5 dicas para planejar a distância na escola pública

Veja como driblar alguns dos desafios de dar aula em meio a um isolamento social

POR:
Ana Paula Bimbati
Foto: Getty Image

O ano letivo começou, você pegou um caderno, organizou suas aulas, as primeiras sondagens da turma… mas antes de acabar o bimestre, um vírus mudou o dia a dia das de todo o seu planejamento. Agora, os alunos em isolamento social em casa, os professores encaram mais um desafio: garantir a aprendizagem a distância.

Pesquisar planos de aula para usar a distância

O tema foi um dos assunto que rolaram durante a entrevista com a professora alfabetizadora Mara Mansani no projeto #EducaçãoEmRede, de NOVA ESCOLA em parceria com o Facebook

Selecionamos cinco dicas abaixo que podem auxiliar no bom planejamento a distância para os alunos da Educação Básica:

1. Considere as aprendizagens e os instrumentos disponíveis no planejamento

A professora Mara alerta para importância de pensar que a casa do seu aluno não é como a escola. Muitos pais estão trabalhando remotamente e, além disso, os responsáveis pelos estudantes nem sempre são formados em Pedagogia, tem o conhecimento de um professor, por exemplo. 

2. Alinhe o conteúdo ao novo currículo
A aprendizagem das crianças importa. Por isso, para Mara Mansani, é essencial, seguir as diretrizes do currículo da rede, que já estão alinhadas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para definir os conteúdos e habilidades que serão oferecidos aos alunos a distância. A professora alerta para o cuidado que se deve ter com a intencionalidade pedagógica durante o processo do planejamento também. “O professor pode pensar: o que é possível explorar em casa a partir do currículo? Lembrando que, às vezes, o responsável pela criança não tem o conhecimento pedagógico [de um professor]”, explica Mara.

3. Revise conteúdos essenciais e redobre as instruções para novos conteúdos
Para os seus alunos, Mara separou conteúdos que já haviam sido aplicados em sala de aula, antes do isolamento social, mas que precisavam ser praticados. Caso o educador queira enviar uma atividade sobre um tema que ainda não foi discutido em sala, Mara alerta que o passo a passo deve ser ainda mais detalhado para que não cause mais confusão na cabeça dos alunos.

4. Faça curadoria de materiais com atenção
A gente sabe que a internet traz uma gama de sugestões de atividades, passo a passo, cursos, sugestões… mas é necessário ter cuidado na hora de selecionar o melhor conteúdo para sua turma. Uma das dicas é observar se os textos e outros materiais que você escolheu são de fontes confiáveis e se são adequados para a faixa etária dos estudantes e suas respectivas condições de aplicá-los sozinhos ou com o apoio dos familiares.

Confira a programação das próximas transmissões AO VIVO de cursos

5. Use o canal que mais conversa com as suas turmas
São muitas as plataformas na era digital para compartilhar conteúdos, instruções de estudo, tarefas e interagir com seus alunos e seus familiares. Na escola da Mara, por exemplo, foi estabelecido que usariam o Whatsapp e o Facebook para envio de atividades e feedback de tarefas. É importante considerar qual é a melhor alternativa diante dos recursos disponíveis pelos estudantes e seus familiares, como o acesso à internet, por exemplo.

É tempo de compartilhar
Confira a entrevista na íntegra com Mara Mansani

CLIQUE PARA ASSISTIR