Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Relaxe | Relaxe


Por: Beatriz Peres

Dicas para saber mais sobre inclusão

Livros infantis que falam sobre diferenças, filmes sobre inclusão e uma exposição tátil na Pinacoteca, em São Paulo. Mergulhe no universo inclusivo

Artes

Esculturas para ver com as mãos

Galeria tátil seleciona 12 obras em bronze que podem ser tocadas pelos visitantes com deficiências visuais

Um dos mais importantes museus de São Paulo, a Pinacoteca tem uma galeria criada para o público com deficiência visual. Ali, quem não consegue ver pode tocar. Criada em 2009, a Galeria Tátil de Esculturas Brasileiras reúne 12 obras do acervo de diferentes tamanhos e texturas que podem ser exploradas com as mãos. São trabalhos de nomes como Victor Brecheret (1894-1955), Amilcar de Castro (1920-2002) e Rodolfo Bernardelli (1852-1931) que ficam ao alcance dos visitantes. A acessibilidade é completada por um piso tátil, que ajuda a orientar a visitação, e pelo material de apoio: folder e catálogo em Braille e um audioguia específico. A galeria faz parte de um programa desenvolvido pela Pinacoteca para promover o acesso à arte de pessoas com diferentes tipos de deficiência. Para os surdos, eles disponibilizam videoguias e educadores que fazem as visitas educativas em Libras (a língua brasileira de sinais).

Onde? Pinacoteca (Praça da Luz, 2, Luz, São Paulo, SP)

Quando? Quarta a segunda: 10h às 17h30

Quanto? R$ 6 (estudantes pagam R$ 3). Grátis aos sábados.

Visitas orientadas: Agende pelo (11) 3324-0945


Literatura

Livros infantis abordam as diferenças

Um livro com uma criança Down. Com outra que tem dois pais. Ou sobre uma cor que não se encaixa. As histórias podem ser bons pontos de partida para abordar as diferenças na infância. Publicado em 1969, o primeiro livro infantil do cartunista Ziraldo é um clássico cada vez mais atual. Flicts trata de preconceito com a história de uma cor diferente que não consegue se encaixar nem no arco-íris nem nas bandeiras. Já o premiado autor e ilustrador argentino Gusti Rosemffet lançou em 2018 no Brasil Não Somos Anjinhos. Pai de uma criança Down, ele trata no livro de questões envolvendo a síndrome. Olívia Tem Dois Papais, da paulistana Márcia Leite, lida com outro tipo de diferença, com uma protagonista filha de dois homens. Para completar, uma indicação adulta: o quadrinista francês Fabien Toulmé conta com delicadeza sua própria experiência como pai de uma menina Down em Não Era Você Que Eu Esperava.


Não Somos Anjinhos

Gusti Rosemffet, editora Solisluna




Olivia Tem Dois Papais
Márcia Leite, editora Cia das Letrinhas




Não Era Você Que Eu Esperava

Fabien Toulmé, editora Nemo




3 FILMES BRASILEIROS sobre diferenças

Três histórias de ficção abordam de maneiras distintas questões sobre inclusão
Colegas
dir. Marcelo Galvão, 2012
Três atores com síndrome de Down interpretam os amigos que resolvem fugir juntos do instituto em que vivem em busca de seus sonhos. Vencedor do Festival de Gramado.



Hoje Eu Quero Voltar Sozinho
dir. Daniel Ribeiro, 2014
Premiado em vários festivais, incluindo o de Berlim, o filme conta a história de um adolescente cego que lida com a descoberta da homossexualidade.



O Filho Eterno
dir. Paulo Machline, 2016
Baseado no livro homônimo do catarinense Cristovão Tezza, o longa mostra como um escritor lida com o nascimento do primeiro filho, que tem síndrome de Down.