitam sobre a leitura realizada. Para auxiliar os alunos, escreva no quadro os questionamentos presentes nesse slide, ou utilize um projetor, se assim for possível. Oriente que os alunos copiem o conteúdo também em seus cadernos.
  • A ideia dessa etapa da aula é que os alunos pensem sobre como os significados atribuídos à palavras, coisas e situações ao longo da História influenciam na construção da memória que temos delas. Estimule os alunos a pensarem sobre quem cria esses significados e quais interesses existem por trás dessas definições.

Como adequar à sua realidade:

Se viver em alguma região em que haja comunidades remanescentes de Quilombos ou estiver em uma delas, utilize sua comunidade como exemplo para a contextualização da aula.

Para você saber mais:

Caso julgue necessário, assista a reportagem realizada pela TVE, “Quilombos Urbanos” , para aprofundar seus conhecimentos sobre a realidade das comunidades quilombolas dentro das cidades. Se for realizar uma continuação da sequência didática proposta para essa aula, e sua escola dispor da infraestrutura necessária, exiba a reportagem para o alunos.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações:

  • Nessa etapa, divida a sala de aula em quartetos e distribua aos alunos/as as coletâneas I e II (imagem mais o texto) impressas.
  • Oriente os quartetos a realizarem a leitura e análise das imagens das coletâneas, chamando atenção para as semelhanças e também diferenças que venham a encontrar nesses documentos. A ideia da atividade é que os alunos façam o “papel do historiador”, assim auxilie os alunos na leitura das fontes, estimulando questionamentos como : Segundo as fontes, o que são Quilombos? O que significa resistência? Quais formas de resistência podem ser cotidianas? Existe resistência no quadro de Debret? E na foto? Qual a função do Quilombo além de abrigar os negros fugidos? Como os quilombos desafiam a lógica do sistema escravista e racista? Qual a função de um Quilombo nos dias de hoje? O que seria um Quilombo urbano?
  • Se achar necessário, ande pela sala, propondo essas questões em voz alta, para que os grupos reflitam sobre as fontes. Passe de grupo em grupo, perguntando se há dúvidas e ajude os alunos na realização da atividade. Eles devem entender a função e o sentido de “Quilombo” como comunidades de resistência não só física, mas também política e social, tanto durante o período escravista, quanto nos dias de hoje, nos campos e também nas cidades.
  • É também importante destacar o papel de preservação da memória e identidade do povo negro que essas comunidades cumprem, assim como aprofundar o sentido de AQUILOMBAR-SE, cujo o significado é acolher-se. Todas essas conclusões devem ser feitas de maneira conjunta, com o aluno identificando os significados que as fontes buscam trazer para o assunto tratado.
  • Garanta que os alunos sejam os protagonistas das reflexões da aula.

Para você saber mais: Professor, caso ache necessário aprofundar seus conhecimentos, aqui estão algumas leituras:

Johann Moritz Rugendas- Jogar Capoeira ou Danse de Guerre. 1835 Disponível em: http://bdlb.bn.gov.br/acervo/handle/123456789/16773. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Nessa etapa, divida a sala de aula em quartetos e distribua aos alunos/as as coletâneas I e II (imagem mais o texto) impressas.
  • Oriente os quartetos a realizarem a leitura e análise das imagens das coletâneas, chamando atenção para as semelhanças e também diferenças que venham a encontrar nesses documentos. A ideia da atividade é que os alunos façam o “papel do historiador”, assim auxilie os alunos na leitura das fontes, estimulando questionamentos como : Segundo as fontes, o que são Quilombos? O que significa resistência? Quais formas de resistência podem ser cotidianas? Existe resistência no quadro de Debret? E na foto? Qual a função do Quilombo além de abrigar os negros fugidos? Como os quilombos desafiam a lógica do sistema escravista e racista? Qual a função de um Quilombo nos dias de hoje? O que seria um Quilombo urbano?
  • Se achar necessário, ande pela sala, propondo essas questões em voz alta, para que os grupos reflitam sobre as fontes. Passe de grupo em grupo, perguntando se há dúvidas e ajude os alunos na realização da atividade. Eles devem entender a função e o sentido de “Quilombo” como comunidades de resistência não só física, mas também política e social, tanto durante o período escravista, quanto nos dias de hoje, nos campos e também nas cidades.
  • É também importante destacar o papel de preservação da memória e identidade do povo negro que essas comunidades cumprem, assim como aprofundar o sentido de AQUILOMBAR-SE, cujo o significado é acolher-se. Todas essas conclusões devem ser feitas de maneira conjunta, com o aluno identificando os significados que as fontes buscam trazer para o assunto tratado.
  • Garanta que os alunos sejam os protagonistas das reflexões da aula.

Para você saber mais: Professor, caso ache necessário aprofundar seus conhecimentos, aqui estão algumas leituras:

Johann Moritz Rugendas- Jogar Capoeira ou Danse de Guerre. 1835 Disponível em: http://bdlb.bn.gov.br/acervo/handle/123456789/16773. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Nessa etapa, divida a sala de aula em quartetos e distribua aos alunos/as as coletâneas I e II (imagem mais o texto) impressas.
  • Oriente os quartetos a realizarem a leitura e análise das imagens das coletâneas, chamando atenção para as semelhanças e também diferenças que venham a encontrar nesses documentos. A ideia da atividade é que os alunos façam o “papel do historiador”, assim auxilie os alunos na leitura das fontes, estimulando questionamentos como : Segundo as fontes, o que são Quilombos? O que significa resistência? Quais formas de resistência podem ser cotidianas? Existe resistência no quadro de Debret? E na foto? Qual a função do Quilombo além de abrigar os negros fugidos? Como os quilombos desafiam a lógica do sistema escravista e racista? Qual a função de um Quilombo nos dias de hoje? O que seria um Quilombo urbano?
  • Se achar necessário, ande pela sala, propondo essas questões em voz alta, para que os grupos reflitam sobre as fontes. Passe de grupo em grupo, perguntando se há dúvidas e ajude os alunos na realização da atividade. Eles devem entender a função e o sentido de “Quilombo” como comunidades de resistência não só física, mas também política e social, tanto durante o período escravista, quanto nos dias de hoje, nos campos e também nas cidades.
  • É também importante destacar o papel de preservação da memória e identidade do povo negro que essas comunidades cumprem, assim como aprofundar o sentido de AQUILOMBAR-SE, cujo o significado é acolher-se. Todas essas conclusões devem ser feitas de maneira conjunta, com o aluno identificando os significados que as fontes buscam trazer para o assunto tratado.
  • Garanta que os alunos sejam os protagonistas das reflexões da aula.

Para você saber mais: Professor, caso ache necessário aprofundar seus conhecimentos, aqui estão algumas leituras:

Johann Moritz Rugendas- Jogar Capoeira ou Danse de Guerre. 1835 Disponível em: http://bdlb.bn.gov.br/acervo/handle/123456789/16773. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

  • Nessa etapa os alunos irão realizar uma atividade que se propõe a sistematizar os conhecimentos que foram adquiridos durante a aula. Sendo assim, após analisar as imagens e textos, ainda nos mesmos quartetos, os alunos devem voltar à ideia de criação de significados e memória na História, que foi explorada na contextualização da aula. Como forma de sintetizar as reflexões que chegaram por meio da análise das fontes e da discussão entre eles, os alunos terão que ressignificar o que são Quilombos, criando duas definições por quarteto.
  • Cada grupo deverá criar duas definições da palavra, livremente, no modelo que está explícito no slide.
  • A atividade pode ser feita no próprio caderno do aluno e para facilitar o entendimento do formato, copie no quadro o conteúdo desse slide ou projete-o se assim for possível.
  • Oriente-se a partir da sugestão de respostas disponíveis no documento: HIS08_19UND Exemplos de significados para Quilombos, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rweqPQT2pSJyf7T2H5ZpvSfepn5gWx46EgBkn8a6EhGSzbGAbYdDTNWDqU3d/his08-19und01-exemplos-de-significados-para-quilombos.pdf. Copie os exemplos no quadro para que os alunos possam utilizar como referência para a realização da atividade.
  • Durante a realização da atividade, indique aos alunos possíveis caminhos para a reflexão, falando sobre a importância de pensar em Quilombos como espaços de resistência em um sentido amplo, e também abordando a questão da territorialidade, pensando na luta das comunidades quilombolas para se manterem nesses espaços. Procure deixar claro para os alunos a diferença entre os quilombos do pré e pós abolição, que foram abordadas durante a problematização.
  • Ao final, os alunos deverão ler os significados criados, compartilhando com o restante da sala.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI19 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

  • Significado de Quilombo pelo dicionário de língua portuguesa Aurélio impresso, para colar no caderno de cada aluno. (Imprimir quantidade suficiente para cada aluno da turma)
  • Coletânea de imagem e texto 1 e 2 impressas, para serem distribuídas para cada quarteto. (Imprimir quantidade suficiente para cada quarteto da turma)

Material complementar:

Para você saber mais:

Para aprofundar a discussão sobre o conceito de Quilombos, é sugerida a leitura da declaração do CONAQ - Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas, disponível em: http://conaq.org.br/nossa-historia/. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Também é recomendada a leitura do artigo de Carlos Eduardo Marques, de Quilombos a Quilombolas, disponível em: http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/27338. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Apresente o tema para os alunos escrevendo no quadro ou realizando a leitura para a turma. Faça a projeção do slide se assim for possível em sua escola.

Faça a leitura coletiva para a sala, de maneira que todos os alunos entendam a proposta a ser desenvolvida. Pergunte aos alunos se há dúvidas quanto ao objetivo da aula.

Para você saber mais: Para aprofundar a discussão sobre o conceito de Quilombos, sugere-se a leitura da declaração do CONAQ - Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas, disponível em: http://conaq.org.br/nossa-historia/.

Também é recomendada a leitura do artigo de Carlos Eduardo Marques, de Quilombos a Quilombolas, disponível em: http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/27338. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Nessa etapa é o momento de introduzir a discussão que será desenvolvida durante a aula. O contexto deve ser a chave para que os alunos entendam o assunto a ser trabalhado e a forma como isso será feito.

  • Para contextualizar os alunos sobre a discussão proposta para essa aula, distribua para os alunos um xerox com o significado de Quilombos segundo o dicionário de Língua Portuguesa Aurélio e oriente-os a colar a folha em seu caderno. Se não for possível realizar a impressão e a distribuição do xerox, escreva o significado no quadro e peça para que os alunos copiem nos cadernos.
  • Após essa parte, leia o significado ou oriente que algum aluno que queira leia o que está escrito no material que foi distribuído para a sala e estimular que os alunos reflitam sobre a leitura realizada. Para auxiliar os alunos, escreva no quadro os questionamentos presentes nesse slide, ou utilize um projetor, se assim for possível. Oriente que os alunos copiem o conteúdo também em seus cadernos.
  • A ideia dessa etapa da aula é que os alunos pensem sobre como os significados atribuídos à palavras, coisas e situações ao longo da História influenciam na construção da memória que temos delas. Estimule os alunos a pensarem sobre quem cria esses significados e quais interesses existem por trás dessas definições.

Como adequar à sua realidade:

Se viver em alguma região em que haja comunidades remanescentes de Quilombos ou estiver em uma delas, utilize sua comunidade como exemplo para a contextualização da aula.

Para você saber mais:

Caso julgue necessário, assista a reportagem realizada pela TVE, “Quilombos Urbanos” , para aprofundar seus conhecimentos sobre a realidade das comunidades quilombolas dentro das cidades. Se for realizar uma continuação da sequência didática proposta para essa aula, e sua escola dispor da infraestrutura necessária, exiba a reportagem para o alunos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações:

  • Nessa etapa, divida a sala de aula em quartetos e distribua aos alunos/as as coletâneas I e II (imagem mais o texto) impressas.
  • Oriente os quartetos a realizarem a leitura e análise das imagens das coletâneas, chamando atenção para as semelhanças e também diferenças que venham a encontrar nesses documentos. A ideia da atividade é que os alunos façam o “papel do historiador”, assim auxilie os alunos na leitura das fontes, estimulando questionamentos como : Segundo as fontes, o que são Quilombos? O que significa resistência? Quais formas de resistência podem ser cotidianas? Existe resistência no quadro de Debret? E na foto? Qual a função do Quilombo além de abrigar os negros fugidos? Como os quilombos desafiam a lógica do sistema escravista e racista? Qual a função de um Quilombo nos dias de hoje? O que seria um Quilombo urbano?
  • Se achar necessário, ande pela sala, propondo essas questões em voz alta, para que os grupos reflitam sobre as fontes. Passe de grupo em grupo, perguntando se há dúvidas e ajude os alunos na realização da atividade. Eles devem entender a função e o sentido de “Quilombo” como comunidades de resistência não só física, mas também política e social, tanto durante o período escravista, quanto nos dias de hoje, nos campos e também nas cidades.
  • É também importante destacar o papel de preservação da memória e identidade do povo negro que essas comunidades cumprem, assim como aprofundar o sentido de AQUILOMBAR-SE, cujo o significado é acolher-se. Todas essas conclusões devem ser feitas de maneira conjunta, com o aluno identificando os significados que as fontes buscam trazer para o assunto tratado.
  • Garanta que os alunos sejam os protagonistas das reflexões da aula.

Para você saber mais: Professor, caso ache necessário aprofundar seus conhecimentos, aqui estão algumas leituras:

Johann Moritz Rugendas- Jogar Capoeira ou Danse de Guerre. 1835 Disponível em: http://bdlb.bn.gov.br/acervo/handle/123456789/16773. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Nessa etapa, divida a sala de aula em quartetos e distribua aos alunos/as as coletâneas I e II (imagem mais o texto) impressas.
  • Oriente os quartetos a realizarem a leitura e análise das imagens das coletâneas, chamando atenção para as semelhanças e também diferenças que venham a encontrar nesses documentos. A ideia da atividade é que os alunos façam o “papel do historiador”, assim auxilie os alunos na leitura das fontes, estimulando questionamentos como : Segundo as fontes, o que são Quilombos? O que significa resistência? Quais formas de resistência podem ser cotidianas? Existe resistência no quadro de Debret? E na foto? Qual a função do Quilombo além de abrigar os negros fugidos? Como os quilombos desafiam a lógica do sistema escravista e racista? Qual a função de um Quilombo nos dias de hoje? O que seria um Quilombo urbano?
  • Se achar necessário, ande pela sala, propondo essas questões em voz alta, para que os grupos reflitam sobre as fontes. Passe de grupo em grupo, perguntando se há dúvidas e ajude os alunos na realização da atividade. Eles devem entender a função e o sentido de “Quilombo” como comunidades de resistência não só física, mas também política e social, tanto durante o período escravista, quanto nos dias de hoje, nos campos e também nas cidades.
  • É também importante destacar o papel de preservação da memória e identidade do povo negro que essas comunidades cumprem, assim como aprofundar o sentido de AQUILOMBAR-SE, cujo o significado é acolher-se. Todas essas conclusões devem ser feitas de maneira conjunta, com o aluno identificando os significados que as fontes buscam trazer para o assunto tratado.
  • Garanta que os alunos sejam os protagonistas das reflexões da aula.

Para você saber mais: Professor, caso ache necessário aprofundar seus conhecimentos, aqui estão algumas leituras:

Johann Moritz Rugendas- Jogar Capoeira ou Danse de Guerre. 1835 Disponível em: http://bdlb.bn.gov.br/acervo/handle/123456789/16773. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Nessa etapa, divida a sala de aula em quartetos e distribua aos alunos/as as coletâneas I e II (imagem mais o texto) impressas.
  • Oriente os quartetos a realizarem a leitura e análise das imagens das coletâneas, chamando atenção para as semelhanças e também diferenças que venham a encontrar nesses documentos. A ideia da atividade é que os alunos façam o “papel do historiador”, assim auxilie os alunos na leitura das fontes, estimulando questionamentos como : Segundo as fontes, o que são Quilombos? O que significa resistência? Quais formas de resistência podem ser cotidianas? Existe resistência no quadro de Debret? E na foto? Qual a função do Quilombo além de abrigar os negros fugidos? Como os quilombos desafiam a lógica do sistema escravista e racista? Qual a função de um Quilombo nos dias de hoje? O que seria um Quilombo urbano?
  • Se achar necessário, ande pela sala, propondo essas questões em voz alta, para que os grupos reflitam sobre as fontes. Passe de grupo em grupo, perguntando se há dúvidas e ajude os alunos na realização da atividade. Eles devem entender a função e o sentido de “Quilombo” como comunidades de resistência não só física, mas também política e social, tanto durante o período escravista, quanto nos dias de hoje, nos campos e também nas cidades.
  • É também importante destacar o papel de preservação da memória e identidade do povo negro que essas comunidades cumprem, assim como aprofundar o sentido de AQUILOMBAR-SE, cujo o significado é acolher-se. Todas essas conclusões devem ser feitas de maneira conjunta, com o aluno identificando os significados que as fontes buscam trazer para o assunto tratado.
  • Garanta que os alunos sejam os protagonistas das reflexões da aula.

Para você saber mais: Professor, caso ache necessário aprofundar seus conhecimentos, aqui estão algumas leituras:

Johann Moritz Rugendas- Jogar Capoeira ou Danse de Guerre. 1835 Disponível em: http://bdlb.bn.gov.br/acervo/handle/123456789/16773. Acesso em 08 de Novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

  • Nessa etapa os alunos irão realizar uma atividade que se propõe a sistematizar os conhecimentos que foram adquiridos durante a aula. Sendo assim, após analisar as imagens e textos, ainda nos mesmos quartetos, os alunos devem voltar à ideia de criação de significados e memória na História, que foi explorada na contextualização da aula. Como forma de sintetizar as reflexões que chegaram por meio da análise das fontes e da discussão entre eles, os alunos terão que ressignificar o que são Quilombos, criando duas definições por quarteto.
  • Cada grupo deverá criar duas definições da palavra, livremente, no modelo que está explícito no slide.
  • A atividade pode ser feita no próprio caderno do aluno e para facilitar o entendimento do formato, copie no quadro o conteúdo desse slide ou projete-o se assim for possível.
  • Oriente-se a partir da sugestão de respostas disponíveis no documento: HIS08_19UND Exemplos de significados para Quilombos, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rweqPQT2pSJyf7T2H5ZpvSfepn5gWx46EgBkn8a6EhGSzbGAbYdDTNWDqU3d/his08-19und01-exemplos-de-significados-para-quilombos.pdf. Copie os exemplos no quadro para que os alunos possam utilizar como referência para a realização da atividade.
  • Durante a realização da atividade, indique aos alunos possíveis caminhos para a reflexão, falando sobre a importância de pensar em Quilombos como espaços de resistência em um sentido amplo, e também abordando a questão da territorialidade, pensando na luta das comunidades quilombolas para se manterem nesses espaços. Procure deixar claro para os alunos a diferença entre os quilombos do pré e pós abolição, que foram abordadas durante a problematização.
  • Ao final, os alunos deverão ler os significados criados, compartilhando com o restante da sala.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE O Brasil no século XIX do 8º ano :

MAIS AULAS DE História do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08HI19 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano