16192
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 5º ano > Povos e culturas: meu lugar no mundo e meu grupo social

Plano de aula - Eu e meus antepassados: história, memória e cultura

Plano de aula de História com atividades para 5º ano do EF sobre Eu e meus antepassados: história, memória e cultura

Plano 01 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Norton Frehse Nicolazzi Junior

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF05HI04 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Solicite, com antecedência, que os alunos selecionem e tragam de suas casas objetos biográficos e relíquias familiares. Para isso, esclareça o que são objetos biográficos e relíquias familiares, destacando, principalmente, que tais objetos têm relação com a história de cada família e trazem lembranças de tempos passados, bem como de costumes, crenças e tradições.

Destaque a preferência por objetos relacionados aos costumes, crenças e tradições de cada família. Oriente seus alunos para que selecionem e tragam um ou dois objetos.

Comunique aos responsáveis sobre a atividade a ser desenvolvida, informando o propósito, quando e como tais objetos serão utilizados. Por se tratarem de objetos biográficos e relíquias familiares, indique cuidado no transporte e manuseio dos mesmos por parte dos alunos, ressaltando a importância histórica e a impossibilidade de recuperação em caso de extravio ou danos físicos.

Material complementar: Tabela de problematização, que deve ser organizada no quadro, a fim de que todos os alunos possam visualizar as informações.

A tabela é apenas uma sugestão para organização das informações solicitadas, podendo ser organizada como preferir.

Para você saber mais: Objetos biográficos e relíquias familiares são objetos que contam histórias por meio das lembranças por eles despertadas. Tais objetos são bastante explorados nas aulas de história do Ensino Fundamental. É importante considerar que a memória, enquanto elemento fundamental para o fortalecimento da identidade de grupos e comunidades, constitui-se como objeto de análise de significativa importância diante da velocidade, da efemeridade, da fragilidade e da transitoriedade que caracterizam a contemporaneidade, oferecendo a matéria-prima, a argamassa do historiador que pretende construir um “edifício da História”. Em outras palavras, os objetos biográficos e as relíquias familiares são, assim como a própria memória, fontes históricas.

Sobre a memória, vale lembrar que, recordar e esquecer são faculdades intrínsecas, e um exercício singular, já que cada indivíduo tem suas próprias recordações, que não podem ser transferidas a outras pessoas. Tal singularidade reside, justamente, na possibilidade de se ativar o passado no presente, exercício que define a identidade individual e a continuidade de si mesmo no tempo.

A memória individual, fruto do singular exercício de recordar o passado, apesar de individual, é sempre permeada pelo contexto social, como indica a historiadora Gislene Edwiges de Lacerda, para quem marcos como religião, família, classe social, por exemplo, dão sentido às rememorações individuais.

Dois trabalhos oferecem mais subsídios para a formação do professor em relação ao referido tema: Memória familiar nos objetos biográficos e nas obras literárias e Memória familiar: da minha para a nossa História, de Clêidna de Lima e Luzia Maria Belniok, respectivamente.

Memória familiar nos objetos biográficos e nas obras literárias

Fonte: Disponível em:

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/view/12307 Acesso em 03 de novembro de 2018.

Memória familiar: da minha para a nossa História

Fonte: Disponível em:

http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2014/2014_unicentro_hist_pdp_luzia_maria_belniok.pdf Acesso em 03 de novembro de 2018.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Apresente o tema aos alunos projetando o objetivo da aula, que é reconhecer a existência da pluralidade e da diversidade como elementos inerentes aos grupos sociais. Caso não seja possível a projeção, escreva no quadro. É importante ler para os alunos e destacar termos como pluralidade, diversidade, elementos, inerente e grupos sociais, explicando o seu significado no contexto da presente aula. Solicite que os alunos elaborem um glossário para a aula, começando com os referidos termos.

Para você saber mais:

Educação em direitos humanos vem ganhando destaque nas escolas de todo o Brasil, não apenas pelas imposições legais, mas, principalmente, pela necessidade compreendida pelas comunidades escolares. Nesse sentido, o reconhecimento da existência da pluralidade e da diversidade como elementos inerentes aos grupos sociais constitui-se numa possibilidade factível de explorar o tema em sala de aula.

Sobre diversidade cultural

Fonte: Disponível em:

http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/culture/cultural-diversity/ Acesso em 03 de novembro de 2018.

Sobre educação em direitos humanos

Fonte: Disponível em:

http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/social-and-human-sciences/human-rights/ Acesso em 03 de novembro de 2018.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: As imagens que estão disponibilizadas retratam as manifestações artísticas de grupos diversos. O professor pedirá para que os alunos observem as imagens e comentem o que elas significam nesse contexto observado.

Após o exercício de observação perguntar se os alunos participam de manifestações culturais ou artísticas de sua comunidade, ou se já viram pessoalmente manifestações parecidas com essas das imagens.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Divida os alunos em grupos a seu critério (a quantidade de alunos é opcional, apesar de se sugerir grupos de 3 a 5 alunos).

ETAPA 1

O professor organizará a sala em grupos e solicitará que cada grupo leia o texto do slide. Nos grupos, cada aluno apresentará que manifestação cultural já participou ou viu pessoalmente, refletindo a importância dessas manifestações culturais para a história da família ou da comunidade. Peça para que os alunos sentem em roda e escolham um bastão ou qualquer outro objeto disponível no momento da atividade para que sirva como regulador do tempo de apresentação de cada aluno. A função do bastão é simbólica, indicando que quem o possui num determinado momento tem o direito à fala. Nesse momento, os demais alunos devem permanecer em silêncio, respeitando o portador do bastão. É possível, nesse momento, explorar a ideia de fala consciente e escuta ativa, ressaltando a importância de se respeitar o outro, de se praticar a alteridade e a empatia.

Oriente os alunos que dividam o tempo da atividade de maneira equilibrada, de modo que todos disponham de uma quantidade de tempo similar.

Por exemplo: um grupo de 4 alunos terá 10 minutos, cabendo a cada um o tempo de 2 minutos e 30 segundos para a apresentação de cada aluno; num grupo de 5 alunos, cada um terá 2 minutos e, num grupo de 3 alunos, cada um terá pouco mais de 3 minutos.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Oriente seus alunos para organizarem uma exposição referente aos relatos feitos nos grupos. Cada Grupo deve organizar um cartaz com desenhos ou recortes para ilustrar as manifestações culturais relatadas pelo grupo. A exposição precisa ter um título, a ser definido pelos alunos, que sintetize a essência primordial da aula, que é de reconhecer a existência da pluralidade e da diversidade como elementos inerentes aos grupos sociais, associando o respeito àquelas diferenças como prática cidadã que assegura a manutenção dos direitos humanos.

Para você saber mais:

“(...) E, depois de ouvir os alunos, qual o passo seguinte? É ajudar as crianças a reconhecer que cada uma delas também tem uma história e que esta história está relacionada com a de outras pessoas: a sua, a de seus pais, a de sua família, de sua comunidade, cidade, estado, país e mundo. Continuando com o exemplo da visita ao museu, o âmbito da atividade pode ser ampliado com o professor pedindo aos alunos que busquem com familiares objetos que guardam há muitos anos. Nesse contexto, eles podem investigar os motivos que levaram as pessoas a guardar aqueles objetos e as memórias que suscitam em sua família. O professor pode incentivar cada aluno a escolher um objeto para guardar com o objetivo de ter, no futuro, algo que o lembre de uma época de sua vida e que o ajude a contar (para amigos, familiares, seus próprios filhos) parte de sua história (um brinquedo preferido, um presente de alguém muito querido...). Nesse trabalho simples, entre outros ganhos pedagógicos, o professor mostra que valoriza o patrimônio sociocultural do educando. Os alunos podem ser estimulados a fazer, na escola, sua própria exposição de objetos, cada um deles acompanhado de um pequeno cartão explicando a sua origem. E possível, ainda, criar coletivamente critérios de classificação dos materiais coletados a partir de orientações simples sobre catalogação de documentos. A caracterização dos objetos pode ser ampliada dependendo da faixa etária dos estudantes, sendo interessante incluir dados sobre a época em que foram produzidos e compará-los a objetos similares que existem atualmente. Os desdobramentos provocados por esse tipo de atividade acabam atribuindo novos significados ao conhecimento prévio dos alunos e facilitando sua percepção de outras realidades, mais "distantes" do seu cotidiano. Ao serem capazes de reconhecer que eles próprios têm uma história, os alunos estão prontos para, com o auxílio do professor, desvendar as relações entre a sua realidade e o patrimônio cultural da humanidade (Pinsky e Pinsky, 2003). Para isso, o professor deve trabalhar simultaneamente com esses dois universos culturais.”

FERMIANO, Maria Belintane. Ensino de história para o fundamental 1: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2014. p. 12-13.

O IPHAN disponibiliza de muito material on-line, vale a pena conhecer: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/caderno_tematico_educacao_patrimonial_05.pdf

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF05HI04 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Solicite, com antecedência, que os alunos selecionem e tragam de suas casas objetos biográficos e relíquias familiares. Para isso, esclareça o que são objetos biográficos e relíquias familiares, destacando, principalmente, que tais objetos têm relação com a história de cada família e trazem lembranças de tempos passados, bem como de costumes, crenças e tradições.

Destaque a preferência por objetos relacionados aos costumes, crenças e tradições de cada família. Oriente seus alunos para que selecionem e tragam um ou dois objetos.

Comunique aos responsáveis sobre a atividade a ser desenvolvida, informando o propósito, quando e como tais objetos serão utilizados. Por se tratarem de objetos biográficos e relíquias familiares, indique cuidado no transporte e manuseio dos mesmos por parte dos alunos, ressaltando a importância histórica e a impossibilidade de recuperação em caso de extravio ou danos físicos.

Material complementar: Tabela de problematização, que deve ser organizada no quadro, a fim de que todos os alunos possam visualizar as informações.

A tabela é apenas uma sugestão para organização das informações solicitadas, podendo ser organizada como preferir.

Para você saber mais: Objetos biográficos e relíquias familiares são objetos que contam histórias por meio das lembranças por eles despertadas. Tais objetos são bastante explorados nas aulas de história do Ensino Fundamental. É importante considerar que a memória, enquanto elemento fundamental para o fortalecimento da identidade de grupos e comunidades, constitui-se como objeto de análise de significativa importância diante da velocidade, da efemeridade, da fragilidade e da transitoriedade que caracterizam a contemporaneidade, oferecendo a matéria-prima, a argamassa do historiador que pretende construir um “edifício da História”. Em outras palavras, os objetos biográficos e as relíquias familiares são, assim como a própria memória, fontes históricas.

Sobre a memória, vale lembrar que, recordar e esquecer são faculdades intrínsecas, e um exercício singular, já que cada indivíduo tem suas próprias recordações, que não podem ser transferidas a outras pessoas. Tal singularidade reside, justamente, na possibilidade de se ativar o passado no presente, exercício que define a identidade individual e a continuidade de si mesmo no tempo.

A memória individual, fruto do singular exercício de recordar o passado, apesar de individual, é sempre permeada pelo contexto social, como indica a historiadora Gislene Edwiges de Lacerda, para quem marcos como religião, família, classe social, por exemplo, dão sentido às rememorações individuais.

Dois trabalhos oferecem mais subsídios para a formação do professor em relação ao referido tema: Memória familiar nos objetos biográficos e nas obras literárias e Memória familiar: da minha para a nossa História, de Clêidna de Lima e Luzia Maria Belniok, respectivamente.

Memória familiar nos objetos biográficos e nas obras literárias

Fonte: Disponível em:

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/view/12307 Acesso em 03 de novembro de 2018.

Memória familiar: da minha para a nossa História

Fonte: Disponível em:

http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2014/2014_unicentro_hist_pdp_luzia_maria_belniok.pdf Acesso em 03 de novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Apresente o tema aos alunos projetando o objetivo da aula, que é reconhecer a existência da pluralidade e da diversidade como elementos inerentes aos grupos sociais. Caso não seja possível a projeção, escreva no quadro. É importante ler para os alunos e destacar termos como pluralidade, diversidade, elementos, inerente e grupos sociais, explicando o seu significado no contexto da presente aula. Solicite que os alunos elaborem um glossário para a aula, começando com os referidos termos.

Para você saber mais:

Educação em direitos humanos vem ganhando destaque nas escolas de todo o Brasil, não apenas pelas imposições legais, mas, principalmente, pela necessidade compreendida pelas comunidades escolares. Nesse sentido, o reconhecimento da existência da pluralidade e da diversidade como elementos inerentes aos grupos sociais constitui-se numa possibilidade factível de explorar o tema em sala de aula.

Sobre diversidade cultural

Fonte: Disponível em:

http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/culture/cultural-diversity/ Acesso em 03 de novembro de 2018.

Sobre educação em direitos humanos

Fonte: Disponível em:

http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/social-and-human-sciences/human-rights/ Acesso em 03 de novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Orientações: As imagens que estão disponibilizadas retratam as manifestações artísticas de grupos diversos. O professor pedirá para que os alunos observem as imagens e comentem o que elas significam nesse contexto observado.

Após o exercício de observação perguntar se os alunos participam de manifestações culturais ou artísticas de sua comunidade, ou se já viram pessoalmente manifestações parecidas com essas das imagens.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Divida os alunos em grupos a seu critério (a quantidade de alunos é opcional, apesar de se sugerir grupos de 3 a 5 alunos).

ETAPA 1

O professor organizará a sala em grupos e solicitará que cada grupo leia o texto do slide. Nos grupos, cada aluno apresentará que manifestação cultural já participou ou viu pessoalmente, refletindo a importância dessas manifestações culturais para a história da família ou da comunidade. Peça para que os alunos sentem em roda e escolham um bastão ou qualquer outro objeto disponível no momento da atividade para que sirva como regulador do tempo de apresentação de cada aluno. A função do bastão é simbólica, indicando que quem o possui num determinado momento tem o direito à fala. Nesse momento, os demais alunos devem permanecer em silêncio, respeitando o portador do bastão. É possível, nesse momento, explorar a ideia de fala consciente e escuta ativa, ressaltando a importância de se respeitar o outro, de se praticar a alteridade e a empatia.

Oriente os alunos que dividam o tempo da atividade de maneira equilibrada, de modo que todos disponham de uma quantidade de tempo similar.

Por exemplo: um grupo de 4 alunos terá 10 minutos, cabendo a cada um o tempo de 2 minutos e 30 segundos para a apresentação de cada aluno; num grupo de 5 alunos, cada um terá 2 minutos e, num grupo de 3 alunos, cada um terá pouco mais de 3 minutos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Oriente seus alunos para organizarem uma exposição referente aos relatos feitos nos grupos. Cada Grupo deve organizar um cartaz com desenhos ou recortes para ilustrar as manifestações culturais relatadas pelo grupo. A exposição precisa ter um título, a ser definido pelos alunos, que sintetize a essência primordial da aula, que é de reconhecer a existência da pluralidade e da diversidade como elementos inerentes aos grupos sociais, associando o respeito àquelas diferenças como prática cidadã que assegura a manutenção dos direitos humanos.

Para você saber mais:

“(...) E, depois de ouvir os alunos, qual o passo seguinte? É ajudar as crianças a reconhecer que cada uma delas também tem uma história e que esta história está relacionada com a de outras pessoas: a sua, a de seus pais, a de sua família, de sua comunidade, cidade, estado, país e mundo. Continuando com o exemplo da visita ao museu, o âmbito da atividade pode ser ampliado com o professor pedindo aos alunos que busquem com familiares objetos que guardam há muitos anos. Nesse contexto, eles podem investigar os motivos que levaram as pessoas a guardar aqueles objetos e as memórias que suscitam em sua família. O professor pode incentivar cada aluno a escolher um objeto para guardar com o objetivo de ter, no futuro, algo que o lembre de uma época de sua vida e que o ajude a contar (para amigos, familiares, seus próprios filhos) parte de sua história (um brinquedo preferido, um presente de alguém muito querido...). Nesse trabalho simples, entre outros ganhos pedagógicos, o professor mostra que valoriza o patrimônio sociocultural do educando. Os alunos podem ser estimulados a fazer, na escola, sua própria exposição de objetos, cada um deles acompanhado de um pequeno cartão explicando a sua origem. E possível, ainda, criar coletivamente critérios de classificação dos materiais coletados a partir de orientações simples sobre catalogação de documentos. A caracterização dos objetos pode ser ampliada dependendo da faixa etária dos estudantes, sendo interessante incluir dados sobre a época em que foram produzidos e compará-los a objetos similares que existem atualmente. Os desdobramentos provocados por esse tipo de atividade acabam atribuindo novos significados ao conhecimento prévio dos alunos e facilitando sua percepção de outras realidades, mais "distantes" do seu cotidiano. Ao serem capazes de reconhecer que eles próprios têm uma história, os alunos estão prontos para, com o auxílio do professor, desvendar as relações entre a sua realidade e o patrimônio cultural da humanidade (Pinsky e Pinsky, 2003). Para isso, o professor deve trabalhar simultaneamente com esses dois universos culturais.”

FERMIANO, Maria Belintane. Ensino de história para o fundamental 1: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2014. p. 12-13.

O IPHAN disponibiliza de muito material on-line, vale a pena conhecer: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/caderno_tematico_educacao_patrimonial_05.pdf

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Povos e culturas: meu lugar no mundo e meu grupo social do 5º ano :

5º ano / História / Povos e culturas: meu lugar no mundo e meu grupo social

5º ano / História / Povos e culturas: meu lugar no mundo e meu grupo social

MAIS AULAS DE História do 5º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF05HI04 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano