Textos desde o início

Reescrita e produção coletiva desde o início do aprendizado são ótimas estratégias para ensinar a escrever em inglês e espanhol

POR:
Deborah Trevizan

Alunos do Ensino Fundamental escrevendo em inglês ou espanhol? Para muitos, essa idéia parece absurda, pois no início do aprendizado de Língua Estrangeira a turma tem pouco vocabulário e não conhece a estrutura gramatical do novo idioma. Mas os especialistas garantem que esses conhecimentos não são necessários para que os estudantes comecem a elaborar textos. Celina Fernandes, consultora em Língua Estrangeira, de São Paulo, acredita que atividades de reescrita e de produção coletiva são estratégias eficientes para introduzir a prática da escrita. O trabalho, contudo, deve se iniciar com atividades orais. "Ao ouvir histórias conhecidas em outra língua, as crianças reconhecem gêneros já explorados em Língua Portuguesa e essa é uma boa maneira de fazer com que elas se aproximem do universo do idioma, criando um repertório básico para a criação de textos na Língua Estrangeira", afirma Celina.

Levando em conta também as experiências e os interesses dos estudantes para criar um contexto em que escrever se torna necessário, os consultores de NOVA ESCOLA prepararam um projeto e uma seqüência didática: o primeiro propõe a confecção de um manual de regras em inglês para um jogo de trilha, e a segunda, a transcrição e a reescrita de trechos de um filme espanhol. Em ambos, você pode atuar como escriba da turma(anotando o texto ditado pelos alunos) ou sugerir trabalhos em dupla ou grupos em que o aluno com maior domínio da escrita faça esse papel.

 

Projeto Na trilha do inglês

Consultora Fernanda Glaessel Ramalho, da Escola Castanheiras, de São Paulo

Conteúdos
Estrutura escrita de língua inglesa, vocabulário e construção de descrição e narração

Ano


Tempo
16 aulas

Objetivos didáticos
- Conhecer vocabulário relativo a textos instrucionais.
- Produzir textos de regras de jogos em inglês com o apoio do professor
- Apresentar oralmente, em inglês, as regras para os colegas.

Produto final
Confeccionar jogos de trilha e suas regras em inglês para presentear colegas de séries mais avançadas.

Recursos didáticos
Diversos jogos de trilha e suas regras, gravador, fitas cassete, papel cartão, cartolina, guache, pincéis, canetinhas hidrocor e lápis de cor.

Organização da classe
Os alunos são divididos em duplas de trabalho e depois em grupos de quatro integrantes.

Condições didáticas
Ter apresentado o jogo de trilha para a turma, garantindo que eles conheçam as regras em português e saibam explicá-las.

Desenvolvimento
O jogo de trilha é antigo e tradicional. Nele ganha o jogador que conseguir colocar três peças sobre uma mesma linha reta do tabuleiro.

1ª etapa
Jogar para aprender
Tempo Duas aulas
Mostre aos alunos diversos tipos de jogo de trilha e pergunte quem já brincou. Discuta as regras com eles e deixe que a turma jogue um pouco para ter familiaridade.Na aula seguinte, defina com ela como será o tabuleiro de vocês e, na cartolina, esboce o projeto visual,sempre ouvindo as opiniões de todos. Elabore com os estudantes um roteiro, registrando no cartaz as etapas e usando o vocabulário em inglês que eles já conhecem. Nesse caso, você será o escriba de um texto que ficará parte em inglês e parte em português (vocabulário ainda desconhecido).

2ª etapa
Conhecendo o texto 
Tempo Duas aulas
Nas duas primeiras aulas, distribua para os alunos diversos manuais instrucionais em inglês para que eles encontrem os elementos que se repetem, como informações sobre o número de jogadores, a idade sugerida, os componentes do jogo e como jogar. Essas observações ajudam a entender a estrutura e as características desse gênero textual, além de levá-las a antecipar o sentido de algumas expressões.Nas aulas seguintes, ofereça um texto instrucional com os diversos itens embaralhados. Em duplas, os estudantes devem organizar os parágrafos. A atividade vai exigir uma leitura mais atenta e a negociação para tomar decisões.

3ª etapa
Tabuleiros e regras
Tempo Seis aulas
Com a turma dividida em grupos de quatro, peça que cada um planeje, em português, como será o tabuleiro, o que deve depois ser submetido à sua análise. Essa atividade pode ser intercalada com a elaboração das regras para que o grupo não se canse. Liste no quadro as palavras que aparecem com freqüência. Cada equipe vai elaborar a sua seqüência de regras, em português, e anotá-la no caderno. O desafio então será escrevêla em inglês.Você será o escriba dos grupos. O passo seguinte é voltar aos textos que serviram como referência e tirar deles a estrutura e as formas lingüísticas adequadas. Na revisão, você vai problematizar alguns elementos dos textos das crianças, intercalando essa atividade com momentos de jogar para as crianças checarem o funcionamento das regras que elaboraram.

4ª etapa
Ensaio e apresentação
Tempo Seis aulas
As seis últimas aulas serão usadas para diversos momentos de leitura.Na primeira, distribua as produções de todos e leia em voz alta, pedindo para os alunos acompanharem.Na segunda, leia alguns textos e peça que a turma repita. Depois, é hora de cada um ler o texto em voz alta. Grave alguns deles. Os registros serão usados nos dois encontros seguintes, quando, depois da audição, os colegas poderão discutir e dar dicas de pronúncia, dicção etc. Reserve a penúltima aula para todos terem a chance de explicar as regras na classe, sem precisar ler o texto, e a última para visitar a turma do 4º ano, presentear o jogo e, quem sabe, fazer um campeonato. Avaliação Verifique se os textos escritos respeitaram a estrutura e o vocabulário específicos e avalie a comunicação oral das regras, tendo na pronúncia e na construção do discurso os critérios mais relevantes.

Sequência didática No labirinto da língua espanhola

Consultora Claudine Whitton, professora do Colégio Sidarta, em São Paulo

Conteúdos
Estrutura escrita da língua espanhola, vocabulário e construção de textos descritivos e narrativos

Ano


Tempo 
Quatro aulas

Objetivos
- Transpor a linguagem do audiovisual para a escrita.
- Reconhecer a presença e a importância da seqüência textual descritiva na narrativa.
- Usar adjetivos, advérbios e verbos nos pretéritos imperfeito e perfeito para compor períodos descritivos.

Recursos didáticos
- Filme El Laberinto del Fauno, de Guillermo del Toro,Warner Bros. (2006).
- Aparelho de DVD.

Organização da classe
Em roda, na primeira aula, e em duplas nas demais. Condições didáticas Garanta que a turma tenha contato com narrativas e descrições, lendo para eles textos com essas características.

Desenvolvimento
Antes de iniciar o trabalho, assista ao filme sozinho e faça a transcrição da primeira cena. Ele será distribuído posteriomente para os alunos e será o início da narrativa que eles produzirão em classe. Crie também duas fichas para cada aluno. Na primeira, eles devem anotar as características dos personagens e dos espaços utilizados no filme.Na outra, com duas colunas, a transcrição do texto da cena e a reescrita.

1. Conversa sobre o fantástico
Em roda, pergunte aos estudantes se eles gostam de filmes ou livros fantásticos, aqueles que trabalham com elementos pouco prováveis de acontecer na vida real. Alguém já assistiu a algum filme com essas características? Em caso positivo, solicite que resumam o enredo, ainda em português. Se ninguém citar o El Laberinto del Fauno, conte um pouco sobre a trama. Caso alguém já tenha visto, peça que comente com os colegas onde se passa a história. Anuncie a atividade: transcrever uma cena e reescrevê-la. Comente as diferenças entre um texto escrito e as falas do cinema. No primeiro, é preciso ter trechos descritivos por causa da ausência de imagens, função que cabe ao narrador. Já no audiovisual, as imagens ajudam a contar e a ambientar a história. Lance o desafio das próximas aulas: como suprir a ausência de imagens no texto escrito?

2. Ver o filme
Na aula seguinte, passe a primeira cena do filme, sem legenda, e peça que os jovens contem o que entenderam. Repita o trecho, dessa vez com a legenda em espanhol. Em duplas, e com o vídeo desligado, eles devem transcrever na ficha o texto do narrador e dos personagens em espanhol.

3. Transcrição coletiva
Na terceira aula, entregue a transcrição feita por você.As duplas devem ler e comparar com a deles. Solicite que os alunos levantem hipóteses sobre a continuidade da narrativa. Repita o procedimento de passar os trechos seguintes primeiro sem legenda e depois com legenda em espanhol. No fim de cada cena, eles devem, coletivamente, ajudar você a transcrever o texto em espanhol no quadro.

4. Do visual para o escrito
Na última aula, os alunos devem comentar a transcrição da cena 3, que não conta com a presença do narrador. Como transcrever o que não está dito para o papel? Que recursos usar? Depois, passe à cena 3 novamente. Agora eles terão de prestar atenção, tomar notas e descrever os personagens e o ambiente. As duplas devem discutir para chegar a descrições negociadas. O próximo passo é reescrever todo o texto transcrito.

Avaliação
Observe se os elementos discutidos - como o uso adequado de adjetivos, advérbios e tempos verbais, que ajudam na descrição - aparecem nos textos. Anote nos cadernos o que pode ser melhorado e peça uma reescrita, na qual os alunos devem levar em conta suas observações.

Quer saber mais?

CONTATOS
Celina Fernandes
cel.fernandes@uol.com.br
Fernanda Glaessel Ramalho feramalho@ajato.com.br

BIBLIOGRAFIA
Aprender e Ensinar com Textos
(coleção), Lígia Chiappini (org.), Ed. Cortez, tel. (11) 3611-9616, 29 reais, cada volume
Estética da Criação Verbal, Mikhail Bakhtin, 512 págs., Ed. Martins Fontes, tel. (11) 3241-3677, 65,10 reais
Pensamento e Linguagem, Lev Vygotsky, 160 págs., Ed. Martins Fontes, 35,30 reais.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias