Esculturas de sabão de coco

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

  • Compreender as características da escultura;
  • Conhecer a diferença entre modelar e esculpir.

Conteúdo(s) 

  • História da escultura;
  • Características da escultura.

Ano(s) 

6º, 7º

Tempo estimado 

5 aulas

Material necessário 

  • Caixa de papelão ou plástico (identificadas com o nome do aluno);
  • Dois pacotes (de cinco ou dez unidades) de sabão de coco em pedra (consistência mais dura) por aluno;
  • Colher de chá, faca sem ponta e sem serra (faca de queijo ou espátula para patê);
  • Chave de fenda nº8 e régua;
  • Saco plástico para o lixo.

Desenvolvimento 

1ª etapa 
Realize a projeção e a análise de imagens de esculturas no decorrer da história. Mostre a variedade de materiais e técnicas, passando por gesso, bronze, mármore, pedra sabão, terracota e outros. Aproveite para complementar os conhecimentos que eles já possuem sobre a história da Arte, resgatando a evolução das técnicas nos movimentos artísticos do Brasil e do mundo.

 

Durante essa primeira etapa, encoraje os alunos, faça perguntas e peça que compartilhem seus conhecimentos sobre o assunto. Indague, por exemplo, quem já foi a alguma exposição com esculturas? E quem viu esculturas espalhadas por praças ou jardins da cidade? O que viu de interessante nesses passeios?

 

Organize uma visita ao ateliê de um artista ou exiba um documentário. Uma sugestão é o vídeo que mostra Amilcar de Castro falando sobre seu trabalho e detalha o processo de produção de suas esculturas.
Para explicar a diferença entre esculpir e modelar, selecione trechos de vídeos como Entrevidas e Agonia e Êxtase, esse último com cenas de trabalhos de Michelangelo.

 

Você ainda pode levar os alunos para as praças públicas que possuam esculturas, mesmo que sejam trabalhos simples e figurativos, como os bustos de personalidades. Durante a visita, explore o estilo das obras, as técnicas e os materiais utilizados. Mostre, também, como a identificação da escultura é feita (essa informação será importante quando a classe for realizar a exposição final dos trabalhos).

 

A produção de alguns artistas pode ajudar na tarefa de ampliar o repertório da turma sobre essa expressão artística. Confira abaixo algumas sugestões e os aspectos a serem abordados com cada mestre:

 

- Alberto Giacometti: o trabalho dele representa a busca e a distorção do real através de figuras humanas alongadas (técnica: metal fundido).
- Michelangelo: A dificuldade do entalhe no mármore.
- Aleijadinho: Inspiração no Barroco Europeu associada à brasilidade (entalhe em madeira).
- Anna Maria Maiolino: Modelagem e moldagem usando a argila como matéria-prima para uma expressão artística contemporânea.
- Frank Benson: Artista contemporâneo que utiliza materiais e técnicas da escultura tradicional para revelar reflexões em torno da própria arte e do papel do artista.
- Mestre Vitalino: Escultura revelando a tradição e a cultura do Nordeste brasileiro (modelagem em argila).
- Jeff Koons (esculturas de balões): Também contemporâneo. A confecção parte de recursos industriais e tecnológicos.
- Antony Gormley: Reflete sobre as multidões e as imagens que o homem eterniza em seu meio (material: ferro).
- Frans Krajcberg: Seu lema é "fazer da Arte um grito a favor do planeta". Utiliza pedaços de madeiras caídos na natureza.
- Louise Bourgeois: Pelo desenho que suas "aranhas" de bronze formam no espaço.

 

Oriente os alunos para que façam anotações sobre os tipos de esculturas e técnicas e explique que nas próximas aulas eles vão produzir sua própria obra utilizando sabão de coco.

 

2ª etapa 

Apresente a lista de materiais (descrita acima) e faça uma pequena demonstração sobre como usá-los. Deixe que os estudantes explorem o material livremente para entendê-lo melhor. Reserve um pacote de sabão de coco para o produto final.

 

Incentive a reflexão sobre as possibilidades da escultura: o que é possível fazer com o material disponível? As obras serão abstratas ou figurativas? Alguém se inspirou por algum artista conhecido na primeira etapa? Oriente a criação de um esboço para desenvolver uma peça ou uma série de peças no sabão. Os alunos devem desenhar a idéia sobre papel, transferir o desenho para o sabão e aos poucos retirar os excessos até atingir o seu objetivo.
A escultura propriamente dita será feita com a colher ou espátula, raspando o sabão de coco para extrair as partes que não são necessárias para o seu objetivo. Lembre os alunos que o que é retirado não pode retornar, portanto eles devem ser cuidadosos e ampliar aos poucos a área trabalhada.

 

Para o acabamento final das esculturas, peça que coloquem uma de cada vez em água corrente e passem suavemente as mãos para que percam o excesso de raspas e fiquem lisas.

 

3ª etapa 

Encerre com uma exposição. Crie com os alunos uma maneira para expor os trabalhos e os conceitos discutidos em sala de aula. A solução pode ser uma mostra no pátio ou dentro da própria sala.

 

Avaliação 

Durante a segunda etapa, faça o registro sobre o processo: O aluno conseguiu manusear o sabão de coco seguindo suas orientações? O resultado final está próximo do esboço que ele fez no papel? Ele se esforçou para conseguir um bom acabamento?  

Créditos: Sandra Avellar Formação: Arte-educadora e professora da Escola Santi, em São Paulo

Compartilhe este conteúdo: