Como é calculado o preço das obras de arte?

Mercado

POR:
Beatriz Santomauro, Rita Trevisan, NOVA ESCOLA

O valor de uma produção é subjetivo. Em geral, ele é determinado por questões relacionadas ao mercado de arte, o que independe da estética. Entram em jogo a importância do artista, se ele fez parte de exposições ou coleções de notoriedade, se a obra propõe uma discussão relevante e se o artista já morreu, entre outras questões. Com base nisso, calcula-se os valores das obras do artista - no caso de um quadro, o tamanho do objeto também conta. Entre os mais caros do mundo estão O Grito, de Edvard Munch (1863-1944), Nu, Folhas Verdes e Busto, de Pablo Picasso (1881-1973), e Retrato de Dr. Gachet, de Vincent Van Gogh (1853-1890) (veja a reprodução e leia sobre a obra abaixo). Telas como essas são vendidas em leilões, e muitos compradores preferem manter-se no anonimato. Já obras contemporâneas expostas em galerias têm o valor comercial determinado pelo responsável por elas em cada instituição.

Como é calculado o preço das obras de arte e quais as mais caras do mundo? DeAgostini/Getty Images. Museu D'Orsay, Paris

Criação Em 1890, neste óleo sobre tela de 68 x 57 centímetros em estilo impressionista, Van Gogh homenageou seu amigo e médico homeopata.

Recordista até 1990 A imagem foi comprada há 22 anos por um magnata japonês, que pagou um preço recorde na época: 82,5 milhões de dólares. Com o passar dos anos, outras superaram esse valor. Em maio de 2012 o título passou a pertencer a O Grito, vendida por 119,9 milhões de dólares.

Para vê-la hoje Está exposta no Museu D'Orsay, em Paris.


Fontes Danielle Nastari, pós-graduanda em Gestão de Projetos Culturais pela Universidade de São Paulo (USP), e Museu D'Orsay

Pergunta enviada por Tatiane Marcela da Silva Cunha, Guaxupé, MG

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias