14435
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 2º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Identificando sinônimos e antônimos

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 2º ano do EF sobre Identificando sinônimos e antônimos

Plano 01 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ingrid Da Silva Ramalho

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a 1ª aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é trabalhar as relações de sinonímia e antonímia (focando nos antônimos formados pelo acréscimo do prefixo de negação in-/im-).

Materiais necessários: Texto que traga palavras em relação de antonímia, quadro, giz/pincel, atividade disponibilizada, atividade produzida por você utilizando orientações dadas aqui, lápis de cor e cartolina.

Letra do texto "O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, disponível em http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=51302. Acesso: 04 de outubro de 2018. Previamente, você deverá sublinhar algumas palavras que serão indicadas.

Atividade 1: clique aqui.

Resolução da atividade 1: clique aqui.

Atividade 2: clique aqui.

Resolução da atividade 2: clique aqui.

Dificuldades antecipadas: Dificuldade de agrupar as palavras, tomando sinônimos e antônimos como membros de um mesmo grupo, por exemplo.

Referências sobre o assunto:

Dicionário Moderno de Sinônimos e Antônimos. Porto: Porto Editora, 2013.

“Sinônimos e antônimos”, Norma Culta, disponível em: https://www.normaculta.com.br/sinonimos-e-antonimos/. Acesso em 07 de outubro de 2018.

TUCCI, William. A rebelião dos Sinônimos e Antônimos. São Paulo: Scipione, 2004.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 01 minuto.

Orientações:

1. Projete ou leia o tema da aula para a turma.

2. Pergunte se a partir do tema alguém poderia imaginar o que ocorrerá na aula; logo após ouvir as crianças, evidencie que durante a aula eles/elas terão contato com algumas palavras e aprenderão a formar outras semelhantes em alguns aspectos e diferentes em outros.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 09 minutos

Orientações:

  • Insira no quadro ou projete previamente o texto O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, como forma de ganhar tempo. Organize a turma em 10 grupos para a atividade de desenvolvimento (os 10 grupos correspondem aos 10 trechos do texto sugerido que serão utilizados em uma atividade durante a etapa de desenvolvimento). Opte por mesclar estudantes com diferentes habilidades/dificuldades (estudantes que apresentam mais desenvoltura para expressarem oralmente suas ideias com outros(as) mais tímidos(as) ou estudantes com um bom nível de leitura com outros(as) que ainda estão desenvolvendo essa habilidade, por exemplo).
  • Distribua para cada estudante uma cópia do texto que será trabalhado, sublinhando as seguintes palavras: FRIO, QUENTE, PEQUENA, FININHA, REDONDA, GORDINHA, GRANDE, PEQUENINHA, GRANDE, PEQUENA, CURTO, COMPRIDO, BOM, RUIM, VAZIO, CHEIO, BONITO e FEIO, que receberão atenção especial durante esta etapa da aula. Solicite a leitura do texto. Essa leitura deverá ser conjunta dos/as estudantes em voz alta. Logo após, faça questionamentos, como, por exemplo, “Vocês gostaram do texto?”; “Sobre o que ele diz?”; “O que vocês acharam interessante?”; “Vocês perceberam, que, no texto, há algumas palavras sublinhadas?”; “Quem poderia ler essas palavras para mim?”. Peça para os(as) estudantes lerem juntos(as) somente as palavras destacadas e pergunte, “Por que será que o/a professor/a destacou essas palavras? Alguém tem alguma ideia?”. Ouça as crianças e anote as hipóteses. Espera-se que os(as) estudantes consigam perceber algumas relações de antonímia entre as palavras. Posteriormente, na etapa de desenvolvimento, além de aprofundarem suas reflexões sobre os antônimos, as crianças começarão a refletir também sobre as palavras sinônimas.
  • Para trabalhar o conteúdo desta aula, tenha em mente que a habilidade da BNCC focada aqui propõe a análise das diferenças entre os sinônimos em contextos situados para desconstruir a ideia de que eles são sempre idênticos e a formação de antônimos pelo acréscimo do prefixo de negação in-/im-. Ambos conceitos devem ser trabalhados durante as práticas de leitura de textos, levando em consideração a autonomia dos/as estudantes, que deve ser progressivamente alcançada.

Materiais complementares: "O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, disponível em http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=51302. Acesso: 04 de outubro de 2018.

Atividade 1: clique aqui

Resolução da atividade 1: clique aqui

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • O desenvolvimento da aula será dividido em duas atividades. A primeira será composta de dois itens, um focado nas palavras do texto em questão e outro focado nos antônimos formados pelo acréscimo de in-/im-. A segunda atividade terá como foco a substituição de palavras do texto por um sinônimo, a partir de opções previamente disponíveis. As correções serão feitas após a realização de cada atividade.
  • Inicie a etapa de desenvolvimento com a turma ainda organizada em grupos, fazendo questionamentos baseados no texto lido na etapa de introdução, como, por exemplo, “Como poderíamos organizar essas palavras destacadas em uma tabela?”, “Vamos pensar no critério adotado pela autora do texto. Por que será que ela colocou em uma mesma frase, por exemplo, bom e ruim; vazio e cheio e não bom e vazio, ruim e cheio?”. Esse poderia ser um critério para a elaboração da nossa tabela?”. Espera-se que os(as) estudantes identifiquem durante a análise do texto as relações existentes entre as palavras opostas e exponham a necessidade de separá-las na tabela. Caso isso não ocorra, explicite que como item 1 da primeira parte da atividade realizada em grupo (com a duração de 15 minutos), eles(as) deverão inserir nessa tabela as palavras destacadas do texto, levando em consideração a relação que há entre elas, isto é, se analisarem, perceberão que bom e ruim, por exemplo, possuem uma relação. Pergunte que relação seria essa e dê mais exemplos. Se não conseguirem, comente que é uma relação de oposição, isto é, são palavras contrárias. Assim, eles/elas devem analisar a relação que há entre as palavras, inserindo-as em locais diferentes, mostrando sua oposição.
  • Antes de entregar a atividade, questione as crianças oralmente no grande grupo sobre outros contrários de palavras que eles/elas sabem. Nesse momento, após a descoberta da existência de palavras em relação de oposição, comente que, na Língua Portuguesa, há um nome específico para essa relação de contrários já observada por eles/elas. Pergunte se eles/elas sabem o nome (provavelmente dirão que não) e, em seguida, nomeie essa relação, dizendo que são palavras antônimas. Entregue a atividade e solicite sua realização. Deixe claro para as crianças que, embora elas devam discutir suas opiniões com o grupo que fazem parte, cada um(a) deverá preencher sua própria atividade individualmente.
  • Para a realização da correção da primeira atividade, reproduza a tabela que os(as) estudantes preencheram, de modo que a partir das respostas dos(as) estudantes, você preencha a tabela no quadro. Questione um grupo por vez, fazendo perguntas, como, “Quais palavras vocês colocaram aqui na coluna 1?”; “Vocês podem ditar para mim?”; “E na coluna 2? Que palavra escreveram?”; “Todo mundo fez essa relação?”. Isto é, por exemplo, relacionou a palavra GRANDE com PEQUENO?; “Alguém fez diferente?”. Diga aos(às) estudantes que essa coluna será lida da seguinte forma: “GRANDE é antônimo de PEQUENO” ou “PEQUENO é antônimo de GRANDE”.
  • Solicite que os/as estudantes façam, logo após a correção do item 1, o item 2. Aqui, as crianças deverão buscar em um quadro os antônimos de algumas palavras formadas ou não pelo acréscimo de in-/-im, pintando de cor diferente os antônimos de uma mesma palavra. Assim, quando se depararem com a palavra VISÍVEL, deverão circular seus antônimos no quadro (INVISÍVEL e TRANSPARENTE) com o lápis da cor indicada. Faça um modelo, se julgar relevante para a compreensão.
  • Dê um tempo para que façam o item 2 e, depois, inicie a correção perguntando, por exemplo, “Para a palavra VISÍVEL quais foram os antônimos que vocês encontraram?; “Alguém pintou somente uma palavra? Por quê?”. Caso as crianças tenham marcado apenas um antônimo para cada palavra, busque identificar os motivos de tal escolha para sanar as dúvidas que surgirem. Caso identifique que as dificuldades das crianças estão relacionadas à falta de compreensão dos significados das palavras, pergunte ao grande grupo se alguém saberia explicar o que quer dizer tal termo e em caso negativo, explique você mesmo/a sua definição (isso pode ser feito por meio de um exemplo em uma frase). Logo após, repita as perguntas para que agora, sabendo os significados das palavras, as crianças estejam aptas a analisar as relações entre os antônimos. Após, continue com as perguntas: “Qual é o antônimo da palavra delicada?; “Qual é o antônimo da palavra paciente?”; “Qual é o antônimo da palavra popular?” e pergunte se essa é a única forma de obter o antônimo das palavras. Ouça as respostas e vá escrevendo no quadro as palavras correspondentes. Exemplo: escreva no quadro a palavra FELIZ, questionando seu antônimo. Após ouvir as hipóteses levantadas pelas crianças, evidencie que tanto a palavra TRISTE, quanto a palavra INFELIZ são antônimos do exemplo trazido.
  • Ao final da correção da atividade focada nos antônimos, você deve fazer perguntas, como, “O que vocês conseguiram perceber com a realização dessa atividade?”; “Existe uma única forma de termos os antônimos das palavras? Isto é, sempre, para termos os antônimos, as palavras precisarão ser diferentes? Ou há uma outra forma?”; “Qual seria o antônimo da palavra satisfeito que nós vimos?”. Escute as respostas das crianças, provavelmente alguma dirá “insatisfeito”. Peça que os(as) estudantes analisem como esse antônimo foi formado, isto é, a partir da mesma palavra, acrescentando o in- antes dela (se quiser, comente que esse acréscimo chama prefixo de negação - eles/as não precisam guardar o termo). Existem outros prefixos de negação, se quiser, até comente com eles/elas, mas, no caso dessa aula, ficaremos apenas com os prefixos in/im.
  • Durante esse momento, para antecipar as dificuldades de escolha entre in-/im- na formação de um antônimo, rememore que na Língua Portuguesa utilizamos M antes de P e B. Use palavras já trabalhadas na aula para exemplificar essa questão, fazendo perguntas como “Por que para a formação da palavra INVISÍVEL utilizamos o IN- e para a formação da palavra IMPOPULAR utilizamos o IM-?”. Recolha as folhas das crianças para uma correção mais minuciosa.

Materiais complementares: "O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, disponível em http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=51302. Acesso: 04 de outubro de 2018.

Atividade 1: clique aqui

Resolução da atividade 1: clique aqui

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Antes de distribuir a segunda atividade (com a duração de 15 minutos), que será focada na aprendizagem dos sinônimos, fomente reflexões sobre o conteúdo a partir de perguntas como, por exemplo, “O que as palavras TRISTE e INFELIZ têm em comum?”, espera-se que as crianças compreendam que ambas podem ser usadas como antônimos de FELIZ e tentem explicar isso de alguma forma. Caso nenhuma criança comente que elas possuem sentido similar (talvez elas usem a expressão: possuem o mesmo significado, dizem a mesma coisa, etc.), realize alguns questionamentos como: “Além de serem palavras antônimas de feliz, o que as palavras triste e infeliz têm em comum entre elas? Por exemplo, se eu disser: Pedro está triste porque perdeu seu brinquedo favorito ou Pedro está infeliz porque perdeu seu brinquedo favorito. Qual foi o sentido das palavras triste e infeliz nessas frases?” (Espera-se que as crianças digam que tiveram sentidos similares (talvez digam iguais, vamos trabalhar isso ao longo dessa aula). Caso elas não cheguem a essa conclusão, vá dando outros exemplos dos antônimos das palavras da atividade 2 para que elas percebam que, além de serem antônimos, aquele conjunto de palavras (invisível-transparente, triste e infeliz, etc.) são, entre elas, sinônimos.
  • Apenas depois da descoberta inicial das crianças sobre sinônimos, evidencie que na atividade proposta agora elas refletirão sobre palavras com sentidos semelhantes e prossiga essa etapa fomentando reflexões como, “Se eu fosse pedir para vocês me dizerem uma palavra que poderia substituir a palavra GRANDE no trecho “UMA ÁRVORE É TÃO GRANDE SE A GENTE OLHA LÁ PARA CIMA” sem mudar muito o sentido, que palavra poderíamos colocar?”. Espera-se que as crianças sugiram a troca de GRANDE por ALTA, por exemplo. Nesse caso, peça para que elas pronunciem a nova frase, “UMA ÁRVORE É TÃO ALTA SE A GENTE OLHA LÁ PARA CIMA”. Pergunte ainda se as crianças sugerem outras palavras e caso isso não ocorra, evidencie que a palavra GRANDE em alguns contextos também pode ser substituída por palavras como ROBUSTA ou ELEVADA e dê os exemplos, “UMA ÁRVORE É TÃO ROBUSTA SE A GENTE OLHA LÁ PARA CIMA” e “UMA ÁRVORE É TÃO ELEVADA SE A GENTE OLHA LÁ PARA CIMA”. Essas reflexões servirão para que as crianças cogitem que, embora os sinônimos tragam sentidos semelhantes, eles não trazem sentidos iguais, pois há fatores como a gradação semântica, por exemplo. Pergunte à turma se alguém sabe dizer o nome que na Língua Portuguesa usamos para essas palavras semelhantes, que podem ser substituídas por outras em determinados contextos e caso não haja nenhuma resposta, apresente o conceito de ‘sinônimo’, solicitando que eles/as, repitam, “GRANDE é sinônimo de ALTA”, “GRANDE é sinônimo de ROBUSTA” e outras frases que foram trabalhadas durante a reflexão inicial. Ressalte que as substituições devem ser realizadas por palavras que não prejudiquem o sentido original do texto, mas que nenhuma substituição é perfeita e traduz exatamente a ideia expressa por uma palavra. Nesse sentido, os sinônimos trazem ideias semelhantes, mas nunca iguais. Você pode levá-las a essa conclusão por meio de questões como, “Se eu falar, por exemplo, “Nossa, diretora, hoje você está bonita!” ou “Nossa, diretora, hoje você está linda!”, bonita e linda são sinônimos, mas têm o mesmo significado?”. Espera-se que as crianças percebam que linda é mais valorativo e tem uma gradação semântica maior.
  • Após as explicações, distribua a atividade e solicite que as crianças discutam com seus grupos e preencham suas respostas individualmente na sua folha. Nessa etapa, as crianças deverão substituir as palavras destacadas do texto (FRIO, QUENTE, PEQUENA, FININHA, REDONDA, GORDINHA, GRANDE, PEQUENINHA, GRANDE, PEQUENA, CURTO, COMPRIDO, BOM, RUIM, VAZIO, CHEIO, BONITO e FEIO) por um sinônimo disponibilizado na própria folha de atividade distribuída por você, preenchendo as lacunas existentes.
  • Você deverá preparar a atividade 2 de modo que para cada palavra haja mais de uma opção correta. Assim, no momento da correção a turma sintetizará que há diversas possibilidades de sinônimos para uma mesma palavra. Para a palavra FRIO, proponha substituições como GELADO e GÉLIDO; para a palavra QUENTE, proponha substituições como ARDENTE e CALOROSO; para a palavra PEQUENA, proponha substituições como MINÚSCULA e MIÚDA, para a palavra FININHA, proponha substituições como ESTREITINHA e ENCURTADINHA; para a palavra REDONDA, proponha substituições como ESFÉRICA e RECHONCHUDA; para a palavra GORDINHA, proponha substituições como, GORDUCHINHA e CHEINHA; para a palavra GRANDE, proponha substituições como, ALTA e CRESCIDA; para a palavra PEQUENINHA, proponha substituições como MIUDINHA e REDUZIDINHA; para a palavra GRANDE, proponha substituições como ENORME e GIGANTE, para a palavra PEQUENA, proponha substituições como MINÚSCULA e BAIXA; para a palavra CHEIA, proponha substituições como LOTADA e REPLETA; para a palavra CURTO, proponha substituições como REDUZIDO e ENCURTADO; para a palavra COMPRIDO, proponha substituições como EXTENSO e ALONGADO; para a palavra BOM, proponha substituições como; BONDOSO e GENEROSO, para a palavra RUIM, proponha substituições como DANOSO e CRUEL; para a palavra VAZIO, proponha substituições como DESOCUPADO e LIVRE ; para a palavra CHEIO, proponha substituições como OCUPADO e LOTADO; para a palavra BONITO, proponha substituições como LINDO e JEITOSO e para a palavra FEIO, proponha substituições como HORRÍVEL e MALFEITO. Não esqueça, ao montar a atividade 2, que as palavras sugeridas aqui deverão ser mescladas com outras para a composição das opções de substituição que estarão disponíveis para as crianças.
  • Para a realização da correção da segunda etapa da atividade do desenvolvimento, corrija oralmente cada frase, utilizando para isso as respostas de cada um dos grupos. Como haverá mais de uma possibilidade correta, sempre que um grupo expor suas conclusões, pergunte se algum outro utilizou palavras diferentes. Assim, a frase O FRIO PODE SER QUENTE?; poderá ser substituída por O GELADO PODE SER CALOROSO? ou O GÉLIDO PODE SER ARDENTE?, etc. Escreva o nome do conceito no quadro para que cada grupo possa, depois de um modelo dado por você, como “FRIO é sinônimo de GELADO”, falar em voz alta as respostas ditas anteriormente. Aqui, para abordar com as crianças o fato da substituição de uma palavra por um sinônimo não refletir integralmente o sentido original do texto, utilize como exemplo trechos que foram substituídos e evidencie a multiplicidade de sentidos, mostre por exemplo, que o trecho BOM e RUIM pode ser reescrito como BONDOSO e DANOSO ou GENEROSO e CRUEL e pergunte se os sentidos são os mesmos em cada uma das frases. Caso as crianças não identifiquem as diferenças, recontextualize as palavras em outras frases, de modo que elas compreendam que há contextos em que as palavras não podem ser substituídas, fazendo perguntas como, por exemplo, “Na frase O JOGO FOI BOM, é possível a substituição de BOM por BONDOSO ou GENEROSO?”, assim, espera-se que as crianças compreendam as nuances que ocorrem nas substituições das palavras.
  • Caso ache necessário, você pode orientar também, como atividade de casa, que as crianças criem uma tabela com os sinônimos trabalhados nesta aula, assim como fizeram na atividade sobre antônimos.

Materiais complementares: "O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, disponível em http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=51302. Acesso: 04 de outubro de 2018.

Atividade 2: clique aqui

Resolução da atividade 2: clique aqui

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Para o fechamento da aula, retome os conteúdos abordados, fazendo perguntas como, por exemplo, “O que vocês aprenderam hoje?”; “Alguém pode citar alguns exemplos?”; “Como os antônimos podem ser formados?”; “Quando utilizamos IN-/IM-?”. Diante das respostas das crianças, identifique as principais dúvidas para saná-las de forma eficiente.
  • Evidencie que os sinônimos não são perfeitos e que os antônimos também podem ser formados pelo acréscimo de palavras com sentido de negação (como o in-/im-), mas deixe claro que além dos prefixos trabalhados aqui, há outros na Língua Portuguesa que expressam essa ideia.
  • Solicite que os/as estudantes oralmente registrem os conhecimentos apreendidos na aula, como por exemplo, “Hoje nós aprendemos que palavras com sentidos semelhantes são chamadas de sinônimos”; “Hoje aprendemos que palavras com sentidos opostos são chamadas de antônimos”; “Hoje aprendemos que uma palavra pode ter vários sinônimos e antônimos”. À medida em que as crianças forem expondo os conteúdos aprendidos durante a aula, registre por escrito suas falas em uma cartolina que deverá ser afixada em um lugar visível da sala, de modo que sempre que necessário, as próprias crianças possam revisar o conteúdo.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a 1ª aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é trabalhar as relações de sinonímia e antonímia (focando nos antônimos formados pelo acréscimo do prefixo de negação in-/im-).

Materiais necessários: Texto que traga palavras em relação de antonímia, quadro, giz/pincel, atividade disponibilizada, atividade produzida por você utilizando orientações dadas aqui, lápis de cor e cartolina.

Letra do texto "O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, disponível em http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=51302. Acesso: 04 de outubro de 2018. Previamente, você deverá sublinhar algumas palavras que serão indicadas.

Atividade 1: clique aqui.

Resolução da atividade 1: clique aqui.

Atividade 2: clique aqui.

Resolução da atividade 2: clique aqui.

Dificuldades antecipadas: Dificuldade de agrupar as palavras, tomando sinônimos e antônimos como membros de um mesmo grupo, por exemplo.

Referências sobre o assunto:

Dicionário Moderno de Sinônimos e Antônimos. Porto: Porto Editora, 2013.

“Sinônimos e antônimos”, Norma Culta, disponível em: https://www.normaculta.com.br/sinonimos-e-antonimos/. Acesso em 07 de outubro de 2018.

TUCCI, William. A rebelião dos Sinônimos e Antônimos. São Paulo: Scipione, 2004.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 01 minuto.

Orientações:

1. Projete ou leia o tema da aula para a turma.

2. Pergunte se a partir do tema alguém poderia imaginar o que ocorrerá na aula; logo após ouvir as crianças, evidencie que durante a aula eles/elas terão contato com algumas palavras e aprenderão a formar outras semelhantes em alguns aspectos e diferentes em outros.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 09 minutos

Orientações:

  • Insira no quadro ou projete previamente o texto O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, como forma de ganhar tempo. Organize a turma em 10 grupos para a atividade de desenvolvimento (os 10 grupos correspondem aos 10 trechos do texto sugerido que serão utilizados em uma atividade durante a etapa de desenvolvimento). Opte por mesclar estudantes com diferentes habilidades/dificuldades (estudantes que apresentam mais desenvoltura para expressarem oralmente suas ideias com outros(as) mais tímidos(as) ou estudantes com um bom nível de leitura com outros(as) que ainda estão desenvolvendo essa habilidade, por exemplo).
  • Distribua para cada estudante uma cópia do texto que será trabalhado, sublinhando as seguintes palavras: FRIO, QUENTE, PEQUENA, FININHA, REDONDA, GORDINHA, GRANDE, PEQUENINHA, GRANDE, PEQUENA, CURTO, COMPRIDO, BOM, RUIM, VAZIO, CHEIO, BONITO e FEIO, que receberão atenção especial durante esta etapa da aula. Solicite a leitura do texto. Essa leitura deverá ser conjunta dos/as estudantes em voz alta. Logo após, faça questionamentos, como, por exemplo, “Vocês gostaram do texto?”; “Sobre o que ele diz?”; “O que vocês acharam interessante?”; “Vocês perceberam, que, no texto, há algumas palavras sublinhadas?”; “Quem poderia ler essas palavras para mim?”. Peça para os(as) estudantes lerem juntos(as) somente as palavras destacadas e pergunte, “Por que será que o/a professor/a destacou essas palavras? Alguém tem alguma ideia?”. Ouça as crianças e anote as hipóteses. Espera-se que os(as) estudantes consigam perceber algumas relações de antonímia entre as palavras. Posteriormente, na etapa de desenvolvimento, além de aprofundarem suas reflexões sobre os antônimos, as crianças começarão a refletir também sobre as palavras sinônimas.
  • Para trabalhar o conteúdo desta aula, tenha em mente que a habilidade da BNCC focada aqui propõe a análise das diferenças entre os sinônimos em contextos situados para desconstruir a ideia de que eles são sempre idênticos e a formação de antônimos pelo acréscimo do prefixo de negação in-/im-. Ambos conceitos devem ser trabalhados durante as práticas de leitura de textos, levando em consideração a autonomia dos/as estudantes, que deve ser progressivamente alcançada.

Materiais complementares: "O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, disponível em http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=51302. Acesso: 04 de outubro de 2018.

Atividade 1: clique aqui

Resolução da atividade 1: clique aqui

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • O desenvolvimento da aula será dividido em duas atividades. A primeira será composta de dois itens, um focado nas palavras do texto em questão e outro focado nos antônimos formados pelo acréscimo de in-/im-. A segunda atividade terá como foco a substituição de palavras do texto por um sinônimo, a partir de opções previamente disponíveis. As correções serão feitas após a realização de cada atividade.
  • Inicie a etapa de desenvolvimento com a turma ainda organizada em grupos, fazendo questionamentos baseados no texto lido na etapa de introdução, como, por exemplo, “Como poderíamos organizar essas palavras destacadas em uma tabela?”, “Vamos pensar no critério adotado pela autora do texto. Por que será que ela colocou em uma mesma frase, por exemplo, bom e ruim; vazio e cheio e não bom e vazio, ruim e cheio?”. Esse poderia ser um critério para a elaboração da nossa tabela?”. Espera-se que os(as) estudantes identifiquem durante a análise do texto as relações existentes entre as palavras opostas e exponham a necessidade de separá-las na tabela. Caso isso não ocorra, explicite que como item 1 da primeira parte da atividade realizada em grupo (com a duração de 15 minutos), eles(as) deverão inserir nessa tabela as palavras destacadas do texto, levando em consideração a relação que há entre elas, isto é, se analisarem, perceberão que bom e ruim, por exemplo, possuem uma relação. Pergunte que relação seria essa e dê mais exemplos. Se não conseguirem, comente que é uma relação de oposição, isto é, são palavras contrárias. Assim, eles/elas devem analisar a relação que há entre as palavras, inserindo-as em locais diferentes, mostrando sua oposição.
  • Antes de entregar a atividade, questione as crianças oralmente no grande grupo sobre outros contrários de palavras que eles/elas sabem. Nesse momento, após a descoberta da existência de palavras em relação de oposição, comente que, na Língua Portuguesa, há um nome específico para essa relação de contrários já observada por eles/elas. Pergunte se eles/elas sabem o nome (provavelmente dirão que não) e, em seguida, nomeie essa relação, dizendo que são palavras antônimas. Entregue a atividade e solicite sua realização. Deixe claro para as crianças que, embora elas devam discutir suas opiniões com o grupo que fazem parte, cada um(a) deverá preencher sua própria atividade individualmente.
  • Para a realização da correção da primeira atividade, reproduza a tabela que os(as) estudantes preencheram, de modo que a partir das respostas dos(as) estudantes, você preencha a tabela no quadro. Questione um grupo por vez, fazendo perguntas, como, “Quais palavras vocês colocaram aqui na coluna 1?”; “Vocês podem ditar para mim?”; “E na coluna 2? Que palavra escreveram?”; “Todo mundo fez essa relação?”. Isto é, por exemplo, relacionou a palavra GRANDE com PEQUENO?; “Alguém fez diferente?”. Diga aos(às) estudantes que essa coluna será lida da seguinte forma: “GRANDE é antônimo de PEQUENO” ou “PEQUENO é antônimo de GRANDE”.
  • Solicite que os/as estudantes façam, logo após a correção do item 1, o item 2. Aqui, as crianças deverão buscar em um quadro os antônimos de algumas palavras formadas ou não pelo acréscimo de in-/-im, pintando de cor diferente os antônimos de uma mesma palavra. Assim, quando se depararem com a palavra VISÍVEL, deverão circular seus antônimos no quadro (INVISÍVEL e TRANSPARENTE) com o lápis da cor indicada. Faça um modelo, se julgar relevante para a compreensão.
  • Dê um tempo para que façam o item 2 e, depois, inicie a correção perguntando, por exemplo, “Para a palavra VISÍVEL quais foram os antônimos que vocês encontraram?; “Alguém pintou somente uma palavra? Por quê?”. Caso as crianças tenham marcado apenas um antônimo para cada palavra, busque identificar os motivos de tal escolha para sanar as dúvidas que surgirem. Caso identifique que as dificuldades das crianças estão relacionadas à falta de compreensão dos significados das palavras, pergunte ao grande grupo se alguém saberia explicar o que quer dizer tal termo e em caso negativo, explique você mesmo/a sua definição (isso pode ser feito por meio de um exemplo em uma frase). Logo após, repita as perguntas para que agora, sabendo os significados das palavras, as crianças estejam aptas a analisar as relações entre os antônimos. Após, continue com as perguntas: “Qual é o antônimo da palavra delicada?; “Qual é o antônimo da palavra paciente?”; “Qual é o antônimo da palavra popular?” e pergunte se essa é a única forma de obter o antônimo das palavras. Ouça as respostas e vá escrevendo no quadro as palavras correspondentes. Exemplo: escreva no quadro a palavra FELIZ, questionando seu antônimo. Após ouvir as hipóteses levantadas pelas crianças, evidencie que tanto a palavra TRISTE, quanto a palavra INFELIZ são antônimos do exemplo trazido.
  • Ao final da correção da atividade focada nos antônimos, você deve fazer perguntas, como, “O que vocês conseguiram perceber com a realização dessa atividade?”; “Existe uma única forma de termos os antônimos das palavras? Isto é, sempre, para termos os antônimos, as palavras precisarão ser diferentes? Ou há uma outra forma?”; “Qual seria o antônimo da palavra satisfeito que nós vimos?”. Escute as respostas das crianças, provavelmente alguma dirá “insatisfeito”. Peça que os(as) estudantes analisem como esse antônimo foi formado, isto é, a partir da mesma palavra, acrescentando o in- antes dela (se quiser, comente que esse acréscimo chama prefixo de negação - eles/as não precisam guardar o termo). Existem outros prefixos de negação, se quiser, até comente com eles/elas, mas, no caso dessa aula, ficaremos apenas com os prefixos in/im.
  • Durante esse momento, para antecipar as dificuldades de escolha entre in-/im- na formação de um antônimo, rememore que na Língua Portuguesa utilizamos M antes de P e B. Use palavras já trabalhadas na aula para exemplificar essa questão, fazendo perguntas como “Por que para a formação da palavra INVISÍVEL utilizamos o IN- e para a formação da palavra IMPOPULAR utilizamos o IM-?”. Recolha as folhas das crianças para uma correção mais minuciosa.

Materiais complementares: "O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, disponível em http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=51302. Acesso: 04 de outubro de 2018.

Atividade 1: clique aqui

Resolução da atividade 1: clique aqui

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Antes de distribuir a segunda atividade (com a duração de 15 minutos), que será focada na aprendizagem dos sinônimos, fomente reflexões sobre o conteúdo a partir de perguntas como, por exemplo, “O que as palavras TRISTE e INFELIZ têm em comum?”, espera-se que as crianças compreendam que ambas podem ser usadas como antônimos de FELIZ e tentem explicar isso de alguma forma. Caso nenhuma criança comente que elas possuem sentido similar (talvez elas usem a expressão: possuem o mesmo significado, dizem a mesma coisa, etc.), realize alguns questionamentos como: “Além de serem palavras antônimas de feliz, o que as palavras triste e infeliz têm em comum entre elas? Por exemplo, se eu disser: Pedro está triste porque perdeu seu brinquedo favorito ou Pedro está infeliz porque perdeu seu brinquedo favorito. Qual foi o sentido das palavras triste e infeliz nessas frases?” (Espera-se que as crianças digam que tiveram sentidos similares (talvez digam iguais, vamos trabalhar isso ao longo dessa aula). Caso elas não cheguem a essa conclusão, vá dando outros exemplos dos antônimos das palavras da atividade 2 para que elas percebam que, além de serem antônimos, aquele conjunto de palavras (invisível-transparente, triste e infeliz, etc.) são, entre elas, sinônimos.
  • Apenas depois da descoberta inicial das crianças sobre sinônimos, evidencie que na atividade proposta agora elas refletirão sobre palavras com sentidos semelhantes e prossiga essa etapa fomentando reflexões como, “Se eu fosse pedir para vocês me dizerem uma palavra que poderia substituir a palavra GRANDE no trecho “UMA ÁRVORE É TÃO GRANDE SE A GENTE OLHA LÁ PARA CIMA” sem mudar muito o sentido, que palavra poderíamos colocar?”. Espera-se que as crianças sugiram a troca de GRANDE por ALTA, por exemplo. Nesse caso, peça para que elas pronunciem a nova frase, “UMA ÁRVORE É TÃO ALTA SE A GENTE OLHA LÁ PARA CIMA”. Pergunte ainda se as crianças sugerem outras palavras e caso isso não ocorra, evidencie que a palavra GRANDE em alguns contextos também pode ser substituída por palavras como ROBUSTA ou ELEVADA e dê os exemplos, “UMA ÁRVORE É TÃO ROBUSTA SE A GENTE OLHA LÁ PARA CIMA” e “UMA ÁRVORE É TÃO ELEVADA SE A GENTE OLHA LÁ PARA CIMA”. Essas reflexões servirão para que as crianças cogitem que, embora os sinônimos tragam sentidos semelhantes, eles não trazem sentidos iguais, pois há fatores como a gradação semântica, por exemplo. Pergunte à turma se alguém sabe dizer o nome que na Língua Portuguesa usamos para essas palavras semelhantes, que podem ser substituídas por outras em determinados contextos e caso não haja nenhuma resposta, apresente o conceito de ‘sinônimo’, solicitando que eles/as, repitam, “GRANDE é sinônimo de ALTA”, “GRANDE é sinônimo de ROBUSTA” e outras frases que foram trabalhadas durante a reflexão inicial. Ressalte que as substituições devem ser realizadas por palavras que não prejudiquem o sentido original do texto, mas que nenhuma substituição é perfeita e traduz exatamente a ideia expressa por uma palavra. Nesse sentido, os sinônimos trazem ideias semelhantes, mas nunca iguais. Você pode levá-las a essa conclusão por meio de questões como, “Se eu falar, por exemplo, “Nossa, diretora, hoje você está bonita!” ou “Nossa, diretora, hoje você está linda!”, bonita e linda são sinônimos, mas têm o mesmo significado?”. Espera-se que as crianças percebam que linda é mais valorativo e tem uma gradação semântica maior.
  • Após as explicações, distribua a atividade e solicite que as crianças discutam com seus grupos e preencham suas respostas individualmente na sua folha. Nessa etapa, as crianças deverão substituir as palavras destacadas do texto (FRIO, QUENTE, PEQUENA, FININHA, REDONDA, GORDINHA, GRANDE, PEQUENINHA, GRANDE, PEQUENA, CURTO, COMPRIDO, BOM, RUIM, VAZIO, CHEIO, BONITO e FEIO) por um sinônimo disponibilizado na própria folha de atividade distribuída por você, preenchendo as lacunas existentes.
  • Você deverá preparar a atividade 2 de modo que para cada palavra haja mais de uma opção correta. Assim, no momento da correção a turma sintetizará que há diversas possibilidades de sinônimos para uma mesma palavra. Para a palavra FRIO, proponha substituições como GELADO e GÉLIDO; para a palavra QUENTE, proponha substituições como ARDENTE e CALOROSO; para a palavra PEQUENA, proponha substituições como MINÚSCULA e MIÚDA, para a palavra FININHA, proponha substituições como ESTREITINHA e ENCURTADINHA; para a palavra REDONDA, proponha substituições como ESFÉRICA e RECHONCHUDA; para a palavra GORDINHA, proponha substituições como, GORDUCHINHA e CHEINHA; para a palavra GRANDE, proponha substituições como, ALTA e CRESCIDA; para a palavra PEQUENINHA, proponha substituições como MIUDINHA e REDUZIDINHA; para a palavra GRANDE, proponha substituições como ENORME e GIGANTE, para a palavra PEQUENA, proponha substituições como MINÚSCULA e BAIXA; para a palavra CHEIA, proponha substituições como LOTADA e REPLETA; para a palavra CURTO, proponha substituições como REDUZIDO e ENCURTADO; para a palavra COMPRIDO, proponha substituições como EXTENSO e ALONGADO; para a palavra BOM, proponha substituições como; BONDOSO e GENEROSO, para a palavra RUIM, proponha substituições como DANOSO e CRUEL; para a palavra VAZIO, proponha substituições como DESOCUPADO e LIVRE ; para a palavra CHEIO, proponha substituições como OCUPADO e LOTADO; para a palavra BONITO, proponha substituições como LINDO e JEITOSO e para a palavra FEIO, proponha substituições como HORRÍVEL e MALFEITO. Não esqueça, ao montar a atividade 2, que as palavras sugeridas aqui deverão ser mescladas com outras para a composição das opções de substituição que estarão disponíveis para as crianças.
  • Para a realização da correção da segunda etapa da atividade do desenvolvimento, corrija oralmente cada frase, utilizando para isso as respostas de cada um dos grupos. Como haverá mais de uma possibilidade correta, sempre que um grupo expor suas conclusões, pergunte se algum outro utilizou palavras diferentes. Assim, a frase O FRIO PODE SER QUENTE?; poderá ser substituída por O GELADO PODE SER CALOROSO? ou O GÉLIDO PODE SER ARDENTE?, etc. Escreva o nome do conceito no quadro para que cada grupo possa, depois de um modelo dado por você, como “FRIO é sinônimo de GELADO”, falar em voz alta as respostas ditas anteriormente. Aqui, para abordar com as crianças o fato da substituição de uma palavra por um sinônimo não refletir integralmente o sentido original do texto, utilize como exemplo trechos que foram substituídos e evidencie a multiplicidade de sentidos, mostre por exemplo, que o trecho BOM e RUIM pode ser reescrito como BONDOSO e DANOSO ou GENEROSO e CRUEL e pergunte se os sentidos são os mesmos em cada uma das frases. Caso as crianças não identifiquem as diferenças, recontextualize as palavras em outras frases, de modo que elas compreendam que há contextos em que as palavras não podem ser substituídas, fazendo perguntas como, por exemplo, “Na frase O JOGO FOI BOM, é possível a substituição de BOM por BONDOSO ou GENEROSO?”, assim, espera-se que as crianças compreendam as nuances que ocorrem nas substituições das palavras.
  • Caso ache necessário, você pode orientar também, como atividade de casa, que as crianças criem uma tabela com os sinônimos trabalhados nesta aula, assim como fizeram na atividade sobre antônimos.

Materiais complementares: "O frio pode ser quente?", de Jandira Mansur, disponível em http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=51302. Acesso: 04 de outubro de 2018.

Atividade 2: clique aqui

Resolução da atividade 2: clique aqui

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Para o fechamento da aula, retome os conteúdos abordados, fazendo perguntas como, por exemplo, “O que vocês aprenderam hoje?”; “Alguém pode citar alguns exemplos?”; “Como os antônimos podem ser formados?”; “Quando utilizamos IN-/IM-?”. Diante das respostas das crianças, identifique as principais dúvidas para saná-las de forma eficiente.
  • Evidencie que os sinônimos não são perfeitos e que os antônimos também podem ser formados pelo acréscimo de palavras com sentido de negação (como o in-/im-), mas deixe claro que além dos prefixos trabalhados aqui, há outros na Língua Portuguesa que expressam essa ideia.
  • Solicite que os/as estudantes oralmente registrem os conhecimentos apreendidos na aula, como por exemplo, “Hoje nós aprendemos que palavras com sentidos semelhantes são chamadas de sinônimos”; “Hoje aprendemos que palavras com sentidos opostos são chamadas de antônimos”; “Hoje aprendemos que uma palavra pode ter vários sinônimos e antônimos”. À medida em que as crianças forem expondo os conteúdos aprendidos durante a aula, registre por escrito suas falas em uma cartolina que deverá ser afixada em um lugar visível da sala, de modo que sempre que necessário, as próprias crianças possam revisar o conteúdo.
Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 2º ano :

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 2º ano:

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF02LP10 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano