Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

113

Hóquei no pátio: faça a atividade reciclando materiais

Conheça uma sequência didática baseada na prática do esporte que trabalha habilidades, valores e atitudes presentes na BNCC, com grande engajamento dos alunos em todas as etapas do processo

Autor: Rita Trevisan

Um dos objetivos da atividade é a construção de valores e o respeito às diferenças. Ilustração: Rita Mayumi/Nova Escola

Conversar com os alunos antes de fechar o planejamento do ano é algo que o professor Eduardo Manzano Sorroche sempre faz. Neste ano não foi diferente. Com a turma de 5º ano da EMEF Dom Walter Bini, do município de Lins (SP), Sorroche fez um diagnóstico sobre as práticas corporais que os alunos realizavam na escola e fora dela, com o objetivo de verificar com quais atividades eles tinham mais contato.

Isso serviu para que ele pudesse propor conteúdos com base em atividades pouco vivenciadas, mas capazes de despertar o interesse dos alunos. “As crianças deram várias sugestões de atividade: dança, parkour, esporte com taco, skate e peteca, entre outros. Optei por iniciar pelos esportes com taco porque estávamos no mês de realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno, que oportunizava o trabalho com o hóquei em um contexto em que poderia ser tematizado”, explica o professor.

Objetivo: Aprender sobre esportes não convencionais; criar estratégias individuais e coletivas básicas para sua execução; prezar pelo trabalho coletivo e pelo protagonismo; possibilitar a inclusão de alunos com necessidades especiais, com a construção de valores e respeito às diferenças e no combate aos preconceitos de qualquer natureza.


Indicado para: Turmas do 5º ano
Material: Canos de PVC
Espaço: Sala de aula, sala de informática, pátio e quadra de esportes
Duração: 3 meses
BNCC: EF89EF01, EF89EF02, EF89EF03, EF89EF05

PASSO A PASSO

1. Estimule os alunos a pesquisarem sobre o hóquei
Utilize recursos multimídia para aprofundar o conhecimento da turma a respeito dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno e, depois disso, discuta com os alunos os conteúdos abordados em vídeos e imagens. Na sequência, peça a eles que pesquisem na sala de informática sobre as dúvidas que tiverem após a discussão; nessa etapa podem surgir perguntas como: 
1. Por que o Brasil não valoriza esses esportes? Por que os jogos não foram televisados?
2. Como os atletas brasileiros que foram para os Jogos treinaram, se no Brasil não tem gelo?
3. Como ocorre o processo de superação dos atletas paraolímpicos?
A pesquisa pode se estender para outros tópicos, como equipamentos usados, a forma de pontuação e como são feitas as pistas de gelo.

2. Reúna os trabalhos para uma exposição no pátio da escola
Além do hóquei sobre o gelo, apresente aos alunos o hóquei na grama e analisem juntos as semelhanças e as diferenças entre as práticas. Com esse apanhado de informações, proponha aos alunos um trabalho para expor no pátio da escola para que todos possam ler e saber mais sobre o esporte. 

3. Utilize materiais adaptados para vivenciar o hóquei
Após a apresentação dos trabalhos, proporcione aos alunos a vivência do hóquei usando materiais adaptados, que não oferecessem risco. O professor Eduardo Manzano Sorroche sugere usar canos de PVC com uma curva na ponta para facilitar a condução da bola. 

4. Desenvolva atividades e brincadeiras com o taco adaptado
Para iniciar a experimentação, desenvolva atividades e brincadeiras de familiarização com o taco no próprio pátio da escola, de maneira individual, em duplas e em grupos. Estimule habilidades como rebater, conduzir, passar e dominar. Ao final, faça uma roda de conversa a respeito do que os alunos sentiram na vivência, do que gostaram e não gostaram, e sobre o que poderia ser melhorado.

5. Estimule a participação de toda a turma durante o jogo
Depois do primeiro contato com o esporte, organize minijogos de hóquei. Explique os comandos essenciais e deixe que os alunos indiquem o número de jogadores em cada equipe, as regras, o momento de término do jogo, e reforce que todos os alunos podem participar. Se houver alunos cadeirantes na turma, proponha a adaptação dos materiais, como o uso de dois tacos, e auxilie a criança para que ela não fique de fora. Os alunos com síndrome de Down e deficiência intelectual também podem participar por meio de estímulos verbais.

6. Incentive os alunos a vivenciarem o diferente 
Para falar sobre o hóquei paralímpico, a dinâmica deve ser um pouco diferente: para jogar, as crianças não podem levantar das cadeiras e, portanto, devem deslizar com os pés. Depois dessa experiência, converse com a turma sobre as sensações e os desafios enfrentados.

Ponto de atenção: “Uma aluna disse ter sentido na pele como é estar em uma cadeira de rodas, citando um dos aspectos que eu tinha a intenção de trabalhar com eles”, lembra o professor.

6. Faça uma avaliação geral de todas as etapas da atividade
A cada etapa, promova rodas de conversa, observações, registros fotográficos e vídeos. Como forma de acompanhamento e evolução da turma em relação às habilidades propostas, faça um registro escrito sobre as experiências para, ao final da atividade, fazer uma avaliação geral.