Estante - Psicologia e Educação

POR:
Beatriz Vichessi

Clássico do mês

Na década de 1980, a preocupação com a reprovação, a evasão e o fracasso escolar de elevados contingentes nas séries iniciais cresceu a ponto de projetar a questão da formação continuada. Em Piaget, Vygotsky, Wallon: Teorias Psicogenéticas em Discussão (120 págs, Ed. Summus, tel. 11/3865-9890 , 26,90 reais), Yves de La Taille, Marta Kohl de Oliveira e Heloysa Dantas propõem pensar esses problemas e sinalizam a necessidade de abordá-los tanto no plano teórico como no embasamento da prática pedagógica. Para isso, expõem três importantes teóricos que tratam de questões ligadas ao Desenvolvimento e à aprendizagem. La Taille discute o lugar da interação social na concepção de Jean Piaget (1896-1980) e trata do juízo moral e da afetividade. Marta apresenta os mesmos conteúdos com base na pesquisa de Lev Vygotsky (1896-1934), abordando de forma instigante a dimensão social e o Desenvolvimento psicológico e refletindo sobre o problema da afetividade, um assunto pouco conhecido pelos educadores. Por fim, com um estudo que recorre à perspectiva de Henri Wallon (1879-1962), Heloysa discorre sobre o ato motor, o ato mental e sobre a construção do sujeito na psicogenética walloniana.

Marisa Garcia, do Instituto Superior de Educação Vera Cruz

Por que ler

 

- Ajuda a entender como Piaget, Vygotsky e Wallon contribuem para mostrar que o desenvolvimento humano é complexo e que há visões complementares sobre ele - e não contrapostas.
- É um texto importante para estudantes de Licenciatura e de Pedagogia e para professores na formação continuada.
- Apresenta idéias dos inspiradores das teorias psicogenéticas.
- É assinado por autores que têm pesquisas reconhecidas no Brasil e no exterior.
- Comenta conceitos centrais das teorias construtivista e sociointeracionista.
- Funciona como fonte teórica para embasar a prática pedagógica.

3 perguntas Marta Kohl de Oliveira

Foto: Rodrigo Erib
Foto: Rodrigo Erib

A professora-doutora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo fala sobre Vygotsky e a importância do estudo de teorias.

Quais as contribuições de Vygotsky para a Educação?
Uma das principais é defender que os processos de aprendizagem são o motor do desenvolvimento, algo externo ao sujeito, diretamente relacionado à história e à cultura. Vygotsky também ressalta a importância do outro no desenvolvimento do indivíduo, o que coloca o professor e a escola em destaque em sociedades escolarizadas. Hoje, com mais textos dele traduzidos para o português, essas questões podem ser estudadas a fundo.

A primeira edição da obra foi lançada em 1992. Suas discussões ainda se mantêm válidas?
Sim. Trata-se de um livro teórico e justamente por isto seu conteúdo segue atual: as teorias não envelhecem.

Então por que muitos educadores insistem em abandoná-las?
Porque não encontram nelas respostas para questões imediatas e problemas da sala de aula. Elas não apagam incêndios, mas são fundamentais para conhecer o aluno e saber como interagir com ele.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias