16941
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 8º ano > O Brasil no século XIX

Plano de aula - Indianismo: a imagem indígena no romantismo brasileiro

Plano de aula de História com atividades para 8º ano do EF sobre Indianismo: a imagem indígena no romantismo brasileiro

Plano 03 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Julia Bittencourt Barbosa Correa

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI22, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Lápis, canetas, caderno, borracha.

Material complementar: Os links das imagens e dos textos para ser usadas neste plano de aula estão disponíveis:

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Realize a leitura coletiva com a sala do objetivo da aula. Você pode projetar o slide para a sala se for possível. Se não, escreva no quadro e peça para que os alunos copiem em seus cadernos. Certifique-se de que toda a sala compreendeu o objetivo e tire as eventuais dúvidas.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações: Nesta etapa você irá introduzir a discussão a ser realizada na aplicação desta aula. Para isso, o Contexto deve avaliar os conhecimentos prévios dos alunos sobre o assunto e também abrir questionamentos que serão aprofundados na etapa da Problematização.
Para isso, a sala deverá realizar a análise de duas coletâneas de imagem e texto distintas para iniciar a sua reflexão.

  • Organize a sala em duplas e entregue as coletâneas impressas para cada dupla, disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GGasKZjaEWCTdqXYjadGrWTNm3YVSsc6tGqbvgrVUAMJd45kN5Jpchu5YEdC/his8-22und03-coletaneas-contexto.pdf. Se você não puder realizar as impressões, você pode projetar as imagens/textos deste slide ou imprimir apenas uma cópia que rodará todas as duplas para que seja possível fazer a análise.
  • Peça que as duplas analisem as coletâneas reparando as possíveis semelhanças e diferenças que elas contenham. Faça com que os alunos atentem para as datas das duas imagens.
  • Enquanto os alunos realizam a análise, você deve circular pela sala, atendendo as duplas que tiverem eventuais dúvidas e orientando o trabalho com alguns questionamentos como :
  • As duas mulheres indígenas se parecem? Como e por quê?
  • A primeira é uma representação de uma mulher indígena pelos olhos do colonizador branco, a segunda é a intelectual indígena Sônia Gajajara, candidata à Vice-Presidência da República em 2018. Com qual das duas representações você está mais familiarizado? O que isso diz da construção de estereótipos sobre os povos indígenas no Brasil?

O objetivo aqui é que os alunos percebam a diferença de olhares, do colonizador, branco, e do indígena real, não carregado dos estereótipos construídos pelas narrativas históricas ao longo do tempo.

Como adequar à sua realidade: Se você leciona em áreas indígenas, você pode refletir com seus alunos como a visão do branco sobre os povos indígenas afeta a sua realidade até os dias de hoje.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Nesta etapa você irá introduzir a discussão a ser realizada na aplicação desta aula. Para isso, o Contexto deve avaliar os conhecimentos prévios dos alunos sobre o assunto e também abrir questionamentos que serão aprofundados na etapa da Problematização.
Para isso, a sala deverá realizar a análise de duas coletâneas de imagem e texto distintas para iniciar a sua reflexão.

  • Organize a sala em duplas e entregue as coletâneas impressas para cada dupla, disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GGasKZjaEWCTdqXYjadGrWTNm3YVSsc6tGqbvgrVUAMJd45kN5Jpchu5YEdC/his8-22und03-coletaneas-contexto.pdf. Se você não puder realizar as impressões, você pode projetar as imagens/textos desse slide ou imprimir apenas uma cópia que rodará todas as duplas para que seja possível fazer a análise.
  • Peça que as duplas analisem as coletâneas reparando as possíveis semelhanças e diferenças que elas contenham. Faça com que os alunos atentem para as datas das duas imagens.
  • Enquanto os alunos realizam a análise, você deve circular pela sala, atendendo as duplas que tiverem eventuais dúvidas e orientando o trabalho com alguns questionamentos como:
  • As duas mulheres indígenas se parecem? Como e por quê?
  • A primeira é uma representação de uma mulher indígena pelos olhos do colonizador branco, a segunda é a intelectual indígena
    Sônia Gajajara, candidata à Vice-Presidência da República em 2018. Com qual das duas representações você está mais familiarizado? O que isso diz da construção de estereótipos sobre os povos indígenas no Brasil?

O objetivo aqui é que os alunos percebam a diferença de olhares, do colonizador, branco, e do indígena real, não carregado dos estereótipos construídos pelas narrativas históricas ao longo do tempo.

Como adequar à sua realidade: Se você leciona em áreas indígenas, pode refletir com seus alunos como a visão do branco sobre os povos indígenas afeta a sua realidade até os dias de hoje.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Nesta etapa você irá introduzir a discussão a ser realizada na aplicação desta aula. Para isso, o Contexto deve avaliar os conhecimentos prévios dos alunos sobre o assunto e também abrir questionamentos que serão aprofundados na etapa da Problematização.
Para isso, a sala deverá realizar a análise de duas coletâneas de imagem e texto distintas para iniciar a sua reflexão.

  • Organize a sala em duplas e entregue as coletâneas impressas para cada dupla, disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GGasKZjaEWCTdqXYjadGrWTNm3YVSsc6tGqbvgrVUAMJd45kN5Jpchu5YEdC/his8-22und03-coletaneas-contexto.pdf. Se você não puder realizar as impressões, você pode projetar s imagens/textos deste slide ou imprimir apenas uma cópia que rodará todas as duplas para que seja possível fazer a análise.
  • Peça que as duplas analisem as coletâneas reparando possíveis semelhanças e diferenças que elas contenham. Faça com que os alunos atentem para as datas das duas imagens.
  • Enquanto os alunos realizam a análise, você deve circular pela sala, atendendo as duplas que tiverem eventuais dúvidas e orientando o trabalho com alguns questionamentos como :
  • As duas mulheres indígenas se parecem? Como e por quê?
  • A primeira é uma representação de uma mulher indígena pelos olhos do colonizador branco, a segund, é a intelectual indígena Sônia Gajajara, candidata à Vice-Presidência da República em 2018. Com qual das duas representações você está mais familiarizado? O que isso diz da construção de estereótipos sobre os povos indígenas no Brasil?

O objetivo aqui é que os alunos percebam a diferença de olhares, do colonizador, branco, e do indígena real, não carregado dos estereótipos construídos pelas narrativas históricas ao longo do tempo.

Como adequar à sua realidade: Se você leciona em áreas indígenas, você pode refletir com seus alunos como a visão do branco sobre os povos indígenas afeta a sua realidade até os dias de hoje.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Nesta etapa você irá aprofundar a discussão iniciada com os alunos na etapa anterior. Para isso, os alunos deverão realizar a leitura de dois textos e relacionar com a análise das imagens.

  • Entregue a coletânea de textos para as duplas, disponível para a impressão no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/p52Q2YbdP8e2J8wn7yH23rDJxGC45mHhCJ8V5xXajvWW86r3YjyfXzysrX5z/his8-22und03-textos-problematizacao.pdf
  • Oriente os alunos a realizar a leitura e análise das fontes.
  • Auxilie na análise dos alunos, orientando para que consigam relacionar os textos com a análise anterior das imagens.
  • Indique aos alunos que ambos os textos convergem, no primeiro há a narrativa de como a literatura romancista do século XIX foi uma das ferramentas utilizadas pela elite intelectual branca para a construção de uma ideia de nação, que reforçava os “laços com a nação europeia”, já Daniel Munduruku reforça como esta mesma literatura foi um dos atores de construção e reforço dos estereótipos sobre as nações indígenas.
  • Atente para como a utilização do termo “índio” significa uma redução da variedade das identidades que compõem as nações indígenas e como este termo genérico foi utilizado justamente para reduzir a importância dos povos nativos na construção da identidade nacional como um todo.

É importante que aqui os alunos compreendam que a noção de nacionalidade, de identidade nacional, faz parte de um processo de construção por meio de narrativas históricas, e por isso é importante entender quem escreve estas narrativas e com quais objetivos. Reforce com os alunos que estas narrativas estavam concentradas na mão das elites intelectuais, que eram brancas e colonizadoras, e por isso, escrevem sobre esta perspectiva, o que vai ao longo do tempo criando e reforçando estereótipos sobre os grupos marginalizados da nação, como os indígenas e também o povo negro. É necessário que o aluno entenda que a mudança desta perspectiva, ou seja, a descolonização do olhar para os povos indígenas e a desconstrução dos estereótipos que eles carregam, passa por mudar a narrativa de mãos, por dar condições de que os próprios povos indígenas construam as suas narrativas, e, assim, a sua identidade, dentro das várias identidades que os compõem.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Nesta etapa você irá aprofundar a discussão iniciada com os alunos na etapa anterior. Para isso, os alunos deverão realizar a leitura de dois textos e relacionar com a análise das imagens.

  • Entregue a coletânea de textos para as duplas, disponível para a impressão no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/p52Q2YbdP8e2J8wn7yH23rDJxGC45mHhCJ8V5xXajvWW86r3YjyfXzysrX5z/his8-22und03-textos-problematizacao.pdf
  • Oriente os alunos a realizar a leitura e a análise das fontes.
  • Auxilie na análise dos alunos, orientando para que consigam relacionar os textos com a análise anterior das imagens.
  • Indique aos alunos que ambos os textos convergem, no primeiro há a narrativa de como a literatura romancista do século XIX foi uma das ferramentas utilizadas pela elite intelectual branca para a construção de uma ideia de nação, que reforçava os “laços com a nação europeia”, já Daniel Munduruku reforça como esta mesma literatura foi um dos atores de construção e reforço dos estereótipos sobre as nações indígenas.
  • Atente para como a utilização do termo “índio” significa uma redução da variedade das identidades que compõem as nações indígenas e como este termo genérico foi utilizado justamente para reduzir a importância dos povos nativos na construção da identidade nacional como um todo.

É importante que aqui os alunos compreendam que a noção de nacionalidade, de identidade nacional, faz parte de um processo de construção por meio de narrativas históricas, e por isso é importante entender quem escreve estas narrativas e com quais objetivos. Reforce com os alunos que estas narrativas estavam concentradas na mão das elites intelectuais, que eram brancas e colonizadoras, e, por isso, escrevem sobre esta perspectiva, o que vai ao longo do tempo criando e reforçando estereótipos sobre os grupos marginalizados da nação, como os indígenas e também o povo negro. É necessário que o aluno entenda que a mudança desta perspectiva, ou seja, a descolonização do olhar para os povos indígenas e a desconstrução dos estereótipos que eles carregam passa por mudar a narrativa de mãos, por dar condições de que os próprios povos indígenas construam as suas narrativas, e assim, a sua identidade, dentro das várias identidades que os compõem.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Nesta etapa final os alunos devem realizar uma atividade que sintetize as reflexões que foram feitas por eles durante a aula. Ainda em duplas, os alunos deverão realizar um quadro comparativo, onde deverão listar as diferenças e as semelhanças que conseguiram identificar entre o indígena sobre a ótica da literatura do século XIX e o indígena por meio da sua própria vivência. A ideia é que os alunos consigam entender as diferenças das narrativas, a distância entre a visão estereotipada e a visão real do indígena brasileiro e também expressar as semelhanças que percebem entre os dois olhares.

O quadro pode ser feito no próprio caderno do aluno, cada dupla deverá realizar apenas um quadro, construído de forma coletiva, e, ao término da atividade, as duplas podem ler para a sala o resultado dos quadros, para que todos os alunos compartilhem as reflexões realizadas por cada um durante a aula.

Ainda que as análises podem ser variadas a depender do perfil de cada grupo de alunos, criamos um link com um exemplo de expectativas de respostas. Disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/qKJ3afHx4W5cHVx7uMctkDHejUUxpFWYFKk2hAUrZqA7a8BpYjdTmTptv52y/his8-22und03-resolucao-da-atividade.pdf

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI22, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Lápis, canetas, caderno, borracha.

Material complementar: Os links das imagens e dos textos para ser usadas neste plano de aula estão disponíveis:

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Realize a leitura coletiva com a sala do objetivo da aula. Você pode projetar o slide para a sala se for possível. Se não, escreva no quadro e peça para que os alunos copiem em seus cadernos. Certifique-se de que toda a sala compreendeu o objetivo e tire as eventuais dúvidas.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações: Nesta etapa você irá introduzir a discussão a ser realizada na aplicação desta aula. Para isso, o Contexto deve avaliar os conhecimentos prévios dos alunos sobre o assunto e também abrir questionamentos que serão aprofundados na etapa da Problematização.
Para isso, a sala deverá realizar a análise de duas coletâneas de imagem e texto distintas para iniciar a sua reflexão.

  • Organize a sala em duplas e entregue as coletâneas impressas para cada dupla, disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GGasKZjaEWCTdqXYjadGrWTNm3YVSsc6tGqbvgrVUAMJd45kN5Jpchu5YEdC/his8-22und03-coletaneas-contexto.pdf. Se você não puder realizar as impressões, você pode projetar as imagens/textos deste slide ou imprimir apenas uma cópia que rodará todas as duplas para que seja possível fazer a análise.
  • Peça que as duplas analisem as coletâneas reparando as possíveis semelhanças e diferenças que elas contenham. Faça com que os alunos atentem para as datas das duas imagens.
  • Enquanto os alunos realizam a análise, você deve circular pela sala, atendendo as duplas que tiverem eventuais dúvidas e orientando o trabalho com alguns questionamentos como :
  • As duas mulheres indígenas se parecem? Como e por quê?
  • A primeira é uma representação de uma mulher indígena pelos olhos do colonizador branco, a segunda é a intelectual indígena Sônia Gajajara, candidata à Vice-Presidência da República em 2018. Com qual das duas representações você está mais familiarizado? O que isso diz da construção de estereótipos sobre os povos indígenas no Brasil?

O objetivo aqui é que os alunos percebam a diferença de olhares, do colonizador, branco, e do indígena real, não carregado dos estereótipos construídos pelas narrativas históricas ao longo do tempo.

Como adequar à sua realidade: Se você leciona em áreas indígenas, você pode refletir com seus alunos como a visão do branco sobre os povos indígenas afeta a sua realidade até os dias de hoje.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Slide Plano Aula

Orientações: Nesta etapa você irá introduzir a discussão a ser realizada na aplicação desta aula. Para isso, o Contexto deve avaliar os conhecimentos prévios dos alunos sobre o assunto e também abrir questionamentos que serão aprofundados na etapa da Problematização.
Para isso, a sala deverá realizar a análise de duas coletâneas de imagem e texto distintas para iniciar a sua reflexão.

  • Organize a sala em duplas e entregue as coletâneas impressas para cada dupla, disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GGasKZjaEWCTdqXYjadGrWTNm3YVSsc6tGqbvgrVUAMJd45kN5Jpchu5YEdC/his8-22und03-coletaneas-contexto.pdf. Se você não puder realizar as impressões, você pode projetar as imagens/textos desse slide ou imprimir apenas uma cópia que rodará todas as duplas para que seja possível fazer a análise.
  • Peça que as duplas analisem as coletâneas reparando as possíveis semelhanças e diferenças que elas contenham. Faça com que os alunos atentem para as datas das duas imagens.
  • Enquanto os alunos realizam a análise, você deve circular pela sala, atendendo as duplas que tiverem eventuais dúvidas e orientando o trabalho com alguns questionamentos como:
  • As duas mulheres indígenas se parecem? Como e por quê?
  • A primeira é uma representação de uma mulher indígena pelos olhos do colonizador branco, a segunda é a intelectual indígena
    Sônia Gajajara, candidata à Vice-Presidência da República em 2018. Com qual das duas representações você está mais familiarizado? O que isso diz da construção de estereótipos sobre os povos indígenas no Brasil?

O objetivo aqui é que os alunos percebam a diferença de olhares, do colonizador, branco, e do indígena real, não carregado dos estereótipos construídos pelas narrativas históricas ao longo do tempo.

Como adequar à sua realidade: Se você leciona em áreas indígenas, pode refletir com seus alunos como a visão do branco sobre os povos indígenas afeta a sua realidade até os dias de hoje.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Slide Plano Aula

Orientações: Nesta etapa você irá introduzir a discussão a ser realizada na aplicação desta aula. Para isso, o Contexto deve avaliar os conhecimentos prévios dos alunos sobre o assunto e também abrir questionamentos que serão aprofundados na etapa da Problematização.
Para isso, a sala deverá realizar a análise de duas coletâneas de imagem e texto distintas para iniciar a sua reflexão.

  • Organize a sala em duplas e entregue as coletâneas impressas para cada dupla, disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GGasKZjaEWCTdqXYjadGrWTNm3YVSsc6tGqbvgrVUAMJd45kN5Jpchu5YEdC/his8-22und03-coletaneas-contexto.pdf. Se você não puder realizar as impressões, você pode projetar s imagens/textos deste slide ou imprimir apenas uma cópia que rodará todas as duplas para que seja possível fazer a análise.
  • Peça que as duplas analisem as coletâneas reparando possíveis semelhanças e diferenças que elas contenham. Faça com que os alunos atentem para as datas das duas imagens.
  • Enquanto os alunos realizam a análise, você deve circular pela sala, atendendo as duplas que tiverem eventuais dúvidas e orientando o trabalho com alguns questionamentos como :
  • As duas mulheres indígenas se parecem? Como e por quê?
  • A primeira é uma representação de uma mulher indígena pelos olhos do colonizador branco, a segund, é a intelectual indígena Sônia Gajajara, candidata à Vice-Presidência da República em 2018. Com qual das duas representações você está mais familiarizado? O que isso diz da construção de estereótipos sobre os povos indígenas no Brasil?

O objetivo aqui é que os alunos percebam a diferença de olhares, do colonizador, branco, e do indígena real, não carregado dos estereótipos construídos pelas narrativas históricas ao longo do tempo.

Como adequar à sua realidade: Se você leciona em áreas indígenas, você pode refletir com seus alunos como a visão do branco sobre os povos indígenas afeta a sua realidade até os dias de hoje.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Nesta etapa você irá aprofundar a discussão iniciada com os alunos na etapa anterior. Para isso, os alunos deverão realizar a leitura de dois textos e relacionar com a análise das imagens.

  • Entregue a coletânea de textos para as duplas, disponível para a impressão no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/p52Q2YbdP8e2J8wn7yH23rDJxGC45mHhCJ8V5xXajvWW86r3YjyfXzysrX5z/his8-22und03-textos-problematizacao.pdf
  • Oriente os alunos a realizar a leitura e análise das fontes.
  • Auxilie na análise dos alunos, orientando para que consigam relacionar os textos com a análise anterior das imagens.
  • Indique aos alunos que ambos os textos convergem, no primeiro há a narrativa de como a literatura romancista do século XIX foi uma das ferramentas utilizadas pela elite intelectual branca para a construção de uma ideia de nação, que reforçava os “laços com a nação europeia”, já Daniel Munduruku reforça como esta mesma literatura foi um dos atores de construção e reforço dos estereótipos sobre as nações indígenas.
  • Atente para como a utilização do termo “índio” significa uma redução da variedade das identidades que compõem as nações indígenas e como este termo genérico foi utilizado justamente para reduzir a importância dos povos nativos na construção da identidade nacional como um todo.

É importante que aqui os alunos compreendam que a noção de nacionalidade, de identidade nacional, faz parte de um processo de construção por meio de narrativas históricas, e por isso é importante entender quem escreve estas narrativas e com quais objetivos. Reforce com os alunos que estas narrativas estavam concentradas na mão das elites intelectuais, que eram brancas e colonizadoras, e por isso, escrevem sobre esta perspectiva, o que vai ao longo do tempo criando e reforçando estereótipos sobre os grupos marginalizados da nação, como os indígenas e também o povo negro. É necessário que o aluno entenda que a mudança desta perspectiva, ou seja, a descolonização do olhar para os povos indígenas e a desconstrução dos estereótipos que eles carregam, passa por mudar a narrativa de mãos, por dar condições de que os próprios povos indígenas construam as suas narrativas, e, assim, a sua identidade, dentro das várias identidades que os compõem.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Slide Plano Aula

Orientações: Nesta etapa você irá aprofundar a discussão iniciada com os alunos na etapa anterior. Para isso, os alunos deverão realizar a leitura de dois textos e relacionar com a análise das imagens.

  • Entregue a coletânea de textos para as duplas, disponível para a impressão no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/p52Q2YbdP8e2J8wn7yH23rDJxGC45mHhCJ8V5xXajvWW86r3YjyfXzysrX5z/his8-22und03-textos-problematizacao.pdf
  • Oriente os alunos a realizar a leitura e a análise das fontes.
  • Auxilie na análise dos alunos, orientando para que consigam relacionar os textos com a análise anterior das imagens.
  • Indique aos alunos que ambos os textos convergem, no primeiro há a narrativa de como a literatura romancista do século XIX foi uma das ferramentas utilizadas pela elite intelectual branca para a construção de uma ideia de nação, que reforçava os “laços com a nação europeia”, já Daniel Munduruku reforça como esta mesma literatura foi um dos atores de construção e reforço dos estereótipos sobre as nações indígenas.
  • Atente para como a utilização do termo “índio” significa uma redução da variedade das identidades que compõem as nações indígenas e como este termo genérico foi utilizado justamente para reduzir a importância dos povos nativos na construção da identidade nacional como um todo.

É importante que aqui os alunos compreendam que a noção de nacionalidade, de identidade nacional, faz parte de um processo de construção por meio de narrativas históricas, e por isso é importante entender quem escreve estas narrativas e com quais objetivos. Reforce com os alunos que estas narrativas estavam concentradas na mão das elites intelectuais, que eram brancas e colonizadoras, e, por isso, escrevem sobre esta perspectiva, o que vai ao longo do tempo criando e reforçando estereótipos sobre os grupos marginalizados da nação, como os indígenas e também o povo negro. É necessário que o aluno entenda que a mudança desta perspectiva, ou seja, a descolonização do olhar para os povos indígenas e a desconstrução dos estereótipos que eles carregam passa por mudar a narrativa de mãos, por dar condições de que os próprios povos indígenas construam as suas narrativas, e assim, a sua identidade, dentro das várias identidades que os compõem.

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Nesta etapa final os alunos devem realizar uma atividade que sintetize as reflexões que foram feitas por eles durante a aula. Ainda em duplas, os alunos deverão realizar um quadro comparativo, onde deverão listar as diferenças e as semelhanças que conseguiram identificar entre o indígena sobre a ótica da literatura do século XIX e o indígena por meio da sua própria vivência. A ideia é que os alunos consigam entender as diferenças das narrativas, a distância entre a visão estereotipada e a visão real do indígena brasileiro e também expressar as semelhanças que percebem entre os dois olhares.

O quadro pode ser feito no próprio caderno do aluno, cada dupla deverá realizar apenas um quadro, construído de forma coletiva, e, ao término da atividade, as duplas podem ler para a sala o resultado dos quadros, para que todos os alunos compartilhem as reflexões realizadas por cada um durante a aula.

Ainda que as análises podem ser variadas a depender do perfil de cada grupo de alunos, criamos um link com um exemplo de expectativas de respostas. Disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/qKJ3afHx4W5cHVx7uMctkDHejUUxpFWYFKk2hAUrZqA7a8BpYjdTmTptv52y/his8-22und03-resolucao-da-atividade.pdf

Para você saber mais: Se achar necessário aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto, recomendamos as leituras:

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE O Brasil no século XIX do 8º ano :

MAIS AULAS DE História do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08HI22 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano